Tirem os cravos dos canos das espigardas que isto já só lá vai a tiro

Curta entrada apenas para citar dois artigos que demonstram mais uma vez como este país continua a saque pela corja do costume.

Até há anos atrás antes de iniciar a minha escrita aqui pela rede, eu era inocente, por andar desinformado, uma vez que ainda continuava a tentar obter informação via media mainstream e como tal pensava que estas situações se podiam resolver sem uma revolução a sério e a nível GLOBAL.

Infelizmente estava enganado, como pude constatar assim que comecei a deixar de consultar os media fantoches e passei a obter informação de outras fontes, mas as coisas neste momento estão tão más que já chegámos ao ponto onde mesmo os media mainstream já não podem apenas vender a sua habitual propaganda e como tal até começam a escrever notícias ou opiniões a sério.

Ora aqui ficam as citações de dois artigos do Jornal de Negócios:

BIC laranja, BIC cristal

Pedro Santos Guerreiro

"O problema do BPN já existia e já era enorme. Mas é chocante ver o Estado português ajoelhar-se assim. O negócio não é mau, é péssimo. É inexplicável que o Montepio tenha sido"

(…)

"Aparecem três propostas. Negoceia-se só com uma delas. E acaba-se nesta vergonha: o BIC paga 40 milhões, o que é nada, e em troca escolhe os créditos que quer (ou seja, os bons), os balcões que quer (ou seja, os bons) e os 750 funcionários que quer (ou seja, os bons). Tudo o que é mau fica no Estado. Pago pelo Estado. Incluindo o despedimentos de quase 900 pessoas. Quem? O BIC decide. O Estado paga. Lombo para uns, osso para nós. "

O pesadelo do BPN

Bagão Félix

"E, por cá, onde mora a culpa? Para onde foi todo este dinheiro? Como não houve nenhum cataclismo natural, o custo para os contribuintes representa o ganho de uns tantos que, com algumas excepções, não têm rosto? Esta triste e revoltante história significa, também, a falha grave de supervisão, cujo protagonista, Vítor Constâncio, foi premiado com a ascensão à vice-presidência do BCE. "

(…)

"Em 2008, o então Governo nacionalizou o Banco, encostando-o a um concorrente, a CGD. É hoje claro que foi uma má decisão, mas reconhece-se que, naquela altura, era arriscado subestimar o risco sistémico da falência. Só que nunca foram devidamente explicadas a recusa do plano Cadilhe para salvar o Banco e o facto de a SLN ter ficado de fora… "

3 Respostas

  1. Por falar em bancarrota.

    Sorte tem a Espanha….

    O covarde e incompetente Zapatero vai embora:

    http://mentesdespertas.blogspot.com/2011/08/zapatero-o-covarde.html

  2. esse era mais um que deveria ir era para Marte, mas sem fato espacial.

  3. Ainda do mesmo autor que primeiro citei, acima, mais um interessante artigo sobre boys&girls que vão entrando para o desgoverno PSD/CDS….

    “A partidarização da Função Pública é gritante, sobretudo nas chefias, os cargos mais bem pagos. A devassa tornou-se tão banal que um Governo, quando chega, entende como normal fazer a limpeza higiénica da partidarização anterior. E, portanto, não muda a politização: actualiza-a.” http://www.jornaldenegocios.pt/home.php?template=SHOWNEWS_V2&id=499327

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: