Nexenta – o melhor de dois mundos

Nexenta é um projecto que teve o seu início em 2005, basicamente é um Kernel OpenSolaris envolto por ferramentas/aplicações, Debian/Ubuntu e GNU, corre em sistemas IA32 e AMD64/x86-64.

O site OSNews tem um interessante artigo sobre este sistema operativo, Nexenta: Ubuntu Server with ZFS goodness.

{via wikipedia}


Home – Nexenta Project Wiki

Nexenta Operating System is a free and open source operating system combining the OpenSolaris kernel with GNU application userland. Nexenta Operating System runs on Intel/AMD 32/64bit hardware and is distributed as a single installable CD. Upgrades and binary packages not included on the CD can be installed from NexentaOS repository using Advanced Packaging Tool. In addition, source based software components can be downloaded from network repositories available at Debian/GNU Linux and Ubuntu Linux, and built as described here.

Nexenta: Ubuntu Server with ZFS goodness

The Opensolaris technologies: ZFS

The open source world has gone gaga over the next generation file system from the Opensolaris community. It has been ported to Apple’s OSX and FreeBSD. Licensing incompatibilities have held up a Linux port. It is a file system and volume manager built into one. And with lightning fast snapshots and automatic integrity and error checking, this is the filesystem of the future. Lets take a look at how you as a developer can benefit by the use of ZFS:

Never have to worry about data loss, or the system and packaging system going into a mangled state

Casa Branca admite que Bin Laden não foi o cérebro dos atentados de 11Set2001

http://timesonline.typepad.com/photos/uncategorized/2007/10/26/dana_perino.jpg

Durante uma conferência de imprensa, Dana Perino, a secretária de imprensa de Bush, respondendo à questão de uma jornalista sobre os esforços que a Administração tem feito para capturar o cérebro dos atentados de 11Set2001, Bin Laden, interrompeu-a, afirmando que este não foi o cérebro da operação de 11Set2001, mas sim Khalid
Sheikh Mohammed
.

Esta afirmação vem assim confirmar o que o FBI quer na sua página, quer através dos seu Chief of Investigative Publicity indicam, que não existem evidências concretas quanto à participação ou autoria de Bin Laden nestes atentados.

Mas como se chegou a estas conclusões?
Nas semanas seguintes aos atentados, Colin Powell afrima na televisão que os EUA estariam a juntar as provas da cumplicidade e autoria dos atentados de Bin Laden, mas no dia seguinte a estas afirmações, volta a trás, dizendo que todas essas provas eram secretas e que não seriam divulgadas.

Two weeks after 9/11, Secretary of State Colin Powell, speaking to Tim Russert on “Meet the Press,” said he expected “in the near future . . . to put out . . . a document that will describe quite clearly the evidence that we have linking [bin Laden] to this attack.”8 But at a press conference with President Bush the next morning, Powell reversed himself, saying that although the government had information that left no question of bin Laden’s responsibility, “most of it is classified.”9 According to Seymour Hersh, citing officials from both the CIA and the Department of Justice, the real reason for the reversal was a “lack of solid information.” [0]

Quem acaba por apresentar um relatório que confirmaria essas alegações é um gabinete de Tony Blair, o qual as usa para justificar o ataque ao Afeganistão e mais tarde são também usadas para justificar a invasão do Iraque.

Ainda hoje não se sabe quais foram afinal as provas que foram apresentadas aos parceiros da NATO, isto é especialmente grave tendo em conta que a NATO só pode intervir caso um dos seus tenha sido atacado a partir do exterior, até hoje não existem provas concretas que os ataques fossem exteriores aos EUA.

Mas esse relatório para além de diversos problemas, apresenta logo no seu início algo que indicia que se trata de um relatório encomendado apenas para servir interesses e não verdades.

Este começa com a frase “Este documento não pretende apresentar provas contra Bin Laden que possam ser usadas contra ele em tribunal”.

“This document does not purport to provide a prosecutable case against Osama Bin Laden in a court of law.”

This weakness was noted the next day by the BBC, which said:
“There is no direct evidence in the
public domain linking Osama Bin Laden to the 11 September attacks. At best the evidence is circumstantial.”
[1]

Ou seja, o máximo que esse documento consegue será eventualmente apresentar provas circunstânciais as quais nunca seriam aceites em tribunal, e o que o relatório pretende é apenas e só fundamentar de alguma forma as decisões de invasão do Afeganistão e Iraque.
Só por aqui se pode imaginar quem são os loucos que estão à frente quer dos EUA, quer do Reino Unido, mas não só, quase todos os países da UE foram atrás de mentiras descaradas sem se preocuparem em saber realmente se existiam provas concretas e muito menos se preocuparam em mostrá-las aos seus cidadãos.
Portugal foi e ainda é um desses países que pertencendo quer à UE, quer à NATO, ainda hoje tem tropas no Afeganistão e ainda hoje não sabemos porquê, eu pelo menos não sei.

Como pode um país ou paises que nem sequer têm provas para condenar uma pessoa em tribunal, justificarem a invasão de países soberanos através dessa mesma falta de provas?

As afirmações da Dana Perino levantam ainda mais algumas questões.

Estas são a confirmação final de que os videos em que um suposto Bin Laden aparece a afirmar que esteve por detrás dos atentados, são afinal e como já diversos especialistas afirmam, falsos?
Há muito que se suspeita que sim, devido a diversas informações importantes e nunca mencionadas pelos media, tais como:

* Bin Landen é canhoto, no entanto no vídeo aparece a escrever com a mão direita.
* um verdadeiro fanático muçulmano como ele é apresentado nunca usaria relógio e anel de ouro tal como aparece no vídeo
* o homem que aparece no vídeo é mais forte, mais escuro e tem o nariz bem maior que todas as fotos e imagens que se sabem ser reais de bin Laden

Estas afirmações mostram mais uma vez que se tenta por todos os meios justificar a não tentativa efectiva da captura de Bin Laden?
Parece-me óbvio que sim.
Por diversas vezes o puderam fazer, inclusive antes dos atentados e durante a Administração de Bill Clinton [mais info]e ainda tal como é afirmado por diversos jornais à época, Bin Laden teve contactos coma CIA quando esteve em tratamento no Hospital militar Americano no Dubai.

Existem graves problemas com a afirmação de que KSM (Khalid Sheikh Mohammed) seria o verdadeiro cérebro por detrás dos atentados, uma vez que essa informação foi obtida através de tortura, e como todos os especialistas de interrogatório e militares que lidam com estas situações são unânimes em afirmar, a obtenção de informação por tortura não é minimamente fiável nem credível.

Uma pessoa sujeita a tortura, diz tudo o que o torturador quer ouvir.

O relatório oficial, “The 9-11 Commission Report” afirma nas suas páginas que grande parte destas informações foram obtidas em interrogatórios feitos pela CIA e que as pessoas responsáveis por esse relatório não tiveram acesso aos detidos de forma a validarem ou não esses dados fornecidos pela CIA.

Sempre que o relatório da comissão citava supostas evidências da cumplicidade de Bin Laden nos atentados, tinha o cuidado de referir que essa informação tinha sido fornecida pela CIA através dos seus interrogatórios.

Relativamente a KSM, os principais responsáveis pelo “The 9-11 Commission Report”, num livro que escreveram à posteriori afirmam que todas as notas, informações que receberam sobre KSM, indicavam logo à partida que se tratava de “interrogatório de KSM”, e que nunca conseguiram ter a custódia sobre esta testemunha para a poderem interrogar e que para além disso, nem sequer lhes foi permitido assistir aos interrogatórios a essa testemunha.
Ambos afirmam no livro, que “Nós não tinhamos maneira de avaliar a credibilidade da informação dada pelo detido. Como poderiamos saber que alguém como o KSM estaria a dizer a verdade”[2], e acrescento eu, como poderiam sequer saber se era ele que teria afirmado o que aparecia escrito nos relatórios, uma vez que nunca assistiram a esses interrogatórios?!.

Por tudo isto cada vez mais se chega à conclusão que a história oficial não passa de um péssimo argumento, cheio de buracos e que quem tenta obter informação credível e fora do mainstream pseudo-informativo sobre essa mesma história, rápidamente se apercebe que ela não passa de uma ENORME MENTIRA, criada apenas e só para meia dúzia de monstros manterem indefinidamente um estado de guerra, que como eles dizem será perpétuo, e que irão usar para subjugar povos e nações, tirar liberdades e direitos inerentes ao ser humano, como o direito à privacidade, à crítica, ao pensamento, à liberdade de expressão.

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

Junte-se a 66 outros seguidores