FLOSS_News: Magalhães com dias contados na América latina? Google arranja ms-IExplorer

Depois de ler esta entrada do site dicas-l, questiono-me sobre o futuro do classmate magalhães do putativo engº Sócas na Venezuela e restante América Latina.

É certo que este YeeLoong8089 Notebook poderá ainda não estar preparado para aguentar o uso dado por uma criança, mas se a América Latina pretender elevar a fasquia e começar a distribuir este tipo de máquinas a idades um pouco mais elevadas, como por exemplo preparatória e secundária, este tipo de equipamento está mais que conseguido, uma vez que o seu target é desde já estudantes, e até profissionais.

Este netbook da chinesa Lemote, tem características bem interessantes que o colocam com uma performance ao nível de um intel P4, CPU Loongson MIPS de 64bits, low power, 512/1024Mb de RAM, disco de 160Gb ou SSD de 8G, LCD de 8.9”, basicamente tudo o que um normal netbook tem, e ainda com a enorme vantagem de todos os seus componentes terem sido escolhidos para suportar Software Livre a sério, incluindo o BIOS que também é software livre, não é dito mas presumo que seja o BIOS do projecto OpenBIOS; descobri que afinal usa o PMON2000, com uma licença BSD.

Claro que o sistema operativo que lá corre também é livre, desde a distribuição completamente livre gNewSense sem os ‘blobs’ que tornam algumas das outras distros um pouco menos livres em virtude do kernel linux conter os tais ‘blobs’.
A gNewSense na sua mais recente versão a 2.3 deltah até foi ao pormenor de retirar tudo o que tivesse a ver com o cavalo de Tróia, ms-novell-mono.

gNewSense 2.3 Screenshots

A decisão do governo do Reino Unido de dar emprego a ex-hackers (esta coisa de ex no artigo do theregister, presumo que queira dizer que continuam a ser HACKERS e não crackers, mas que serão agora white hackers, pela parte que me toca agora é que são BLACK hackers) parece que não foi muito bem recebida por um HACKER muito conhecido (Mathew Bevan, aka Kuji) bem como por um especialista em segurança, relata o theregister.

Parece que os rapazes malandros, “naughty boys”, como lhes chama o czar da segurança lá do sitio, Lord West, deverão, ou deveriam ter um papel importante na cyberdefesa do Reino Unido, segundo o jornal sunday express, o MI5 já teria contratado cerca de 50 adolescentes todos asiáticos, para trabalharem num projecto super secreto de segurança, sendo que os contratos que assinaram não lhes permitem dizer nada do que fazem nem aos pais.

Mas algumas suspeitas foram levantadas pelo Kuji, pergunta ele porque raio é que são chamados de malandros se não têm qualquer registo criminal? Como é que chegaram aos ouvidos do GCHQ (a NSA do UK), se não foram apanhados? Se o tivessem sido deveriam ter registo criminal!

Kuji vai ainda mais longe e afirma que não tem conhecimento de Hackers que tenham sido convidados a participar de tal programa, a verdade é que para contratar este tipo de especialistas, 50, estes teriam de ter sido apanhados, se não o foram e se não se sabe de convites, então o UK teve de contratar outsourcing da Índia ou China, mas como é que esta gente passou o crivo da segurança necessária para trabalhar em projectos como este?

Já há tempos alguns especialistas em segurança informática do UK haviam questionado as decisões do governo em adquirir para a sua infraestrutura de redes do país tecnologia da chinesa Huawei em virtude desta poder ter trojans.

Segundo o mesmo Hacker, isto não passa de uma psyops à primeira vista apenas com o objectivo de demonstrar que o UK também está a seguir a Administração de Obama que supostamente está a contratar hackers.

Até porque não faz qualquer sentido que se venha com notícias como esta que vem em sentido contrário do que o UK está a tentar por todos os meios extraditar para os EUA um Hacker, que seria engraçado que no fim viesse a trabalhar para a Admin Obama, embora UK e USA sejam no fundo a mesma coisa, ou melhor UK continua a ser o manda-chuva da elite da NWO!

Secret teen hacker army ridiculed • The Register

Ferguson’s critique of “schoolboy tales of hiring ‘naughty boys’ for hi-tech derring-do” can be found here.

Partido Pirata do Canada cria tracker de bittorrent

Segundo o torrentfreak, o PP do Canadá que está em vias de ser legalizado, enquanto não o é e para não perder tempo vai criando o seu próprio tracker de bittorrent.
O objectivo é demonstrar que a PARTILHA de ficheiro não é uma ameaça, mas uma grande oportunidade para os artistas promoveremo seu trabalho.

Pirate Party Canada Starts a BitTorrent Tracker | TorrentFreak

“We’re starting a BitTorrent tracker to show artists how to properly use P2P technology in order to gain access to a cheap and efficient marketing and distribution network,” Pirate Party spokesman Jake Daynes told TorrentFreak.

“In addition we hope to show the public that P2P is not only for ‘illegal’ activity, and that it can be used to allow aspiring artists access to the global stage. A tracker is the epitome of filesharing, and one of our platform ‘planks’ as it were, is about the promotion of filesharing,”
Jake added.

Apresentação de Florian Schiessl: LiMux & WollMux: Free Software in Munich

Conforme já por aqui escrevi, o projecto de migração para software livre levado a cabo pela cidade alemã de Munique prossegue estando quase a chegar ao fim, mais dois anos e a cidade e a Alemanha no seu conjunto terá ganho a batalha contra o desperdicio quer de recursos quer de dinheiro e impulsionado fortemente a sua economia de TI.

O director do projecto Florian Schiessl afirma mesmo que desde que o projecto LiMux teve inicio que dos cerca de 4 milhões de euros gastos, quase 90% foram para empresas de Munique, muito especificamente para as PME’s.

Parece que continua a controvérsia à volta das apresentações criadas pela microsoft que a best buy usou numa formação dos seus vendedores e que continham verdadeiros ataques ao software livre, incluindo verdadeiras MENTIRAS como se podem ler por aqui – Microsoft’s Latest Anti-GNU/Linux Moves Are Sign of Agony

Mas os senhores de Redmond que continuam a mentir com quantos dentes têm, como fica bem demonstrado pelas contradições entre o discurso e as acções, não se ficaram por aqui, segundo Jim Zemlin da Linux Foundation, a microsoft tem tentado dissiminar o seu discurso de FUD, usando proxys, ao largar 22 patentes relacionadas com o Linux por forma a que as chamadas empresas que apenas vivem de patentes, Patent Trolls, as adquiram por forma a fazerem o trabalho sujo que a microsoft não pode fazer directamente por forma a manter o seu discurso hipócrita que vem sendo desmentido inclusive pela DELL.
Microsoft attack Linux at the retail level

Microsoft Linux-bashing hits a nerve

Inaccurate statements include the assertion that Linux vendors offer no authorized support, and that iPod or video chat support is not available on Linux. One particularly laughable statement is that Linux is not as secure as Windows 7.

In fact, security continues to be a problem for Windows, as reported by our sister site, eWEEK, yesterday. Redmond is now trying to assure nervous customers that the serious bug that recently hit the Windows 7 Release Candidate will be fixed by the time of next month’s product release, says the story.

Microsoft Linux-bashing hits a nerve

Yesterday, Linux Foundation executive director Jim Zemlin was more forthright in making this allegation. In a blog entry, Zemlin writes, “Thus, by selling patents that target Linux, Microsoft could help generate fear, uncertainty, and doubt about Linux, without needing to attack the Linux community directly in their own name.” He goes on to write, “It’s time for Microsoft to stop secretly attacking Linux while publicly claiming to want interoperability.”

Google arranja ms-IExplorer

Para terminar aqui fica uma notícia que deve ter provocado mais uns quantos lançamentos de cadeiras pelo campeão deste tipo de desporto, o senhor Steve Ballmer.

Parece que o google em vez de estar a bater sempre na mesma tecla de ter de desenvolver código para os browsers como devem de ser e que seguem os padrões como o seu Chrome, o Firefox, Opera e Safari, resolveu arranjar o ms-IExplorer com vista a este passar a ter uma máquina de javascript a sério e cumprir com alguns dos critérios das tags HTML5.

É claro que isto não é inocente mas de qualquer forma a todos nós beneficia, incluindo as pessoas que já viram a luz e que há muito que não usam a trampa do browser da microsoft ou nem sequer qualquer coisa que de lá venha como os sistemas operativos, preferindo usar Software Livre e formatos e protocolos livre e abertos.

Como dizia, esta atitude da google não é inocente, mas como a google quer fazer evoluir a rede usando padrões livres e abertos que tanto têm dado à google (google funciona sobre gnu/linux entre outro software livre), precisa que todos nós tenhamos à disposição ferramentas que possam cumprir com esses requisitos, como tal e em virtude do seu fabuloso projecto Google Wave, vai de arranjar o ms-IE.

Microsoft howls as Google turns IE into Chrome • The Register

Updated Google is offering a new Internet Explorer plug-in that turns Microsoft’s browser into a Google browser. And in predictable fashion, Microsoft is peeved.

As it prepares to grant widespread access to the preview version of Google Wave – its new-age communications platform
Google has fashioned an IE plug-in that equips Microsoft’s
future-challenged browser with the rendering and JavaScript engines at
the heart of Google Chrome. Among other things, this introduces IE to
the world of HTML5
, the next generation hypertext markup language that
Microsoft is, shall we say, rather slow to adopt.

Resumo ‘VII Encontro Nacional de Tecnologia Aberta’ – o Software Livre em Português

[update: vídeo da apresentação de Paulo Trezentos da CM, O Adepto do Software Livre]

Ontem decorreu no auditório da Lispólis, Forum Tecnológico de Lisboa mais um encontro da comunidade do Software Livre em Portugal, especialmente a comunidade empresarial, com a Caixa Mágica, Sybase e ESOP na linha da frente.

De linux2009

Entre os presentes estavam para além, da Caixa Mágica e Sybase que organizam já há 7 anos este encontro, a Red Hat, Novell, Nokia, Scalix, e algumas das empresas que compõem a ESOP, como a Ângulo Sólido e a DRI, entre outras.

De linux2009

Infelizmente não deu para estar em todo o lado 😦 e como os tempos das diversas apresentações nunca são cumpridos, nem sequer o início do encontro, lá perdi a apresentação da ANSOL :(, uma vez que penso que esta terá ocorrido a quando da apresentação da Nokia e do seu N900 bem como da IPBRICK no andar de cima.

Fazendo um pequeno apanhado do que por lá se passou e deixando por aqui algumas fotos é o meu objectivo….

De linux2009

Ora lá vamos!

De linux2009

Infelizmente a apresentação de abertura foi muito mas muito má, e teria tudo para ser muito interessante se por acaso tivessem escolhido a pessoa certa para a apresentar, o que não foi o caso.

A apresentação era sobre um estudo levado a cabo em Espanha em que se pretendia obter informação sobre as potencialidades do software livre na criação de riqueza, emprego e conhecimento.
O estudo ainda não está online e supostamente foi ontem apresentado em 1ª mão, nada vos posso dizer sobre ele,porque sinceramente não percebi patavina do que o representante da CENATIC disse!
A apresentação foi feita em inglês por Pop Ramsamy, que deverá ser uma óptima pessoa, provavelmente um excelente técnico, mas falar perante o público para fazer uma apresentação de nada sabe….

Do muito pouco que percebi é que o CENATIC é um projecto estratégico do governo espanhol para o Open Source, i think!!!
Nele o Ministério da Indústria deverá apostar até 10 milhões de euros.

De linux2009

De seguida e já muito habituado a estas andanças foi a apresentação de Paulo Trezentos o CTO da Caixa Mágica.
As suas apresentações são sempre, pelo menos as que tenho assistido, rápidas e elucidativas, não perde tempo com com nada do que não interesse.

Falou-nos do enorme sucesso da CM já com cerca de 650.000 sistemas instalados e do grande sucesso que têm sido os portáteis do programa e-escolas onde cerca de 10% estão a usar continuamente GNU/Linux, isto tendo em conta a info obtida pelos diversos updates da CM.

A sua apresentação começou com um toque de humor ao apresentar uma vídeo montagem com imagens do debate dos blogs em que teve como protagonista o putativo engº Sócrates, usando para tal uma pergunta do próprio Paulo Trezentos também ele presente nesse debate e ao qual e sobre uma pergunta relativa ao Software Livre em Portugal, Sócrates resolve falar bem da microsoft e dos famosos acordos entre o nosso desgoverno e a dita empresa.

Paulo Trezentos falou ainda das parcerias com o projecto Ensino Livre e a ESE (Escola Superior de Educação de Santarém) bem como de uma parceria com o governo de São Tomé e Principe relativa ao OpenOffice o qual lá se chama STP Office por forma a aproximá-lo mais do coração das pessoas e tendo em vista a ser adoptado pela Administração Pública daquele país.

Falou ainda sobre um novo projecto da CM, o dudf.caixamagica.pt, o qual é baseado no projecto da UE, MANCOOSI que tem como objectivo definir um formato específico de relatório para os problemas resultantes de uma instalação defeituosa de pacotes.

De linux2009

Seguiu-se Eduardo Taborda da Sybase, o qual colocou mais em foco a área comercial do Software Livre, mais concretamente a questão,

“Como Optar”….
– cumpre requisitos funcionais da organização?
– serve os utilizadores?
– é o mais económico?
– integra com os já existentes

O representante da Sybase afirmou que a “principal dificuldade é a resistência à mudança”.
Para a Sybase o mote é, INTEROPERABILIDADE=LIBERDADE

Falou do exemplo da mudança de software proprietário para livre na cidade de Munique e da apresentação interessante que Florian Schiessl havia feito no ano anterior, sobre o projecto LiMux.


Florian Schiessl: LiMux & WollMux: Free Software in Munich

“O pessimista queixa-se do vento, o optimista espera que mude, o realista ajusta as velas” – William Ward

Depois de um intervalo, foi a vez de Pascal Lauria da Scalix fazer a questão “Is there a real alternative to ms-exchange?”

Segundo a Forrester, cerca de 49% das empresas estão a avaliar alternativas ao ms-exchange, especialmente as alternativas livres.
Outra questão que há anos nem sequer se equacionava era o outsourcing do mail interno de uma empresa, cerca de 28% das empresas já colocam essa possibilidade, daí se compreender de alguma forma a previsão da Gartner que em 2012 cerca de 20% das empresas terão migrado para esse tipo de infraestrutura.
Mais um meio de quebrar o lockin que o representante da Scalix tão bem explicou, a verdadeira dependência que o software da microsoft promove, e os seus elevadissimos custos.
A recomendação da microsoft para o ms-exchange pode custar até 200mil dólares.

De linux2009

Um exemplo dessa mudança ocorreu ainda há pouco tempo com o grupo dos serviços postais da Nova Zelândia a mudar da microsoft para o google Apps.

Um dos sucessos da Scalix em Portugal é o INE.

De linux2009

Depois da Scalix seguiu-se a apresentação interessante e bem apresentada, por parte do representante da Red Hat, Jan Wildeboer, um holandês.
A malta da Red Hat não brinca em serviço e veste literalmente a camisa, o Jan andava com uma camisa branca da Red Hat e claro o famoso Fedora, o chapéu vermelho da RH.

O Jan começou por falar dos números da Gartner a qual não tem em muito crédito uma vez que afirmou que a Gartner diz o que quem paga os seus serviços quer ouvir, de qualquer forma e segundo esta de 2008 a 2011, 85% das empresas usam Open Source.

Mencionou o OpenMAPI, e reforçou a ideia, se dúvidas existissem, que todo o software que a Red Hat desenvolve é 100% Open Source.
Passou ainda ao de leve pelas peripécias daquilo a que chamou o ohhh ohhh xml (ms-ooxml), e das suas 7.228 páginas para o implementar bem como da palhaçada que foi a implementação da microsoft do formato aberto e livre ODF, no seu SP2 do ms-office 2007, o qual como por aqui escrevi, é uma autêntica fraude da microsoft, mais uma vez provando que a sua ideia de interoperabilidade é apenas e só relações públicas para pseudo jornalistas mal informados.

O representante da RH sendo holandês afirmou ainda que a Holanda tem uma política que obriga a usar padrões abertos, o projecto Noiv, uma lista de padrões abertos.

Falou ainda do que se passou em Munique, relativamente à sua mudança da microsoft para o seu projecto livre baseado em Debian GNU/Linux, o LiMux e de como os custos das migrações são devidos às anteriores aplicações proprietárias e não devido às novas que seguem padrões.
Para reforçar esta ideia indicou mesmo que a quando do inicio da mudança em Munique, ao serem contactadas as empresas das quais a cidade de Munique tinha aplicações, 75% destas não responderam e 15% já nem sequer existiam.

Lá se vai mais um mito de que se pode confiar nas empresas de software proprietário e no seus produtos e de que estes estarão sempre aqui.

De linux2009

Logo a seguir à RH veio o senhor da m$-Novell, é mesmo assim como escrevo, a Novell já é mais microsoft que outra coisa qualquer, o caro João Batista mais parecia o putativo engº Sócrates, falava mais da microsoft e do ms-novell-mono do que de Software Livre e Open Source.
Teve mesmo um lapsus linguae, tendo numa parte da sua apresentação trocado Novell por microsoft….
Eles lá sabem!

A única coisa que interessou da apresentação foi mesmo saber a distinção entre o SLES/SLED e o OpenSuSE, este último é uma versão BETA, de desenvolvimento tipo a Fedora para a RH.
De qualquer forma quer o SLES quer o SLED podem ser usados sem qualquer custo tendo mesmo 60 dias de suporte grátis, a única diferença é que caso não se pague o suporte os upgrades têm de ser feitos à manápula, sem aplicação automática para os fazer.

Um conselho de amigo, querem realmente usar Software Livre, quer em Desktop quer em Servidores, fiquem-se pela Debian, Red Hat, CentOS, Whitebox, *buntu, Fedora.

De linux2009

Antes do almoço foi a vez do pequeno debate sobre estas coisas do Software Livre e da INTEROPERABILIDADE e PADRÕES, moderado pelo Paulo Querido, ao qual também esteve presente um representante da microsoft e um dos boss da Novell, infelizmente não fixei o nome destas criaturas!

Uma critica à organização, não creio que o debate deva acontecer a meio do encontro, não sei se existe disponibilidade de agenda das pessoas convidadas, mas o melhor seria que ficasse para o fim, para não se estar à pressa e as pessoas fazerem perguntas.

Do debate destacam-se as perguntas e criticas acertadas quer de pessoas da plateia incluindo um dos representantes da ESOP, o Gustavo Homem da Ângulo Sólido quer do representante da Scalix e da Red Hat.

As criticas andaram à volta da Interoperabilidade ou ausência dela, das muitas palavras e poucas acções da microsoft nesse sentido, do porquê da RH achar que o ms-novell-mono é um perigo, uma vez que só é coberto pelo acordo ms-novell e toda a restante comunidade fica a um passo de ser processada;
Jan da RH afirma que as usar software da parceria ms-novell, podem existir problemas legais no uso e correcções que a RH possa ter de efectuar, por isso mesmo não usa nem recomenda o ms-novell-mono.

Outra pergunta foi relativa à ausência de substitutos do autocad e ms-project, ao qual o representante da RH afirmou que esta está mais focada na Infraestrutura do que no mercado de aplicações e que não é fácil aparecer de um dia para o outro alternativas a estes programas com anos de existência, de qualquer forma segundo a RH o importante é focarmo-nos na utilização de padrões.

Já agora relembro que existem alternativas a estes dois programas, o problema é que as pessoas estão tão viciadas no software proprietário que fomenta a dependência que nem sequer se dão ao trabalho de experimentarem e habituarem-se a alternativas, incluindo até outras proprietárias, como o ARCAD.

Do lado da microsoft esteve sempre presente a banha da cobra, bla blabla interoperabilidade,bla bla bla 20mil linhas de código para o kernel linux, mas claro o caro representante de Bill Gates e companhia esqueceu-se de mencionar que A boa vontade da microsoft afinal deveu-se à batota desta, mais uma vez!

Como bons cachorrinhos os senhores da Novell lá batiam a pala ao dono e mais bla bla sobre o ms-novell-mono…

De linux2009

Depois de uma questão levantada por um dos participantes na plateia, a RH afirma que é muito bonito toda a gente dizer que suporta e apoia padrões e interoperabilidade, mas a verdade e que quando existem concursos que permitam oportunidades iguais lá se vai a boa vontade, e é aqui que os politicos têm uma palavra a dizer.

Afirmou ainda que se a microsoft se preocupa tanto com a Interoperabilidade porque razão no seu SP2 do ms-office 2007, não foram ‘capazes’ sequer de implementar o ODF como deve de ser?!

O representante da Scalix que foi um dos mais aplaudidos durante o debate por afirmar de modo sarcástico que todos nós da plateia deveria-mos aceitar a proposta da microsoft e começar a submeter projectos de interoperabilidade à microsoft já que esta estava com tão boa vontade.

De linux2009

Gustavo Homem também levantou a sua voz ao afirmar que na realidade nunca existiu por parte da microsoft uma verdadeira vontade para a interoperabilidade, a microsoft segundo Gustavo Homem apenas faz o minimo para servir apenas como relações públicas, exemplo disso é a implementação do ODF onde não são implementadas as fórmulas.

De linux2009

Paulo Trezentos afirmou sem qualquer margem para dúvidas que durante a proposta do PCP para o uso de Software Livre na AR e na AP, a microsoft fez lobby contra essa iniciativa e que ele teve conhecimento disso enquanto membro da ESOP.

Finalizo esta parte do debate com uma questão que veio da plateia sobre o porquê de não poder-mos adquirir netbooks com software livre, ao que Paulo Trezentos acrescentou que não faz qualquer sentido que isso não aconteça uma vez que no projecto e-escolas 10% dos utilizadores usam gnu/linux, logo existe mercado.

Só não os vemos à venda exactamente pela deturpação que a microsoft faz do mercado, acrescento eu, ou como o representante da Scalix afirmou, não existe competição porque a microsoft pressiona os vendedores para que assim não aconteça.

E como isto já vai longo como tudo, termino por aqui o meu relato do que pude assistir neste encontro, ressalvando que ainda assisti à cool sessions da Nokia com o seu N900 o qual tive na mão e pude brincar um pouco com ele, é sem dúvida um smartphone fabuloso com capacidades ainda mais fabulosas, o processador ARM consegue estar a correr um video flash no firefox ao mesmo tempo que estamos a correr um jogo e tudo fluído.
Podemos ainda usar os repositórios da Debian para instalar software como por exemplo o OpenOffice, segundo uma das pessoas da Nokia, ele próprio tem configurados os repositórios para usar o poderoso APT.

Por último assisti ainda à pequena apresentação do Nuno Pinheiro e o seu Oxygen do KDE 4.X.

De linux2009

Se quiserem ver algumas fotos do encontro, dêem salto até à minha conta do google picasa.

Para o ano há mais!

De linux2009

Cavalo de Tróia ms-novell-mono e agora também canonical? Que opções e decisões tomar?

[update: em relação à distro gNewSense e directamente do seu forum – “Mono will be gone from the default install in 3.x. ” – http://wiki.gnewsense.org/ForumMain/WhatAboutMono ; óptimas notícias :)]

Apenas alguns links para umas tendências perigosas da empresa por trás do Ubuntu/Kubuntu/Edubuntu/Xubuntu URemix etc.

Estou com bastantes dúvidas se continuo a apoiar e a instalar distros como as da Canonical ou distros baseadas nesta.
Sim sou um bocado picuinhas quanto a estas coisas, detesto gente vendida e que não percebe ou não quer perceber que se seguirem por este caminho não muito à frente nele só existe um precipício.

Será que não conhecem o historial da microsoft? Será que não sabem que esta nunca jogou segundo as regras?

Chegado aqui questiono-me sobre o que usar, daqui a pouco ainda acabo é no FreeBSD+PC-BSD, tenho de ver como andam por lá as histórias do cavalo de Tróia ms-novell-mono.
Parece que também existe um porte do cavalo de Tróia para FreeBSD, mas não creio que esteja a contaminar os BSD’s.

Tendo em conta que a Debian é a distro do coração, é muito provável que volte a ela, desta vez usando uma Netinstall com testing/sid formando assim uma rolling distro sempre actualizada e sem esperar pela versão seguinte.

https://i1.wp.com/www.debian.org/Pics/lennybanner_indexed.png

Juntando à Netinstall o script smxi e mais algumas coisas como KDE/Xfce/E17/lxde/openbox/fluxbox, esta é sem dúvida a escolha que mais me atrai, embora dê mais trabalho.

Posso no entanto optar por uma das distros aconselhadas pela FSF, a Gnewsense tem o pequeno/grande problema de ser baseada em Ubuntu (embora tenha a vantagem de ser totalmente livre uma vez que retiram tudo o que não o seja, incluindo do kernel linux), mas creio que a Dynebolic, não oferece grandes problemas, existe ainda a hipótese do 64Studio.
Com alguns inconvenientes, serem baseadas em Ubuntu, a #Crunchbang a Debris ou a WattOS também são distros a ter em conta para hardware mais antigo e com menos power.
Há ainda a hipótese da Mepis e a AntiX que são totalmente baseadas em Debian e claro a sidux e a lindissima Dreamlinux totalmente Debian+Xfce+Awn+Compiz, bela leve e rápida.

meptools_0.jpg
https://i2.wp.com/crunchbanglinux.org/wiki/_media/screenshots/9.04-terminator-terminal-transparency.pnghttps://i1.wp.com/www.planetwatt.com/pics/d/161-2/conky.jpg

Gostei desta frase aqui numa discussão da 64Studio “I’m thinking you’ll be removing “all” mono code before the 3.0 final release. There seems to be traps laid and waiting
to spring at a future date, users can install mono if they want to.”

Outra possibilidade que se me afigura muito interessante é a versão do Elive, Debian+E17, que dentro de pouco tempo passará a sua versão de desenvolvimento a ser baseada na unstable, aka sid, da Debian, sendo assim uma rolling distro interessante.

Bom a ver vamos o que vai ser?!!!

Para já ando em experiências com a Debian testing e a #crunchbang, são as duas muito rápidas e fáceis de instalar, a #crunchbang usa Rhythmbox 🙂 acho que tb fogem ao cavalo de Tróia, mas claro nasce da Ubuntu e como tal não posso usar os pacotes unstable da Debian.

P.S. já agora e tendo em conta as posições da FSF em relação ao cavalo de Tróia ms-novell-mono porque raio a GnewSense não é totalmente Debian?
Até tinha vantagens com o script smxi, uma vez que este só suporta distros totalmente compatíveis com a Debian.

Ubuntu Free Speech Zones « mono-nono

Eventually, the Ubuntu Forums set up a “Free Speech Zone” of a thread called “Monolith” in a sub-forum of a sub-forum of a sub-forum. There’s a pathetic attempt at pretense: “We do not want to silence them and in fact encourage Civil debate.”

Uh no. Just say you don’t want anymore mono criticism and be done with it. I despise people that feign neutrality. If you have a position, announce it and defend it. Don’t dance around like you have no bias and then pull some BS like the Free Speech Zone. It’s dishonest and transparently so.

Why Novell and Ubuntu Suppress Opposition of Mono | Boycott Novell

Ubuntu does not even deny suppressing opposition to Mono anymore. What a spit in the face of the FSF and the large majority of the GNU/Linux users out there, who agree with the FSF. Ubuntu suppressed Mono opposition before and even eliminated it (it disappeared, according to Jason), which is what led to the creation of the Mono-Nono Web site on the face of it.

At Novell, Polluting GNU/Linux with Microsoft Technologies is “Taking Over the World” | Boycott Novell

Fedora has already forbidden Moonlight. We also happen to know that some unnamed Red Hat seniors are unhappy with Mono. BLAG, a derivative of Fedora is already in the process of removing Mono indefinitely.

A promessa vazia da microsoft em relação ao ms-novell-MONO(poly)

Directamente do site da GNU a explicação do porquê de não poder-mos confiar na recente promessa da microsoft relativamente ao ms-novell-mono.

[GNU/FSF Press] Microsoft’s Empty Promise

Last week, Microsoft extended the terms of their Community Promise to implementations of the ECMA 334 and 335 standards. You might think this means it’s safe to write your software in C#. However, this promise is full of loopholes, and it’s nowhere near enough to make C# safe.

A loucura continua pelos lados dos projectos GNOME ms-novell-mono(poly)

[update: uma interessante entrada no site mono-nono que desmascara quer a novell quer o senhor Icaza, já em 2004 ele havia dito que ia haver dois ramos de ms-novell-mono, será que podemos acreditar neste senhor? Pelo que se tem visto, não creio!]

Como afirmei na entrada anterior, não  se pode confiar em Miguel Icaza e seus generais quando este com grande conhecimento de causa, uma vez que é vice-presidente da novell, sempre disse que não havia problemas nenhuns com o ms-novell-mono, até a microsoft ter dito mais qualquer coisita e ter feito uma promessa da tanga, agora pelos vistos sempre havia problemas, uma vez que o agente infiltrado da microsoft, Señor Icaza dividiu o desenvolvimento do mesmo.

Se já eram perigosas as afirmações de Icaza quando disse que o GNOME 4.0 seria escrito em ms .net, parece que é bem provável que assim venha a acontecer, uma vez que o  software Banshee que já de si tem o inconveniente de ser escrito em c#/ms-novell-mono, parece que vai ainda sofrer mais um upgrade para se tornar ainda mais perigosa a sua utilização e distribuição em conjunto com distros de software livre.

Estes senhores que tanto criticaram a equipa do KDE por ter começado com uma biblioteca não livre, a QT, que neste momento já é totalmente livre segundo a GPL, preparam-se para reescrever aquilo que já era mau por usar tecnologia proprietária da microsoft, mas ainda dão um passo em frente e vão usar no futuro Banshee, ms-novell-moonlight.

Apenas uma questão aos nossos amigos da Canonical e até da Debian, especialmente desta última, os senhores vão continuar a deixar entrar este cavalo de Tróia nas vossas distros? E os vossos utilizadores?

Banshee UI to be in Moonlight « mono-nono

Yes. That’s right. According to the GCDS 2009 presentation notes on the Banshee site, we learn lots of nice stuff about Banshee:

“It’s not just an app, it’s a platform”.

* Long term goal is to write the UI in Moonlight
o Declarative UI, canvas, scene graph, and toolkit
o Moonlight is an Open Source implementation of Microsoft’s Silverlight technology … and it is awesome

“Banshee is going to do photos”

“We are re-basing the F-Spot core on top of Banshee”

Mono Applications Get Integrated with Microsoft Moonlight | Boycott Novell

Summary: Novell-sponsored Mono software gets extended so as to make it interconnected with Microsoft Moonlight, a “forbidden” component by Red Hat’s assessment

Ainda o ms-novell-mono(poly) desta vez através do Software Freedom Law Center

A propósito do artigo de RMS sobre os usos do ms-novell-mono, na página do Software Freedom Law Center, encontra-se um interessante artigo de Bradley M. Kuhn.
Considerations on Patents that Read on Language Infrastructure – SFLC Blog – Software Freedom Law Center

I’ve been thinking about an extension of that argument: that language infrastructure created in a community process is likely more resilient against attacks from proprietary software companies.

Considerations on Patents that Read on Language Infrastructure – SFLC Blog – Software Freedom Law Center

In the case of the community-designed and Free-Software-implemented languages, the patent risk is likely spread across many companies, and mitigated by the fact that few have probably filed patents applications designed specifically to read on the language and its implementation. Since various individuals and companies contributed to the development and design, and because it was a process run by the community, it’s unlikely there was a master plan by one entity to apply specifically for patents on the language. So, while there are likely many patents that read on the implementation, a single holder is unlikely to hold all the patents, and those patents were probably not crafted for the specific language.

Considerations on Patents that Read on Language Infrastructure – SFLC Blog – Software Freedom Law Center

Make good choices (like avoiding C#, as RMS suggests, and favoring languages like Perl, Python, PHP and C), and get on with your work.

Powered by ScribeFire.

FLOSS_NEWS: A revolução de Munique; KDE Kontact vs Evolution; Linux numa pen; 20 ferramentas fabulosas

Eis algumas notícias interessantes do mundo do Software Livre que tenho vindo a ler e que algumas delas encontrei através da fantástica “lista telefónica” que é o Roy Schestowitz no meu Gwibber/Chokoq 🙂

Começando pelo fabuloso trabalho que Florian Schiessl a pessoa que se encontra à frente do projecto de migração da cidade de Munique de tecnologias proprietárias e caras da microsoft, para Software Livre que para além das vantagens já conhecidas dos custos, superioridade tecnológica, inovação e qualidade, ainda irá permitir mais algumas, como a criação de postos de trabalho e desenvolvimento na Alemanha.

Mas não é só a cidade de Munique que está a receber a revolução do Software Livre, a Alemanha tem apostado fortemente na utilização deste tipo de tecnologias, como é o caso do sensível Ministério dos Negócios Estrangeiros que está completamente a funcionar sobre GNU/Linux desde servidores aos portáteis dos diplomatas.

Uma discussão interessante também no slashdot

Por cá, é o que já se sabe, Portal da falta de transparência que nos desgoverna.

KDE Kontact vs Evolution

Desde sempre, ou quase, uma vez que em 1998 quando me iniciei no Software Livre usava o excelente WindowMaker, que uso o KDE, é muito superior ao GNOME, e não se aceitam criticas, é um dogma ;), ainda para mais agora que o GNOME está infiltrado.

Sem dúvida que o Kmail sempre foi uma aplicação que usei desde o primeiro minuto que apareceu, após mais uma vez o patrocinio do governo Alemão, o Kmail transformou-se num PIM, e hoje o Kontact é software muito profissional, não o troco por nada, excepto quando quero instalar algo mais simplista, aí o Claws-Mail substitui muito bem.

Linux numa pen

Um interessante artigo sobre diversas distros que podem correr directamente de uma pen e que nos podem ser de muito jeito.
Boot and run Linux from a USB flash memory stick | USB Pen Drive Linux

Carry a portable Linux version with you on a USB flash pen drive. Easily bring your portable desktop with you wherever you go.

Introduction
Puppy Linux
Linux on a stick
Damn Small Linux
Tiny Core Linux
Super Grub & System Rescue

Também aqui já havia falado em algumas distros jeitosas para hardware mais velhinho.

20 ferramentas fabulosas

O sempre cheio de dicas interessantes, Cyberciti, tem uma artigo sobre 20 ferramentas de monitorização para GNU/Linux que todos os SysAdmins deveriam conhecer e usar e abusar.

Já agora aproveito para dar também a conhecer este interessante artigo da IBM sobre outro tipo de ferrmantas de CLI para Software Livre / NIX’s.

Os prós e os contras do ConnMan e do NetworkManager

No arstechnica fala-se do novo software desenvolvido pela Intel para o seu projecto de Software Livre e que usa o kernel Linux e suas ferramentas padrão, o Mobin, e que pretende substituir o NetworkManager criado pela Red Hat e usado por outras distros entre as quais a Ubuntu, para gestão das redes que podemos usar nos nossos sistemas, desde wired a wireless até vpn’s etc.

Pessoalmente prefiro o Wicd que é bem superior ao NetworkManager, quanto ao da intel ainda não experimentei.

https://i2.wp.com/wicd.sourceforge.net/gui.png

The pros and “conns” of Intel’s ConnMan for Linux – Ars Technica

The NetworkManager user interface gives users the ability to toggle connection status, select wireless networks, and perform other basic configuration tasks without having to use the command line or to manually edit configuration files. There are several custom NetworkManager user interfaces, including one for KDE that is built with Plasma. NetworkManager supports ethernet, WiFi, mobile broadband, and VPN connections.

Powered by ScribeFire.