NWO_NEWS: EUA militares nas ruas; Erik Prince da Blackwater acusado de assassinio; Austrália transforma os ISP’s em vigilantes

Como alguém dizia, isto é cada tiro cada melro!

http://kiwipolemicist.files.wordpress.com/2008/12/its-not-fascism-when-we-do-it.jpg

Como cada vez mais se vai percebendo, os nosso Direitos, Liberdades e Garantias, vão sendo todos os dias postos em causa pela corja de políticos corruptos que estão ou vão para o poder, as pessoas na sua grande maioria sem acesso a outros meios de informação que não os tradicionais, como por exemplo a rede Internet, vão deixando as coisas andar, sem sequer fazerem um esforço para perceberem o que se passa à sua volta.

Antes que digam que hoje todos ou quase todos temos acesso à grande Rede, relembro que somos apenas e só uma imensa minoria de felizardos.
A grande maioria das pessoas nem água potável e comida tem, quanto mais acesso à Rede!

E o que se passa não é nada bonito, no fundo é relativamente simples, o poder há muito que deixou de estar nas mãos dos políticos e muito menos dos países soberanos, o poder é detido pelas grandes multinacionais que por sua vez são apenas e só grandes conglomerados do principal poder, a BANCA.

Enquanto as pessoas não meterem isso na cabeça, nada há a fazer, infelizmente não creio que isso alguma vez venha a ocorrer, tal como na Alemanha de 1930 quando Adolf Hitler foi invadindo a vida das pessoas e do país, também hoje as pessoas limitam-se a olhar para o lado, não querem pensar, preferem que os outros, uma elite, pense por elas, tome decisões por elas.

Como diversas vezes por aqui foi falando, o Posse Comitatus Act, que é “a United States federal law (18 U.S.C. § 1385) passed on June 18, 1878, after the end of Reconstruction, with the intention (in concert with the Insurrection Act of 1807) of substantially limiting the powers of the federal government to use the military for law enforcement.“[wikipedia], ou seja, trata-se de uma lei que impede que sejam usadas as forças armadas no interior dos EUA por forma a substituir as habituais polícias e forças da Lei, foi colocado de lado muito especialmente pela anterior Administração de Bush/Cheney e continua a sê-lo por esta de Obama.

The Pentagon Wants Authority to Post Almost 400,000 Military Personnel in U.S. | The Progressive

In June, the U.S. Northern Command distributed a “Congressional Fact Sheet” entitled “Legislative Proposal for Activation of Federal Reserve Forces for Disasters.” That proposal would amend current law, thereby “authorizing the Secretary of Defense to order any unit or member of the Army Reserve, Air Force Reserve, Navy Reserve, and the Marine Corps Reserve, to active duty for a major disaster or emergency.”

Quem vai detendo cada vez mais poder é a FEMA, que através do U.S. Northern Command que vai treinando e até colocando em marcha e mesmo usando como no caso do Katrina, forças militares no interior dos EUA, indo totalmente contra o Posse Comitatus.
No caso do Katrina até se chegou ao ponto de usar os mercenários, a Guarda Pretoriana dos NEOCONS, a Blackwater do criminoso Erik Prince, que agora se denomina de Xe.

The Pentagon Wants Authority to Post Almost 400,000 Military Personnel in U.S. | The Progressive

But NorthCom’s Congressional fact sheet refers not just to a “major disaster” but also to “emergencies.” And it says, “Those terms are defined in section 5122 of title 42, U.S. Code.”

That section gives the President the sole discretion to designate an event as an “emergency” or a “major disaster.” Both are “in the determination of the President” alone.

That section also defines “major disaster” by citing plenty of specifics: “hurricane, tornado, storm, high water, wind-driven water, tidal wave, tsunami, earthquake, volcanic eruption, landslide, mudslide, snowstorm, or drought,” as well as “fire, flood, or explosion.”

Segundo noticia Jeremy Scahill no site Truthout, o senhor Erik Prince o todo poderoso criador da Blackwater Worldwide, é acusado de diversos crimes, desde assassinatos até ao contrabando de armas, tendo estas acusações sido feitas por um ex-empregado desta empresa de mercenários e por um ex-marine dos EUA, os quais afirmaram nos seus depoimentos aos investigadores de Eastern District of Virginia encarregues deste processo.
Estas duas pessoas terão mesmo afirmado que Erik Prince é um louco que se vê como um cruzado crsitão, cujo objectivo é destruir e eliminar da face da Terra, os muçulmanos e a sua religião.

O mais grave e que demonstra o objectivo final que é o governo mundial com o seu exército mundial sob a bandeira das Nações Unidas, é que para além das forças armadas dos EUA começarem através do U.S. Northern Command a serem treinadas e a patrulharem o país, também forças de outros países têm estado a treinar nos EUA como foi o caso de tropas alemãs, francesas e holandesas, se estas coisas já seriam estranhas o que pensar então do juramento que estas forças vão fazendo, já não fazem juramentos pela soberania dos seus países mas sim pelas Nações Unidas.

Poderão dizer que é normal o treino conjunto de diversas tropas de diversos países, ainda por cima aliados, ao que respondo que concordo, mas desde quando é que treinos militares deste tipo, envolvem treinos em ambiente urbano e em que efectuam buscas e detenções porta a porta e desde quando se efectuam questionários onde é perguntado se teriam problemas em disparar e matar cidadãos dos EUA?

Infelizmente parece estar para breve as primeiras demonstrações de todo este treino e o acontecimento que poderá levar a isso mesmo poderá bem ser a mentira criada à volta da gripe suína, AH1N1v.

E como se vai fazendo com que as populações e muito especialmente as crianças e adolescentes vão assimilando esta militarização dos países e das suas vidas?
Recorrendo aquilo que elas mais gostam, TV e jogos de computador.
Também Hitler percebeu que era nas massas mais jovens que estaria o seu poder e a continuação dele, por isso mesmo criou a juventude hitleriana e os camisas castanhas, algo que o caro Rahm Emanuel o braço direito de Obama já está a implementar.

t r u t h o u t | Militarizing the Homeland

Associate Editor of the Nation Institute’s Tomdispatch.com Nick Turse writes in his book “The Complex: How the Military Invades Our Everyday Lives”: “As a product of the 1980s G.I. Joe generation, I can attest to the seductive power of those three inch action figures in selling the military to young boys.”

(…)
Turse also talks of the Microsoft Xbox game “Close Combat: First to Fight,” which was originally a training tool developed for the US Marine Corps by civilian contractor Destineer Studios. His book reveals that the game “was created under the direction of more than 40 active-duty Marines, fresh from the frontlines of combat in the Middle East [who] worked side-by-side with the development team to put the exact tactics they used in combat into “First Fight.”


E como se mantém todas estas notícias e desenvolvimentos longe dos cidadãos que querem controlar e aprisionar?

Por um lado usam-se os enormes meios que os senhores do mundo, o governo sombra, têm à sua disposição, os media tradicionais que eles detém e controlam por outro tenta-se controlar os danos causados pela Rede Internet, usando para tal todos os expedientes e mais alguns por forma a ver aprovadas leis que para além de criminalizarem os cidadãos ainda antes destes terem cometido qualquer crime, ainda os vigiam e controlam o que estes fazem na Rede.

Na sua voraz busca pelo total controlo das populações, os senhores do mundo não se devem ter apercebido que a Rede Internet poderia ser um veículo fabuloso de partilha de informação e de combate aquilo que eram e são os seus objectivos, como tal tiveram de dar inicio ao tal controlo de danos que menciono acima.

Só assim se vai percebendo toda esta vertigem legislativa que vai acontecendo um pouco por todo o mundo muito especialmente o mundo dos países que detém o Echelon, os do tratado UKUSA, EUA, Reino Unido, Canadá, Nova Zelândia e Austrália.

É aqui que entra mais uma lei que está em preparação na Austrália e que visa tornar os ISP’s, em polícias dos bons costumes e muito especialmente, policias da indústria do entretenimento.

Já não chegava as blacklists que há tempos foram implementadas e com muito maus resultados, incluindo fora da Austrália, nomeadamente na Alemanha, agora e como que a antecipar o tratado ACTA, a corja política da Austrália resolveu introduzir mais uma idiotice.

Australian Law Proposal to Turn ISPs Into Copyright Cops

There’s a disturbing new development in Australia. A law proposal was disclosed to the public that would get ISPs to spy on the contents of all communications to monitor for compliance. Presumably, the amendments would get Australian ISPs to monitor their networks for p2p activity and hand all their information to copyright holders.

In other words, these amendments could be used to get ISPs to do all the dirty work for the copyright industry.

Infelizmente é este o mundo em que vivemos e só nós o podemos mudar!

Powered by ScribeFire.

14 Respostas

  1. “Nossas vidas começam a terminar no dia em que nos silenciamos para as coisas que realmente importam”
    (Martin Luther King, Jr.)

    bj

  2. …”Mas foi preciso pôr contenção em indivíduos que têm afinidades com o funcionamento de certas sociedades secretas, as quais têm sido, até agora, o Bloco Central do regime, sustentando-o quer com governos PS quer com governos PSD. São essas sociedades secretas que fazem um Bloco Central de interesses e que na prática governam o País”,…

    http://dn.sapo.pt/inicio/portugal/interior.aspx?content_id=1337017&seccao=Madeira

  3. Qual a utilidade deste modelo matemático? Não me parece que seja para combater zombie.

    “Universidade Otava
    Modelo matemático testa cenários de ataque zombie

    Cientistas prevêem o colapso da civilização caso a resposta à ameaça (que pode ser uma infecção) não seja rápida e eficaz.

    Se existissem zombies e estes desencadeassem um ataque, seria o fim da humanidade a não ser que a resposta fosse rápida e eficaz. Esta é a conclusão de uma equipa de cientistas, liderada por Robert Smith? (o ponto de interrogação faz parte do seu nome), que desenvolveu um modelo matemático para o provar. O ataque dos zombies assemelha-se, dizem, a uma infecção que se espalha rapidamente.

    “Uma epidemia zombie irá provavelmente provocar o colapso da civilização, a não ser que seja enfrentada rapidamente”, escreveram os investigadores da Universidade de Otava. “Apesar de uma quarentena agressiva poder conter a epidemia, ou uma cura poder levar à coexistência de humanos e zombies, a forma mais efectiva de conter o aumento dos não mortos é atacar com toda a força. Como vemos nos filmes, é imperativo que os zombies sejam tratados rapidamente, ou então estamos todos em problemas”, acrescentaram. ”
    Fonte: http://dn.sapo.pt/inicio/ciencia/Interior.aspx?content_id=1338936

  4. Teremos códigos de barra no pescoço?

    Os rastros involuntários que deixamos enquanto navegamos servirão para alguma coisa mais do que vendas? E quando o controle vai pular para o celular e depois para o pescoço?

    A Veja desta semana fez um caderno relevante sobre a web. (Só não gosto das conclusões dos últimos parágrafos, mas de resto, vale várias discussões interessantes.)

    Twittei: Revista Veja com matéria longa e interessante sobre Internet. O termo Inteligência Coletiva foi para capa. Resumo aqui

    O interessante é que de todos os aspectos da rede, ela deu destaque a um em particular: os os rastros involuntários.

    veja_big_bang.jpgDisseram: “Nenhum outro meio anterior à internet exigiu do usuário à entrega de tantas informações, para permitir o acesso a uma rede de comunicação. Isso pode ter um lado ruim para a privacidade, mas também abre uma fronteira de integração e de uso racional de recursos sem igual para a humanidade”.

    De fato, eu leio um livro e ninguém sabe o que capítulo me interessou mais, como pulei, o que repeti, o que comentei do lado, idem no rádio e na tevê, tirando a imprecisão dos Ibopes.

    Na Web, sabe-se de tudo.

    É uma novidade informacional única e realmente nova. “Eu sei onde você clicou”.

    Ou melhor, eu não, quem detém o poder do servidor, no qual o usuário clica. Assim, quem tem o poder é quem tem o servidor, aonde o usuário clica.

    O que é preciso é transformar o clique em valor, anúncio, particularização, fazer chegar o produto certo ao mouse desejoso.

    É o que as empresas de cartão de crédito sempre fizeram, ou tentaram fazer, mas agora os dados são mais completos e mais precisos. E não se sabe apenas o que eu clico, mas também o que compro, onde comento, o que leio. E justamente ali posso colocar o que ofereço!

    Pois bem, não vou discutir privacidade x escancaramento, que isso dá outro post grande e completo, até uma categoria inteira, talvez até um blog dedicado….

    Mas mostrar que esse é o grande filão da web, uma das grandes diferenças na forma de consumir e anunciar que já está presente agora e se ampliará no futuro. Aquilo que o Google sacou lá através e está nadando de braçada sobre quem ainda não consegue colocar tudo isso na bolsa de valores.

    Bom, dito isso, vamos a outro aspecto. Se isso vale para a rede, cria-se a cultura, as ferramentas de acompanhamento, por que não começar a colocar isso para fora dela?

    Possivel?

    Sim, três tecnologias começam a multiplicar isso: celular, GPS e chips em todos os lugares.

    Já se pergunta por aí por que não começar a rastrear os celulares, os relógios, os tênis, as calças, os carros e, por que não, as pessoas? Loucura?

    Não, toda grande nova era, começa com uma erinha e vai crescendo.

    Saiu no Valor o artigo Companhias investem em sistemas para unir o mundo real ao virtual. Veja também que estão discutindo colocar chips nos presidiários aqui no Rio de Janeiro.

    E ainda: Carros novos já vêm com chip em 2009

    Se hoje na rede aceitamos sermos rastreados, por descontos, por gratuidade em serviços, somos usuários do Google, do Gmail, do Youtube e não reclamamos.

    Mais adiante vão nos oferecer descontos, caso tenhamos um chip de consumo na nossa pele.

    Ou no celular, no relógio, no óculos, se for menos radical. Onde o freguês escolher! Basta entrar na loja e os descontos vão aparecer somente para nós.

    * Quem tem o chip, paga R$ 20,00 e vê R$ 20,00.
    * Quem não tem, paga R$ 30,00 e vê R$ 30,00.

    O chip fala com o celular e nos avisa quem de nossos amigos online estão perto no offline. O chip do celular é quase isso, não?

    O cara da loja saberá que entrou um cliente prime, que tem cartão de crédito ativo. E você terá atendimento vip.

    Cada um valerá, conforme o poder do chip no pescoço, ou seja lá onde colocarem. É a fusão de três tecnologias, que avançam e se integram, como já disse: dos chips + da web + do GPS + celulares.

    Nesse personal cartão poderá estar embutido nosso cartão de crédito e automaticamente, com nossa aprovação, a compra será feita.

    Não gosto de ficar falando de futurismo, pois atrapalha um pouco a vida. Nos leva a achar tudo uma mágica, algo distante, mas a lei para aprovar o chip nos presidiários está em discussão hoje na Assembléia do Rio de Janeiro, cidade onde moro. Há uns três quilômetros aqui de casa, pertinho, pertinho.

    Temos ainda, é fato, muito chão na estrada para fazer dos rastros involuntários na própria rede algo que possa ser útil à humanidade e ao humanismo.

    Passando-o para as empresas, congresso, justiça, etc.. Mas fique atento, pois os primeiros sinais da desvirtualização da web e da loguinização das pessoas no mundo offline já estão andando do seu lado, mais perto do que imaginamos.

    Exemplos não faltarão, mas tudo isso só fará diferença quando essa erinha, que ainda engatinha, virar uma erão e se massificar. Quando será? Só o babalaorixá 2.0 pode saber!

    Acompanhemos… Concordas?
    [Webinsider]

    • Infelizmente é assim, e ainda será pior com as leis que se vão aprovando como por cá a do cibercrime e a da retenção de dados,a hadopi e o futuro tratado ACTA.
      Mas não é só na web, temos os chips de matriculas, os gps que podem ser muito mal usados, e claro as famosas bases de dados de ADN.

      quanto aos telemoveis eles já dispõem dessa tecnologia, chama-se ironicamente Echelon e está disponivel desde os anos 90.

      isto tudo se falar claro do dicionário Echelon criado pelos paíse do tratado UKUSA e a invasão de privacidade levada a cabo nos EUA pela NSA com a total complacência e cumplicidade quer das telecom como a AT&T quer dos politicos e administrações, de Bush/Cheney a Obama/Biden.

      bem vindos à Nova Ordem Mundial!

  5. […] goveno Australiano resolveu criar e das quais durante algum tempo se desconhecia a sua existência, levou a que as autoridades alemãs tivessem tentado acabar com os acessos a este site nesse país, entre outros […]

  6. […] NWO_NEWS: EUA militares nas ruas; Erik Prince da Blackwater acusado de assassinio; Austrália transf… […]

  7. […] Infelizmente já ocorreu a triste realidade de até a Alemanha ter barrado o site. […]

  8. […] exemplos, Adabts, cityware, samurai, Indect, ACTA, bases de dados de ADN, hadopi, blacklists de sites, drones para uso civil, chips nas matriculas, cctv’s por tudo quanto é lado, etc […]

  9. […] dos EUA à Austrália [It certainly looks like the ACMA blacklist, eh Senator Conroy] e Alemanha já para não falar nos países e regiões ditas não democráticas ou mesmo ditaduras como a […]

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: