Codex Alimentarius é implementado em Portugal

O Codex Alimentarius é obrigatório para todos os países que fazem parte do WTO, Organização Mundial do Comércio, como Portugal faz parte da UE e todos os países da UE fazem parte do WTO, logo em Portugal já está a ser implementado desde 1995 o Codex Alimentarius.

Se forem ao portal do governo e fizerem busca sobre o Codex, encontrarão lá por exemplo esta informação:

8. Decreto-Lei que procede à primeira alteração ao Decreto-Lei n.º 106/2005, de 29 de Junho, que fixa as características a que devem obedecer as gorduras e óleos vegetais destinados à alimentação humana e as condições a observar na sua obtenção ou tratamento, bem como as regras da sua comercialização e revoga a Portaria n.º 928/98, de 23 de Outubro

Com este diploma pretende-se adaptar a legislação nacional às constantes alterações a que estão sujeitas as características gerais e específicas das gorduras e dos óleos vegetais e que consistem na reprodução das modificações introduzidas nas tabelas da Norma Codex Stan 210, adoptada internacionalmente no âmbito do Codex Alimentarius.

Assim, com as alterações agora aprovadas, as características gerais e específicas das gorduras e óleos vegetais passam a ser fixadas por remissão para a Norma Codex Stand 210.

Se no google fizerem uma busca sobre o Codex Alimentarius e Portugal, encontrarão este panfleto em formato PDF directamente do site da infoqualidade.

Todos os Estados-Membros da UE são membros do Codex. Em 17 de Novembro de 2003 depois de, na 26ª Reunião da Comissão do Codex Alimentarius, os directores gerais da FAO e da OMS terem aprovado as alterações do Regulamento Interno que permitia às organizações de integração económica regionais tornarem-se membros do Codex, o Conselho da UE decide (Decisão N.º 2003/822/CE) que “…a Comunidade Europeia apresentará à Comissão do Codex Alimentarius um pedido de adesão, acompanhado de um instrumento formal especificando que aceita as obrigações dos estatutos em vigor na data da adesão e de uma declaração única relativa ao exercício de competências.”

Para saberem realmente o que é esta monstruosidade e as consequências que daí advém para a nossa saúde e a sua ligação às empresas de biotecnologia, farmacêuticas e químicas entre outras, bem como aos Organismos Geneticamente Modificados e ao uso de pesticidas, radiações e hormonas bem como antibióticos na comida, vejam esta apresentação.

Para mais info:

Healthfreedomusa

O interior do Cofre do Juizo Final – Svalbard GMO – Cofre das sementes da Elite

GMO/OGM: Fox News Whistle Blowers – Controlo da população através da alimentação

A mentira do ‘Aquecimento Global’ – Relatório de 650 cientistas

Gostam de gelados Häagen-Dazs? Espero que não se importem de comer OGM

A Eugenia voltou. E agora tem o alto patrocínio da Fundação Bill&Melinda Gates – ‘If you control the oil you control the country; if you control food, you control
the population’

Powered by ScribeFire.

O interior do Cofre do Juizo Final – Svalbard GMO – Cofre das sementes da Elite

Não me vou alongar muito, uma vez que já escrevi sobre o tema dos Organismos Geneticamente Modificados bem como o Cofre do Juízo Final, construído em Svalbard na Noruega, onde a elite da Nova (Des)Ordem Mundial através do seu programa de destruição dos alimentos naturais, e usando as suas empresas biotecnológicas, como a Monsanto entre outras, está a guardar as sementes naturais para que possa encher o mundo de GMO e assim controlar as populações.

Não nos podemos ainda esquecer que até 31 de Dezembro de 2009, o Codex Alimentarius tem de estar implementado e como tal tudo isto se encontra interligado.

Powered by ScribeFire.

Percebendo melhor a história de Israel e Palestina

http://www.teeth.com.pk/blog/wp-content/uploads/2006/06/israel-palestine%20map.jpg

Evolution of Israel

Israel in Biblical Times
The difficult boundary, territorial, and resource problems associated with the presence of an Israeli state surrounded by Arab peoples can be understood only in the context of the long history of the Jewish people. In that history, a united, independent Israel has existed during only a few relatively short periods. Biblical writings indicate that King David first united the Jewish tribes around 1000 B.C.; his influence probably extended from the Gulf of Aqaba to the Euphrates but did not included Philistia – the vicinity of the present-day Gaza
Strip. Following the death of his son Solomon some 70 years later, the kingdom split into two weaker states: Israel, conquered by Assyria in 722 B.C.; and Judah, conquered by Babylon in 586 B.C.

Israel and Occupied Territories Since June 1967
In the aftermath of the 1967 war, the Israelis occupied the West Bank, the Gaza Strip, the western portion of Syria’s Al Qunaytirah Province (the Golan Heights), and Egypt’s Sinai Peninsula. The Israelis reaffirmed their control of these territories during the 1973 war. In late June 1967, Israel unilaterally incorporated some 67 square kilometers of West Bank land within the city bounds of Jerusalem and in 1980 proclaimed a united Jerusalem as its capital – a move that amounted to de facto annexation. In 1981 Israel also unilaterally
annexed the Golan Heights. The international community has not recognized these declarations. Israel returned the Sinai to Egypt as part of the Camp David accords; an din September 1993, Israel and the PLO – after formal mutual recognition – signed a Declaration of Principles eventually extending limited self-rule to Palestinians in the West Bank and Gaza Strip.

Powered by ScribeFire.

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

Junte-se a 67 outros seguidores