Northwest Airlines 253: Tentativa de atentado ou false flag?

Como nas próximas semanas vou estar longe dos computadores, vou tentar deixar aqui um apanhado do que já se sabe sobre o ‘atentado’ falhado ao voo 253 da Northwest Airlines, será uma entrada relativamente longa, mas em de ser :)

Umar Farouk Abdulmutallab é um péssimo terrorista ou apenas e só mais um ‘lone wolf‘/lobo solitário, um patsy/ingénuo, ou alguém que é um pouco de tudo isto e que sofreu uma lavagem ao cérebro bem ao estilo MKULTRA?

Ver ainda:

Tudo isto é muito similar ao que aconteceu com outro patsy, o bombista do sapato, Richard Reid, que terá tentado destruir o Boeing 767 da American Airlines em Dezembro de 2001.

Sabe-se que Richard Reid frequentava a Mesquita de Finsbury Park a qual por coincidência por certo, era gerida pelo informador dos serviços secretos britânicos Abu Hamza al-Masri.

Tendo em conta que Umar viveu e estudou em Inglaterra, se por um acaso qualquer, existir alguém dos media ainda independentes que possam vasculhar toda esta história é bem provável que no meio disto tudo se encontre mais uma vez uma ligação aos serviços de inteligência dos EUA e Reino Unido.

Já em Espanha no grave atentado de 11Março2004 se crê que os serviços secretos terão tido algo a dizer, até porque o julgamento chegou a muito poucas conclusões, ainda hoje não se sabe que tipo de explosivos foram usados, as supostas mentes por detrás dos atentados foram absolvidas, não se tendo resolvido as questões de quem, como e onde foram planeados.

E o mais interessante é que nenhuma ligação ao lobo mau Al-Qaeda foi estabelecida.

Também hoje existem diversas e cada vez mais fortes dúvidas sobre os atentados de 11Set2001 bem como os de 7Julho2005 no Reino Unido.

Umar Farouk Abdulmutallab, segundo a wikipedia, nasceu em 22 de Dezembro de 1986 na Nigéria, filho de Alhaji Umaru Mutallab antigo Presidente do First Bank PLC.
Nascido no seio de uma família de posses e tendo emigrado para o Reino Unido, onde estudou Engenharia Mecânica, vivendo num apartamento de £4Milhões de Libras, não é propriamente o estereótipo de um terrorista, tal como o Saudita milionário, Bin Laden.

Segundo a wikipedia o seu percurso escolar, brilhante, sempre se realizou em escolas britânicas, nomeadamente a British School of Lomé, na capital do Togo.

Especulando um pouco, não me admiraria nada que neste tipo de escolas em países como a Nigéria, para além dos professores e restante staff, com grande probabilidade existem elementos de ligação aos serviços secretos britânicos ou outros, que com quase toda a certeza vão mantendo debaixo de olho futuros potenciais candidatos a agentes infiltrados ou a patsies, ou ambos como é por muitos defendido o que ocorreu com Lee Harvey Oswald.

Ao jornal Telegraph, um ex-professor de nome Rimmer que o acompanhou dos 14 aos 16 anos indica que Umar era um modelo de aluno e muito interessado nos assuntos de politica internacional.
O mesmo professor indica ainda que Umar era muito pio e que quando se debatiam temas como a destruição das duas estátuas de Buddha (Buddhas of Bamyan) pelos Taliban, este achou normal que o tivessem feito.
Nessas discussões Umar era sempre do contra, demonstrando sempre extremismo, embora o dito professor achasse que isso era algo próprio da idade e que este estaria a fazer o papel de advogado do diabo.

Em Outubro (2009) o seu pai, ex-banqueiro e ex-funcionário do governo terá entrado em contacto com a Embaixada dos EUA em Abuja, indicando que o seu filho teria viajado para o Yemen e evidenciaria um comportamento radical e extremista, no entanto a Embaixada não terá revogado o seu Visa que continuaria válido até Junho de 2010, quando passaram essa informação para Washington o seu nome terá sido acrescentado à lista de alegadas ligações a terrorismo, TIDE «Terrorist Identities Datamart Environment» que depois é encaminhada para uma mais restrita Terrorist Screening Data Base «TSDB» mas não foi colocado na lista de não embarque/no-fly list.

Mais uma coincidência similar às diversas, relativas aos atentados de 11Set2001, onde diversos agentes do FBI bem como até o projecto Able Danger [Late December 1998: Data Mining Program Authorized to Go after Bin Laden], indicavam Atta entre outros como suspeitos, mas que nunca foram tomadas em conta.

Aparentemente antes de regressar à Nigéria em Dezembro de 2009, Umar terá estado no Yemen, onde pelo que terá dito à família, aprendeu árabe.

Neste mês, Umar terá adquirido no Ghana um bilhete apenas de ida no valor de $US2831 e viajado da Nigéria para Amsterdão, onde depois terá apanhado o voo 253 da Northwest Airlines com destino a Detroit, bilhete só de ida e sem qualquer bagagem.

Ora é precisamente neste voo que ocorrem situações algo estranhas, começando mesmo antes do embarque.

De acordo com um casal de Advogados norte-americanos que se preparavam também para embarcar no vôo 253 e que foram entrevistados pela CNN, Kurt e Laurie Haskell, terão enquanto esperavam no aeroporto de Amsterdão, assistido a algo que não faz qualquer sentido, segundo eles, Umar estaria acompanhado por um homem com cerca de 50 anos de aparência indiana, muito bem vestido (ao contrário de Umar que aparentava grande desleixo e pobreza) e que terá dito ao pessoal de vôo na entrada que Umar não teria passaporte mas que não havia problema uma vez que seria habitual deixarem embarcar refugiados Sudaneses sem passaporte, dando assim a entender que Umar seria um deles, ao que a funcionária terá respondido que teriam de falar com o seu superior, apontando-lhes para uma entrada.


Kurt e Laurie Haskell bem como Richelle Keepman na CNN

Kurt e Laurie Haskell afirmam que esta foi a última vez que os viram a ambos, até ao acontecimento dentro do avião onde se apercebem que a pessoa que tenta despoletar algo é a mesma pessoa que haviam visto antes na companhia do homem bem vestido.

De acordo com o holandês, Jasper Schuringa, que foi a pessoa que terá detido Umar, este encontrava-se num estado de transe (efeitos MKULTRA?).

Mas a estranheza em mais um episódio da saga Al-Q(a)eda-para-a-CIA não fica por aqui, outra testemunha, Richelle Keepman que também viajava a bordo do vôo 253, indica que durante todo o voo um homem esteve sempre a filmar tudo o que se passava, e o que mais chamou à atenção desta passageira, foi que durante o incidente, esse homem não se mostrou perturbado e teria sido das poucas pessoas a levantar-se e calmamente filmar tudo o que se passava.

É óbvio que pode ser mais um tolinho que em vez de tentar fazer algo para acabar com determinada situação prefere antes filmar o que se está a passar, algo como vergonhosamente acontece em acidentes de aviação ou num dos exemplos mais recentes a nível mundial, terá sido a morte da Iraniana durante as manifestações de protesto a quando das eleições e que algumas das pessoas presentes em vez da ajudarem estavam mais preocupados em filmarem o seu sofrimento para a seguir irem colocar no youtube.

Confesso que nunca viajei para a Holanda e a partir desta, como tal não faço ideia de quais os procedimentos de segurança que eles têm em vigor, agora estando habituado a voar na SATA e na TAP, nas quais tendo feito uns quantos vôos nos últimos anos, um dos procedimentos é exactamente após passar pelo detector de metais somos revistados por uma pessoa que sem dúvida que detectaria algo preso à perna.

A não ser claro que ao embarcar Umar ainda não tivesse consigo aquilo que originaria mais tarde o fogo, e isso seria tão ou mais grave, é que implicaria que os senhores dos serviços secretos a tal Al-Q(a)eda-para-a-CIA, haviam deixado eventualmente na casa de banho de bordo, os ingredientes para mais um susto à carneirada.

Provavelmente nunca saberemos a verdade sobre tudo isto, mas o que é certo é que mais uma vez e tal como ocorreu quer com os atentados do 11Set2001 quer com outras false flags como a do bombista dos sapatos, Richard Reid, tudo isto levará à aprovação de mais leis atentatórias contra os nossos direitos, liberdades e garantias, assistiremos à introdução de mais ataques à nossa privacidade, mais vigilância contra os cidadãos respeitadores da lei e até com grande probabilidade a mais umas invasões por parte dos EUA, Yemen, Sudão, Irão segundo Obama fazem parte do tal eixo do mal que por coincidência a anterior Administração Bush/Cheney também apelidava com este mesmo título, estarão pois sem dúvida na calha para novas incursões imperialistas.

Podem no entanto dizer, mas então e os explosivos que o aspirante a terrorista Umar transportava não serão verdadeiros, não provará isso que pretendiam realmente causar a destruição do avião?

A resposta é um rotundo NÃO.

Ou melhor, as substâncias que Umar transportava a ser verdade que se tratavam de substâncias que conjugadas dariam origem a um explosivo liquido, até podem num ambiente muito restrito e sob condições ÓPTIMAS, causar uma explosão, mas a verdade é que nem o ambiente nem o executor eram óptimos, e quem melhor para o explicar que o próprio blog da Transportation Security Administration (TSA) que se encontra debaixo da asa do U.S. Department of Homeland Security, que afirma preto no branco que é praticamente impossível levar a cabo um atentado deste tipo com explosivos líquidos.

The TSA Blog: More on the Liquid Rules: Why We Do the Things We Do (Commenting Disabled)

4. The preparation of these bombs is very much more complex than tossing together several bottles-worth of formula and lighting it up. In fact, in recent tests, a National Lab was asked to formulate a test mixture and it took several tries using the best equipment and best scientists for it to even ignite. That was with a bomb prepared in advance in a lab setting. A less skilled person attempting to put it together inside a secure area or a plane is not a good bet. You have to have significant uninterrupted time with space and other requirements that are not easily available in a secured area of an airport. It adds complexity to their preferred model and reduces our risk, having the expert make the bomb and give it to someone else to carry aboard. They are well aware of the Richard Reid factor where he could not even ignite a completed bomb. Simple is truly better for them. Also, bomb-makers are easier for us to identify than so-called clean ‘mules.’

E para complementar esta informação da TSA, podemos ainda recorrer ao que o investigador, escritor britânico Nafeez Ahmed no seu blog The Cutting Edge e relativamente a outro caso com substâncias químicas, o chamado caso “Britain’s 9/11″, afirma, The Cutting Edge: Liquid Bomb Plot Conviction

According to James Thurman, a former FBI explosives forensic expert, HMTD is also “exceptionally sensitive” to “impact, friction and electrostatic discharge”, and is thus considered an “exceptionally hazardous explosive” that is extraordinarily difficult to handle. Even if the plotters managed to get passed these hazards, they wouldn’t make it pass the final clincher: for hydrogen peroxide to function as an explosive, it requires a large input of oxygen in high concentration, either as liquid oxygen or as part of the explosive itself. Neither was feasible on board a plane. Hence, a large explosion would be impossible unless conducted as a highly controlled experiment. Government scientists attempting to demonstrate the viability of the plot undertook 30 attempts in stringent laboratory conditions before pulling off a sufficiently large explosion to show the jury. They also consistently used a mechanical arm to attach the detonators to the explosive material to avoid premature detonation, because its components were too volatile. In any case, the prosecution conceded that the men had failed to construct a viable bomb.

Webster Tarpley afirmou ao canal de notícias independente Russia Today, é extremamente irónico que para ter-mos notícias independentes sobre os EUA e não só e convidados que chamam os bois pelos nomes temos de recorrer à RT, que em virtude de nas últimas semanas os EUA terem levado a cabo dois grandes bombardeamentos no Yemen, que está em guerra civil, o plano é criar mais uma Al-Q(a)eda-para-a-CIA por forma a levar a Arábia Saudita que apoia uma das facções do Yemen a entrar em conflito com o Irão que apoia a facção shiita.


Webster Tarpley no Russia Today

Ou seja, nada de novo na frente Oeste, o fantoche Obama vencedor do Prémio Nobel da Paz a mando do Governo Sombra preparam-se para criar as condições para um ataque ao Irão e ao mesmo tempo aproveitam para convencer a carneirada a aceitar quer uma nova guerra quer novas medidas castradoras dos nossos direitos bem como ver como reagem os diversos elementos da segurança, tripulações e passageiros, os idiotas úteis, para isso mesmo na minha óptica serviu o agente infiltrado a filmar o que se passava no voo bem como estes pseudo-atentados.

A verdade é que já não é necessário levar até ao fim estas operações false flag, a carneirada já está tão assustada e tão manipulada, que bastam pequenas ameaças não concretizadas para aprovar e aceitarem tudo e mais alguma coisa.

Os que se concretizam são só mesmo quando as medidas tirânicas a introduzir são tão óbvias e tão gritantes que tem mesmo de ser, basta olhar para o 11Set2001, essa foi a mãe de todas as false flags, que abriu a caixa de pandora.

BOM ANO DE 2010!

Bem precisamos com tanta desinformação, propaganda e mentira.

BOMBSHELL: Evidence Clearly Indicates Staged Attack on Detroit Flight

“Laurie and I were sitting near the boarding gate, sitting on the floor, there weren’t any seats to sit in. And I saw two men. They caught my eye because they seemed to be an odd pair. One was what I would describe as a poor-looking black teenager around 16 or 17, and the other man, age 50-ish, wealthy looking Indian man. And I was just wondering why they were together– kinda strange. And I watched them approach what I would call the ticket agent, the final person that checks your boarding pass before you get on the plane. And I could hear the entire conversation. The only person that spoke was the Indian man, and what he said was: ‘This man needs to board the plane, but he doesn’t have a passport.’ And the ticket agent responded, ‘Well, if he doesn’t have a passport, he can’t get on the plane.’ To which the Indian man responded back, ‘He’s from Sudan. We do this all the time.’ And the ticket agent said, ‘Well, then you’ll have to go and talk to my manager.’ And she directed them down a hallway. And that was the last time I saw the Indian man, and the black man I didn’t see again until he tried to blow up our plane hours later.”

BOMBSHELL: Evidence Clearly Indicates Staged Attack on Detroit Flight

This would fit closely with other elements of CIA-concocted “terrorism.” Many of the 9/11 hijackers and other known extremists were revealed to have participated in ‘dry run’ drills, shared addresses with intelligence handlers or lived on military bases, were allowed to pass through the border despite being on one or more watchlists, and were given VISAS/Passports through execptions and/or special clearance.

Similarly, David Headly, named in the Mumbai attack, has been exposed as a CIA-double agent.

FBI/CIA provocateurs and exaggerated accounts of extremists groups have continued to emerge from the phony stories given to the public in the cases of many would-be plots, such as in Toronto, the ‘plot’ to bomb the Sears Tower, the Transatlantic liquid bomb plot, alleged plans to ‘blow up a Jewish temple and shoot down military planes’ in New York and more.

We see a similar pattern here, the emerging evidence strongly suggests. How long will we allow deliberately-provoked terror incidents to frighten us to death, invade our privacy, erode our liberties, restrict our travel and perpetuate an ever-expanding string of wars?

[update: a BBC parece que já nos está a dar algumas razões para mais esta farsa, uso de scanners de micro-ondas e raios-X nos aeroportos, cada um a custar 100Mil euros com todos os inconvenientes para a privacidade, saúde e bolso dos passageiros]

Powered by ScribeFire.

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

Junte-se a 66 outros seguidores