Aprendizes portugueses do Bilderberg implementam câmaras de vigilância

Parece que os aprendizes portugueses do grupo da Nova Ordem Mundial, Bilderberg, Rui Rio e António Costa, já estão a implementar as directrizes de vigilância dos cidadãos, que devem ter sido faladas nas reuniões à porta fechada, dos senhores do mundo.

A implementação de diversas câmaras de vigilância em diversos locais públicos de Lisboa e do Porto.

O que andas a fazer no Bairro Alto? PS estuda videovigilância

António Costa admite instalar câmaras nas ruas da Baixa, Chiado e Bairro Alto, porque “a segurança é a primeira condição da liberdade”. No programa eleitoral, apresentado ontem em Lisboa, o candidato do PS promete a “análise das possibilidades de recurso a meios de videovigilância na zona da Baixa-Chiado e no Bairro Alto“.

Mas segundo a TSF no seu jornal das 18h00 de hoje, a vigilância por câmeras não se ficará apenas por estas duas importantes cidades do país, a tendência segundo o Secretário de Estado Adjunto e da Administração Interna, José Magalhães, será a longo prazo estender a vigilância aos cidadãos a todo o país.

No entanto estes senhores não estão sozinhos no forte apoio a este tipo de medidas um dos ex-directores da Policia Judiciária, o deputado do PSD, Fernando Negrão, também defende estas medidas.
Uma vez que a actual Presidente do PSD e candidata a Primeira Ministra, MFL, esteve no encontro deste ano do Bilderberg, é muito provável que concorde com todas estas medidas.

Seria interessante agora que estamos em época de eleições, questionarem os diversos líderes partidários sobre estas temáticas de invasão da privacidade dos cidadãos.

Segundo noticiam diversos media como a TSF e o Jornal i, quer o Presidente da CMPorto que já está a implementar 14 câmaras de vigilância na ribeira, quer o Presidente da CMLisboa que se prepara para seguir as pisadas do seu colega Bilderberger, são grandes adeptos destas medidas de um Estado Securitário e desrespeitador dos mais básicos Direitos dos seus cidadãos, claro está, sempre com a ‘melhor das intenções’, segundo eles, a segurança.
O senhor António Costa tem mesmo o desplante de afirmar “a segurança é a primeira condição da liberdade”; quanto HIPOCRISIA e CINISMO.

Creio que, com tantos afazeres e reuniões ‘mundiais’, ainda não terão tido tempo para ler um dos mais recentes relatórios sobre o mesmo estilo de invasão e vigilância dos cidadãos que há anos vem sendo implementado no Reino Unido e que contrariamente aos objectivos com que foi vendido, sempre a segurança, em nada tem contribuído para esta.

No Reino Unido depois de gastos mais de £500Milhões de Libras, as mais de 1 milhão de câmaras (o artigo da BBC umas vezes fala em 1000 outras fala em “million-plus cameras in London”; outro artigo fala em 4,2Milhões) espalhadas pela cidade de Londres muito raramente ajudam a resolver qualquer crime e muito menos a apanhar os criminosos.

É bem provável que se tratem de milhões uma vez que só um autocarro possui 16, sim leram bem, dezasseis câmeras CCTV, conforme provam as imagens no site de tecnologia boingboing.

BBC NEWS | UK | England | London | 1,000 cameras ‘solve one crime’

“CCTV leads to massive expense and minimum effectiveness.

“It creates a huge intrusion on privacy, yet provides little or no improvement in security.

“The Metropolitan Police has been extraordinarily slow to act to deal with the ineffectiveness of CCTV.”

Claro que nada disto interessa, uma vez que o objectivo não é a segurança dos cidadãos mas sim a sua vigilância.

Todos somos considerados CRIMINOSOS E CULPADOS antes mesmo de cometer-mos qualquer crime, ou seja, a total inversão das mais elementares regras do Direito.

“They who would give up an essential liberty for temporary security, deserve neither liberty or security.”
“Aqueles que abrem mão da liberdade essencial por um pouco de segurança temporária não merecem nem liberdade nem segurança”
Benjamin Franklin

Por aqui tenho escrito amiúde sobre o que se vem passando no Reino Unido, a cada vez maior vigilância dos cidadãos por parte do poder político e dos grupos de pressão das grandes multinacionais ligadas ao entretenimento e os seus objectivos de total controlo de tudo o que fazemos online, criando para tal leis à medida desse controlo como a francesa HADOPI e da Lei de Retenção de Dados, bem como do futuro tratado internacional ACTA, que também tem vindo a ser criado e debatido à porta fechada com o apoio destes mesmos interesses e que segundo Obama e sua corja bem como da UE, se deve à ‘Segurança Nacional’, como se um tratado internacional de comércio tivesse algo a ver com a tão badalada Segurança Nacional.

Como muito boa gente diz, a famosa Segurança Nacional apenas tem um propósito, fazerem tudo o que querem sem darem explicações a ninguém, sem respeitar nem os cidadãos nem o Direito, passando por cima de tudo e de todos, os fins justificam os meios; e infelizmente sabemos bem quais são os fins.

Nem só das câmaras de vigilância nos podemos queixar, infelizmente há mais umas quantas medidas de controlo dos cidadãos deste país, já implementadas ou a implementar, tais como, Bases de Dados de ADN implementadas com a ajuda do FBI, chips nas matriculas dos automóveis, leis do cibercrime, leis para a retenção de dados, creio que chips RFID no cartão do cidadão, codex alimentarius, possível implementação de uma lei semelhante à HADOPI francesa, futuro tratado ACTA, etc.

E estas são apenas as medidas que me lembro de momento e das quais tenho conhecimento, não faltarão de certeza absoluta projectos para outras.

Mais um livro proibido – “O Dossiê Sócrates”

Após ontem ter dado por aqui conta do interessante artigo do jornal i sobre o livro ‘Contos Proibidos’ de Rui Mateus, hoje é a vez de colocar um link para o mais recente livro sobre um tema quente, ‘O Dossiê Sócrates’ de António Balbino Caldeira do blog doportugalprofundo.

[Thumbnail+da+Capa+do+Dossie+-+1.jpg]

Para download gratuito ou para comprar o livro impresso na Lulu.com: clique aqui


Do Portugal Profundo

Com factos novos e documentos inéditos descobertos, publico em livro “O Dossiê Sócrates”. Este livro contém o revisto trabalho de investigação publicado no blogue Do Portugal Profundo sobre o percurso académico do primeiro-ministro José Sócrates – e ainda uma introdução sobre o contexto da investigação e um epílogo com factos e documentos novos, entretanto destapados. São ao todo 405 páginas, das quais 251 correspondem aos posts revistos publicados no blogue.

Do Portugal Profundo

Por ser importante, revelo abaixo a saga da publicação de mais um livro proibido e a necessidade de recurso à publicação nos EUA (na Lulu.com) para vencer os bloqueios da publicação em Portugal.

Do Portugal Profundo

Comunicado ao o grupo editorial Leya o meu propósito de edição do livro, recebi no próprio dia a manifestação do interesse na publicação. Trabalhei ao longo de meses no desenvolvimento do livro, contando o contexto da pesquisa e as vicissitudes do afrontamento do poder quase-ditatorial do Governo e investigando os novos factos. Até que, em 27 de Fevereiro de 2009, entreguei à Leya uma versão preliminar da “Conclusão” do livro com a descrição de alguns factos novos e a interpretação de documentos inéditos. A insistência constante da editora para a conclusão do livro foi substituída por um silêncio absoluto: nem mais um pio. Nunca mais se atendeu o telefone, nem se respondeu aos mails, nem às mensagens. Nem sequer se correspondeu ao pedido legítimo e formal de devolução do material entregue. Nada.

Contactei outras editoras, mas também não tive êxito na edição do livro. Uma delas – aparentemente insuspeita… – nem sequer respondeu ao mail que lhe enviei.

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

Junte-se a 66 outros seguidores