Wikileaks Cablegate: Sexo, muitas MENTIRAS, but no videotapes…. [p#2]

Segunda parte de três, a primeira encontra-se aqui.

Podem fazer aqui buscas por palavras em todos os cables que vieram até agora a público.

Começo por estabelecer os pontos sobre os quais irei escrever.

  1. Desmistificar os ataques ad hominem de que Julian Assange tem sido vitima, nomeadamente a acusação de violação de duas mulheres.
  2. Como neste blog não existe censura e todas as hipóteses podem ser alvo de pelo menos uma tentativa de investigação, deixo também no ar a possibilidade levantada mais uma vez por algumas pessoas, entre elas Webster Griffin Tarpley, de que Julian Assange possa estar ao serviço da CIA e dos amigos de George Soros. Como já escrevi mantenho tudo em aberto, no meu caso a minha dúvida acentua-se devido às declarações de Assange relativamente ao 11Set2001.
  3. O pensamento de Assange e um pouco da sua história
  4. Documentos cor de rosa
  5. Portugal e os voos da CIA, tortura e questões ao putativo engº Sócrates e seu Ministro dos Negócios Estrangeiros
  6. Documentos realmente interessantes, como a ACTA e Espanha, Hadopi, Coreias e China e os famosos mísseis supostamente adquiridos pelo Irão à Coreia do Norte
  7. Desmistificação dos tais mísseis por parte da Rússia e de como os media mainstream têm feito o jogo de propaganda dos EUA, não trazendo à discussão informações extremamente importantes e que negam a importância atribuida por esses mesmos media aos tais cables onde são mencionados.
  8. As ameaças de morte e a mentira da tão famosa Land of the free; Amazon Web Services, Paypal, Tableau Public e o Twitter, bem como a Visa e a Banca Suíça. [um excelente resumo da fuga das empresas aqui] [é interessante assinalar que a Mastercard e a Paypal continuam alegremente a fazer negócios com o KKK]
  9. Sites interessantes para seguir toda esta informação
  10. O wikileaks apesar de todos os ataques de que tem sido alvo NÃO MORRE! A ‘Insurance file‘ e próximas revelações, a Banca dos EUA.

I. Open covenants of peace, openly arrived at, after which there shall be no private international understanding of any kind but diplomacy shall proceed always frankly and in the public view.”President Woodrow WiIson put forth his Fourteen Points proposal for ending the war in a speech on January 8, 1918. In it he established the basis of a peace treaty and the foundation of a League of Nations.

4. Documentos cor de rosa

Chamo-lhes documentos cor de rosa porque seriam dignos de fazerem as honras das designadas revistas da mesma cor, ou seja, documentos que não adiantam nada ou quase nada ao que já se sabia e que são apenas faits divers para entreter, mas que infelizmente os media mainstream muitas das vezes lhes dão mais importância do que aos documentos que irei mencionar nos outros tópicos.

Como nada disto interessa muito mesmo, deixo apenas um ou dois links sobre o tema.

Wikileaks’ State-Department Dump: The Top 5 Leaked Insults – TIME NewsFeed

The latest WikiLeaks dump includes a quarter million state department documents and almost as many diplo-disses. Which world leader was called a “flabby old chap?” Read on to find out. (Hint: It’s not Berlusconi.) 

Wikileaks, Cablegate’s 5 funniest moments – Asylum.co.uk

In honour of the changing face of geo-politics we’ve compiled our five favourite funniest moments to come out of Cablegate. 

5. Portugal e os voos da CIA, tortura e questões ao putativo engº Sócrates e seu Ministro dos Negócios Estrangeiros

Para além da questão dos supostos voos da CIA no espaço aéreo e até no território português, ainda existem questões que têm vindo a público nos últimos dias e que de alguma forma têm a ver com Portugal ou com países da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa, como o caso do empréstimo de 1,1 mil milhões de euros do BES ao ‘amigo’ Chavez, luvas pagas ao Presidente moçambicano durante a venda de Cahora Bassa [coincidências; Almeida Santos quer ver encerradas negociações sobre Cahora Bassa], ainda em Moçambique as eventuais ligações da presidência e ex-presidência ao tráfico de droga.
Ou ainda a eventual construção de uma base militar dos EUA em território de Cabo Verde.

Wikileaks revela que Moçambique facilitou negócio do narcotráfico – TSF

As acções destes dois homens seriam impossíveis sem a cumplicidade do Estado, diz o diplomata nos telegramas. Bachir Sulleiman é referido como estando directamente ligado ao presidente Armando Gebuza e a Joaquim Chissano, ex-presidente, sendo que contribuiu para financiar a Frelimo e ajudou significativamente nas campanhas eleitorais dos dois políticos. 

Por certo que mais coisas virão a público, ainda estamos apenas no início dos cerca de 250mil ‘cables’.

EUA elogiam Amado na questão de Guantanamo – TSF

O documento acrescenta que, em resposta, o Governo português pedia «garantias escritas dos países de destino final de que os detidos não serão torturados ou sujeitos à pena de morte». 


Especial Voos da CIA

Wikileaks: BE «tinha razão quanto aos voos da CIA» > Política > TVI24

«Apesar de sucessivos governos sempre terem negado a colaboração portuguesa com os voos ilegais da CIA, verifica-se agora que existiram contactos regulares e até encontros, como o do ministro Luís Amado com a secretária de Estado Condoleezza Rice, onde foram discutidos os termos em que o Estado português poderia autorizar a passagem de voos de transferência de prisioneiros», declarou Jorge Costa à Agência Lusa. 

Como é habitual mais uma vez estes ‘senhores’ políticos [e media Bilderberg, ver video acima], sejam eles portugueses ou estrangeiros, são na sua grande maioria muito pouco credíveis e ainda menos recomendáveis, isto para não lhes chamar de mentirosos.

Os dados vindos a público pelo wikileaks deixam no ar a confirmação das fortes suspeitas, que ao contrário do que o sr Ministro e o putativo engº Sócrates afirmaram, passaram pelo espaço aéreo português e com grande probabilidade pela base das Lajes, território nacional, voos da CIA com prisioneiros que com quase 100% de certeza foram torturados como qualquer pessoa que leia alguma imprensa dos EUA saberá desse escândalo, por exemplo KSM foi water board cerca de 180 vezes entre muitos outros.

O governo tendo mentido relativamente ao facto da existência de conversações sobre esses voos, tenta ao mesmo tempo enganar os portugueses dizendo que se passaram foi segundo regras impostas por Portugal.

Podem explicar-me como raio é que fiscalizaram se os EUA cumpriram essas regras uma vez que como se vai vendo não se pode confiar neles?! Lembram-se da famosa reunião nas Lajes? Lembram-se das famosas Armas de Destruição Massiva?

Podem os senhores, Ministro dos Negócios Estrangeiros, Luís Amado e o putativo engº Sócrates demonstrarem aos portugueses que aquelas pessoas que eles permitiram TRAFICAR não foram torturadas?

Podem mostrar aos portugueses documentos escritos de como os EUA se comprometiam com tal pedido?

Podem estes senhores mostrarem documentos que provem que o Estado português verificou se os EUA cumpriam o que supostamente haviam acordado?

Sinceramente duvido, por diversas razões, nomeadamente as que demonstram a importância do Wikileaks e esta mais recente vaga de documentos, que coloca a nu o que senhoras e senhores em lugares de poder que deveriam exercer de forma transparente porque estão ao serviço dos cidadãos, o fazem de forma velada e zelando isso sim pelos seus interesses mesquinhos, criando segredos e fomentado-os não para proteger os seus países mas sim para proteger os seus erros, as suas mentiras os seus interesses.

E para demonstrar que não existem nem politicos nem politicas de esquerda ou direita, mas apenas e só interesses, nada melhor que terminar este ponto com a informação de que o Governo de Zapatero em Espanha aceitou sem qualquer problema os voos da CIA no seu espaço aéreo, a esquerda espanhola, nomeadamente o PSOE, deveria explicar agora porque razão criticaram Aznar e a sua presença nas Lajes.
Afinal de contas quando baixam as calças à oligarquia dos EUA, fazem-no com ambas as mãos.

CIA flights with permission of the Spanish government [Update 2] | WL Central

How to transfer detainees from Afghanistan or other countries to Guantanamo? A cable written at the US embassy on the 4th of December 2008 describes how the US ambassador negotiated a permission from the Spanish ministry of foreign affairs to use “discreet” Spanish airports as mid way stops for long haul flights:
http://213.251.145.96/cable/2008/12/08MADRID1280.html 

The cable then goes on to discuss how documents on these negotiations were leaked to the press. The author complains that CIA flights and military flights were often mixed up in press reports.

6. Documentos realmente interessantes, como a ACTA e Espanha [Fate of Spain's Internet/copyright law depends on El Pais releasing relevant Wikileaks cables NOW], Hadopi, Coreias e China e os famosos mísseis supostamente adquiridos pelo Irão à Coreia do Norte

Existem uns quantos cables muito interessantes e que mais uma vez mostram o que os diversos poderes na sombra, pela calada, refugiando-se naquilo que designam por ‘Segurança Nacional’, que não passa de um subterfúgio para agirem com impunidade, vêm perpetrando contra todos nós.

Um pequeno resumo deles nestes dois links:

This has never happened before · ELPAÍS.com in English

The list seems interminable. American diplomats spy on the United Nations Secretary General and on other senior UN officials, to the extent of learning their credit card numbers. The Gulf monarchies are pressing Washington to start a war against Tehran before Iran becomes a nuclear power and brings them to their knees. Turkey’s moderate Islamist government faces continued resistance from secular army officers, and a secret Islamist plan is feared. Beijing orders a cyber-attack on Google at the end of 2009, while planning to ditch its long-time Stalinist ally in North Korea in return for hegemony over a unified Korean peninsula. Pakistan discreetly supports terrorist groups, while its nuclear arsenal grows. To do business in Morocco you have to pass on a cut to the royal house, which maintains its army in a deplorable state. Saudi Arabia is the main source of financing for Islamist terrorism.
(…)
In Spain, the Zapatero government agreed to downplay post-Iraq differences with Washington; blurred the question of the CIA rendition flights; was ambivalent over the prosecution of the murderers of José Couso; and the Spanish prosecutor’s office played a questionable role in the inquiry into torture at Guantánamo.
Contrary to what he had often promised, former Prime Minister Aznar was ready to return to politics if Spain needed him. Further material may yet emerge from the State Department papers, which this newspaper and others have been publishing having had access to the massive leak mounted by the Wikileaks organization. Significantly, its founder is wanted by Interpol, and his website is being boycotted by servers and service providers. 

Folha.com – Mundo – China contrata hackers desde 2002; veja mais revelações do WikiLeaks – 29/11/2010

* O Politburo, segundo organismo mais importante do governo da China, comandou a invasão dos sistemas de computador do Google no país, como parte de uma campanha de sabotagem a computadores, realizada por funcionários do governo, especialistas particulares e criminosos da internet contratados pelo governo chinês. Eles também invadiram computadores do governo americano e de aliados ocidentais, do Dalai Lama e de empresas americanas desde 2002.

* O rei Abdullah, da Arábia Saudita, repetidamente pediu aos EUA para atacar o Irã e destruir seu programa nuclear, além de, segundo registros, ter aconselhado Washington a ‘cortar a cabeça da cobra’ enquanto ainda havia tempo.

* Doadores sauditas continuam sendo os principais financiadores de grupos militantes sunitas, como a Al Qaeda; e o pequeno Estado do Qatar, generoso anfitrião do Exército americano no golfo Pérsico por anos, era ‘o pior da região’ em esforços de combate ao terrorismo, segundo um telegrama ao Departamento de Estado em dezembro do ano passado.

* Representantes dos EUA e da Coreia do Sul discutiram a possibilidade de uma Coreia unificada se os problemas econômicos da Coreia do Norte e a transição político no país levassem o Estado a implodir. Os sul-coreanos chegaram a considerar incentivos econômicos à China para ‘ajudar a aliviar’ as preocupações de Pequim sobre o convívio com uma Coreia reunificada em ‘aliança benigna’ com Washington, segundo o embaixador americano em Seul.

* Desde 2007, os EUA montaram um esforço secreto e, até agora, mal sucedido para remover urânio altamente enriquecido do reator de pesquisa do Paquistão, com medo de que pudesse ser desviado para uso em um reator nuclear ilícito.

* O Irã obteve mísseis sofisticados da Coreia do Norte, capazes de atingir o leste europeu, e os EUA estavam preocupados de que o Irã estaria usando esses foguetes como ‘peças de montagem’ para construir mísseis de mais longo alcance. Os mísseis avançados são muito mais poderosos do que qualquer equipamento que os EUA publicamente reconheceram existir no arsenal iraniano.

* Quando o vice-presidente afegão, Ahmed Zia Massou, visitou os Emirados Árabes Unidos no ano passado, autoridades locais trabalhando para a Agência de Controle às Drogas descobriram que ele carregava US$ 52 milhões em dinheiro vivo. Segundo o telegrama da embaixada americana em Cabul, ele pode manter o dinheiro sem revelar a origem ou destino do montante.

* Diplomatas americanos barganharam com outros países para ajudar a esvaziar a prisão da baía de Guantánamo, realocando detentos. Por exemplo, foi pedido que a Eslovénia aceitasse um prisioneiro se quisesse agendar um encontro com o presidente Barack Obama. A República de Kiribati recebeu oferta de incentivos valendo milhões de dólares para aceitar detentos muçulmanos chineses. Em outro caso, aceitar mais presos foi descrito como ‘uma forma de baixo custo para a Bélgica alcançar proeminência na Europa’.

* Os EUA não conseguiram evitar que a Síria fornecesse armas ao Hizbollah no Líbano, que acumulou um grande arsenal desde a guerra de 2006 com Israel. Uma semana após o presidente sírio, Bashar al Assad, prometer a um alto representante americano que não mandaria ‘novas’ armas ao Hizbollah, os EUA reclamaram que tinham informações de que a Síria estava dando ao grupo armas cada vez mais sofisticadas.

* Os americanos estariam preocupados com o uso da informática e ataques pela internet na China. Diplomatas dos EUA dizem que os chineses, após 2002, estão recrutando técnicos que acessam redes no mundo inteiro, principalmente do governo, empresas e aliados americanos.

* Chefes de governos são citados em várias passagens. O presidente francês Nicolas Sarkozy, por exemplo, foi descrito como “delicado” e “autoritário”, de acordo com o jornal ‘Le Monde’, um dos cinco periódicos que tiveram acesso à publicação antecipadamente. O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, estaria ‘louco’ e transformando o seu país em ‘outro Zimbábue’, segundo um diplomata francês.

* Os Estados Unidos pediram em março de 2008, um mês antes da última eleição presidencial paraguaia, informações detalhadas sobre os candidatos que incluíam “dados biométricos, incluindo impressões digitais, imagens faciais e dados para reconhecimento da íris, e DNA”.

* Uma mensagem da secretaria de Estado dos EUA à embaixada americana em Assunção relata a preocupação do governo americano com a suposta presença de grupos como Al Qaeda, Hizbollah e Hamas na tríplice fronteira, entre Brasil, Paraguai e Argentina.

* O departamento de Estado americano pediu no ano passado aos funcionários de 38 embaixadas e missões diplomáticas uma relação detalhada de dados pessoais e de outra natureza sobre as Nações Unidas, inclusive sobre o secretário-geral, Ban Ki-moon, e especialmente sobre os funcionários e representantes ligados ao Sudão, Afeganistão, Somália, Irã e Coreia do Norte, segundo o jornal ‘El País’.

* Diplomatas americanos em Roma comunicaram em 2009 o que suas fontes italianas descrevem como uma estreita ligação entre o premiê russo Vladmir V. Putin, e o premiê italiano, Sílvio Berlusconi, incluindo generosos presentes e lucrativos contratos de energia por uma intermediação sombria.

* Pairam dúvidas americanas sobre a confiança nas forças da Turquia, aliada da Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte), retratada como fraca e permeada por islâmicos.

* Uma tributo pago em viagens áreas que entrou em vigor no último mês deixou os americanos irritados. A revolta de Washington com uma nova tarifa alfandegária para passageiros, acordos britânicos de extradição com os EUA e inspeções mais frouxas com paquistaneses aparecem em memorandos publicados.

* Autoridades americanas advertiram a Alemanha em 2007 para não prenderem agentes da CIA envolvidos em uma fracassada operação em que um alemão inocente com o mesmo nome de um suspeito foi erroneamente sequestrado por meses no Afeganistão. Um alto diplomata americano disse que “a intenção é que o governo alemão pese cuidadosamente cada passo com as implicações no relacionamento com os EUA”. 

Powered by ScribeFire.

Enquanto não chega a Revolução – Weekly News #4 – Vigilância e privacidade; ACTA; Google; Echelon

Ora vamos lá a isto, tenho andado desaparecido, mas hoje tem de ser, eis algumas notícias interessantes que se têm passado por esse mundo fora.
Esta semana é dedicada à vigilância a que todos estamos submetidos continuamente, o Big Brother há muito que por aí anda!

File:Menwith-hill-radomes.jpg

  • Começo por uma notícia recente e com grande valor especialmente no contexto histórico, foram colocados online (National Archives) os documentos que criaram o Tratado UKUSA que se estenderia especialmente aos países anglo-saxónicos, USA, UK, Canada, Australia, New Zeland e que deu origem a um dos mais poderosos e sofisticados meios de SIGINT (Signals Intelligence), o tão conhecido Dicionário ECHELON; que até já teve honras de investigação por parte da UEuropeia com o eurodeputado do PSD Carlos Coelho como presidente da comissão de investigação. Escusado será dizer que apenas divulgaram o que lhes interessa e nada mais.

Original ‘Echelon’ secret UK-US spookery treaty published • The Register

Old news in the world of surveillance and spookery today, as the original 1946 secret treaty between the UK and US which set up the famous “Echelon” listening system is finally published.
(…)
The treaty dealt primarily with communications intercept information, known as signals intelligence or “sigint”. Back in the early days of UKUSA cooperation, many long-distance or international phone calls were carried by longhaul HF radio, and were comparatively easily intercepted by a worldwide network of listening posts.

Newly released GCHQ files: UKUSA Agreement

The files contain details of the recently avowed UKUSA Agreement – the top secret, post-war arrangement for sharing intelligence between the United States and the UK. Signed by representatives of the London Signals Intelligence Board and its American counterpart in March 1946, the UKUSA Agreement is without parallel in the Western intelligence world and formed the basis for co-operation between the two countries throughout the Cold War.

Cyber-Rights & Cyber-Liberties (UK) Echelon Watch pages

This section of Cyber-Rights & Cyber-Liberties (UK) deals with issues in relation to the interception of communications at a global stage. It will provide useful information and links in relation to international, governmental and non governmental, public and secret (private) developments in relation to the interception of all sorts of communications (including but not specifically to Internet communications) with a particular focus on ECHELON and ENFOPOL issues.

2010 Press Release – Declassified UKUSA Signals Intelligence Agreement Documents Available

Today, the United Kingdom’s Government Communications Headquarters (GCHQ) and the National Security Agency/Central Security Service (NSA/CSS) are making publicly available declassified intelligence documents relating to the UKUSA (pronounced “Eu-Koo-SA”) Agreement made between Great Britain and the United States.
These declassified documents cover the period 1940–1956 and are available on the NSA website and the UK National Archives website.

The UKUSA agreement, first called the BRUSA Agreement, was signed in March 1946 and continues to serve as the foundation for cooperation in signals intelligence between the two nations. The agreement was later extended to encompass former British Dominions: Canada (1948), Australia and New Zealand (1956). Collaboration in various areas of critical intelligence between each of the five partner-nations continues to the present day.


PDF [9 MB]

Brochure on 45 on-going Security Research Projects following a first call for proposals in 2007


  1. Indect e Adabts: Conselho da Europa aprova projecto de vigilância dos cidadãos da UE
  2. Impostos dos Europeus usados para VIGIAREM E CONTROLAREM os cidadãos

Big Brother Is Watching You » Euro-med

With terrorism (inside 9/11) as a pretext, Big Brother is introducing a network of cameras and sensors (SAMURAI), their finds being analyzed by INDECT, for suspicious behavior, and it can react quickly by the police. Another such system is ADABTS using radar monitoring of suspicious behavior in crowded spaces – and determining what is suspicious behavior. The latest is that they now combine these 3 methods with behavioural psychology: On the the airport screen suddenly images flash up that a terrorist (which we are all more or less considered to be) will automatically respond to weakly by multiple heartbeats, a glance, etc. which is then recorded. Big Brother is now recruiting – just like the STASI – citizens to spy on each other, setting up cameras in people’s homes to spy on their neighbors on the street. INDECT can monitor every computer click. All with big EU subsidies. Furthermore, in 2006 the EU decreed all telephone conversations to be recorded and stored for 6-24 months.

http://www.hollow-hill.com/sabina/images/fascism-obvious.jpg

Interessa?, por Fátima Conti – Que tal apoiar a FSF contra o ACTA?

Os políticos servem às grandes empresas de música e de cinema, escreveu Stallman. Eles pretendem impor aquilo que essas empresas querem, atacando os direitos dos usuários de computadores, primeiramente em 40 países e, em seguida, sobre o todo o mundo. E não ouvirão sugestões.

Então, a FSF lançou um manifesto contra o tratado. E está convidando as pessoas a assinar uma petição simples contra o ACTA. E solicita à comunidade de software livre que comente, reflita, escreva contra este atentado à liberdade dos cidadãos.A declaração inclui 11 demandas se a proposta for implementada, e também fornece uma alternativa para abandonar inteiramente o acordo.

EU secretly pushing to put kids in jail for sharing music: ACTA leak – Boing Boing

More leaks from behind the scenes at the secretive Anti-Counterfeiting Trade Agreement negotiations: the EU is pushing for criminal sanctions for non-commercial copyright infringement. That means putting kids in jail for trading music with one another.

http://www.dailygalaxy.com/my_weblog/images/2008/03/30/google_cia_2.png
  • O Google também tem andado nas bocas do mundo em virtude do seu projecto Street View. Tudo porque os senhores da Google resolveram equipar os carros que andaram pelas nossas cidades a fotografarem as nossas estradas com equipamento que permitia detectar as redes abertas WIFI de alguns de nós, os nossos vulgares routers wireless, determinando assim onde, quando e quem tinha essas redes sem qualquer uso de métodos de cifragem e segurança como o WAP/WAP2, segundo diversos artigos a Comissão Nacional de Informática e das Liberdades de França (CNIL) indica mesmo que a Google terá tido acesso a passwords e até a conteúdos de mails. Alguns países já pediram à Google toda a informação que haviam recolhido para analisarem o que ocorreu e supostamente para pedir contas à Google, entre os países encontram-se França, Espanha, Alemanha, Austrália, EUA; pelo que pude ler Portugal nada fez! No entanto não deixo de notar novamente a esquizofrenia, ??hipocrisia?? francesa quando têm sido os primeiros a levarem a cabo leis como a HADOPI que para além de servir para espiar os seus cidadãos ainda os considera a todos criminosos até prova em contrário. Estes três Estados europeus obrigaram a google a fornecer-lhes os dados que esta havia recolhido. Se a França (Alemanha e Espanha) está tão preocupada com a privacidade dos seus cidadãos, porque razão não se limitou a comprovar que a google os destruía de imediato? Ou será que a vigilância é má quando é feita por privados e boa quando é feita pelos Estados? Ou será que estes dados recolhidos pela google farão imenso jeito à aplicação da HADOPI? Pode-se argumentar que só na posse dos dados é que os Estados podem processar a Google; concordo, mas então espero que a seguir os destruam completamente e que nãos os metam em mais uma base de dados para serem usados quando derem jeito aos senhores implementam a HADOPI.

TeK > Notícias > Internet > França prepara sanções contra Google

O organismo francês responsável pela protecção de dados está a preparar sanções contra a Google no caso das informações irregularmente recolhidas pelos carros do StreetView – que tanto têm dado que falar nos últimos tempos.

As medidas a aplicar deverão estar prontas “no final de Setembro”, avançou o presidente da Comissão Nacional de Informática e das Liberdades de França (CNIL).

Google’s Street View Wi-Fi data included passwords, email | Networking – InfoWorld

Google revealed on May 14 that the fleet of vehicles it operates to compile panoramic images of city streets for its Google Maps site had inadvertently recorded traffic from unencrypted Wi-Fi networks. Google’s intention was only to record the identity and position of Wi-Fi hotspots in order to power a location service it operates, the company said. However, the software it used to record that information went much further, intercepting and storing data packets too.

At the time, Google said it only collected “fragments” of personal Web traffic as it passed by, because its Wi-Fi equipment automatically changes channels five times a second. However, with Wi-Fi networks operating at up to 54Mbps, it always seemed likely that those one-fifth of a second recordings would contain more than just “fragments” of personal data.

Woops, Google’s Street View cars collected email passwords and more “sensitive data”

Google says it’s co-operating with the French authorities and others around the world, and that ultimately it wants to delete the data and move on.

“We have reached out to the data protection authorities in the relevant countries, and are working with them to answer any questions they have,” a Google spokesperson is quoted by the BBC.

“Our ultimate objective is to delete the data consistent with our legal obligations and in consultation with the appropriate authorities.”

Google relents, to give WiFi data to Germany, France, Spain

When it comes to what kind of data was collected by Google’s Street View cars, the possibilities are endless. The company thought it was merely collecting public WiFi information, such as SSID information and MAC addresses, but it turns out it also grabbed some 600GB worth of payload data—essentially, packets being sent from users on those networks. This could include searches, e-mails, chats, porn, and more. (This is why you shouldn’t be doing sensitive surfing on open WiFi networks, by the way, because there are plenty of shady characters aside from Google who are interested in sniffing your packets.) When asked whether bank account details could be included in the data, Schmidt told the Times that he couldn’t rule out that possibility.

http://www.dashes.com/anil/images/jobs-1984.jpg
Apple Big Brother

  • Para além da Google, a empresa do senhor Steve Jobs também continua a na sua senda do controlo total dos seus utilizadores, incluindo a sua vigilância. A Apple está neste momento [fá-lo desde 2008] a recolher e a guardar o local preciso e em tempo real onde os seus utilizadores de iphones, ipads e computadores se encontram e ao mesmo tempo a partilhar essa informação com outras empresas suas  parceiras de negócio/espionagem. [segundo a politica de privacidade da Apple supostamente os utilizadores têm conhecimento de tal facto]; À partida tal facto seria da responsabilidade dos utilizadores, mas não é bem assim, os utilizadores são coagidos a aceitarem tal facto imposto pela Apple porque senão não podem fazer downloads da loja itunes. Liberdade de escolha made by Apple!!! Mais grave é ainda o rumor que dois artigos de um blog trouxeram a público. O blog Addictive Tips colocou online dois artigos baseados em informação que um suposto insider da Apple divulgou sob anonimato. Segundo o artigo, a Apple com o upgrade do iOS4 o sistema operativo do seu iphone, ipad consegue neste momento 1º Barrar apenas à AT&T o iphone (nos EUA) desfazendo assim o jailbreak através de updates semanais ou qinzenais 2º com a introdução do Facetime (chamadas de vídeo) a Apple uma vez que não as encripta, consegue saber onde estão a ser feitas e por quem 3º alguns dos empregados da Apple sabendo disso recusam fazer upgrades.

Apple collecting, sharing iPhone users’ precise locations [Updated] | Technology | Los Angeles Times

Apple Inc. is now collecting the “precise,” “real-time geographic location” of its users’ iPhones, iPads and computers.
When users attempt to download apps or media from the iTunes store, they are prompted to agree to the new terms and conditions. Until they agree, they cannot download anything through the store.

Leaked: Apple Stealing All FaceTime Information, AT&T Locks Users via OTA Updates

First off, we will divide the leaks into different topics in order of the communication that took place.

* With iOS 4, AT&T locks all US iPhone owners to their network via regular OTA updates.
* AT&T shipped some iPhone 4 early to verify their OTA update system.
* Apple stealing user information via FaceTime, which lacks encryption.
* Some Apple employees who are aware of this situation are not updating to iOS 4.

Apple Gathering FaceTime Information, Ability To See Video Calls

It is understandable that when big leaks are out, people need more proof before they can draw a final conclusion. Coming back to the topic, there were two leaks; ability to force updates to iPhone (running iOS 4) even when not connected to iTunes, and stealing user information via FaceTime (without giving an option to opt-out). According to this employee, Apple has ordered everyone not to support users who have jailbroken iPhones, and they have the system in place which can identify the baseband, carrier, and jailbreak status of each and every iPhone (running iOS4).

http://farm2.static.flickr.com/1348/1376088539_caead5a036.jpg
  • Termino esta semana com três artigos interessantes, dois obre os ID-cards e um sobre a Blackwater agora designada de XE. Começando pela Blackwater/XE, parece que a Administração da mudança…. ahhhh não há mudança?! Ok! A administração do fantoche Obama através da agência criminosa CIA, atribuiu um contracto de 100Milhões de dólares para a protecção de diversas instalações no Afeganistão e restantes zonas de terrorismo levado a cabo pelos EUA. Relativamente aos ID-cards, segundo artigo do ITP.net, diversos Governos do Médio Oriente estão neste momento em conversações com a empresa NETS de Singapura para associarem ao ID-card pagamentos num futuro próximo. Parece que estamos a assistir a experiências para a introdução da sociedade sem dinheiro físico que a Nova (Des)Ordem Mundial desde à muito persegue. Para quem é religioso não deixa de ser interessante lembrar a passagem da Bíblia, onde no Apocalipse/Revelação é mencionado que o anti-Cristo estará à frente de uma sociedade exactamente nestes termos “e que ninguém pudesse comprar ou vender, se não fosse marcado com o nome da Fera, ou o número do seu nome.” Apocalipse 13,17; Durante o G20 no Canada um manifestante foi preso porque mesmo antes de ser aprovada a lei que permitiria pedir identificação (no Canadá os cidadãos não são obrigados a mostrarem identificação) em zonas controladas pela polícia como no caso do encontro do G20 este se recusou a mostrá-la. A lei só será aprovada depois do encontro do G20 terminar. Mais um exemplo de Democracia em movimento….para o abismo!

SpyTalk – CIA gives Blackwater firm new $100 million contract

The Central Intelligence Agency has hired Xe Services, the private security firm formerly known as Blackwater Worldwide, to guard its facilities in Afghanistan and elsewhere, according to an industry source.

The previously undisclosed CIA contract is worth about $100 million, said the industry source, who spoke on condition of anonymity to discuss the deal, which is classified.

“It’s for protective services … guard services, in multiple regions,” said the source.

Two other security contractors, Triple Canopy and DynCorp International, put in losing bids for the CIA’s business, the source said. (A DynCorp spokeswoman says the company did not bid on the contract.)

National ID card to allow e-payments in future – IT Business – News & Features – ITP.net

SINGAPORE: Governments in the Middle East are working with Singapore-based cashless payment experts Network for Electronic Transfers (NETS) on a project that will see National ID cards used to make electronic payments.

Toronto’s secret ID law used to arrest G20 protestor – Boing Boing

Alan sez, “In Canada you’re not required to show ID. Except if you’re in the ‘G20 Zone’. You see, the law allows an exemption to the ‘show ID’ principle for public works. These are usually things like power stations, dams, etc. Well, the government got clever and just declared the entire area a ‘public work’ so police can go around demanding ID. The best part of this? The law that made this happen won’t even be PUBLISHED until after the G20 is over. So nobody knew about it until the cops arrested someone.”

Powered by ScribeFire.

Protejam os vossos Direitos! Todos contra o Tratado ACTA!

Não é meu hábito transcrever na íntegra outros artigos mas este é realmente necessário, uma vez que é esclarecedor sobre o tema do Tratado ACTA que tem vindo a ser preparado às escondidas contra os mais básicos Direitos de todos os cidadãos deste planeta.

http://www.imagesharex.com/out.php/i4614_ActaTreatyMafia.jpg

http://pix.motivatedphotos.com/2008/6/21/633496867000575678-lawful-evil.jpg


Interessa?, por Fátima Conti – Que tal apoiar a FSF contra o ACTA?

Que tal apoiar a FSF contra o ACTA?

Por Fátima Conti

Data de Publicação: 24 de Junho de 2010

Em 16/06/2010 Richard Stallman, presidente da “Free Software Foundation”, FSF, em um texto, afirmou que o Anti-Counterfeiting Trade Agreement (Tratado Comercial Antipirataria, ACTA ) ameaça punir os usuários da Internet com a desconexão, se eles forem acusados de compartilhamento, e exige que os países proíbam softwares que possam quebrar Digital Restrictions Management (DRM), conhecidos como “algemas digitais”.

Os políticos servem às grandes empresas de música e de cinema, escreveu Stallman. Eles pretendem impor aquilo que essas empresas querem, atacando os direitos dos usuários de computadores, primeiramente em 40 países e, em seguida, sobre o todo o mundo. E não ouvirão sugestões.

Então, a FSF lançou um manifesto contra o tratado. E está convidando as pessoas a assinar uma petição simples contra o ACTA. E solicita à comunidade de software livre que comente, reflita, escreva contra este atentado à liberdade dos cidadãos.A declaração inclui 11 demandas se a proposta for implementada, e também fornece uma alternativa para abandonar inteiramente o acordo.
O ACTA

Para compreender o significado dessas ações é importante lembrar que o ACTA ainda é uma proposta para um acordo comercial plurilateral que está sendo discutido basicamente pelo grupo de países mais ricos, o G8 e por mais alguns países (Austrália, Coréia do Sul, Nova Zelândia, México, Jordânia, Marrocos, Singapura, Emirados Árabes Unidos e Canadá), mas que afetará todos os países.

E, também, que foi negociado em segredo durante vários anos, sendo que apenas recentemente, em abril de 2010, um rascunho foi liberado para que o mundo soubesse de seus objetivos.

Oficialmente é dito que o acordo seria uma resposta ao aumento da pirataria e à proteção de obras protegidas por “copyright”.

Na prática, entretanto, pretende criminalizar o compartilhamento de obras que possam ser copiadas na internet, sejam programas de computador, receitas de cozinha, livros, músicas ou filmes.

Ou seja, para ter acesso ao conhecimento as pessoas devem pagar. E aqueles que não possam pagar deverão abster-se de utilizar, desfrutar, conhecer ou admirar essas obras. E serão severamente criminalizados se fizeram cópias, as quais serão classificadas como ilegais. Assim a cultura em geral e os direitos dos cidadãos serão relegados a segundo plano, para favorecer notadamente os atravessadores de bens culturais, notadamente as grandes editoras e gravadoras.

Por mais estranho que pareça, o compartilhamento será fortemente punido. Para o ACTA falsificação de mercadorias é praticamente sinônimo de compartilhamento. Será proibido compartilhar conteúdos de obras culturais. Aqui pode-se perguntar:

Quem, com algum acesso à cultura, nunca emprestou ou pediu livros emprestados? Ou discos? Ou filmes? Por que o compartilhamento será considerado um crime?
A petição

De acordo com a FSF, o ACTA é uma ameaça ao software livre, pois:

1. Dificulta a distribuição de software livre. Evidentemente, sem o compartilhamento de arquivos e as tecnologias P2P como o BitTorrent, é muito mais complicado e caro distribuir software. Importante é lembrar que as tecnologias P2P como o BitTorrent são protocolos que permitem a todos que queiram distribuir legalmente e contribuir com software livre fazerem isso.

2. Torna mais difícil para os usuários de software livre reproduzir conteúdo de mídia, porque pode impossibilitar a reprodução de mídias sem travas tecnológicas. Note-se que DRM (Digital Restrictions Management system) são sistemas de restrição ao acesso e cópia de obras publicadas em formatos digitais. Arquivos com essas travas não podem ser reproduzidos em softwares livres.

3. Aumenta as possibilidades de que equipamento seja confiscado. Equipamentos que reproduzem mídias e suportam formatos livres são menos comuns que dispositivos que suportam DRMs, como os iPods. E, portanto, menos conhecidos. Guardas de alfândegas e fronteiras não os acharão mais suspeitos?

É necessário lembrar aqui que uma das propostas do ACTA é possibilitar que as polícias de fronteira e alfândegas averiguem o que as pessoas carregam em seus computadores, media players, celulares e em outros dispositivos eletrônicos).

4. O ACTA determina a criação de uma cultura de suspeição e vigilância, em que a liberdade necessária para desenvolver software livre, ao invés de ser considerada criativa, inovadora e interessante é tida como ameaçadora e perigosa.

A Declaração de Wellington

Curioso é notar que o texto de Stallman é contrário à “declaração de Wellington”, que foi produzida por ativistas em uma reunião do ACTA recente, que ocorreu na Nova Zelândia.

Essa declaração apoia a WIPO (= Organização Mundial da Propriedade Intelectual, OMPI). Mas Stallman lembra que nos últimos 20 anos houve alterações bastante ruins nas leis de copyright e que algumas das mudanças foram promovidas pela OMPI. Assim, ele contesta a declaração de louvor a essa entidade, como um inclusivo e transparente fórum de negociação de acordos sobre direitos autorais.

Também lembra que devemos exigir mudanças positivas para recuperar as liberdades já perdidas. Por exemplo, nos países que já têm leis que restringem os dispositivos que podem quebrar as algemas digitais, estas deverão ser revogadas.

Entretanto a declaração da FSF não menciona a OMPI. E não se opõe à declaração de Wellington.
A declaração

O manifesto, em inglês, está no site da fundação. Eis uma tradução rápida:

* ACTA deve respeitar o compartilhamento e a cooperação. Nada deve fazer que impeça a realização não remunerada e não comercial de cópia, doação, comodato, posse, uso, transporte, importação ou exportação de quaisquer objetos ou obras.

* ACTA não deve apertar as “algemas digitais”: não deve prejudicar nenhuma atividade em relação a qualquer produto por conta da sua capacidade de contornar as medidas técnicas que restringem o uso de cópias de trabalhos com autoria.

* ACTA não deve interferir com o uso não-comercial da Internet (mesmo em atividades realizadas com serviços comerciais) ou prejudicar o direito dos indivíduos ou a sua capacidade de se conectar à Internet.

* ACTA não deve exigir que alguém colete ou divulgue quaisquer dados sobre o usos individuais da Internet. Não deve prejudicar os direitos de privacidade ou outros direitos humanos.

* ACTA não deve manter empresas que sejam responsáveis pelo conteúdo das comunicações dos seus clientes. (Por exemplo, não pode haver punição com corte de conexão, nem explicitamente, nem indiretamente.)

* ACTA não deve exigir direitos autorais ou patentes, ou de qualquer lei similar, para atacar qualquer tipo particular de coisa ou ideia.

* ACTA não deve fazer exigências sobre atos que constituam violação civil, ou quais atos constituem infração criminal, das leis de copyright, ou do direito de patente, ou de qualquer lei similar.

* ACTA não deve usar o termo propaganda “propriedade intelectual” ou tecer considerações sobre a lei de copyright e a lei das patentes como um único assunto.

* ACTA não deve estender o termo falsificação aplicando-o a direitos autorais ou violação de patentes.

* Se ACTA incluir um mecanismo que possibilite alterações futuras, todos esses requisitos deverão ser respeitados.

Ou, como uma alternativa mais simples:

Cancelar o ACTA inteiramente. Apesar de algumas partes não merecerem objeção, são secundárias em relação à ameaça à nossa liberdade. A menos que tenhamos a certeza de que os aspectos repressivos da ACTA sejam bloqueados, o seu principal significado é uma ameaça à sociedade. Cancelar o ACTA seria uma bela maneira de se livrar dessa ameaça.

Esta declaração não está em conflito com a Declaração de Wellington. Se você concordar com ambos, você pode se inscrever em ambos.

Sugiro que sejam lidos cuidadosamente:

* Texto de Stallman: Why The Firm, Simple Declaration Against ACTA

* Declaração da FSF contra o ACTA: Support a firm, simple declaration against ACTA

* Declaração de Wellington

Então, que tal apoiar a FSF contra o ACTA ?

(Solicito auxílio e correções na tradução)

Fátima Conti – faconti –
Referências Bibliográficas

  • A rede – Free Software Foundation lança manifesto contra o ACTA
    (Publicado em 17/06/2010. Visualizado em 20/06/2010.)
  • Berridge, E. – Free Software Foundation calls for ACTA fight
    (Publicado em 17/06/2010. Visualizado em 20/06/2010.)
  • Blincoe,R. – Software freetards demand axing of ACTA: Anti-anti-counterfeiting clamour
    (Publicado em 17/06/2010. Visualizado em 20/06/2010.)
  • Boxbyte- La FSF inicia su campaña anti-ACTA
    (Publicado em 18/06/2010. Visualizado em 20/06/2010.)
  • Conti, F. – Petição da FSF contra o ACTA
    (Publicado em 17/06/2010. Visualizado em 20/06/2010.)
  • Cooter, M. – Stallman sets out hisstall on ACTA
    (Publicado em 17/06/2010. Visualizado em 20/06/2010.)
  • Delahunty,J. – FSF “firm, simple” declaration takes aim at ACTA
    (Publicado em 17/06/2010. Visualizado em 20/06/2010.)
  • FSF- Support a firm, simple declaration against ACTA
    (Publicado em 16/06/2010. Visualizado em 20/06/2010.)
  • Hack-Master- ACTA, otro atentado contra nuestras libertades, ¡NO LO PERMITAS!
    (Publicado em 18/06/2010. Visualizado em 20/06/2010.)
  • Soulskill (Slashdot) – FSF Starts Anti-ACTA Campaign
    (Publicado em 17/06/2010. Visualizado em 20/06/2010.)
  • Stallman, R.- Why The Firm, Simple Declaration Against ACTA
    (Publicado em 16/06/2010. Visualizado em 20/06/2010.)
  • Thomson,I. – Stallman and FSF start anti-ACTA campaign
    ou em
    http://www.v3.co.uk/v3/news/2264896/stallman-fsf-start-anti-acta

    ou em
    http://uk.news.yahoo.com/16/20100617/ttc-free-software-foundation-starts-anti-6315470.html

    (Publicado em 17/06/2010. Visualizado em 20/06/2010.)
  • Vecchio,M.- FSF: ACTA punirà i netizen
    (Publicado em 17/06/2010. Visualizado em 20/06/2010.)
  • Wilson,D. – Stallman and FSF start anti-ACTA campaign
    (Publicado em 17/06/2010. Visualizado em 20/06/2010.)

  • Powered by ScribeFire.

    Seguir

    Get every new post delivered to your Inbox.

    Junte-se a 66 outros seguidores