Tracebook, Trickbook, Thiefbook ou Facebook? Nascimento de uma fraude com ligações pouco recomendáveis. (III)

Depois das duas primeiras entradas sobre este tema, hoje nesta terceira, irei tentar descrever um pouco do que se sabe sobre as ligações do Facebook à intelligence dos EUA, para fins de DATA MINNING, permitindo assim a criação de perfis e consequente controlo e invasão da privacidade dos seus utilizadores.

http://marcos61.files.wordpress.com/2009/06/facebbok-cia5.jpg
surripiado daqui

Não nos podemos ainda esquecer de como esses serviços e empresas encaixam rios de dinheiro ao venderem e usarem todos esses dados que quem usa esses serviços lhes oferece de ‘mão beijada’.

E os compradores ou investidores que depois os usam são bem conhecidos, desde os Estados Securitários nos quais cada vez mais espalhados pelo globo, bem como das mega empresas que por todo o mundo a eles recorrem para conseguirem vender um sem número de produtos que não necessitamos mas cuja necessidade quase viciante nos é incutida através de estímulos bem estudados como a enorme quantidade de propaganda que todos os dias nos entra pelos olhos e ouvidos dentro.

Ora vamos lá, nada melhor do que dar início com um vídeo que explica algumas coisas.

The Truth about Facebook!

De onde veio o dinheiro para a criação e desenvolvimento do Facebook?

As suas ligações à intelligence.

Como já havia escrito na segunda entrada, segundo se sabe o primeiro investimento terá sido do brasileiro Eduardo Saverin, entre 15000 a 20000 dólares que lhe deu o controlo de cerca de 30% do Facebook, sendo que os restantes 70% seriam propriedade de Mark Zuckerberg, isto em 2004.

Depois da saída de Eduardo Saverin, aqui a história é algo confusa e mal explicada, segundo algumas vozes Saverin terá sido preterido por Mark uma vez que não teria querido seguir com ele para Sillicon Valey, mas como o dinheiro não tem fronteiras, pelo que consegui saber, Saverin tem um processo em tribunal, mais um contra Mark Zuckerberg, o qual já parece estar habituado, tamanha a confusão que levou à criação do antro de vigilância, Facebook.

Após a saída de Saverin é a vez de chegarem apoios de peso, neste caso foi o de um dos criadores do PayPal e seu ex CEO, Peter Thiel, mais uma empresa com funcionamento meio estranho, que quem sabe um dia escreverei algo sobre ela.

Thiel investiu $US500.000 no Facebook de Mark, para além do Paypal e do Facebook, Thiel está ou esteve também na direcção do grupo conservador radical, VanguardPAC.

Talvez adivinhando o potencial para diversos fins, quer para vigilância quer para fazer dinheiro, o terceiro investimento, já mais chorudo, cerca de $US12.7Milhões, chega pelas mãos da empresa de capital de risco, Accel Partners.
Por certo não sendo coincidência, um dos seus manda-chuva era James Breyer, antigo presidente da National Venture Capital Association, onde tinha como colega, Gilman Louie que era o CEO do braço monetário da CIA para as novas tecnologias, a In-Q-Tel.

Uma das principais áreas de interesse e investimento da In-Q-Tel é exactamente o das tecnologias de DATA MINNING.

History – In-Q-Tel

In 1998, the Director of Central Intelligence (DCI) identified technology as a top strategic priority, directly connecting the Agency’s future technology advances to improvements in its core collection and analysis
missions
.
The leadership of the Directorate of Science and Technology set out a radical plan to create a new venture that would help increase the Agency’s access to private sector innovation.

Bryer também esteve no conselho de administração da empresa de Pesquisa&Desenvolvimento BBN Technologies, uma empresa com responsabilidades pelo crescimento da grande Rede.
Outra das pessoas que mais tarde se veio a juntar a esta empresa foi Anita Jones, que já havia sido directora da DARPA, a criadora da primeira fase da grande Rede, a Arpanet.
Anita Jones fazia também parte do conselho de administração da In-Q-Tel, tal qual Gilman Louie e era ainda assessora do Secretário da Defesa para a DARPA.

É também na DARPA que é fundado outro projecto de vigilância dos cidadãos dos EUA e que a todos coloca os cabelos em pé, a quando da sua divulgação, o Information Awareness Office, mais tarde conhecido pela TIA.

Em virtude de diversas criticas sobre os objectivos do projecto bem como a sua implementação levam o Congresso a cancelar os fundos para tal, diversos criticos indicam que é aí que entra o projecto de Mark Zuckerberg, Facebook.

Se não podem usar fundos governamentais por forma a fugirem ao controlo do Congresso, recorrem aos fundos para black projects da CIA através da In-Q-Tel, escondendo assim a continuação do projecto TIA, mas usando como máscara o Facebook, com a vantagem de conseguirem obter para além de informações dos cidadãos dos EUA, ainda as do resto do planeta.
Talvez por isso mesmo e a pensar nos países em desenvolvimento onde o acesso à Rede Internet é ainda problemático em virtude das fracas infraestruturas, o Facebook tenha criado o Facebook Lite, uma versão pensada para locais sem banda larga facilmente disponível.

http://yahyasheikho786.files.wordpress.com/2009/12/27xi5ck.jpg

Tenhamos atenção às seguintes afirmações contidas no TOS «Terms of service» bem como nas políticas de privacidade do Facebook:
Declaração de Direitos e Responsabilidades | Facebook

1.(…) you grant us a non-exclusive, transferable, sub-licensable, royalty-free, worldwide license to use any IP content that you post on or in connection with Facebook (“IP License”). This IP License ends when you delete your IP content or your account unless your content has been shared with others, and they have not deleted it.
2. When you delete IP content, it is deleted in a manner similar to emptying the recycle bin on a computer. However, you understand that removed content may persist in backup copies for a reasonable period of time (but will not be available to others).

Política de Privacidade | Facebook

When you sign up for Facebook you provide us with your name, email, gender, and birth date. During the registration process we give you the opportunity to provide additional profile information, such as where you went to school and where you work, and to add a picture of yourself, to help your friends connect with you. In some cases we may ask for additional information for security reasons or to provide specific services to you. Once you register you can visit your profile at any time to add or remove personal information about yourself. You can add basic information about yourself, such as information about your hometown, family, relationships, and your political and religious views. You can also add other information about yourself including your activities, interests, contact information, as well as more information about your education and job history.
(…)
Information from other websites. We may institute programs with advertising partners and other websites in which they share information with us:

We may ask advertisers to tell us how our users responded to the ads we showed them (and for comparison purposes, how other users who didn’t see the ads acted on their site). This data sharing, commonly known as “conversion tracking,” helps us measure our advertising effectiveness and improve the quality of the advertisements you see.
(…)
Information from other users. We may collect information about you from other Facebook users, such as when a friend tags you in a photo or video, provides friend details, or indicates a relationship with you.
(…)
Limitations on removal. Even after you remove information from your profile or delete your account, copies of that information may remain viewable elsewhere to the extent it has been shared with others, it was otherwise distributed pursuant to your privacy settings, or it was copied or stored by other users. However, your name will no longer be associated with that information on Facebook. (For example, if you post something to another user’s profile, and then you delete your account, that post may remain, but be attributed to an “Anonymous Facebook User.”) [os outros podem não ter acesso a quem escreveu mas no caso das fotos elas ficam lá e o mais importante é que o Facebook sabe quem é o ‘anónimo’] Additionally, we may retain certain information to prevent identity theft and other misconduct even if deletion has been requested.

Backup copies. Removed and deleted information may persist in backup copies for up to 90 days, but will not be available to others.

Outros investimentos foram feitos no Facebook, nomeadamente na quarta aposta no projecto, ou por outros investidores, neste caso a Greylock Partners ou então aumentos de capital por parte de Peter Thiel e da Accel Partners, que totalizaram algo como $US25Milhões.

https://i1.wp.com/regmedia.co.uk/2007/10/25/gates_zuckerburg.jpg

As injecções de milhões não se ficaram por aqui, até a empresa monopolista do sr. Bill Gates resolveu lá investir cerca de $US240Milhões, a mesma empresa que não tem quaisquer problemas em continuar a censurar as buscas dos cidadãos chineses ou que pede ‘ajuda’ à NSA para os seus sistemas, infelizmente a Google vai pelo mesmo caminho apesar de estar a tentar circundar  a Grande Firewall da China, mas creio que mais uma vez tem as costas quentes e tudo não passará de mais uma manobra da Intelligence do Governo Sombra dos EUA para atacar a China como bem descreve o caro Zibgniew Brzezinski.

E afinal de contas a microsoft tal como o Facebook não têm quaisquer problemas em ir para a cama com a Intelligence, têm mesmo manuais para tal. [yahoo, paypal, google, AOL, Skype, Cisco, Myspace(de Rupert Murdoch )]
É a CALEA em acção.

The Battle For Facebook : Rolling Stone

Beacon’s glory was fleeting, however. Users revolted, protesting the invasion of privacy, and Zuckerberg apologized. Still, his bold plans persuaded Microsoft to invest $240 million in Facebook, valuing the company at $15 billion — a staggering figure, considering that the site’s total revenues last year were only $150 million. “On the surface, it seems insane,” says Charlene Li, a technology analyst who has co-authored a book on social networking. “Why would Microsoft pay so much for such a small piece of a company? But whether it was $1 billion or $15 billion, it doesn’t matter. By making it $15 billion, it assures that no one would come near it. The only one who could now buy it is Microsoft.”

O descaramento é tanto que a CIA já nem têm qualquer pejo em recrutar directamente na sua página do Facebook, mas claro para tal há que ter conta no serviço.

Se ainda duvidam das mais que prováveis ligações do Facebook à Intelligence, recomendo a leitura deste artigo do NYTimes, que descreve como um dos pioneiros das aplicações para Computadores Pessoais, Mitchell Kapor, o criador do Lotus 123 e co-fundador da EFF «Electronic Frontier Foundation», um verdadeiro activista das liberdades civis, ao tomar conhecimento que o software da empresa, Groove Networks, na qual detinha um cargo importante estava a ser usado pelo Pentágono com fins de vigilância sobre os cidadãos, imediatamente se demitiu desta.

TECHNOLOGY – TECHNOLOGY – Software Pioneer Quits Board of Groove – NYTimes.com

Mitchell D. Kapor, a personal computer industry software pioneer and a civil liberties activist, has resigned from the board of Groove Networks after learning that the company’s software was being used by the
Pentagon as part of its development of a domestic surveillance system.

Mr. Kapor would say publicly only that it was a ”delicate subject” and that he had resigned to pursue his interests in open source software.

Pode-se argumentar que as informações, as suspeitas são apenas circunstanciais, talvez, mas como sempre digo nestas coisas não há coincidências e onde há fumo geralmente há fogo.
Que melhor ferramenta de vigilância poderia a Intelligence controlada pela elite Illuminati desejar?
Afinal de contas, eles não precisam sequer de se esforçarem para a carneirada lhes contar tudo sobre as suas tristes vidas, basta recorrerem à vaidade das alminhas cegas que fazem tudo o que lhes mandam, continuando assim alegremente a viverem as suas vidas vazias de conhecimento e objectivos, mas cheias de ilusões criadas de propósito para alimentarem todo este circo.

Artigos usados para esta entrada:

Powered by ScribeFire.

3 Respostas

  1. Tenham uma linda guerra, rapazes
    Aqui vão notícias da Terceira Guerra Mundial. Os Estados Unidos invadiram a África. Tropas estado-unidenses entraram na Somália, estendendo a sua frente de guerra desde o Afeganistão e o Paquistão até o Iémen e agora o Corno da África. Como preparativo para um ataque ao Irão, foram colocados mísseis americanos em quatro estados do Golfo Pérsico e dizem que estão a chegar bombas destruidoras de “bunkers” à base dos EUA na ilha britânica de Diego Garcia, no Oceano Índico.

    Em Gaza, a população abandonada e doente, principalmente crianças, está a ser sepultada atrás de muralhas subterrâneas fornecida pela América a fim de reforçar um cerco criminoso. Na América Latina, a administração Obama assegurou sete bases na Colômbia, para travar uma guerra de atrito contra as democracias populares na Venezuela, Bolívia, Equador e Paraguai. Enquanto isso, o secretário da “defesa” Robert Gates queixa-se de que “o público [europeu] em geral e a classe política” são tão opositores à guerra que eles constituem um “obstáculo” à paz. Lembre-se de que este é o mês do Coelho Louco [1] .…

    http://resistir.info/pilger/pilger_25mar10.html

  2. […] entradas sobre a rede social Facebook, nas quais descrevi o seu nascimento e as muito possíveis ligações à intelligence dos EUA, chegou agora a hora de demonstrar alguns dos perigos do uso deste tipo de redes sociais, com […]

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: