Critérios Editoriais: Bolsa de Valores de Londres muda para GNU/Linux e bate recordes de performance

Michael Parenti: Monopoly Media Manipulation

Some critics complain that the press is sensationalistic and invasive. In fact, it is more often muted and evasive. More insidious than the sensationalistic hype is the artful avoidance. Truly sensational stories (as opposed to sensationalistic) are downplayed or avoided outright. Sometimes the suppression includes not just vital details but the entire story itself, even ones of major import.

Há oito dias, mais precisamente no dia 20 de Outubro de 2010, diversas notícias em sites de tecnologias de informação bem como blogs um pouco por todo o mundo, davam-nos a conhecer o estado da migração da Bolsa de Valores de Londres (LSE) de tecnologias da microsoft (servidores e framework .NET) para tecnologias baseadas em GNU/Linux, por cá nos nossos meios de comunicação não se escreveu uma palavra sobre este relevante facto.

Dos jornais generalistas (rádios e tvs que às vezes oiço) às revistas supostamente especializadas em assuntos de TI, como a ‘Bit‘ e a ‘Exame Informática‘, passando pelo site especializado nestes temas, o Tek (que até tem uma tag de Negócios), nada escreveram sobre esta mudança.

E porque razão é tão importante esta notícia sobre a mudança de tecnologias na Bolsa de Londres (LSE)?

Para além de mais uma vez se provar que os sistemas livres como o GNU/Linux são de facto uma escolha acertada, como se vem demonstrando, quando se pretende performance e segurança em sistemas críticos, para além da sua flexibilidade e baixo custo, outra das razões para esta notícia ser amplamente divulgada quanto mais não fosse nos cadernos de tecnologia e muito especialmente nas revistas e sites de notícias tecnológicas portuguesas é o facto de ela colocar a nu a propaganda falsa da microsoft, muito concretamente a sua campanha ‘Get the Facts‘.


Get the Facts: The London Stock Exchange (microsoft propaganda)

Como não sou inocente e tendo em conta que este país é um feudo da microsoft, prestando-lhe vassalagem amiúde, parece-me óbvia a razão da total ausência desta notícia nos ‘media’ nacionais.

Getting the REAL facts!

Ora vamos lá ao factos reais:

  • Em 2003 num dos seus Case Studies presentes no seu site (que prontamente foram apagados quando as coisas correram para o torto mas que se obtém através da Waybackmachine) a microsoft afirmava o seguinte The London Stock Exchange plc (the “Exchange”) is Europe’s largest exchange and operates the world’s biggest market for listing and trading international securities. It wanted to invest in a new market information and data access services system to deliver better and richer real-time price and value-added information to the market. The Exchange is a leader in financial technology but adopts a considered approach to investment projects because it needs total reliability in its data distribution. In seeking a partnership with world class companies, the Exchange turned to Accenture for delivery capability and chose technology based on the Microsoft .NET Framework 1.1 and Windows Server 2003.
  • Há dois anos atrás, Setembro de 2008, a LSE em virtude da incapacidade e fraca performance
    dos sistemas da microsoft por e simplesmente crashou, estando sem
    efectuar qualquer operação durante práticamente um dia inteiro,
    nomeadamente durante 6 horas e 45 minutos. Escusado será dizer que uma bronca desta magnitude numa bolsa de valores implica a perda de biliões.
  • E como se verifica hoje com a mudança para GNU/Linux, a perda de milhões ocorreu ainda quando em 2003 a LSE tomou a decisão errada de optar por tecnologia da microsoft, é que gastou nela cerca de £40 milhoes de libras que foram para o lixo, enquanto que agora ao optar mudar para GNU/Linux saiu-lhe mais barato comprar a empresa que desenvolve a solução baseada no software do penguim, cerca de £18 milhões de libras. 
  • Para além da poupança acima referida, segundo o artigo da ItWire, a LSE ao usar GNU/Linux poupará ainda cerca de £9.2 milhões de libras através de mais baixos requisitos de hardware, custos de licenciamento, técnicos etc.
  • Apesar da enorme diminuição de gastos a LSE consegue no entanto obter perfomances superiores a todas as outras bolsas mundias, a maior parte delas também a correrem sobre GNU/Linux, como a NYSE que corre Red Hat a Euronext etc.

Presumo que percebam agora como uma notícia destas tem de ser atirada para debaixo do tapete, como se nunca se tivesse passado, ainda para mais neste triste país microsoft-ó-dependente.
Os critérios editoriais dos senhores jornalistas deste país são no minimo estranhos, preferindo fait divers a notícias com conteudo e que colocam a nu multinacionais que retiram bem mais ao país do que muitas pessoas podem pensar.

London Stock Exchange moves to Linux – Computerworld Blogs

Two years ago, the London Stock Exchange (LSE) with its TradElec Windows-based C# and .NET programs crashed and took out the Exchange for almost 7-hours. That’s an eternity in stock market terms. Months later, the LSE’s CEO was history, and the LSE announced that it was dumping TradElec. Last year, the LSE announced that it was going to move to Linux. Now, the LSE is just about ready to switch over to Linux. Not only does it work, the new Linux-powered LSE runs faster than any other stock exchange on the planet.

London Stock Exchange to abandon failed Windows platform – Computerworld Blogs

Anyone who was ever fool enough to believe that Microsoft software was good enough to be used for a mission-critical operation had their face slapped this September when the LSE (London Stock Exchange)’s Windows-based TradElect system brought the market to a standstill for almost an entire day. While the LSE denied that the collapse was TradElect’s fault, they also refused to explain what the problem really wa. Sources at the LSE tell me to this day that the problem was with TradElect.

London Stock Exchange smashes world record trade speed with Linux – ComputerworldUK.com

The 126 microsecond speed is “twice as fast” as its main international competitors, the London Stock Exchange said. BATS Europe and Chi-X, two dedicated electronic rivals to the LSE, are reported to have an average latency of 250 and 175 microseconds respectively. Netiher company immediately provided details. But many of the LSE’s older and more traditional rivals offer speeds of around 300 to 400 microseconds. Nevertheless, Linux is now standard in many exchanges.

iTWire – London Stock Exchange gets the facts and dumps Windows for Linux

Although Infolect was not replacing a Linux system Microsoft still touted this case study as an example of Windows Server being chosen over Linux for reliability reason. Microsoft used this claim as the headline for the first issue of “The highly reliable times.”

Of course, nothing in the case study makes any reference whatsoever to Linux, unless it is assumed that one or more of the potential architectures reviewed was Linux-based. (It’s not uncommon, it seems, for the “Get the facts” case studies to have sensational titles which are not supported by the story.)

Nevertheless, fast forward to today and the London Stock Exchange is writing off its huge $USD 65m development, looking instead to Linux. What happened?
(…)
Worse, on the fateful day in September 2008 when the U.S. Government came to the rescue of Freddie Mac and Fannie Mae trading at the LSE ceased at 9:15am GMT due to a “software-related” fault. The outage
lasted six hours and 45 minutes.

(…)
In a further blow to Microsoft the LSE also predicts moving to Linux will save a further 10m pounds (or $USD 14.7m) through reduced hardware requirements, licensing costs, technical staff and related items.

Powered by ScribeFire.

Novas entradas no Nixware, Debian Dicas – Software Livre “Casos de Sucesso”

Breve post apenas para indicar que existem novas entradas nos meus outros projectos:

 

 


Video de Euronews sobre a Estratégia da Sociedade da Informaçâo e da
implantaçâo de Software Livre no Sistema Educativo em Extremadura
(Espanha)

 

Powered by ScribeFire.

Reservas Alimentares de Emergência em Sua Casa

Como sabem vivemos tempos complicados, podendo eventualmente complicarem-se ainda mais caso se passe algo semelhante ao que se tem vivido em França e na Grécia, ainda que por cá o povo seja demasiado manso.

É que para a nossa vida do dia a dia ficar comprometida basta algo tão simples como deixarmos de ter acesso a combustíveis, a partir daí ficarmos sem acesso a alimentos é um passo bastante curto, afinal de contas os alimentos não nascem nos hipermercados….têm de ser para lá transportados…. ainda que a imagem abaixo me faça lembrar algumas conversas que já ouvi no supermercado!!!

A seguir deixo-vos uma pequena notícia do Diário de Notícias que explica melhor o que vos pretendo chamar à atenção.

Seguem-se algumas fotos bem como dois documentos em PDF que são os tais panfletos mencionados na notícia e que dão dicas de como proceder à escolha dos diversos alimentos desse cabaz de sobrevivência, quem tem crianças, especialmente bebés deve ter particular atenção a essas dicas.

Mochila e alimentos na despensa para emergências – Portugal – DN

A cada português é apresentada a “despensa que não se dispensa” e a “mochila de emergência”, através de um folheto disponibilizado nos supermercados pela Associação Portuguesa de Empresas de Distribuição.

A “mochila de emergência” deverá conter alimentos básicos e utensílios como guardanapos, fósforos, panelas pequenas, canivete multiusos e lanterna. Tudo para sobreviver a uma eventual crise.

Reservas Alimentares de Emergência em Sua Casa / Mochila e alimentos na despensa para emergências

Para mais info consultem o nosso forum português de Bushcraft e Técnicas de Sobrevivência bem como o meu blog relativo ao tema.

UPDATE: lembrei-me de colocar aqui um artigo do JN que me parece interessante – “Nem todos os alimentos são perigosos fora do prazo

Powered by ScribeFire.

Tesourinhos da pouca vergonha: “Quase não temos dinheiro para comer”


best of socrates (2009 – 2010)

http://ovigia.files.wordpress.com/2010/10/pinocrates2.jpg?w=300

http://leiamaisdomesmo.files.wordpress.com/2009/03/leia-mais-figuras-pinocrates.jpg?w=454&h=574

Nesta continuada e não muito difícil tarefa de encontrar mais tesourinhos deprimentes da pouca vergonha que grassa neste país, começo por esclarecer a frase entre aspas do título…. foi proferida por um ‘senhor’ deputado do PS, nomeadamente Ricardo Gonçalves, segundo notícia o Expresso/Correio da Manhã.

Recomendo a sua leitura integral.

Pela parte que me toca o ‘senhor’ deputado está dispensado, aliás se está em tantas dificuldades nem consigo perceber porque se candidatou ao lugar, é que ninguém é obrigado a tamanho fardo.

Crise Deputado esfomeado reivindica jantar na cantina da AR – Expresso.pt

Pensava que nada me podia surpreender na política, mas eis que um deputado me acorda para a triste realidade: Portugal. O absurdo é o limite. O horizonte da estupidez ganha novos desígnios e contornos todo o santo dia. Ao deputado Ricardo Rodrigues dos gravadores junta-se agora o deputado Ricardo Gonçalves das refeições.

Se o primeiro meteu gravadores no bolso. Este afirma que o que lhe põem no bolso não chega para tudo, mesmo que seja um valor a rondar os 3700€/ mês. Uma miséria. “Se abrissem a cantina da Assembleia da República à noite, eu ia lá jantar. Eu e muitos outros deputados da província. Quase não temos dinheiro para comer” Correio da Manhã (vou fazer uma pausa para ir buscar uns kleenex…)
(…)
Agora com 3700€ por mês e 60€/dia de ajudas compreendo que seja mais difícil saber onde cortar. Podíamos começar por cortar na pouca-vergonha. Mas isso seria pedir demais.

Segue-se então mais uma lista, após estas entradas que já por aqui fiz:

Já agora convém ainda dizer que não existem coincidências no mundo em que vivemos! (PRT Teixeira dos Santos, Fernando” – Minister of State and Finance)

Para muitas mais recomendo sem dúvida este fabuloso blog:

Braço direito de Sócrates acusado de tráfico de influências – Portugal – DN

Vítor Baptista, deputado e recandidato derrotado à liderança da federação distrital do PS de Coimbra, promete vender cara a derrota. Ontem escreveu uma carta (ver link relacionado) aos seus camaradas na bancada parlamentar, intitulada “Na calada da noite”, onde volta a lançar graves acusações sobre o chefe de gabinete de José Sócrates no PS, André Figueiredo (também secretário nacional adjunto).

Segundo escreveu, Figueiredo tentou aliciá-lo a não se recandidatar oferecendo-lhe em troca “um qualquer lugar de gestor público, desde o Metro em Lisboa, à CP ou Refer, até acenavam com uma cenoura de 15 mil euros mensais”.
(…)

Dois juristas contactados pelo DN, a quem foi lido o teor da carta do deputado, consideraram que se pode estar perante um crime de tráfico de influência. Uma vez que, explicaram, “se está perante uma situação em que alguém promete usar da sua influência a troco de uma contrapartida”. Ou seja: a colocação de Vítor Baptista numa empresa pública a troco da não recandidatura à Federação do PS/Coimbra.

O crime de tráfico de influências é de natureza pública, obrigando a actuação do Ministério Público.

Deputado acusa assessor de Sócrates de tráfico de influências – Última Hora – Correio da Manhã

O recandidato derrotado à liderança da Federação Distrital do PS de Coimbra enviou ontem uma carta aos seus colegas de bancada parlamentar acusando André Figueiredo de lhe sugerir “um lugar de gestor público no Metro, na CP ou na REFER, com um vencimento de 15 mil euros mensais”.

Renascença – Música e Informação Dia a Dia

O deputado socialista Vítor Baptista acusa o chefe de gabinete do secretário-geral do PS, José Sócrates, de tráfico de influências.

Democracia em Portugal?: Mais uma burla para salvar amigos e f**** o povo

A PT, para distribuir todos anos elevados dividendos aos seus accionistas, não tem provisionado o Fundo de Pensões dos trabalhadores nas importâncias necessárias. No fim de 2009, as responsabilidades do Fundo de Pensões eram superiores a 2.265 milhões € (actualmente já devem rondar os 2.400 milhões €), e o valor dos activos do Fundo, que servem para pagar as pensões, era apenas de 1617 milhões €, ou seja, estavam em falta 648 milhões €. O valor do fundo nem dava para pagar as pensões dos trabalhadores já reformados, e muito menos para pagar as pensões correspondentes ao tempo de serviço prestado pelos trabalhadores no activo.

ANSOL diz que o Estado desperdiça 121 milhões a comprar software à Microsoft – Exame Informática.pt

A ANSOL somou os custos de cinco compras de licenças de software à Microsoft e concluiu que o Estado poderia poupar, pelo menos, 121 milhões de euros se optasse por software livre.

Banca portuguesa é a segunda mais dependente do BCE | Económico

O valor das cedências de liquidez feitas pelo banco central correspondem a 8,8% do total dos activos do sector financeiro nacional, só superado pelo grego.

ANACOM dá €10 milhões à FCM para o e-escolinhas – 31 da Sarrafada

No ano de 2009, a ANACOM além dos custos inerentes à sua participação na FCM (€1.045.649) autorizou um patrocínio de €10.000.000 para a mesma Fundação.
A páginas 75 do Relatório de Contas da ANACOM pode-se ler: “atribuição de um patrocínio à FCM, no valor de 10 000 milhares de euros, na sequência de pedido daquela entidade para financiar os projectos desenvolvidos no âmbito do e-escolinhas, promovido pelo Governo. (…) Refira-se que o patrocínio atribuído mereceu despacho de concordância do Ministro das Obras Públicas, Transportes e Comunicações.”

#Austeridade Matosinhos paga €83.000 pelos Xutos&Pontapés. O resto do país paga metade. – 31 da Sarrafada

Com os dados disponíveis no BASE, e depois de alguns cálculos apura-se que ao se contratar os Xutos&Pontapés directamente o preço médio é de €38.900 e ao contratar os Xutos&Pontapés através de uma agência o preço médio é de €41.362.
Excepto em Matosinhos que gastou €41.638 mais do que poderia ter feito. Isto em refeições escolares dá quanto?

31 da Sarrafada

A CM de Matosinhos pagou €83.000 por um concerto dos Xutos&Pontapés em Abril do ano passado.
Com os dados disponíveis no BASE, e depois de alguns cálculos apura-se que ao se contratar os Xutos&Pontapés directamente o preço médio é de €38.900 e ao contratar os Xutos&Pontapés através de uma agência o preço médio é de €41.362.

Um País Medalhado – 31 da Sarrafada

Em 2009 o Estado Português gastou €573.330,82 em medalhas.

O equivalente a 1207 salários mínimos…

O equivalente a ~14333 abonos de família…

Acção Social Escolar ajuda a pagar Magalhães – Visao.pt

A Fundação para as Comunicações Móveis (FCM), que gere o programa e-escola, recebeu uma transferência financeira de aproximadamente 180 milhões de euros da Acção Social Escolar (ASE) para acertar contas com os operadores móveis que distribuíram os computadores do programa e-escola, incluindo o Magalhães. Essa dotação terá ocorrido poucas semanas antes do final da anterior legislatura, de acordo com a informação confirmada pela VISÃO com o anterior ministro das Obras Públicas, Mário Lino.

A crise de uma geração, Portugal e Open Source – Pinguins Mágicos

O licenciamento Microsoft na AP representa 200 a 230 euros por funcionário, por desktop. Se tomarmos em conta o segmento servidor, podemos adicionar em média mais 100 euros por funcionário, perfazendo 330 euros / ano. Ou seja, existe um custo de 27,5 euros mensais por funcionário só para licenciamento.

#Austeridade Software Microsoft na Administração Pública – 31 da Sarrafada

Os
gastos da administração pública em software Microsoft ascenderam aos
€17.897.048,84
nos últimos 2 anos. Estes gastos foram realizados entre
aquisição de novo software, renovação de licenças e “manutenção” das
mesmas.


Sendo que existem alternativas em termos de software
livre que outros países já adoptaram, e continuam a adoptar, (França,
Noruega, Brasil e Estados Unidos entre outros) é fundamental que o
estado Português comece a cortar com a sua dependência da Microsoft…

FMI avisa que Portugal será a pior economia da União Europeia em 2015 – Economia – PUBLICO.PT

Daqui a cinco anos, Portugal será o país que vai ficar pior na fotografia da Europa tirada pelo Fundo Monetário Internacional (FMI). Depois de entrar em recessão no próximo ano, a economia vai voltar a crescer em 2012, mas a um ritmo mais lento do que qualquer outro país da União Europeia (UE). Além disso, terá o maior défice orçamental e externo, a quarta pior taxa de desemprego e a quinta maior dívida pública da UE. E já nem mesmo poderá consolar-se com a situação da Grécia, que voltará a crescer acima de dois por cento já em 2013.

Do Portugal Profundo

A notícia TSF, de 7-10-2010, do gasto exorbitante de 150 mil euros na festa do XX aniversário da Anacom (Autoridade Nacional de Comunicações) em 6-11-2009, provocou mais um pequeno escândalo sobre a despesa de organismos públicos.
(…)
Mas este caso é um dos primeiros do escrutínio que os cidadãos e os media estão a fazer dos gastos dos dirigentes do Estado. Veja-se também: «Diamantes dão rombo milionário no Estado», CM, 9-10-2010, ou «Instituições do Estado gastam milhões em festas, brindes e consultores», na Agência Financeira de 8-10-2010, ou ainda um caso ainda mais vergonhoso «DGCI gasta 220 mil euros a comemorar aniversário», no DN, de 9-10-2010, ou, ainda pior, «Governo contratou KGA [agência de comunicação] por 330 mil euros no dia do PEC II», no DN, de 8-10-2010. Bem prega frei Tomás

Marques Mendes apresenta lista com dezenas de institutos públicos que podem ser extintos – Política – PUBLICO.PT

Um dos casos apontados é a extinção dos 18 governos civis. E Mendes explica porquê: “Hoje os governos civis não fazem qualquer sentido; estão desprovidos de competências; as suas pequenas competências (de carácter administrativo e de concessão de licenças de exploração de estabelecimentos) podem passar para as câmaras municipais (com vantagem de proximidade para os cidadãos); a sua extinção permite poupar significativamente (porque têm grandes estruturas de pessoal); servem de “sacos azuis” de vários governos; o PSD, em 2002, prometeu a sua extinção mas também falhou (não cumpriu) por falta de vontade política.”

Sindicato estuda providência cautelar para travar cortes na Lusa e RTP | Económico

“Há graves problemas de fundo que precisam de ser discutidos, como a degradação constante do poder de compra por parte destes trabalhadores. Não podem ser sempre os mesmos a pagar a factura da crise. Além disso, só quando se aplica a medida de redução dos vencimentos é que o Governo e as empresas vêm dizer que estes colaboradores são equiparáveis aos funcionários públicos. Só são equiparáveis nos cortes. A administração pública foi aumentada, o ano passado, em 2,9%, e isto não aconteceu na RTP nem na Lusa”, salientou.

portadaloja: Coitados destes pivôs

O da esquerda ganha 3981 euros por mês, como “vencimento-base” e vai receber menos 390 euros. Os outros levam igualmente um pequeno rombo no “vencimento-base”.

O que o jornal não esclarece bem ( clicar para ler) , mas resulta claro do anúncio do governo é o seguinte: todos recebem um pequeno complemento de vencimento, por causa das elevadas funções que desempenham e que se revelam cruciais para os governos que estão.
O da esquerda recebe 11 800 euros que acrescem ao tal “vencimento-base”; a do meio, leva mais 9365 euros, todos os meses, para casa e o da direita, recebe 8860 euros mensais a título de “subsídio”. Isto, no ano passado…

CP, Carris e Docapesca aumentaram “escandalosamente” salários de gestores em 2009 – Política – PUBLICO.PT

Um dos casos relatado no seu comentário na TVI24 (Jornal das Dez), é o da CP. A empresa, que em 2009 teve prejuízos 231 milhões de euros (CP e CP Carga), passou a 12 de Junho do ano passado, por decreto-lei governamental, de Empresa Pública (EP) para Entidade Pública Empresarial (EPE). Um mês depois (13 de Julho), por despacho dos secretários de Estado do Tesouro e Finanças e dos Transportes, foram alterados os vencimentos dos seus gestores. O presidente que ganhava 4.725 euros passou a ganhar 7.225 euros (mais 52 por cento) e os vogais passaram de 4.204,18 euros para 6.791 euros (quase 60 por cento).

Outro exemplo é o da Carris. A empresa, que em 2009 teve cerca de 41 milhões de euros de prejuízo, viu, por decisão governamental, os ordenados dos seus gestores igualmente aumentados de forma significativa em Março de 2009. O presidente ganhava 4.204 euros e passou a auferir de um ordenado mensal 6.923 euros (mais 65 por cento). Já os vogais passaram de 3.656 para 6.028 (mais 65 por cento).

Democracia em Portugal?: Aumentos de 200% a gestores públicos

Os gestores públicos continuam a receber muito acima da remuneração base definida e actualizada através de várias resoluções do Conselho de Ministros. De acordo com uma auditoria realizada pelo Tribunal de Contas a quatro grandes empresas públicas (Águas de Portugal – AdP, Caixa Geral de Depósitos – CGD, CTT e ANA – Aeroportos de Portugal), as remunerações dos presidentes dos Conselhos de Administração e respectivos vogais estão mais de 200 por cento acima das fixadas na resolução do Conselho de Ministros.

“Portugal teve sorte de ter um líder como Sócrates” | Económico

“Portugal teve sorte de ter um líder com coragem para tentar mudar as coisas”, afirmou hoje o empresário madeirense no Etv, onde também argumentou que “a governação do Sócrates não é inferior a qualquer outra governação de outro movimento político” e que o primeiro-ministro “conseguiu pouco” porque “não teve maioria absoluta”.

Termino dizendo que estes ‘senhores’ quando confrontados com alguns dos valores do despesismo criminoso (alguns dos quais menciono acima) que eles próprios criaram usando para tal fundos que são de todos nós, mas que eles usam como se fosse dinheiro deles, simplesmente removem esses dados do conhecimento público, ‘problemas informáticos’, dizem eles!

Guest Post: “Por estas e por outras” por João Pedro Graça (@apdeites) – 31 da Sarrafada

O
grande “hype” inicial foi em princípios do ano passado. Na semana de 10
a 17 de Janeiro de 2009, não deve ter havido um único órgão de
comunicação social que tenha ignorado o assunto, a começar por aquilo
que mais chamou a atenção geral: uma fotocopiadora por mais de 6,5
milhões de Euros para a Câmara Municipal de Beja.

Esta e outras
espantosas “aquisições” espalharam-se rapidamente pela “blogosfera”; já
no dia 13 desse mês, a multimilionária engenhoca bejense era referida,
por exemplo, no blog O Insurgente, o qual, por sua vez, referia como
fonte um outro blog, com o sugestivo e apropriado nome de “Tirem-me
Daqui!”.

No dia seguinte, 14, já muitas outras verdadeiras
pérolas tinham sido descobertas por diversos bloggers, como a
“recuperação de um lago existente” adjudicada a uma empresa de materiais
de escritório (no blog Blasfémias), um ligeiro de mercadorias pela
módica quantia de 1.236.000,00 (verdadeira pechincha, referida no
Apdeites) ou os «600 mil Euros para o vinho e quase 150 mil para reparar
uma porta» que o blog Bitaites descobriu.

Base de dados sobre contratação pública inacessível por várias horas – TSF

O
“apagão” do site aconteceu um dia depois de o deputado social-democrata
Luís Menezes ter dito que desapareceram do portal vários contratos.

10 ajustes directos do Estado foram apagados da Net – Economia – DN

Desapareceram
dados de vários contratos públicos do site Governamental Base. Ao todo
são dez ajustes directos cuja informação foi completamente eliminada e
que totalizam um valor de mais de dois milhões e seiscentos mil euros.
O
DN teve acesso aos dados eliminados, que incluem os contratos
estabelecidos entre o Turismo dos Açores e a empresa New Seven Wonders,
que nos últimos dias têm sido alvo de polémica.

Nos dez contratos
atingidos por este “apagão”, aquele que envolve um valor mais elevado
(1,55 milhões de euros) foi estabelecido entre a Associação de Turismo
dos Açores e a New Seven Wonders para que esta empresa realizasse o
evento “As Sete Maravilhas Naturais de Portugal”.

Por fim fiquem com este poema que um dos leitores aqui do forum me fez chegar:

“POEMA DE AGRADECIMENTO À CORJA

“Obrigado, excelências. Obrigado por nos destruírem o sonho e a oportunidade de vivermos felizes e em paz. Obrigado pelo exemplo que se esforçam em nos dar de como é possível viver sem vergonha, sem respeito e sem dignidade. Obrigado por nos roubarem. Por não nos perguntarem nada. Por não nos darem explicações. Obrigado por se orgulharem de nos tirar as coisas por que lutámos e às quais temos direito. Obrigado por nos tirarem até o sono. E a tranquilidade. E a alegria. Obrigado pelo cinzentismo, pela depressão, pelo desespero. Obrigado pela vossa mediocridade. E obrigado por aquilo que podem e não querem fazer. Obrigado por tudo o que não sabem e fingem saber. Obrigado por transformarem o nosso coração numa sala de espera. Obrigado por fazerem de cada um dos nossos dias um dia menos interessante que o anterior. Obrigado por nos exigirem mais do que podemos dar. Obrigado por nos darem em troca quase nada. Obrigado por não disfarçarem a cobiça, a corrupção, a indignidade. Pelo chocante imerecimento da vossa comodidade e da vossa felicidade adquirida a qualquer preço. E pelo vosso vergonhoso descaramento. Obrigado por nos ensinarem tudo o que nunca deveremos querer, o que nunca deveremos fazer, o que nunca deveremos aceitar. Obrigado por serem o que são. Obrigado por serem como são. Para que não sejamos também assim. E para que possamos reconhecer facilmente quem temos de rejeitar.” de Joaquim Pessoa

Powered by ScribeFire.

E não sabem onde cortar!? Fundação Mário Soares… O saque prossegue!

Como vou ficar uma semana longe de qualquer computador, lembrei-me no fim deste dia de fazer umas buscas pela Rede sobre o que se tem dito e escrito sobre Mário Soares e a sua Fundação, até porque numa entrada recente havia mencionado o artigo do DN “14 mil instituições vivem do OE – Economia – DN“, que mencionava 639 Fundações patrocinadas pelos nossos impostos.

Espero que leiam e reflictam, bastante, sobre o que abaixo vou citar bem como a propósito das palavras de mais este senhor de avental, Almeida Santos.

Eram mas é dois chapadões na cara « BLASFÉMIAS

«O povo tem que sofrer as crises como o Governo as sofre», Almeida Santos.

A malta do blog Blasfémias recomenda uns chapadões na cara, eu acrescentaria que estes fossem dados com um BASTÃO TACO de Baseball!!!

Indo agora a um dos companheiros de route e de partido deste senhor, também ele muito dado a aventais, Mário Soares.

Segundo artigo do jornal Público de 2005 aquando das eleições para a Presidência da República, Mário Soares ao ser questionado sobre os apoios Estatais concedidos à ‘sua’ [coloco entre aspas porque no fundo é nossa uma vez que somos NÓS que pagamos] Fundação terá afirmado que ““Isso não é um privilégio”, a “Fundação é uma instituição de interesse público fundada com dinheiros privados””.

Se é assim então porque raio é que temos de a patrocinar com os NOSSOS IMPOSTOS?

Antes de mais convém começar por relembrar o que o actual bastonário da Ordem dos Advogados, António Marinho Pinto, tem a dizer sobre este senhor, bem como a jornalista e escritora Clara Ferreira Alves.

Socialismo – Fundação Mário Soares e CML Falida | Salteadores Da Arca

A pretexto de uns papéis pessoais cujo valor histórico ou cultural nunca ninguém sindicou, Soares decidiu fazer uma Fundação com o seu nome. Nada de mal se o fizesse com dinheiro seu, como seria normal.
Mas não; acabou por fazê-la com dinheiros públicos. SÓ O GOVERNO, DE UMA SÓ VEZ DEU-LHE 500 MIL CONTOS E A CÂMARA DE LISBOA, PRESIDIDA PELO sEU FILHO, DEU-LHE UM PRÉDIO NO VALOR DE CENTENAS DE MILHARES DE CONTOS.

Neste Nosso Portugal: CLARA FERREIRA ALVES vs MÁRIO SOARES

“Tudo o que aqui relato é verdade. Se quiserem, podem processar-me.
Eis parte do enigma. Mário Soares, num dos momentos de lucidez que ainda vai tendo, veio chamar a atenção do Governo, na última semana, para a voz da rua.
A lucidez, uma das suas maiores qualidades durante uma longa carreira politica. A lucidez que lhe permitiu escapar à PIDE e passar um bom par de anos, num exílio dourado, em hotéis de luxo de Paris.
A lucidez que lhe permitiu conduzir da forma “brilhante” que se viu o processo de descolonização.
(…)
A lucidez que lhe permitiu passar incólume ao caso Emaudio e ao caso Aeroporto de Macau e, ao mesmo tempo, dar os primeiros passos para uma Fundação na sua fase pós-presidencial.
A lucidez que lhe permitiu ler o livro de Rui Mateus, “Contos Proibidos”, que contava tudo sobre a Emaudio, e ter a sorte de esse mesmo livro, depois de esgotado, jamais voltar a ser publicado.

Indo agora ao verdadeiro SAQUE!

PÚBLICO.PT

Um dos momentos mais acesos do debate sucedeu quando o candidato foi interpelado sobre o subsídio do Ministério da Defesa de 20 mil euros à Fundação Mário Soares para trabalhos de digitalização sobre a resistência timorense.

País – MNE dá 600 mil euros para recuperação de acervos documentais – RTP Noticias

O Ministério dos Negócios Estrangeiros comprometeu-se, através da Cooperação Portuguesa, a um apoio financeiro de 600 mil euros, repartidos em quatro prestações anuais de 150 mil euros cada.

Segundo o protocolo, a que a Agência Lusa teve acesso, a primeira será atribuída até ao final do primeiro trimestre deste ano e as seguintes no período homólogo dos anos seguintes, até 2010.

O Insurgente: 867 mil euros em subsídios para a Fundação Mário Soares

O CM apurou, através de uma pesquisa no Diário da República, que a instituição ligada ao ex-Presidente da República recebeu, entre Fevereiro de 2002 e Julho de 2005, 867 055,94 euros dos ministérios da Defesa, da Cultura, da Administração Interna, através do Governo Civil do Distrito de Leiria, das Actividades Económicas e do Trabalho, através do Instituto do Emprego e Formação Profissional, e da Presidência do Conselho de Ministros.

Só em 2002, altura do Governo de Durão Barroso, o Ministério da Cultura, através do Fundo de Fomento Cultural, atribuiu à Fundação Mário Soares 498 797,90 euros, um montante superior aos apoios recebidos do Estado em 2004, que totalizou 348 258,04 euros. No ano passado, a verba mais alta foi dada pela Presidência do Conselho de Ministros, em 6 de Julho. O então ministro da Presidência, Morais Sarmento, atribuiu à Fundação 198 247,41 euros, um apoio que seria acrescido de 61 168,42, em Setembro, e de 79 522,03 em Novembro. Estes subsídios, apesar de terem sido atribuídos em 2004, só foram publicados em Diário da República em Março deste ano. Em 2005, o único subsídio dado até agora pelo Governo à Fundação diz respeito aos 20 mil euros atribuídos pelo Ministério da Defesa para um projecto de investigação sobre Missões de Paz. Ontem, Mário Soares considerou “natural” o apoio do Estado à instituição. E, apesar de ter remetido as explicações para a Fundação, esta ainda ontem não conseguiu disponibilizá-las.


Quanta hipocrisia e desonestidade a deste senhor quando recentemente afirmou “”Os cortes têm que ser na despesa, mas também não chega, eu estou de acordo que os cortes têm que ser na despesa e que há despesismo a mais, estou de acordo, mas não chega e é preciso mais”, disse Mário Soares.”

OE2011: Mário Soares admite cortes na despesa para equilibrar finanças

Questionado pelos jornalistas sobre se as medidas do ministro das Finanças podem passar por um aumento de impostos, Mário Soares declarou que para manter as contas em ordem “não é preciso aumentar os impostos, basta também cortar nas despesas”.

Outras entradas d’Ovigia:

Powered by ScribeFire.

Resumo do Encontro Linux 2010 – Nixware

O Nixware foi actualizado com a entrada Resumo ‘VIII Encontro Nacional de Tecnologia Aberta’ – o Software Livre em Português 2010

Powered by ScribeFire.

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

Junte-se a 68 outros seguidores