Para mais tarde recordar: Os memorandos da microsoft e do governo português

Algumas das pérolas que estão escritas nesses memorandos entre o Estado Português e a microsoft, assinados por diversos Ministérios através dos seus representantes, todos do governo Sócrates, e os quais segundo o site do governo já se encontram em “plena execução”.

Antes de mais deixo estas palavras da Comissária Neelie Kroes, que pelos vistos os nossos governantes nunca ouviram ou se ouviram nada lhes ligam, preferindo as jogadas de bastidores e o compadrio:

O Governo português lançou um ambicioso Plano Tecnológico com vista a aumentar de forma sustentada a competitividade, produtividade e o crescimento de Portugal.

Como é possível aumentar a competitividade assinando memorandos com uma empresa diversas vezes condenada, quer na UE quer nos EUA por monopólio e por subverter as leis do mercado?
Como se pode fomentar o crescimento confiando apenas e só numa empresa e colocando todas as outras, especialmente as portuguesas que desenvolvem, usam e fomentam o Software Livre?

Com o Plano Tecnológico o governo português estabelece um plano de acção para levar à prática um conjunto articulado de políticas que visam estimular a criação, difusão, absorção e uso do conhecimento como alavanca para transformar Portugal numa economia dinâmica e capaz de se afirmar na economia global.

Uso do conhecimento?
Como se pode ensinar, criar, inovar, fazendo acordos com uma empresa que tudo isto nega?
Como é possível ensinar tecnologias de informação se a escolha do governo recaiu sobre uma empresa que não fomenta o uso de padrões definidos por essa mesma indústria mas que apenas usa as suas tecnologias, como se pode aprender quando não se tem acesso a diversas maneiras de pensar, como se pode ensinar e aprender se não se tem acesso ao código fonte das aplicações, ou tendo acesso, este está sob medidas legais de não divulgação?

Como pode um cozinheiro aprender com um mestre de cozinha, se não tem acesso às receitas ou se não pode discuti-las com outros companheiros?

Como pode Portugal transformar-se numa economia pujante e capaz de se afirmar, se se limita a usar tecnologias de uma multinacional que detém um monopolio e cujo único interesse é apenas e só o seu lucro?

Não ficaria melhor servido Portugal se apostasse em Sofwtare Livre tal como os seus parceiros ricos da UE estão a fazer, casos da França, Alemanha, Finlândia entre outros, nomeadamente o gigante da Europa, Russia?

A Microsoft, líder mundial de software e a empresa tecnológica que mais investe em Investigação e Desenvolvimento em todo o mundo(…)

Onde estão os números para esta afirmação?

O que tem dado a microsoft às TI? Para além dos seus protocolos e formatos fechados, o seu não cumprimento de protocolos e normas abertas, a sua persistente destruição da concorrência através de meios muito pouco democráticos, a sua tentativa de dominio global da rede internet usando para tal todos os subterfúgios possíveis e imaginaveis?

Um dos mais recentes exemplos foi o que se passou com a aprovação do seu formato proprietário, fechado, o ms-ooxml, que colocou em causa toda uma estrutura de aprovação de padrões internacionais.

Programa de estágios tecnológicos com os PALOP: É criado um programa de estágios para jovens oriundos dos países africanos de língua oficial portuguesa na Microsoft e nas empresas Parceiras da Microsoft. (Entidade: Ministério dos Negócios Estrangeiros)

Tal como já afirmei a propósito do classmate magalhães, Portugal está a ser usado como arma de arremesso, tipo cavalo de Troia, quer pela intel quer pela microsoft, para poderem dominar mercados emergentes e colocando-os desde o início sob o jugo destas.

Um dos exemplos de como tudo isto funciona está na guerra que estas duas empresas fizeram ao OLPC, e ainda ao que se passou com a micorosoft a atacar a Mandriva, empresa de software livre em África, usando para tal um dos meios que já havia usado no ms-ooxml, a cobarde corrupção.

Formação com certificação Microsoft: Com vista a dinamizar a utilização das tecnologias de informação e comunicação e o aumento das qualificações de jovens nesse domínio

Oferta de formação pós-secundária em Tecnologias de Informação e Comunicação: Serão criados Cursos de Especialização Tecnológica (CET) de Nível IV no domínios das Tecnologias de Informação e Comunicação, com o apoio técnico, pedagógico e em conteúdos da Microsoft

Mais um meio de continuar a fomentar o lock in, dependência de todo um país ao monopolio de uma multinacional estrangeira que apenas se preocupa com o lucro.

Se Portugal optar pelo mesmo tipo de desenvolvimento que por exemplo a Alemanha que acaba de investir 500Milhoes de euros em Software Livre, as nossas empresas, a APública os nossos jovens não ficam dependentes de uma única tecnologia e muito menos de uma empresa.

Programa de Formação das Forças de Segurança: A Microsoft irá apoiar através do curso Literacia Digital e da elaboração de curriculum
específico a qualificação, certificação e avaliação de competências em matéria informática
de cerca de 50 mil elementos das forças de
segurança até 2010, expandindo a literacia digital e o uso de novas tecnologias de informação (…)

Mais uma vez e como afirmo acima, estas competências não são em tecnologias mas apenas em produtos, produtos de uma única empresa.
Não se estará a ensinar a dar competências em tecnologias, apenas se estará a dar formação a produtos de uma empresa para se perpetuar a dependencia desta na APública, com todos os problemas que daí advém.
Produtos mais caros, licenças a preços exorbitantes, fraca qualidade dos produtos, baixa segurança, destruição das empresas portuguesas do ramo, uma vez que só as que suportam o monopólio podem competir no mercado e ainda assim sob o jugo da microsoft.

Veja-se o caso semelhante da França, cuja Gendarmerie farta de ser explorada pelo monopolio da microsoft, optou pela total substituição do software desta por software livre, nomeadamente Ubuntu e Openoffice.org, levando logo nas promeiras mudanças a uma poupança de derca de 50Milhões de euros em licenças.

Existem muitas mais pérolas nestes memorandos assinados entre o governo de Sócrates e a empres monopólio, microsoft.
Nas notícias mais recentes sobre estes e ainda no site governamental é afirmado que já estão em  “plena execução”, após mais uma visita de Steve Ballmer a Portugal.

E é com estas negociatas que se misturam sites governamentais com sites da dita empresa, como se fosse tudo o mesmo, como se a microsoft tivesse direitos especiais sobre Portugal e o seu governo, um dos exemplos é o site www.literaciadigital.pt e ainda no prórpio site da microsoft www.microsoft.com/portugal/cidadania/projectos.mspx

Será possível que ninguém veja o que se passa?

Será que vamos continuar a ser vistos como pobrezinhos, tipo país de terceiro mundo, onde a corrupção é que manda, onde as negociatas prevalecem acima do Direito e da Lei?

Powered by ScribeFire.

4 Respostas

  1. […] é que por cá ainda vivemos na idade […]

  2. […] Para mais tarde recordar: Os memorandos da microsoft e do governo português […]

  3. […] Para mais tarde recordar: Os memorandos da microsoft e do governo português […]

  4. […] Para mais tarde recordar: Os memorandos da microsoft e do governo português […]

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: