Um interessante artigo sobre o ««Magalhães»» a nova arma de propaganda do “plano tecnológico”

Acabo de ler um interessante artigo sobre a nova arma de propaganda governamental assente no seu emblemático mas catastrófico “plano tecnológico”.

É a primeira vez que leio um artigo sobre informática aqui pelas nossas bandas, onde o jornalista coloca questões pertinentes e faz um apanhado do que se passa um pouco por todo o mundo e pela história deste tipo de sistemas.

São interessantes as questões levantadas pelo artigo.

Porque recaiu a escolha sobre o sistema apresentado pela Intel, não tendo existido nenhum concurso e ainda para mais quando este sistema tem mais limitações que o OLPC?

Porque fica a Intel como conselheira técnica do Ministério responsável pelo projecto?

Será que ajuda a microsoft já estar na cama com os diversos governos que temos tido, afinal por alguma razão se chama wintel ao monopólio.

Desde quando cabe na cabeça de algum governante entregar a nossa autonomia e o nosso poder decisório a uma multinacional?

Afinal qual é o custo final de cada equipamento? Quanto irá custar por cada aluno?

A verdade é que desde sempre o Classmate teve como objectivo único a utilização de software da microsoft, ao contrário o OLPC, sempre teve o objectivo de usar e difundir o Software Livre, ainda que agora também possa fazer uso do sistema da microsoft.

Agora que tanto se fala de poupar energia, de usar energias renováveis e que tanta propaganda este governo faz ao tema, mais uma razão para escolher o OLPC, este gasta bastante menos energia que o Classmate/Magalhães e tendo ainda a vantagem de usar energias alternativas como por exemplo a solar e ainda através de manivela.
Já para não mencionar que a nível de redes mais uma vez o OLPC está à frente, usando por exemplo a tecnologia Mesh, que é «é uma outra forma de transmissão de dados e voz além das redes a cabo ou wireless ou seja, uma rede Mesh são vários nós/roteadores e cada nó está conectado a um ou mais dos outros nós. Desta maneira é possível transmitir mensagens de um nó a outro por diferentes caminhos.»

Já não nos chegava os esquemas e bandalheira que temos tido e continuamos a ter com a microsoft, junta-se agora a sua aliada desde sempre, a intel.

Triste país este que entrega o seu futuro a multinacionais estrangeiras.
Não será posta em causa a Soberania do país quando delegamos em multinacionais, ainda por cima que não são portuguesas, a defesa dos nossos interesses?

Este governo vai ficar num futuro próximo conhecido como o governo que hipotecou o futuro dos portugueses nas áreas tecnológicas, especialmente na área da TI.
Senão vejamos, a microsoft representou o país a nível internacional, na ISO, relativamente ao processo fraudolento do m$-ooxml, a microsoft é escolhida para “n” projectos através de simples acordos e sem qualquer concurso, a microsoft é a escolhida para implementar sistemas de defesa no nosso país, ao ser parceira do Ministério da Defesa, agora chega a vez da intel ser escolhida sem qualquer concurso e mais uma vez este governo escolhe o pior produto a troco não se sabe muito bem do quê.

Mas será que a corrupção e compadrio que grassam por este país fora, alguma vez irão ter fim?

«A boa notícia é que Portugal está a apostar na tecnologia, colocando-a à disposição das crianças. Mas o que não é claro é o método. Para além disso, é estranho que a Intel fique como conselheira tecnológica do Ministério responsável. Será que convidariam a Opel para conselheira da indústria automóvel?», questiona, assumindo a perplexidade: «Há aqui uma perda de autonomia de escolha no futuro. Para além disso, não foi bem esclarecido a verba dispendida por cada aluno. Não me parece que tenha sido um processo totalmente transparente».

About these ads

11 Respostas

  1. Em relação ao preço por aluno, pelo que li na engadget, serão à volta dos 50€ (mas depende do orçamento familiar).
    Em relação à Microsoft julgo que neste caso não seja problema uma vez que o magalhães irá correr o Caixa Mágina

  2. boas António,

    o problema como sempre é que a CM vai lá estar só para se dizer, ah e tal tb apoiamos o FLOSS, mas todos sabemos que nunca irá passar disso, os classmate vão sair para as criancinhas todas com m$-xp e nunca mais se vai ouvir falar de FLOSS neles, aliás na apresentação só vi imagens do m$-.xp e ou me passou ou nem sequer ouvi mencionar ou defender a utilização de FLOSS.

    esta gentinha que vai para os governos ainda não percebeu que temos de ser diferentes para poder-mos competir, e não é usando e especialmente sendo usados por empresas de software proprietario e agora por empresas multinacionais de hardware que fazem o que quer e só pretendem ganhar milhões com gentinha de visao curta que vamos lá.

    o OLPC é muito superior, com n vantagens sobre esta treta da intel, que mais não fez que aproveitar o hype do OLPC para fazer dinheiro à custa dos pobres e pouco desenvolvidos, e tentando desde o inicio boicotar o projecto OLPC, intel e m$ são duas faces da mesma moeda, o problema é que os nossos pseudo-governantes estão na cama com a m$ à tempo de mais, a corrupção é um cancro e como tal não saimos deste ciclo vicioso.

    cumps,

    rjnunes

  3. Eu penso que não devemos hostilizar nenhum sistema operativo, mesmo que não se goste da Microsoft, podemos utilizar o windows XP.
    Como todos sabemos é extremamente fácil instalar-se o linux num computador e será simples fazer-se a substituição do windows XP por linux.
    O preço parece-me acessível, dependerá do orçamento das famílias, mas existem crianças que irão receber o computador de graça.
    Por último acho uma excelente ideia o computador ser fabricado em Portugal, dá emprego a Portugueses e permite que a indústria se desenvolva.
    Importar computadores de outros países talvez fosse mais viável em termos financeiros, mas devem ser observados outros aspectos de interesse nacional.

  4. não devemos hostilizar nenhum OS, mas devemos é escolher e
    usar um que não nos limite e que não nos aprisione, como o da m$.

    depois os pc’s são para crianças, eles tanto usam um GNU/Linux como qualquer outro, a vantagem do FLOSS é que lhes permite evoluir, experimentar, sem haver problemas de patentes, processos por usos indevidos de software etc etc.

    e a vantagem para o futuro, deles e de Portugal, é começarem desde pequenos a perceberem o que é a liberdade de utilização e desenvolvimento, é serem expostos a uma tecnologia que nunca os irá limitar nos seus objectivos, no seu pensamento, uma tecnologia que lhes permitirá criar as suas próprias empresas num futuro sem ficarem dependentes de monopólios e empresas sem escrúpulos.

    rjnunes

  5. [...] Um interessante artigo sobre o ««Magalhães»» a nova arma de propaganda do “plano tecnológic… [O vigia] [...]

  6. [...] a ver onde está a inovação por parte da micro$oft, infelizmente mais uma vez, tal como com o pseudo-computador Português, o Magalhães, os nossos media não se informam, não se documentam, apaenas são papagaios a debitar notas de [...]

  7. [...] o nosso pseudo-governo fez propaganda, e que diz que vai criar o primeiro computador português, a tal tanga do Magalhães que não passa de um classmatepc da intel, mais uma vez mostra a quem presta [...]

  8. [...] Ainda à pouco assistimos a mais uma dessas decisões, ao trocar-se o OLPC e o Software Livre por uma plataforma totalmente proprietária, desde o hardware ao software, sim porque não acredito que o classmatepc/magalhães alguma vez vá usar de raíz o GNU/Linux, perdendo-se assim uma grande oportunidade de começar a cativar desde muito cedo aqueles que irão ser os informáticos do futuro. [...]

  9. “Desde quando cabe na cabeça de algum governante entregar a nossa autonomia e o nosso poder decisório a uma multinacional?”

    Este argumento é absurdo num país que há muito hipotecou a soberania nacional ao poliburo de Bruxelas.

    Se a Intel criar problemas com o tal Magalhães, rapidamente pode ser corrida e substituída pela AMD.

    O mesmo não acontece com Bruxelas…

    Mas, o mais engraçado, é ver muitos dos que berram agora contra o Magalhães, gabarem a Irlanda que, essa sim, está totalmente na mão de três ou quatro multinacionais responsáveis por mais de 80% das suas exportações.

  10. só será absurdo se partir.mos do principio que Bruxelas é comandada pelas mesmas multinacionais, o que concordo.
    portanto partindo desse principio, tudo bem é absurdo.

    mas é um pouco menos absurdo quando ainda temos uma constituição, e enquanto não a destruirem por completo pode ser que ainda haja hipótese.

    acho que não compreendeu, o problema não seria resolvido por substituir uma empresa por outra, o problema está que se tem escolhido a pior tecnologia apenas e só por jogadas de bastidor, em vez de pensar-mos em objectidvos concretos e em qual seria a melhor tecnologia que iria servir ou ajudar a construir tecnologia no futuro do pais, os decisores tomam essas decisoes baseados apenas nos seus interesses.

    eu gabo a irlanda quando ela votou contra o tratado, quanto à tecnologia, não sei bem o que se passa lá em termos de FLOSS.

  11. [...] no ataque ao OLPC e ao GNU/Linux Publicado em Setembro 30, 2008 por ovigia Muito se tem escrito e falado sobre o suposto computador português, o Magalhães «que não passa de um classmate da [...]

Deixar uma resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

WordPress.com Logo

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Log Out / Modificar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Log Out / Modificar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Log Out / Modificar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Log Out / Modificar )

Connecting to %s

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

Junte-se a 66 outros seguidores

%d bloggers like this: