Wikileaks Cablegate: Sexo, muitas MENTIRAS, but no videotapes…. [p#2]

Segunda parte de três, a primeira encontra-se aqui.

Podem fazer aqui buscas por palavras em todos os cables que vieram até agora a público.

Começo por estabelecer os pontos sobre os quais irei escrever.

  1. Desmistificar os ataques ad hominem de que Julian Assange tem sido vitima, nomeadamente a acusação de violação de duas mulheres.
  2. Como neste blog não existe censura e todas as hipóteses podem ser alvo de pelo menos uma tentativa de investigação, deixo também no ar a possibilidade levantada mais uma vez por algumas pessoas, entre elas Webster Griffin Tarpley, de que Julian Assange possa estar ao serviço da CIA e dos amigos de George Soros. Como já escrevi mantenho tudo em aberto, no meu caso a minha dúvida acentua-se devido às declarações de Assange relativamente ao 11Set2001.
  3. O pensamento de Assange e um pouco da sua história
  4. Documentos cor de rosa
  5. Portugal e os voos da CIA, tortura e questões ao putativo engº Sócrates e seu Ministro dos Negócios Estrangeiros
  6. Documentos realmente interessantes, como a ACTA e Espanha, Hadopi, Coreias e China e os famosos mísseis supostamente adquiridos pelo Irão à Coreia do Norte
  7. Desmistificação dos tais mísseis por parte da Rússia e de como os media mainstream têm feito o jogo de propaganda dos EUA, não trazendo à discussão informações extremamente importantes e que negam a importância atribuida por esses mesmos media aos tais cables onde são mencionados.
  8. As ameaças de morte e a mentira da tão famosa Land of the free; Amazon Web Services, Paypal, Tableau Public e o Twitter, bem como a Visa e a Banca Suíça. [um excelente resumo da fuga das empresas aqui] [é interessante assinalar que a Mastercard e a Paypal continuam alegremente a fazer negócios com o KKK]
  9. Sites interessantes para seguir toda esta informação
  10. O wikileaks apesar de todos os ataques de que tem sido alvo NÃO MORRE! A ‘Insurance file‘ e próximas revelações, a Banca dos EUA.

I. Open covenants of peace, openly arrived at, after which there shall be no private international understanding of any kind but diplomacy shall proceed always frankly and in the public view.”President Woodrow WiIson put forth his Fourteen Points proposal for ending the war in a speech on January 8, 1918. In it he established the basis of a peace treaty and the foundation of a League of Nations.

4. Documentos cor de rosa

Chamo-lhes documentos cor de rosa porque seriam dignos de fazerem as honras das designadas revistas da mesma cor, ou seja, documentos que não adiantam nada ou quase nada ao que já se sabia e que são apenas faits divers para entreter, mas que infelizmente os media mainstream muitas das vezes lhes dão mais importância do que aos documentos que irei mencionar nos outros tópicos.

Como nada disto interessa muito mesmo, deixo apenas um ou dois links sobre o tema.

Wikileaks’ State-Department Dump: The Top 5 Leaked Insults – TIME NewsFeed

The latest WikiLeaks dump includes a quarter million state department documents and almost as many diplo-disses. Which world leader was called a “flabby old chap?” Read on to find out. (Hint: It’s not Berlusconi.) 

Wikileaks, Cablegate’s 5 funniest moments – Asylum.co.uk

In honour of the changing face of geo-politics we’ve compiled our five favourite funniest moments to come out of Cablegate. 

5. Portugal e os voos da CIA, tortura e questões ao putativo engº Sócrates e seu Ministro dos Negócios Estrangeiros

Para além da questão dos supostos voos da CIA no espaço aéreo e até no território português, ainda existem questões que têm vindo a público nos últimos dias e que de alguma forma têm a ver com Portugal ou com países da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa, como o caso do empréstimo de 1,1 mil milhões de euros do BES ao ‘amigo’ Chavez, luvas pagas ao Presidente moçambicano durante a venda de Cahora Bassa [coincidências; Almeida Santos quer ver encerradas negociações sobre Cahora Bassa], ainda em Moçambique as eventuais ligações da presidência e ex-presidência ao tráfico de droga.
Ou ainda a eventual construção de uma base militar dos EUA em território de Cabo Verde.

Wikileaks revela que Moçambique facilitou negócio do narcotráfico – TSF

As acções destes dois homens seriam impossíveis sem a cumplicidade do Estado, diz o diplomata nos telegramas. Bachir Sulleiman é referido como estando directamente ligado ao presidente Armando Gebuza e a Joaquim Chissano, ex-presidente, sendo que contribuiu para financiar a Frelimo e ajudou significativamente nas campanhas eleitorais dos dois políticos. 

Por certo que mais coisas virão a público, ainda estamos apenas no início dos cerca de 250mil ‘cables’.

EUA elogiam Amado na questão de Guantanamo – TSF

O documento acrescenta que, em resposta, o Governo português pedia «garantias escritas dos países de destino final de que os detidos não serão torturados ou sujeitos à pena de morte». 


Especial Voos da CIA

Wikileaks: BE «tinha razão quanto aos voos da CIA» > Política > TVI24

«Apesar de sucessivos governos sempre terem negado a colaboração portuguesa com os voos ilegais da CIA, verifica-se agora que existiram contactos regulares e até encontros, como o do ministro Luís Amado com a secretária de Estado Condoleezza Rice, onde foram discutidos os termos em que o Estado português poderia autorizar a passagem de voos de transferência de prisioneiros», declarou Jorge Costa à Agência Lusa. 

Como é habitual mais uma vez estes ‘senhores’ políticos [e media Bilderberg, ver video acima], sejam eles portugueses ou estrangeiros, são na sua grande maioria muito pouco credíveis e ainda menos recomendáveis, isto para não lhes chamar de mentirosos.

Os dados vindos a público pelo wikileaks deixam no ar a confirmação das fortes suspeitas, que ao contrário do que o sr Ministro e o putativo engº Sócrates afirmaram, passaram pelo espaço aéreo português e com grande probabilidade pela base das Lajes, território nacional, voos da CIA com prisioneiros que com quase 100% de certeza foram torturados como qualquer pessoa que leia alguma imprensa dos EUA saberá desse escândalo, por exemplo KSM foi water board cerca de 180 vezes entre muitos outros.

O governo tendo mentido relativamente ao facto da existência de conversações sobre esses voos, tenta ao mesmo tempo enganar os portugueses dizendo que se passaram foi segundo regras impostas por Portugal.

Podem explicar-me como raio é que fiscalizaram se os EUA cumpriram essas regras uma vez que como se vai vendo não se pode confiar neles?! Lembram-se da famosa reunião nas Lajes? Lembram-se das famosas Armas de Destruição Massiva?

Podem os senhores, Ministro dos Negócios Estrangeiros, Luís Amado e o putativo engº Sócrates demonstrarem aos portugueses que aquelas pessoas que eles permitiram TRAFICAR não foram torturadas?

Podem mostrar aos portugueses documentos escritos de como os EUA se comprometiam com tal pedido?

Podem estes senhores mostrarem documentos que provem que o Estado português verificou se os EUA cumpriam o que supostamente haviam acordado?

Sinceramente duvido, por diversas razões, nomeadamente as que demonstram a importância do Wikileaks e esta mais recente vaga de documentos, que coloca a nu o que senhoras e senhores em lugares de poder que deveriam exercer de forma transparente porque estão ao serviço dos cidadãos, o fazem de forma velada e zelando isso sim pelos seus interesses mesquinhos, criando segredos e fomentado-os não para proteger os seus países mas sim para proteger os seus erros, as suas mentiras os seus interesses.

E para demonstrar que não existem nem politicos nem politicas de esquerda ou direita, mas apenas e só interesses, nada melhor que terminar este ponto com a informação de que o Governo de Zapatero em Espanha aceitou sem qualquer problema os voos da CIA no seu espaço aéreo, a esquerda espanhola, nomeadamente o PSOE, deveria explicar agora porque razão criticaram Aznar e a sua presença nas Lajes.
Afinal de contas quando baixam as calças à oligarquia dos EUA, fazem-no com ambas as mãos.

CIA flights with permission of the Spanish government [Update 2] | WL Central

How to transfer detainees from Afghanistan or other countries to Guantanamo? A cable written at the US embassy on the 4th of December 2008 describes how the US ambassador negotiated a permission from the Spanish ministry of foreign affairs to use “discreet” Spanish airports as mid way stops for long haul flights:
http://213.251.145.96/cable/2008/12/08MADRID1280.html 

The cable then goes on to discuss how documents on these negotiations were leaked to the press. The author complains that CIA flights and military flights were often mixed up in press reports.

6. Documentos realmente interessantes, como a ACTA e Espanha [Fate of Spain's Internet/copyright law depends on El Pais releasing relevant Wikileaks cables NOW], Hadopi, Coreias e China e os famosos mísseis supostamente adquiridos pelo Irão à Coreia do Norte

Existem uns quantos cables muito interessantes e que mais uma vez mostram o que os diversos poderes na sombra, pela calada, refugiando-se naquilo que designam por ‘Segurança Nacional’, que não passa de um subterfúgio para agirem com impunidade, vêm perpetrando contra todos nós.

Um pequeno resumo deles nestes dois links:

This has never happened before · ELPAÍS.com in English

The list seems interminable. American diplomats spy on the United Nations Secretary General and on other senior UN officials, to the extent of learning their credit card numbers. The Gulf monarchies are pressing Washington to start a war against Tehran before Iran becomes a nuclear power and brings them to their knees. Turkey’s moderate Islamist government faces continued resistance from secular army officers, and a secret Islamist plan is feared. Beijing orders a cyber-attack on Google at the end of 2009, while planning to ditch its long-time Stalinist ally in North Korea in return for hegemony over a unified Korean peninsula. Pakistan discreetly supports terrorist groups, while its nuclear arsenal grows. To do business in Morocco you have to pass on a cut to the royal house, which maintains its army in a deplorable state. Saudi Arabia is the main source of financing for Islamist terrorism.
(…)
In Spain, the Zapatero government agreed to downplay post-Iraq differences with Washington; blurred the question of the CIA rendition flights; was ambivalent over the prosecution of the murderers of José Couso; and the Spanish prosecutor’s office played a questionable role in the inquiry into torture at Guantánamo.
Contrary to what he had often promised, former Prime Minister Aznar was ready to return to politics if Spain needed him. Further material may yet emerge from the State Department papers, which this newspaper and others have been publishing having had access to the massive leak mounted by the Wikileaks organization. Significantly, its founder is wanted by Interpol, and his website is being boycotted by servers and service providers. 

Folha.com – Mundo – China contrata hackers desde 2002; veja mais revelações do WikiLeaks – 29/11/2010

* O Politburo, segundo organismo mais importante do governo da China, comandou a invasão dos sistemas de computador do Google no país, como parte de uma campanha de sabotagem a computadores, realizada por funcionários do governo, especialistas particulares e criminosos da internet contratados pelo governo chinês. Eles também invadiram computadores do governo americano e de aliados ocidentais, do Dalai Lama e de empresas americanas desde 2002.

* O rei Abdullah, da Arábia Saudita, repetidamente pediu aos EUA para atacar o Irã e destruir seu programa nuclear, além de, segundo registros, ter aconselhado Washington a ‘cortar a cabeça da cobra’ enquanto ainda havia tempo.

* Doadores sauditas continuam sendo os principais financiadores de grupos militantes sunitas, como a Al Qaeda; e o pequeno Estado do Qatar, generoso anfitrião do Exército americano no golfo Pérsico por anos, era ‘o pior da região’ em esforços de combate ao terrorismo, segundo um telegrama ao Departamento de Estado em dezembro do ano passado.

* Representantes dos EUA e da Coreia do Sul discutiram a possibilidade de uma Coreia unificada se os problemas econômicos da Coreia do Norte e a transição político no país levassem o Estado a implodir. Os sul-coreanos chegaram a considerar incentivos econômicos à China para ‘ajudar a aliviar’ as preocupações de Pequim sobre o convívio com uma Coreia reunificada em ‘aliança benigna’ com Washington, segundo o embaixador americano em Seul.

* Desde 2007, os EUA montaram um esforço secreto e, até agora, mal sucedido para remover urânio altamente enriquecido do reator de pesquisa do Paquistão, com medo de que pudesse ser desviado para uso em um reator nuclear ilícito.

* O Irã obteve mísseis sofisticados da Coreia do Norte, capazes de atingir o leste europeu, e os EUA estavam preocupados de que o Irã estaria usando esses foguetes como ‘peças de montagem’ para construir mísseis de mais longo alcance. Os mísseis avançados são muito mais poderosos do que qualquer equipamento que os EUA publicamente reconheceram existir no arsenal iraniano.

* Quando o vice-presidente afegão, Ahmed Zia Massou, visitou os Emirados Árabes Unidos no ano passado, autoridades locais trabalhando para a Agência de Controle às Drogas descobriram que ele carregava US$ 52 milhões em dinheiro vivo. Segundo o telegrama da embaixada americana em Cabul, ele pode manter o dinheiro sem revelar a origem ou destino do montante.

* Diplomatas americanos barganharam com outros países para ajudar a esvaziar a prisão da baía de Guantánamo, realocando detentos. Por exemplo, foi pedido que a Eslovénia aceitasse um prisioneiro se quisesse agendar um encontro com o presidente Barack Obama. A República de Kiribati recebeu oferta de incentivos valendo milhões de dólares para aceitar detentos muçulmanos chineses. Em outro caso, aceitar mais presos foi descrito como ‘uma forma de baixo custo para a Bélgica alcançar proeminência na Europa’.

* Os EUA não conseguiram evitar que a Síria fornecesse armas ao Hizbollah no Líbano, que acumulou um grande arsenal desde a guerra de 2006 com Israel. Uma semana após o presidente sírio, Bashar al Assad, prometer a um alto representante americano que não mandaria ‘novas’ armas ao Hizbollah, os EUA reclamaram que tinham informações de que a Síria estava dando ao grupo armas cada vez mais sofisticadas.

* Os americanos estariam preocupados com o uso da informática e ataques pela internet na China. Diplomatas dos EUA dizem que os chineses, após 2002, estão recrutando técnicos que acessam redes no mundo inteiro, principalmente do governo, empresas e aliados americanos.

* Chefes de governos são citados em várias passagens. O presidente francês Nicolas Sarkozy, por exemplo, foi descrito como “delicado” e “autoritário”, de acordo com o jornal ‘Le Monde’, um dos cinco periódicos que tiveram acesso à publicação antecipadamente. O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, estaria ‘louco’ e transformando o seu país em ‘outro Zimbábue’, segundo um diplomata francês.

* Os Estados Unidos pediram em março de 2008, um mês antes da última eleição presidencial paraguaia, informações detalhadas sobre os candidatos que incluíam “dados biométricos, incluindo impressões digitais, imagens faciais e dados para reconhecimento da íris, e DNA”.

* Uma mensagem da secretaria de Estado dos EUA à embaixada americana em Assunção relata a preocupação do governo americano com a suposta presença de grupos como Al Qaeda, Hizbollah e Hamas na tríplice fronteira, entre Brasil, Paraguai e Argentina.

* O departamento de Estado americano pediu no ano passado aos funcionários de 38 embaixadas e missões diplomáticas uma relação detalhada de dados pessoais e de outra natureza sobre as Nações Unidas, inclusive sobre o secretário-geral, Ban Ki-moon, e especialmente sobre os funcionários e representantes ligados ao Sudão, Afeganistão, Somália, Irã e Coreia do Norte, segundo o jornal ‘El País’.

* Diplomatas americanos em Roma comunicaram em 2009 o que suas fontes italianas descrevem como uma estreita ligação entre o premiê russo Vladmir V. Putin, e o premiê italiano, Sílvio Berlusconi, incluindo generosos presentes e lucrativos contratos de energia por uma intermediação sombria.

* Pairam dúvidas americanas sobre a confiança nas forças da Turquia, aliada da Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte), retratada como fraca e permeada por islâmicos.

* Uma tributo pago em viagens áreas que entrou em vigor no último mês deixou os americanos irritados. A revolta de Washington com uma nova tarifa alfandegária para passageiros, acordos britânicos de extradição com os EUA e inspeções mais frouxas com paquistaneses aparecem em memorandos publicados.

* Autoridades americanas advertiram a Alemanha em 2007 para não prenderem agentes da CIA envolvidos em uma fracassada operação em que um alemão inocente com o mesmo nome de um suspeito foi erroneamente sequestrado por meses no Afeganistão. Um alto diplomata americano disse que “a intenção é que o governo alemão pese cuidadosamente cada passo com as implicações no relacionamento com os EUA”. 

Powered by ScribeFire.

Iraque: O mito da retirada das tropas dos EUA

Como hoje se vai assistir a muita desinformação, aqui ficam alguns dados relativos à suposta retirada do Iraque das tropas dos EUA.

Yes we can….

Sim nós podemos continuar a mentir com a maior das facilidades porque os cidadãos estão completamente adormecidos e enganados pelos nossos papagaios amestrados, os media mainstream!

Este é apenas mais um dos muitos exemplos da mudança que nunca foi nem nunca o será!

Pensemos no seguinte, algum país que gasta biliões a criar uma embaixada gigantesca e inúmeras bases num país que para além da riqueza petrolífera que detém é ainda estrategicamente central para o seu domínio imperial, alguma vez pensará em abandonar tudo isso?

Nada mais digo, creio que os dados a seguir falam por si!


via Spiegel

http://media.mcclatchydc.com/smedia/2007/10/18/19/886-20071018-USIRAQ-EMBASSY.small.prod_affiliate.91.jpg

O novo Saddam de Baghdad – A política Imperialista dos EUA

The US isn’t leaving Iraq, it’s rebranding the occupation | Seumas Milne | Comment is free | The Guardian
Nothing
could be further from the truth. The US isn’t withdrawing from Iraq at
all – it’s rebranding the occupation.
Just as George Bush’s war on
terror was retitled “overseas contingency operations” when Obama became
president, US “combat operations” will be rebadged from next month as
“stability operations”.


But as Major General Stephen Lanza, the
US military spokesman in Iraq, told the New York Times: “In practical
terms, nothing will change”
. After this month’s withdrawal, there will
still be 50,000 US troops in 94 military bases,
“advising” and training
the Iraqi army, “providing security” and carrying out
“counter-terrorism” missions
. In US military speak, that covers pretty
well everything they might want to do.

(…)
The US now wants to expand their numbers sharply in what Jeremy Scahill,
who helped expose the role of the notorious US security firm
Blackwater, calls the
“coming surge” of contractors in Iraq. Hillary Clinton wants to increase the number of military contractors working for the state department alone from 2,700 to 7,000, to be based in five “enduring presence posts” across Iraq.

List of United States Army installations in Iraq

The US Armed Forces has many military bases in Iraq:

U.S. Embassy, Baghdad – Wikipedia, the free encyclopedia

A new embassy, which has been referred to as Fortress America[8], opened in January 2009 in the Green Zone in Baghdad.[2] The embassy complex comprises 21 buildings on a 104 acre (42 ha) site, making it the largest and most expensive U.S. embassy in the world.[9]

It is located along the Tigris river, west of the Arbataash Tamuz bridge, and facing Al Kindi street to the north. The embassy is a permanent structure which has provided a new base for the 5,500 Americans currently living and working in Baghdad. During construction, the US government kept many aspects of the project under wraps, with many details released only in a U.S. Senate Foreign Relations Committee report.[9] Apart from the 1,000 regular employees, up to 3,000 additional staff members have been hired, including security personnel.

United States military in Iraq – Wikipedia, the free encyclopedia

The United States military has played a major role in the 2003 invasion of Iraq and the subsequent Iraq War. Its missions and activities there have brought a range of new challenges, and various impacts on military personnel, equipment and procedures. United States land forces in Iraq are represented by all service branches, and also include Joint command organisations.

US Military Bases in Iraq

zFact:$1 Billion for military construction For 2005 and 2006, Washington has authorized or proposed almost $1 billion for US military construction in Iraq, as American forces consolidate at Balad, known as Anaconda, and a handful of other installations, big bases under the old regime.

zFact:Asad Base is 19 square miles, has two bus routes, a car dealership, a Burger King, a Pizza Hut, traffic rules and stop signs. The proposed 2006 supplemental budget for Iraq operations would provide $7.4 million to extend the no man’s land and build new security fencing. 3/26/06 Boston Globe

zFact:The U.S. has 14 “enduring bases” in Iraq
“As it is now called, Camp Maerz is one of fourteen “enduring bases” in Iraq, and includes “satellite television and Internet cafes. The facility’s dining hall is the size of an airport hangar.” from The Army Lawyer (PDF), August 2005.

zFact:The U.S. military has more than $1.2 billion in projects either underway or planned in the Central Command region — an expansion plan that U.S. commanders say is necessary both to sustain operations in Iraq and Afghanistan and to provide for a long-term presence in the area. Washington Post

zFact:And then there is the new embassy A new U.S. embassy will cost between $600 million and $1 billion. It is to arise in Baghdad’s Green Zone on a plot of land along the Tigris River that is reportedly two-thirds the area of the National Mall in Washington, DC. The plans for this “embassy” are almost mythic in nature. A high-tech complex, it is to have “15ft blast walls and ground-to-air missiles” for protection as well as bunkers to guard against air attacks. 

Iraq Facilities

In January 2005 it was reported that the Pentagon was building a permanent military communications system in Iraq. The new Central Iraq Microwave System, is to consist of up to 12 communications towers throughout Iraq, along with fiber-optic cables connecting Camp Victory to other coalition bases in the country.

Powered by ScribeFire.

Wikileaks – Assassinato Colateral – Vídeo do homicídio dos repórteres da REUTERS


Collateral Murder – Wikileaks – Iraq

Tal como havia prometido o site de denúncias/whisleblower, Wikileaks, divulgou ontem o vídeo que a REUTERS vinha tentando obter através de pedidos FOIA às Forças Armadas dos EUA e o qual estas continuavam a recusar afirmando que as acções dos soldados estavam em conformidade com a lei dos conflitos armados e suas próprias regras de combate.

Neste as imagens mostram o assassinato de diversas pessoas, civis, incluindo duas pessoas que trabalhavam para a REUTERS, o fotógrafo de 22 anos Namir Noor-Eldeen e o seu motorista,  Saeed Chmagh de 40 anos.

 Iraq: Wikileaks video of US military killing journalists – Boing Boing

Wikileaks claims to have obtained and decrypted video that shows US occupying forces in an Apache helicopter intentionally firing on a dozen civilians in Baghdad, including journalists working for the Reuters news organization: 22-year-old Reuters photographer, Namir Noor-Eldeen, and his driver, Saeed Chmagh, 40.

Infelizmente o que desde ontem se pode ver no vídeo divulgado pelo Wikileaks é algo bem diferente e que atenta contra as mais básicas regras do bom senso, de humanidade, e até da guerra e de zonas de conflitos armados.

http://bluraymedia.ign.com/bluray/image/article/994/994690/blue-thunder-crashes-20090615085525917-000.jpg

Descontando o facto que todos os militares dos EUA estão sobre grande pressão, tensão, uma vez que estão numa guerra que nunca fez sentido e que foi vendida a todos, incluindo a eles, através de uma enorme campanha de mentiras propagadas pelos media pertencentes aos interesses do Complexo Industrial Militar, a verdade é que aqueles soldados que levaram a cabo a carnificina que se observa neste vídeo, tinham muitas razões para a não levar a cabo.
Estavam muito distantes das pessoas que assassinaram como tal mesmo que estas estivessem armadas, não estavam a ameaçá-los, para além disso encontravam-se numa máquina de guerra temível, um Helicóptero Apache que os protegia.

Se as pessoas assassinadas estivessem a preparar algum ataque por certo não estariam num ajuntamento e muito menos se encontrariam tão descontraídas no meio da rua.

Como afirmei esta matança foi executada a partir de um Helicóptero Apache, que apesar de distante por certo se ouviria, afinal de contas não creio que este tenha tecnologia como o famoso Whisper Mode do Raio Azul e por certo se poderia observar no ar, em momento algum as pessoas no vídeo divulgado estão a ameaçar ou mesmo a olhar para o mesmo.

As imagens são bastante nítidas e em virtude de não haver uma ameaça premente à integridade dos ocupantes do Apache não se percebe porque razão não tentam observar melhor a cena, até porque não é propriamente difícil a quem vê o filme verificar que existem pessoas com tele-objectivas e máquinas fotográficas.

Mesmo que se tratasse de um grupo de pessoas que se preparavam para atacar, as leis da guerra são muito claras quando afirmam que não se pode atacar quer feridos quer pessoas que os tentam resgatar como é visível no posterior ataque à carrinha que depois se vem a saber tinha duas crianças no seu interior.
E isso é comprovado nas próprias imagens do vídeo por soldados dos EUA.

Mesmo a enorme tensão que se vive nestas zonas de guerra e a que os soldados estão sujeitos, não é do ponto de vista humano, compreensível a tamanha fome de morte que se percebe haver nas pessoas que se ouvem no vídeo e que atacam indiscriminadamente aquelas pessoas e depois rindo-se do seu feito e afirmando “Oh, yeah, olha para aqueles bastardos mortos”

Collateral Murder

Oh, yeah, look at those dead bastards.

Para terminar e apesar de já ter lido umas quantas notícias e debates sobre estes acontecimentos continuo sem perceber como é que o site Wikileaks conseguiu, tal como eles próprios afirmam, desencriptar o vídeo que segundo eles se encontrava encriptado com criptografia militar.

Ora das três uma, ou não foi o Wikileaks que o fez e sim quem obteve o vídeo que para além de ter acesso a ele também tem acesso à chave, ou a criptografia usada nestes vídeos é muito, mas muito má, algo que eu duvido, ou então tal como algumas vozes vêm afirmando que o Wikileaks é uma máquina de desinformação controlada pela intelligence dos EUA.

Infelizmente será difícil pelo menos para já comprovar isto, mas também sabemos que vivemos num mundo de espelhos e sombras e que não podemos cegamente acreditar em tudo, por isso sempre digo, não confiem em nada do que lêem, nem no que por aqui escrevo, busquem todas as fontes e mais algumas, não tenham vacas sagradas.

Para já continuo a dar o benefício da dúvida ao projecto Wikileaks por diversas razões, a primeira é porque por enquanto as suas acções são o que mais me interessa e a verdade é que têm colocado cá fora documentos bem importantes e por isso mesmo são perseguidos, dos EUA à Austrália [It certainly looks like the ACMA blacklist, eh Senator Conroy] e Alemanha já para não falar nos países e regiões ditas não democráticas ou mesmo ditaduras como a China, Irão etc.

Outro factor importante é que não têm qualquer problema em divulgar links contra eles próprios onde são acusados disto mesmo, de serem um projecto de Desinformação, como ainda ontem pude verificar na sua conta do Twitter.

E existe ainda o facto de há não muito tempo terem divulgado o documento que já aqui fiz referência onde a intelligence dos EUA se preparavam para os desacreditar «U.S. Intelligence planned to destroy WikiLeaks, 18 Mar 2008».

É claro que tudo isto pode ser visto ao espelho e como tal servir exactamente para esconder os seus verdadeiros objectivos.

Torrent do vídeo full mp4Julian Assange – New Media Days

JULIAN ASSANGE is a journalist, programmer and activist. He sits on the Advisory Board of WikiLeaks and acts as their spokesperson. Famous for his teenage ventures into ethical computer hacking, Assange was later instrumental in introducing the Internet to Australia and co-founded Australia’s first free speech ISP. He has broken stories at most major venues and been a subject of several documentaries.

Wikileads » Wikileaks’ Julian Assange discusses the ethics of corporate leaking

The
UK-based Resist Network interviewed Wikileaks director Julian Assange
about the ethics, mission and purpose of Wikileaks and whistleblowing.

Artigos que li:

Powered by ScribeFire.

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

Junte-se a 67 outros seguidores