NWO_News: Quero privacidade porque violo a lei

O título desta entrada pode parecer algo estranho mas faz todo o sentido uma vez que a elite da Nova (Des)Ordem Mundial como todos sabemos anda há muito numa imensa histeria legislativa, todos os dias temos novas ‘leis’ que nos retiram a pouca liberdade e os poucos direitos que vamos tendo.

Se pensarem um pouco chegarão à conclusão que todos os dias sem se aperceberem violam por certo dezenas senão centenas de ‘leis’, coloco ‘leis’ entre aspas porque na realidade o único motivo de muitas delas serem aprovadas é apenas e só o de protegerem interesses e a elite da NWO.

Vou apenas e só dar um exemplo muito claro e simples que demonstra bem o que pretendo dizer com o título da entrada e que me levou a ler o artigo que abaixo cito, DRM «Digital Restrictions Managment»

Estas três letrinhas apenas fazem com que todos os dias muitos de nós cometam um crime sem que disso se apercebam e ainda por cima porque a pseudo-lei que está em vigor lhes nega uma liberdade que está expressa anteriormente na lei, a possibilidade de poderem para uso pessoal fazer backups de um cd ou dvd que legitimamente tenham adquirido.

Anteriormente a lei permitia a cópia de algo digital que havíamos adquirido, hoje existe uma lei tipo pescadinha com rabo na boca que indica que nós não podemos quebrar o DRM, logo não podendo fazer uso do nosso direito de fazer uma cópia de backup para guardar ou ouvir-mos noutro meio, como um leitor de Ogg Vorbis/MP3, no carro etc.

Para entenderem melhor porque na realidade necessitamos de privacidade e porque esta faz parte integrante daquilo que nos define como seres humanos, aconselho ainda a leitura deste artigo de Bruce Schneier.

Escusado será dizer que não quero privacidade com o objectivo de violar a lei, mas pretendo demonstrar que há leis a mais, demasiado controlo sobre os vulgares cidadãos e muito pouco sobre quem na realidade subverte leis, as cria para mais facilmente cometer crimes ou como se percebe com o DRM e DMCA, para retirar protecções e direitos aos cidadãos, colocando-os apenas na mão de meia dúzia de interesses.

Schneier on Security: My Reaction to Eric Schmidt

Privacy protects us from abuses by those in power, even if we’re doing nothing wrong at the time of surveillance.

We do nothing wrong when we make love or go to the bathroom. We are not deliberately hiding anything when we seek out private places for reflection or conversation. We keep private journals, sing in the privacy of the shower, and write letters to secret lovers and then burn them. Privacy is a basic human need.

A Toronto Data Guy, I want privacy because I break the law

But that isn’t everything. I want privacy because I break the law and I don’t want to be fined or thrown in prison. No, I’ve never done or dealt illegal drugs. No, I don’t jack cars or commuter bikes. But I do break the law. Probably every day. Some things are minor: 12 km/h over the limit, parking for 2 seconds to drop something off when the sign clearly says “parking after 8 pm only.”

Infelizmente o processo que a EFF moveu contra a AT&T e a NSA/Administração dos EUA em virtude da vigilância e espionagem exercida sem qualquer controlo judicial sobre os cidadãos dos EUA não está a correr muito bem, pelo que se sabe esse total controlo das telecomunicações continua a ser levada a cabo até hoje e quem de direito, Supremo Tribunal e Congresso parecem mais interessados em esconder tudo isto e negar direitos aos cidadãos protegendo assim os interesses das mega empresas e intelligence da NWO.

O mais impressionante é que o mesmo Supremo acaba de conceder às empresas o direito de se candidatarem a um lugar no Congresso.
Já não chegava a pouca vergonha dos lobby, um eufemismo para corrupção activa, conseguiram ainda dar cabo de mais um pouco da Constituição dos EUA.

Corporation Says It Will Run for Congress – Economix Blog – NYTimes.com

Following
the Supreme Court decision implicitly granting corporations the right
to free speech (by determining that political spending is a kind of
speech
), a corporation has decided to take what it believes to be
“democracy’s next step”: It is running for Congress.

Tudo isto com a conivência do Nobel da Paz, os sr Obama e sua Administração, o mesmo senhor que aprovou a FISA que assim defendeu os interesses das Telecom e da intelligence, nomeadamente a NSA.

Obama Speaks Transparency, Practices Subterfuge | Threat Level | Wired.com

In case you forgot, Obama, as a senator from Illinois, voted for the immunity bill that President George W. Bush signed.

Courts, Congress Shun Addressing Legality of Warrantless Eavesdropping | Threat Level | Wired.com

Yet months after the lawsuit was lodged, the Electronic Frontier Foundation produced internal AT&T documents allegedly outlining secret rooms in AT&T offices connected to the NSA, which was siphoning all internet traffic, from e-mails to Voice Over Internet Protocol phone conversations.

But four years and a mountain of court briefs and rulings later, the legal system has never addressed the merits of the allegations — and likely never will. Even Congress has weighed in and passed legislation to prevent the allegations from being heard.

And many — including the former AT&T technician who produced the documents in the case and the EFF — believe the alleged dragnet surveillance program continues unabated today.

NSA beats warrantless wiretap rap • The Register

A Federal judge has dismissed a complaint against the National Security Agency’s (NSA) Bush-era warrantless wiretapping programme, prompting suggestions the US government is now able to mount mass surveillance operations unhindered by the courts or constitution.

Mas nem tudo vai mal no mundo, parece que ainda existem pessoas a pensar pela sua própria cabeça como é o caso do chefe da Interpol que questiona a utilização de scanners corporais nos aeroportos, afirmando que eles não farão nada para parar terroristas e que serão um gasto desnecessário de dinheiros.
Ron Noble mostra-se bem mais preocupado com os mais de 11Milhões de passaportes roubados, o que se compreende até porque por exemplo o nosso país é um péssimo exemplo no a isso diz respeito bem como não nos podemos esquecer de outro pormenor ainda mais grave o da atribuição de passaportes pela CIA como ocorreu antes dos atentados do 11Set2001.

Interpol chief questions body scanner rollout • The Register

The head of Interpol has questioned whether the ongoing scramble by western governments to install body scanners at airports is financially worthwhile and said they are is unlikely to stop terrorists.

Ron Noble, the internation criminal intelligence agency’s secretary-general, said at Davos that if you are a terrorist, “Are you going to carry explosives that are going to be detected? No.”

Powered by ScribeFire.

6 Respostas

  1. Acho extraordinário que esta malta que «combate o terrorismo» só se preocupa com os aviões. Então e os comboios, os metros, os autocarros, os cacilheiros, os cinemas, os centros comerciais, etc, etc, etc.

    • lollll, tens razão diogo, e mais preocupam-se só em determinados momentos do voo, parece que os supostos terroristas só atacam na última hora de voo😉

      ab

  2. Viva Ricardo!
    Como sempre… tens razão!😦
    Olha só o que por cá andam os controleiros nacionais, subtilmente (ou nem por isso), a fazer: http://www.impostospress.net/artigoler.aspx?idc=19163&ido=249842

    Já agora… e a problemática da videovigilância nas escolas. No pasa nada, claro! Nada se diz e muito se faz, sempre a bem dos cofres de alguns e a pensar no “bem” das crianças. Uma coisa é certa, a controleirice quer por cams, quer por outros meios está aí, em força e os… sheeple… fazem mé-mé-mé!

    Bjs

  3. “O mais impressionante é que o mesmo Supremo acaba de conceder às empresas o direito de se candidatarem a um lugar no Congresso.”

    Não foi de todo isso. Removeram sim limites anteriormente estabelecidos em relação a anúncios políticos feitos por empresas. Agora durante as eleições qualquer empresa pode gastar o que quiser em anúncios para apoiar o candidato que bem entender.

    Isto devido a jurisprudência anterior do Supremo que considera as empresas como pessoas, e que portanto gozam dos mesmos direitos constitucionais que uma pessoa a sério. Consideraram neste caso que gastar dinheiro em campanhas politicas é “livre expressão” protegida constitucionalmente.

    Aquele anúncio de uma empresa que se irá candidatar ao congresso é uma piada. É uma forma de levar ao ridículo esta coisa das empresas serem “pessoas”. Pois, sendo pessoas, e podendo influenciar eleições, porque não candidatarem-se elas próprias a cargos públicos?

    Já estou a imaginar o Presidente McDonalds daqui a uns anos. Imaginem o palhaço Ronald McDonald a fazer o juramento em frente ao Capitolio como representante oficial da empresa.😀

    • boas Nelson,

      e se não há limites no apoio a candidatos, no fundo tal como na verdade já faziam, básicamente compram-nos para defenderem os seus interesses bem como para legislar a seu belo prazer.

      é uma espécie de aquisição de peças chave em locais determinantes para as politicas que pretendem implementar, ou seja no fundo é o que disse, as empresas passam a designar pessoas para os cargos politicos que lhes permitam controlar a seu belo prazer tudo.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: