Cumplicidade do Conselho da União Europeia e da Gartner nos truques baixos da microsoft

[update: o HTeles no seu blog já havia também mencionado o caso.]

Apesar de já ter alguns dias aqui fica a info no blog, até porque pelos nossos lados não tenho encontrado informação sobre o caso.
Tive conhecimento da situação através do Slashdot, site dos EUA.

Segundo o /. bem como o site do MPE «Membro do Parlamento Europeu» que levantou esta questão, Marco Cappato e ainda uma breve descrição neste blog em inglês, o Conselho da UEuropeia em conluio com a Gartner, uma empresa de consultadoria, mais uma vez beneficiaram a empresa monopolista microsoft em detrimento dos seus concorrentes nomeadamente das empresas de Software Livre.

http://www.rootology.com/images/new-funny-pics/bill-gates-gestapo.jpg

A história conta-se em poucas palavras, durante quatro anos o CUE «Conselho da UEuropeia» recusou tornar público ou pelo menos facultar a Marco Cappato,
o qual é membro do comité responsável pela supervisão das TI, o relatório/estudo de migração para Open Source levado a cabo pela Gartner em 2005 com vista a substituir diverso software da microsoft no Parlamento Europeu, nomeadamente o ms-office, por software livre como o OpenOffice.org.

Por diversas vezes o CUE recusou responder aos pedidos de Marco Cappato tendo mesmo chegado ao ponto de mentir, dizendo que o a administração
não havia ficado com uma cópia do relatório , como se isso fosse possível.

As aldrabices e a lata destes senhores não se ficam por aqui, estes senhores tiveram a audácia de responder a um MPE que não lhe podiam facultar a informação porque “Divulging that information may mine the protection of commercial interests of Microsoft, since those contracts establish terms and conditions that are specific and privileged for the EU Institutions”.
E quem é que protege os interesses dos cidadãos europeus e dos concorrentes da microsoft, uma empresa diversas vezes condenada por prácticas monopolistas, tendo mesmo a UE a condenado?

Mas a história não acaba aqui, após o dito relatório ter acabado por ver a luz do dia, o qual pode ser baixado a partir daqui, percebe-se bem o porquê de tanto secretismo, é que o relatório é uma manipulação do principio ao fim por forma a beneficiar a microsoft.
Um dos responsáveis pelo relatório por parte da Gartner, Michael Silver, tem a distinta lata de afirmar que não encontrou nenhuma grande instalação/uso de Software Livre na UE e como tal e usando a teoria da pescadinha de rabo na boca, não recomendava o seu uso.

Esse senhor e outros com as mesmas teorias poderiam por certo explicar a todos nós como foi que a microsoft chegou onde chegou, uma vez que na altura que esta apareceu sempre houve melhores produtos que os seus e grandes instalações/uso dos outros produtos, logo pela teoria do senhor da Gartner a microsoft já havia desaparecido.
É que os diversos DOS que existiam a quando do ms-dos eram superiores a este, a Apple tinha um sistema operativo que naquela altura já fazia uso de um GUI «interface gráfico de utilizador», no campo de servidores e redes os diversos Unix bem como anos depois a Novell dominavam.
Como seria, ou melhor, como foi então possível a microsoft se tornar um monopólio?

Hoje sabemos como foi possível, a microsoft usa de todos os subterfúgios, esquemas, incluindo ilegalidades, por forma a atingir os seus objectivos sem olhar a meios.
aqui escrevi quais as técnicas usadas pela microsoft com vista a destruir os seus concorrentes usando estes jogos sujos.
Mas volto-as a repetir para que as pessoas metam de uma vez por todas na cabeça que esta empresa não é confiável é um perigo para os Estados Democráticos, para a concorrência, para os consumidores, para a economia de mercado, para a inovação.

A principal arma da microsoft é usar testas de ferro, trabalhar nos bastidores com analistas e consultores supostamente independentes para o público em geral, por forma a passar uma mensagem que de independente nada tem.

E a microsoft usa a técnica em toda a linha, desde sites de informação, blogs, twitter, forum, grupos de discussão e claro até nos supostamente testes e análises que apresentam, não nos esquecendo da compra de professores.

Groklaw – How to Get Your Platform Accepted as a Standard – Microsoft Style

Our mission is to establish Microsoft’s platforms as the de facto standards throughout the computer industry…. Working behind the scenes to orchestrate “independent” praise of our technology, and damnation of the enemy’s, is a key evangelism function during the Slog.
“Independent” analyst’s report should be issued, praising your technology and damning the competitors (or ignoring them).
“Independent” consultants should write columns and articles, give conference presentations and moderate stacked panels
, all on our behalf (and setting them up as experts in the new technology, available for just $200/hour). “Independent” academic sources should be cultivated and quoted (and research money granted). “Independent” courseware providers should start profiting from their early involvement in our technology. Every possible source of leverage should be sought and turned to our advantage.

I have mentioned before the “stacked panel”. Panel discussions naturally favor alliances of relatively weak partners – our usual opposition. For example, an “unbiased” panel on OLE vs. OpenDoc would contain representatives of the backers of OLE (Microsoft) and the backers of OpenDoc (Apple, IBM, Novell, WordPerfect, OMG, etc.). Thus we find ourselves outnumbered in almost every “naturally occurring” panel debate.

Eis alguns exemplos de como o relatório da Gartner subverte totalmente a realidade:

Para além de como indico acima que a Gartner mentiu sobre a existência de grandes implementações/instalações/uso de Software Livre pelos países da UE, o relatório chama ainda mitos asituações mais que provadas na práctica sobre a realidade do software livre, tais como:

  • Linux will be less expensive than Windows because StarOffice/OpenOffice.org can be used instead of Microsoft Office.
  • Linux is free.
  • There are no forced upgrades.
  • Linux will require significantly less labor to manage.
  • Linux will have a lower TCO than Windows because of available management tools.
  • Applications will be inexpensive or free.
  • Hardware can be kept longer if Linux is used, or older hardware can be used.
  • Skills are transferable.

Todos estes parâmetros a que a Gartner chama de mitos são realidades palpáveis por quem usa e implementa software livre, tal como o demonstra recorrendo a números e não a fantasias, David Wheeler no excelente estudo sobre o tema.

Infelizmente parece que os senhores decisores da UE bem como os senhores da Gartner não o leram.

Agora podem ainda ler o Guia de adopção de Open Source para PME’s, pode ser que aprendam algo.

Para finalizar e mostrar como facilmente a Gartner poderia ter obtido informação sobre as diversas implementações/uso de Software Livre por essa Europa fora, recorrendo apenas ao Google, a quando, antes e depois do seu pseudo-relatório da Gartner ter saído, aqui ficam exemplos do que se passava e passa por essa Europa fora e que desmente em absoluto as conclusões da Gartner e as decisões do CUE.

E muito mais se pode verificar por essa web fora, aqui no blog já por diversas vezes escrevi sobre o tema:

Powered by ScribeFire.

“What does it mean, ‘exact change’?” Spock in ‘The Voyage Home’

http://www.pplware.com/downloads/imagem_15052009/ima01.jpg

What does it mean, ‘exact change’?
–Spock in ‘The Voyage Home’

It is curious how often you humans manage to obtain that which you do not want.
Spock in ‘Errand of Mercy’

Mais citações de Spock aqui

Powered by ScribeFire.

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

Junte-se a 67 outros seguidores