Pare de RECICLAR! Comece a CONSERTAR!

[update: a propósito de um comentário do Gil Brandão, lembrei-me que não havia colocado o link para um projecto de recuperação de hardware usando software livre, o Helios Project]

Encontrei este manifesto da Platform21 no blog ArautodoFuturo e confesso que estou inteiramente de acordo.

As pessoas habituaram-se de tal forma a produtos chiclete, tipo mastiga e deita fora, produtos descartáveis que nem se apercebem dos custos que isso implica, quer para a sociedade do ponto de vista sócio-económico quer relativamente à saúde do planeta.

A verdade é que não temos, o planeta não possui recursos inesgotaveis, para além da Reciclagem é Extremamente Importante o CONSERTO de muitos produtos bem como o uso eficaz de outros tantos que podem ter um tempo de vida muito superior ao que muitas vezes acontece.

Um exemplo são os computadores, na realidade muitos dos ditos velhos computadores que são atirados para o lixo, são na realidade ainda grandes máquinas que podem ser aproveitados para muitas tarefas, como por exemplo, routers, firewalls, servidores e até desktops, basta para tal que se volte a ter o gosto por tirar o melhor partido de determinado produto, levá-lo até aos seus limites de duração e funcionamento.

Existem diversos projectos de software livre com vista a prolongar a vida útil de diverso hardware, quanto a distros para desktop já escrevi uma entrada Dicas/Tips: Distros de GNU/Linux Leves para hardware antigo, mas existem muito mais projectos, deixo aqui alguns deles.

Começando pelo mais básico numa ligação à rede internet, podemos pegar num router e colocar-lhe software livre transformando-o num router de maior qualidade e com mais performance, segurança e serviços.

Por exemplo, transformar um antigo PC num router e numa firewall, existem diversas distros GNU/Linux bem como opções em BSD’s:

IPCopIPCop Linux is a complete Linux Distribution whose sole purpose is to protect the networks it is installed on. By implementing existing technology, outstanding new technology and secure programming practices IPCop is the Linux Distribution for those wanting to keep their computers/networks safe.

m0n0Wallis a project aimed at creating a complete, embedded firewall software package that, when used together with an embedded PC, provides all the important features of commercial firewall boxes (including ease of use) at a fraction of the price (free software).
m0n0wall is based on a bare-bones version of FreeBSD, along with a web server, PHP and a few other utilities. The entire system configuration is stored in one single XML text file to keep things transparent.

pfSensepfSense is a free, open source customized distribution of FreeBSD tailored for use as a firewall and router. In addition to being a powerful, flexible firewalling and routing platform, it includes a long list of related features and a package system allowing further expandability without adding bloat and potential security vulnerabilities to the base distribution.

floppyfw is a router with the advanced firewall-capabilities in Linux that fits on one single floppy disc.

Devil-Linuxis a distribution which boots and runs completely from CDROM. The configuration can be saved to a floppy diskette or a USB pen drive.
Devil Linux was originally intended to be a dedicated firewall/router but now Devil-Linux can also be used as a server for many applications.

consertar.manifesto

Para terminar e aproveitando a tradução do blog ArautodoFuturo aqui fica o Manifesto em português.

1. Faça seus produtos durarem mais! Consertar significa a oportunidade de dar a um produto uma segunda vida. Consertar não é anticonsumo: é antidesperdício.

2. As coisas têm que ser projetadas para poderem ser consertadas. Designer de produtos: faça coisas consertáveis. Forneça informações claras sobre como consertar. Consumidor: compre coisas que você sabe que podem ser consertadas, ou descubra por que elas não existem. Seja crítico, faça perguntas.

3. Consertar não é substituir uma peça. Não estamos falando em jogar fora a parte que está quebrada, mas de realmente remendar criativamente.

4. O que não mata engorda. Toda vez que você conserta algo você acrescenta ao seu potencial, à sua história, à sua alma e à sua beleza inerente.

5. Consertar é um desafio criativo. Fazer reparos é bom para a imaginação e ensina a usar novas técnicas, ferramentas e materiais.

6. Conserto não sai de moda. Não se conserta para deixar os produtos na moda. Não há datas de validade para produtos que podem ser reparados.

7. Consertar é descobrir. Ao consertar você descobre coisas incríveis sobre como os objetos funcionam. Ou não funcionam.

8. Conserte – mesmo quando a crise acabar. Se você acha que este manifesto tem a ver com a recessão, esqueça. Não estamos falando de dinheiro, mas de mentalidade.

9. Coisas consertadas são únicas. Mesmo falsificações se tornam originais quando você as conserta.

10. Consertar é ser independente. Não seja um escravo da tecnologia – seja seu mestre.

11. Você pode consertar tudo, mesmo um saco plástico. Mas nós recomendamos arrumar uma sacola que dure mais. E, quando ela estragar, consertá-la.

Powered by ScribeFire.

About these ads

6 Respostas

  1. Cuidado com a lógica do “computador velho” que não é trivial. Em minha casa tenho 2 PCs “inúteis” dos quais um faz de servidor geral (smb, rsync, cups, http, ssh) e outro (mais ainda mais velho) serve para testar cenas diferentes quando há tempo para isso.

    Agora, qualquer um deles gasta pelo menos 300W, enquanto o meu router wireless gasta menos de 8W. O meu objectivo é “hackar” este último para que acorde o servidor para as funcoes mais pesadas quando necessario – o problema do desperdicio de energia é responsabilidade do monopolio i386 (intel) que não suporta de forma decente o idle mode.

    No entanto claro que as máquinas velhas são bons thin clients mas em casa nem sempre faz muito sentido. Acho que quem não gosta/sabe hackar as máquinas, o mais útil é doa-las (de preferencia com GNU/Linux pre-instalado ;).

    E as reparações têm um grande problema a resolver: a medida que a comoditização e _miniaturizacao_ dos dispositivos vai aumentando, reparar algo é cada vez mais complexo (inviável?). Por outro lado com dispositivos mais pequenos há menos lixo por dispositivo.

    Para terminar, acho que o problema do planeta não será a reparação mas sim o excessivo consumo, que sendo exponencial (se acompanhar a tecnologia) um dia há de chegar onde a coisa (==modo de vida) rebenta (eventualmente a nano tecnologia pode desafiar esta minha afirmacao).

    • boas gil, concordo contigo que um pc gastará mais do que um router, mas apenas dei exemplos e tb concordarás que haverá até se calhar maiores gastos de toda a ordem em nos desfazer-mos mesmo de um pc antigo.

      sem dúvida e agora que mencionas isso era para ter lá colocado no artigo um link para um dos projectos que oferece pc’s antigos convertidos em GNU/Linux box’s e esqueci-me, trata-se do helios.
      http://www.heliosinitiative.org/blog/

      tens razão em relação a diversos gadjets etc, mas existem muitos produtos que se poderiam consertar em vez de por e simplesmente deitar fora.

      quanto ao excessivo consumo sinceramente acho que é mais uma forma das pessoas não se sentirem sozinhas do que outra coisa qq, a maior parte das pessoas acha que comprar um determinado objecto as vai ajudar momentaneamente a esquecer este ou aquele problema, é como a droga, mas após esses breves momentos, lá se tem de começar a pensar em adquirir outra coisa.
      e claro tb devido à enorme lavagem cerebral a que somos sujeitos todos os dias em todo o lado.

      abç

  2. Concordo plenamente!

    Mas não desvalorizar a reciclagem! Ambas as coisas ajudam à sustentabilidade. Convém frisar isso!

    Aliás, vou por um post no blog sobre isto também!

    Boa onda! :)

    • sem dúvida ricardo mas creio que primeiro deveriamos pensar em consertar e qd não dá reciclar, ou seja seria melhor para todos se os produtos fossem pensados para poderem ser consertados e após isso reciclados.

  3. Eu não tenho nada contra o concerto…nada disso. Claro que é para concertar :) Só acho que à medida que a tecnologia avanca, o concerto tem vindo a tornar-se inviavel. Exemplo: se avaria um controlador numa board, até seria reparável. Deveria ser possivel substituir os chips de maior tamanho. O chip terá de ir para o lixo porque simplesmente não dá para reparar.

    E PCs para o lixo? Nunca! Nessa altura é hora doar ;)

    • boas, tens razão no que toca à miniaturização, mas existem muitas outras coisas, mais mecânicas que podem e devem ser consertadas.

      em relação aos pc’s sem dúvida, doar usar para outros fins etc, por isso o projecto helios é interessante, não sei se por cá existe algo parecido.

Deixar uma resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

WordPress.com Logo

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Log Out / Modificar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Log Out / Modificar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Log Out / Modificar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Log Out / Modificar )

Connecting to %s

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

Junte-se a 66 outros seguidores

%d bloggers like this: