Actualizações no Nixware e Debian Dicas – Debian 6.0 Squeeze já disponível

Links para actualizações nos blogs Nixware e Debian Dicas:

via Debian

https://i2.wp.com/www.cafe-libertad.de/shop/media/catalog/product/cache/2/image/5e06319eda06f020e43594a9c230972d/d/e/debian3.png

Powered by ScribeFire.

Resmas de distros abandonam Ubuntu e regressam à Debian

Diversas distros baseadas no Ubuntu regressam às origens Debian

Mais no Nixware.

via Debian

E toca a darem olhada à fantástica #!CrunchBang e claro à mãe de todas elas a FABULOSA Debian.

Powered by ScribeFire.

FLOSSNEWS: SCO/microsoft vs UNIX e truques baixos do ms-Bing

Mais info sobre estes temas no NIXWARE.

https://i0.wp.com/www.katonda.com/sites/default/files/userfiles/image/Web/Browsers/Bing.png

Powered by ScribeFire.

FLOSS news: Classmate Magalhães e as jogadas de bastidores da microsoft

Escrevi hoje mais uma entrada no projecto Nixware, dêem olhada!

[update: no Twitter de Paulo Vilela, leio esta interessante frase: “Comissão de inquérito FCM: no programa e-escola a solução Linux custou 5,90 €, a Microsoft 70 €. Em 800.000 PCs dá 51.280.000 € de diferença”]

Powered by ScribeFire.

FLOSS News: ODF na Europa, routers e botnets, Ubuntu usa E17

Aqui ficam algumas notícias sobre estes temas, dêem olhada no Nixware 🙂

Elve Gem

Powered by ScribeFire.

Concurso para o Classmate Magalhães II, a pouca vergonha continua

O site de notícias de Informática entre outras, do Sapo, o TEK, tem uma notícia que é de bradar aos céus e que mais uma vez demonstra bem como se fazem as coisas neste país, como se coloca em causa a livre concorrência e se protegem monopólios usando o erário público.

Trata-se do artigo Fabricantes levantam caderno de encargos para o e-escolinha, a partir do qual tomamos conhecimento que Na componente de software volta a ser exigido o dual boot, com a possibilidade do portátil ser utilizado com os dois sistemas
operativos, a pré-instalação do pacote de aplicações Microsoft Office
(…)”.

Isto é simplesmente impressionante, ou melhor, é COMPLETAMENTE ILEGAL.

Como raio faz parte do concurso a obrigatoriedade da pré-instalação do ms-office?

Não existe a mínima razão para tal facto, isto é um completo abuso.

1º Com esta obrigatoriedade coloca-se em causa a livre concorrência

2º ao colocar-se em causa a livre concorrência, coloca-se em causa o racional uso dos dinheiros públicos

3º esta situação como descrevi noutra entrada indica que “Segundo esta interessante notícia no site do Observatório e Repositório de Software de fonte aberta, OSOR, muitos dos concursos que as Administrações Públicas (AP) fazem para a aquisição de software, podem ser ilegais uma vez que ILEGALMENTE beneficiam, favorecem, as aplicações proprietárias.
Mas o mais interessante é que parece que neste caso apenas se trata de um concurso tendo em vista hardware.

deve-se ensinar às crianças CONCEITOS E NÃO PRODUTOS.
como tal seria lógico que se ensinasse a usar processadores de texto, folhas de cálculo e software de apresentações e não marcas, logo o mais lógico seria a utilização de software deste tipo que fosse multi-plataforma, casos do OpenOffice, Koffice, Abiword, Gnumeric,  etc.

5º como indico no ponto anterior existem alternativas que fazem exactamente a mesma função e que são gratuitas ou mais baratas casos de outros exemplos deste tipo de software mas comercial, como o Staroffice, Lotus Symphony ou do Corel entre outras.

as vantagens do uso de software livre são óbvias, para além de ser gratuito a sua licença permite o seu uso livre quer por empresas quer por particulares, sendo o seu código aberto mais tarde os petizes d’agora poderão tornar-se amanhã nos programadores dessas mesmas aplicações.
Essas aplicações de Software Livre respeitam a utilização do formato ODF, padrão aprovado internacionalmente e que inclusive é obrigatório o seu uso pelos países da NATO, Portugal presumo que esteja incluído.
Não param de crescer os países que têm tornado este formato aberto e livre, que por todos pode ser implementado, quer por software comercial quer por software livre, no seu formato padrão de ficheiros de escritório.

7º diversos países ricos Europeus têm vindo a adoptá-lo nos seus Ministérios, casos da França, Alemanha entre outros, tendo agora mesmo sido adoptado como padrão pela empresa pública de tv da Noruega a par dos formatos livres de vídeo e audio ogg (vorbis e theora).
Por cá também é usado por exemplo pela Radio Popular que apenas usa nos seus sistemas Software Livre como se pode verificar nos seus POS quando efectuamos compras nestas lojas.

8º é usado pelo Banco do Brasil e claro faz parte do projecto de Munique bem como é padrão na Gendarmerie francesa.

9º a Assembleia da Republica já votou o seu uso

10º a suite de escritório da microsoft, não respeita a norma ODF, isto apesar de supostamente permitir gravar e abrir documentos neste formato padrão internacional, mas o que é facto é que diversos testes demonstraram que a implementação da microsoft não respeita o formato e causa mais uma vez problemas de INTEROPERABILIDADE.
Aliás, há sérias preocupações de que o desrespeito pelo formato ODF por parte da microsoft se insiram na sua habitual estratégia de descredibilizar o formato, tentando assim manter o lock in/dependência dos utilizadores através dos seus formatos proprietários.

11º para crianças que estão a iniciar-se na utilização de computadores, sistemas operativos e aplicações, é-lhes indiferente usarem qualquer tipo de sistemas e aplicações, elas têm a capacidade de apreender todos eles e de não colocarem de lado algo novo ou que não estejam habituadas a usar

12º se pensam que a microsoft dá alguma coisa a alguém e nomeadamente ao Estado português, pensem duas vezes e já agora consultem a base de dados do Transparência-pt.org, onde podem verificar que dos nossos bolsos já saíram quase 25 milhões de euros para a microsoft.

Powered by ScribeFire.

Google apresenta o seu futuro Sistema Operativo ChromeOS

[update: o amigo Lusitano lembrou-me e bem, deste excelente artigo onde Richard M. Stallman mostra os perigos da computação na núvem; “Web-based programs like Google’s Gmail will force people to buy into locked, proprietary systems that will cost more and more over time, according to the free software campaigner”]

Hoje a google apresentou o que virá a ser o Sistema Operativo da empresa baseado em código aberto, o ChromeOS, que verá o seu lançamento algures em 2010.

Google Chrome OS Event

… and one of the wallpapers that are included:

 


Chrome OS is a lightweight Linux distribution based on Debian that uses a lot of open-source software: Host AP Linux drivers,PAM (an authentication mechanism), Syslinux (a lightweight bootloader), IBus (Intelligent Input Bus for Linux / Unix OS),ConnMan (Internet connection manager), XScreenSaver andother software.

O ChromeOS será baseado em diverso código livre, como é o caso do kernel linux, bem como do seu browser também ele usando software livre de projectos como o Webkit, o mesmo motor de rendering do browser Safari da Apple e que nasceu do código KHTML do projecto KDE que o usa para o seu browser Konqueror.

Básicamente o novo sistema operativo da google será o seu browser que já neste momento podemos usar em diversos sistemas operativos, como as diversas distribuições de GNU/Linux, ms-windows e macosx.

Tudo gira em torno dele, as aplicações estarão quase todas na rede internet, na cloud, onde já hoje trabalhamos muitas das vezes.

Gmail, Google Docs, Picasa, youtube, etc etc, tudo estará nas diversas abas que o browser abre, incluindo aplicações que poderão estar no nosso computador, netbook!

Podem saber mais aqui.

What is Google Chrome OS?

Google Chrome OS UI Concept Video

Chromium OS

Chromium OS is an open-source project that aims to build an operating system that provides a fast, simple, and more secure computing experience for people who spend most of their time on the web. Here you can review the project’s design docs, obtain the source code, and contribute. To learn more about the project goals, read the announcement blog post.

Chrome OS:
– instant boot
– Chrome on Chrome OS is faster
– every app is a web app
– all data is in the cloud
– browser security model

 

Demo:
– 7 seconds boot time
– the UI is a work in progress
– easy to access favorite apps
– app menu
– panels: persistent lightweight windows (example: Google Talk)
– file browser
– local files open in web apps (including Microsoft Office online apps)
– native video player

Posso estar enganado mas pelo que vi se calhar a google poderia ter aproveitado o trabalhado da distribuição gOS.

A ver vamos no que dá, quanto mais players no mercado melhor, mais concorrência é sempre saudável no mundo dominado pelo monopólio da microsoft.

Mas esqueçam, que não o podem instalar nos vossos computadores!

Market:
– reference hardware
you can’t download Chrome OS and install it on your machine
– the target launch time: the end of next year

[via googlesystem]

=-=-=-=-=
Powered by Bilbo Blogger


Powered by ScribeFire.