Estado Alemão resolve patrocinar e proteger a microsoft atacando a privacidade dos internautas

Tendo em conta os diversos projectos de Software Livre que o Governo Alemão ao longo dos tempos tem patrocinado e implementado, que amiude por aqui tenho divulgado, tais como o software de cifra, GnuPG, a implementação de Software Livre no Ministério dos Negócios Estrangeiros, o grande projecto de Munique [1]; fiquei de boca aberta quando leio no slashdot a introdução para estas notícias.

Em poucas palavras, a negociata resume-se a isto, os Federal Office for Information Security (BSI) and the Association of the German Internet Industry (eco), resolveram associarem-se aos ISP’s e à sua capacidade técnica de análise de tráfego que passa nas suas redes (o que só por si coloca em causa a privacidade dos clientes desses ISP’s) e acharam por bem, criar uma especie de help desk, ou centro de aconselhamento, para os utilizadores que sejam apanhados com os seus sistemas microsoft instalados nos seus computadores, infectados, infestados de malware, virus etc.

Segundo noticia a H-online, os ISP’s sempre que detectem um sistema nessas condições entrarão em contacto com o seu possuidor possivelmente através de uma chamada telefónica ou de carta; e sempre que o cliente se ligue ao ISP com um computador a correr o software da microsoft infectado, será redireccionado para uma página com informação do porquê desse redireccionamento bem como com software para remover o software nefasto que os infecta.

Mas se já isto tudo seria no minimo o Estado a meter-se onde não devia (a UE também já foi apanhada a proteger os interesses do monopólio microsoft) uma vez que este não é o seu papel, lendo um pouco mais percebemos na realidade o que se pretende.

E o que se pretende é o mesmo de sempre, recorrendo sempre aos mesmos métodos, o medo e a ameaça, o terrorismo e a pedofilia, controlar, vigiar acabar com a privacidade de todos nós, ou pelo menos e para já a de todos os alemães, mas tendo em conta como os senhores e senhoras que desgovernam o nosso país e as suas ligações ao monopólio microsoft que por cá trata Portugal como se fosse o seu quintal, é muito provável que estas alminhas se lembrem de implementar algo semelhante por cá.

E para mostrar que não estão a brincar, que todos terão de se sujeitar ao que o Estado e os monopólios querem, já se preparam sanções para quem se recusar a cooperar com os ISP’s.

Ou seja, preparam-se para essa coisa fantástica que é criminalizar o direito à privacidade, à escolha deste ou daquele produto ou até de não usar nenhum dos que o projecto contempla, no fundo querem criminalizar a nossa liberdade.

Ainda que existam leis que protegem a privacidade dos cidadãos alemães, tendo em conta a ilegalidade que é os ISP’s inspeccionarem o tráfego dos seus clientes de acordo com section “202b of the German Criminal Code, interception of information is illegal. Section 88 of the German Telecommunications Act” [h-online] que estipula que o conteúdo transmitido deve ser tratado como confidencial, embora ao mesmo tempo abra uma brecha nessa lei ao indicar que os ISP’s o podem fazer desde que seja para proteger os seus sistemas.

Pergunto, não seria mais fácil deixarem cair a ligação dos sistemas que colocam em causa a integridade da sua infra-estrutura?

Pensando tudo isto num modo mais vasto e englobando aqui os projectos Adabts, Indect, Echelon, FISA nos EUA, Carnivore (USA/FBI), bases de dados de ADN (USA (3)/UK (2)/Israel/Portugal (4)/UE (5)/ França), ACTA, vigilância nas ruas através de CCTV,spyware que o Governo alemão já quis implementar, leis parecidas com a nossa do Cibercrime e claro com a entrada em vigor da Constituição Europeia, vulgo Tratado de Lisboa,creio que se pode concluir que se trata de um projecto para complementar estes projectos maiores, por forma a controlar tudo e todos e ao mesmo tempo usar o erário público para patrocinar os mesmos de sempre.

Mais uma vez tudo isto se reverte de muito secretismo no que ao custo diz respeito, mais uma vez os cidadãos quer usem o software problemático do monopólio microsoft, quer não o usem irão com os seus impostos patrocinarem estes esquemas.

Usando agora de algum pragmatismo, deixo algumas questões no ar!

1º Fará algum sentido o Estado estar a meter-se onde não é chamado?

Afinal de contas o problema é quer dos cidadãos ou empresas que optem pelo software da empresa monopólio microsoft e que não se protejam minimamente, quer dos ISP’s.

2º Porque razão os buracos de segurança e a péssima concepção dos sistemas da microsoft terão de ser apoiados, protegidos e compensados pelo erário público alemão?

Não será este, mais um incentivo para que a microsoft nada faça para colmatar as imensas falhas de concepção dos seus produtos?

3º Porque razão terão os cidadãos alemães que não usam nenhum desses produtos da microsoft e que optaram e bem por usarem Software Livre, ter de através dos seus impostos estar a pagar um imposto camuflado a diversas empresas (de antivirus e afins) e ISP’s que nem sequer utilizam ou a quem não contrararam qualquer tipo de serviços?

4º E o que acontece a estes cidadãos que optaram pelo uso de Software Livre o qual nunca esteve sob qualquer ameça do tipo das que todos os dias os sistemas da microsoft estão?

Serão também obrigados a adquirirem anti-virus e software afim, mesmo que os seus sistemas não necessitem deles?

Serão proíbidos de aceder à rede?

5º Porque razão em vez de patrocinar mais uma vez o monopólio microsoft e os parasitas que vivem à volta dele, não opta o Governo alemão por dar a conhecer e incentivar o uso de outros sistemas que não são afectados por todas as viroses e mais algumas da microsoft e que até são aconselhados por diversos especialistas da área?

Até porque parece que os cidadãos alemães estão abertos a essa mudança como confirmam os números que demonstram que na Alemanha, o browser livre Mozilla Firefox já ultrapassou em número de utilizadores o browser inseguro da microsoft, o ms-IExplorer.

Porque razão não lança o Governo alemão uma campanha de incentivo e formação na utilização de sistemas livres como o GNU/Linux e os BSD’s que até já usa em diversos projectos desse mesmo governo?!

Faria muito mais sentido, uma vez que não estaria nem a beneficiar um monopólio diversas vezes condenado, quer nos EUA, quer na UE, quer na China, Rússia, e creio que na Coreia do Sul, e permitiria assim o desenvolvimento do seu mercado de tecnologias de informação, exactamente como descreve um dos líderes do projecto de Munique.

Infelizmente pelos vistos o desGoverno da senhora Merkel, resolveu ajudar o monopólio microsoft a duplamente taxar os utilizadores de Software Livre, uma vez que mesmo que não vão usar os sistemas da microsoft são obrigados a pagarem o imposto do monopólio quando adquirem os seus computadores e agora também serão obrigados a pagarem para corrigirem as falhas desse mesmo software, mesmo que não o usem.

=-=-=-=-=
Powered by Bilbo Blogger

3 Respostas

  1. Bill Gates é apenas um testa de ferro. A Microsoft (tal como provavelmente o Google), pertence a gente muito mais poderosa Daí o seu imenso poder.

  2. […] os do 11Set2001 nos EUA, de 7Julho2005 no Reino Unido, 11Março2004 em Espanha, Mumbai na India, bases dados de ADN, listas negras de sites na rede para que não possam aceder a eles, câmaras CCT…, vigilância nas telecomunicações e não só, etc […]

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: