A CANALHICE da Time Magazine – como se vende um Estado securitário ao povão

Ainda antes da terceira parte da entrada, Wikileaks Cablegate:  Sexo, muitas MENTIRAS, but no videotapes…., deixo aqui uma pequena nota à decisão da Time Magazine de eleger o ladrão do FaceBook, Mark Zuckerberg, como personalidade do ano.

TeK > Notícias > Negócios > Criador do Facebook eleito personalidade do ano pela Time

Em concorrência directa com Zuckerberg esteve o fundador do WikiLeaks, Julian Assange. “Em certo sentido, Zuckerberg e Assange são caras da mesma moeda. Ambos expressam o desejo pela abertura e pela transparência. Se Assange ataca as grandes instituições e os governos através de uma transparência involuntária com o objectivo de os debilitar, Zuckerberg possibilita que os indivíduos partilhem voluntariamente a sua informação com a ideia de os fortalecer. Assange vê o mundo como se estivesse cheio de inimigos reais; Zuckerberg vê o mundo cheio de amigos potenciais “, consideram os responsáveis da revista. 

Como escrevi no comentário a esta notícia no site TEK:

É impressionante como conseguem subverter completamente o pensamento de Assange tentando transformar o ataque à privacidade individual que é o
projecto de vigilância FaceBook
, em algo supostamente positivo, como se
fossemos todos parvos.

Ora o que está em causa no projecto Wikileaks não é um ataque à liberdade e privacidade individual mas sim aos segredos de pessoas, funcionários públicos (quando estão a desempenhar as suas funções em nome do interesse de todos), que deveriam TRABALHAR para todos nós cidadãos que compomos um Estado de Direito e que em vez disso usam o subterfúgio dos segredos de Estado, do chavão da ‘segurança nacional’ (ainda há pouco tempo usado para impedir a discussão do ACTA) para eles próprios cometerem toda a espécie de crimes e atropelos à lei que deveria ser igual para todos.

Ainda por cima esta decisão da Time, este apelo a um Estado vigilante dos seus cidadãos, vai totalmente contra a opinião dos seus leitores que elegeram Assange como personalidade do ano.

HIPÓCRITAS!!!

Powered by ScribeFire.

Anúncios

Wikileaks Cablegate: Sexo, muitas MENTIRAS, but no videotapes…. [p#2]

Segunda parte de três, a primeira encontra-se aqui.

Podem fazer aqui buscas por palavras em todos os cables que vieram até agora a público.

Começo por estabelecer os pontos sobre os quais irei escrever.

  1. Desmistificar os ataques ad hominem de que Julian Assange tem sido vitima, nomeadamente a acusação de violação de duas mulheres.
  2. Como neste blog não existe censura e todas as hipóteses podem ser alvo de pelo menos uma tentativa de investigação, deixo também no ar a possibilidade levantada mais uma vez por algumas pessoas, entre elas Webster Griffin Tarpley, de que Julian Assange possa estar ao serviço da CIA e dos amigos de George Soros. Como já escrevi mantenho tudo em aberto, no meu caso a minha dúvida acentua-se devido às declarações de Assange relativamente ao 11Set2001.
  3. O pensamento de Assange e um pouco da sua história
  4. Documentos cor de rosa
  5. Portugal e os voos da CIA, tortura e questões ao putativo engº Sócrates e seu Ministro dos Negócios Estrangeiros
  6. Documentos realmente interessantes, como a ACTA e Espanha, Hadopi, Coreias e China e os famosos mísseis supostamente adquiridos pelo Irão à Coreia do Norte
  7. Desmistificação dos tais mísseis por parte da Rússia e de como os media mainstream têm feito o jogo de propaganda dos EUA, não trazendo à discussão informações extremamente importantes e que negam a importância atribuida por esses mesmos media aos tais cables onde são mencionados.
  8. As ameaças de morte e a mentira da tão famosa Land of the free; Amazon Web Services, Paypal, Tableau Public e o Twitter, bem como a Visa e a Banca Suíça. [um excelente resumo da fuga das empresas aqui] [é interessante assinalar que a Mastercard e a Paypal continuam alegremente a fazer negócios com o KKK]
  9. Sites interessantes para seguir toda esta informação
  10. O wikileaks apesar de todos os ataques de que tem sido alvo NÃO MORRE! A ‘Insurance file‘ e próximas revelações, a Banca dos EUA.

I. Open covenants of peace, openly arrived at, after which there shall be no private international understanding of any kind but diplomacy shall proceed always frankly and in the public view.”President Woodrow WiIson put forth his Fourteen Points proposal for ending the war in a speech on January 8, 1918. In it he established the basis of a peace treaty and the foundation of a League of Nations.

4. Documentos cor de rosa

Chamo-lhes documentos cor de rosa porque seriam dignos de fazerem as honras das designadas revistas da mesma cor, ou seja, documentos que não adiantam nada ou quase nada ao que já se sabia e que são apenas faits divers para entreter, mas que infelizmente os media mainstream muitas das vezes lhes dão mais importância do que aos documentos que irei mencionar nos outros tópicos.

Como nada disto interessa muito mesmo, deixo apenas um ou dois links sobre o tema.

Wikileaks’ State-Department Dump: The Top 5 Leaked Insults – TIME NewsFeed

The latest WikiLeaks dump includes a quarter million state department documents and almost as many diplo-disses. Which world leader was called a “flabby old chap?” Read on to find out. (Hint: It’s not Berlusconi.) 

Wikileaks, Cablegate’s 5 funniest moments – Asylum.co.uk

In honour of the changing face of geo-politics we’ve compiled our five favourite funniest moments to come out of Cablegate. 

5. Portugal e os voos da CIA, tortura e questões ao putativo engº Sócrates e seu Ministro dos Negócios Estrangeiros

Para além da questão dos supostos voos da CIA no espaço aéreo e até no território português, ainda existem questões que têm vindo a público nos últimos dias e que de alguma forma têm a ver com Portugal ou com países da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa, como o caso do empréstimo de 1,1 mil milhões de euros do BES ao ‘amigo’ Chavez, luvas pagas ao Presidente moçambicano durante a venda de Cahora Bassa [coincidências; Almeida Santos quer ver encerradas negociações sobre Cahora Bassa], ainda em Moçambique as eventuais ligações da presidência e ex-presidência ao tráfico de droga.
Ou ainda a eventual construção de uma base militar dos EUA em território de Cabo Verde.

Wikileaks revela que Moçambique facilitou negócio do narcotráfico – TSF

As acções destes dois homens seriam impossíveis sem a cumplicidade do Estado, diz o diplomata nos telegramas. Bachir Sulleiman é referido como estando directamente ligado ao presidente Armando Gebuza e a Joaquim Chissano, ex-presidente, sendo que contribuiu para financiar a Frelimo e ajudou significativamente nas campanhas eleitorais dos dois políticos. 

Por certo que mais coisas virão a público, ainda estamos apenas no início dos cerca de 250mil ‘cables’.

EUA elogiam Amado na questão de Guantanamo – TSF

O documento acrescenta que, em resposta, o Governo português pedia «garantias escritas dos países de destino final de que os detidos não serão torturados ou sujeitos à pena de morte». 


Especial Voos da CIA

Wikileaks: BE «tinha razão quanto aos voos da CIA» > Política > TVI24

«Apesar de sucessivos governos sempre terem negado a colaboração portuguesa com os voos ilegais da CIA, verifica-se agora que existiram contactos regulares e até encontros, como o do ministro Luís Amado com a secretária de Estado Condoleezza Rice, onde foram discutidos os termos em que o Estado português poderia autorizar a passagem de voos de transferência de prisioneiros», declarou Jorge Costa à Agência Lusa. 

Como é habitual mais uma vez estes ‘senhores’ políticos [e media Bilderberg, ver video acima], sejam eles portugueses ou estrangeiros, são na sua grande maioria muito pouco credíveis e ainda menos recomendáveis, isto para não lhes chamar de mentirosos.

Os dados vindos a público pelo wikileaks deixam no ar a confirmação das fortes suspeitas, que ao contrário do que o sr Ministro e o putativo engº Sócrates afirmaram, passaram pelo espaço aéreo português e com grande probabilidade pela base das Lajes, território nacional, voos da CIA com prisioneiros que com quase 100% de certeza foram torturados como qualquer pessoa que leia alguma imprensa dos EUA saberá desse escândalo, por exemplo KSM foi water board cerca de 180 vezes entre muitos outros.

O governo tendo mentido relativamente ao facto da existência de conversações sobre esses voos, tenta ao mesmo tempo enganar os portugueses dizendo que se passaram foi segundo regras impostas por Portugal.

Podem explicar-me como raio é que fiscalizaram se os EUA cumpriram essas regras uma vez que como se vai vendo não se pode confiar neles?! Lembram-se da famosa reunião nas Lajes? Lembram-se das famosas Armas de Destruição Massiva?

Podem os senhores, Ministro dos Negócios Estrangeiros, Luís Amado e o putativo engº Sócrates demonstrarem aos portugueses que aquelas pessoas que eles permitiram TRAFICAR não foram torturadas?

Podem mostrar aos portugueses documentos escritos de como os EUA se comprometiam com tal pedido?

Podem estes senhores mostrarem documentos que provem que o Estado português verificou se os EUA cumpriam o que supostamente haviam acordado?

Sinceramente duvido, por diversas razões, nomeadamente as que demonstram a importância do Wikileaks e esta mais recente vaga de documentos, que coloca a nu o que senhoras e senhores em lugares de poder que deveriam exercer de forma transparente porque estão ao serviço dos cidadãos, o fazem de forma velada e zelando isso sim pelos seus interesses mesquinhos, criando segredos e fomentado-os não para proteger os seus países mas sim para proteger os seus erros, as suas mentiras os seus interesses.

E para demonstrar que não existem nem politicos nem politicas de esquerda ou direita, mas apenas e só interesses, nada melhor que terminar este ponto com a informação de que o Governo de Zapatero em Espanha aceitou sem qualquer problema os voos da CIA no seu espaço aéreo, a esquerda espanhola, nomeadamente o PSOE, deveria explicar agora porque razão criticaram Aznar e a sua presença nas Lajes.
Afinal de contas quando baixam as calças à oligarquia dos EUA, fazem-no com ambas as mãos.

CIA flights with permission of the Spanish government [Update 2] | WL Central

How to transfer detainees from Afghanistan or other countries to Guantanamo? A cable written at the US embassy on the 4th of December 2008 describes how the US ambassador negotiated a permission from the Spanish ministry of foreign affairs to use “discreet” Spanish airports as mid way stops for long haul flights:
http://213.251.145.96/cable/2008/12/08MADRID1280.html 

The cable then goes on to discuss how documents on these negotiations were leaked to the press. The author complains that CIA flights and military flights were often mixed up in press reports.

6. Documentos realmente interessantes, como a ACTA e Espanha [Fate of Spain’s Internet/copyright law depends on El Pais releasing relevant Wikileaks cables NOW], Hadopi, Coreias e China e os famosos mísseis supostamente adquiridos pelo Irão à Coreia do Norte

Existem uns quantos cables muito interessantes e que mais uma vez mostram o que os diversos poderes na sombra, pela calada, refugiando-se naquilo que designam por ‘Segurança Nacional’, que não passa de um subterfúgio para agirem com impunidade, vêm perpetrando contra todos nós.

Um pequeno resumo deles nestes dois links:

This has never happened before · ELPAÍS.com in English

The list seems interminable. American diplomats spy on the United Nations Secretary General and on other senior UN officials, to the extent of learning their credit card numbers. The Gulf monarchies are pressing Washington to start a war against Tehran before Iran becomes a nuclear power and brings them to their knees. Turkey’s moderate Islamist government faces continued resistance from secular army officers, and a secret Islamist plan is feared. Beijing orders a cyber-attack on Google at the end of 2009, while planning to ditch its long-time Stalinist ally in North Korea in return for hegemony over a unified Korean peninsula. Pakistan discreetly supports terrorist groups, while its nuclear arsenal grows. To do business in Morocco you have to pass on a cut to the royal house, which maintains its army in a deplorable state. Saudi Arabia is the main source of financing for Islamist terrorism.
(…)
In Spain, the Zapatero government agreed to downplay post-Iraq differences with Washington; blurred the question of the CIA rendition flights; was ambivalent over the prosecution of the murderers of José Couso; and the Spanish prosecutor’s office played a questionable role in the inquiry into torture at Guantánamo.
Contrary to what he had often promised, former Prime Minister Aznar was ready to return to politics if Spain needed him. Further material may yet emerge from the State Department papers, which this newspaper and others have been publishing having had access to the massive leak mounted by the Wikileaks organization. Significantly, its founder is wanted by Interpol, and his website is being boycotted by servers and service providers. 

Folha.com – Mundo – China contrata hackers desde 2002; veja mais revelações do WikiLeaks – 29/11/2010

* O Politburo, segundo organismo mais importante do governo da China, comandou a invasão dos sistemas de computador do Google no país, como parte de uma campanha de sabotagem a computadores, realizada por funcionários do governo, especialistas particulares e criminosos da internet contratados pelo governo chinês. Eles também invadiram computadores do governo americano e de aliados ocidentais, do Dalai Lama e de empresas americanas desde 2002.

* O rei Abdullah, da Arábia Saudita, repetidamente pediu aos EUA para atacar o Irã e destruir seu programa nuclear, além de, segundo registros, ter aconselhado Washington a ‘cortar a cabeça da cobra’ enquanto ainda havia tempo.

* Doadores sauditas continuam sendo os principais financiadores de grupos militantes sunitas, como a Al Qaeda; e o pequeno Estado do Qatar, generoso anfitrião do Exército americano no golfo Pérsico por anos, era ‘o pior da região’ em esforços de combate ao terrorismo, segundo um telegrama ao Departamento de Estado em dezembro do ano passado.

* Representantes dos EUA e da Coreia do Sul discutiram a possibilidade de uma Coreia unificada se os problemas econômicos da Coreia do Norte e a transição político no país levassem o Estado a implodir. Os sul-coreanos chegaram a considerar incentivos econômicos à China para ‘ajudar a aliviar’ as preocupações de Pequim sobre o convívio com uma Coreia reunificada em ‘aliança benigna’ com Washington, segundo o embaixador americano em Seul.

* Desde 2007, os EUA montaram um esforço secreto e, até agora, mal sucedido para remover urânio altamente enriquecido do reator de pesquisa do Paquistão, com medo de que pudesse ser desviado para uso em um reator nuclear ilícito.

* O Irã obteve mísseis sofisticados da Coreia do Norte, capazes de atingir o leste europeu, e os EUA estavam preocupados de que o Irã estaria usando esses foguetes como ‘peças de montagem’ para construir mísseis de mais longo alcance. Os mísseis avançados são muito mais poderosos do que qualquer equipamento que os EUA publicamente reconheceram existir no arsenal iraniano.

* Quando o vice-presidente afegão, Ahmed Zia Massou, visitou os Emirados Árabes Unidos no ano passado, autoridades locais trabalhando para a Agência de Controle às Drogas descobriram que ele carregava US$ 52 milhões em dinheiro vivo. Segundo o telegrama da embaixada americana em Cabul, ele pode manter o dinheiro sem revelar a origem ou destino do montante.

* Diplomatas americanos barganharam com outros países para ajudar a esvaziar a prisão da baía de Guantánamo, realocando detentos. Por exemplo, foi pedido que a Eslovénia aceitasse um prisioneiro se quisesse agendar um encontro com o presidente Barack Obama. A República de Kiribati recebeu oferta de incentivos valendo milhões de dólares para aceitar detentos muçulmanos chineses. Em outro caso, aceitar mais presos foi descrito como ‘uma forma de baixo custo para a Bélgica alcançar proeminência na Europa’.

* Os EUA não conseguiram evitar que a Síria fornecesse armas ao Hizbollah no Líbano, que acumulou um grande arsenal desde a guerra de 2006 com Israel. Uma semana após o presidente sírio, Bashar al Assad, prometer a um alto representante americano que não mandaria ‘novas’ armas ao Hizbollah, os EUA reclamaram que tinham informações de que a Síria estava dando ao grupo armas cada vez mais sofisticadas.

* Os americanos estariam preocupados com o uso da informática e ataques pela internet na China. Diplomatas dos EUA dizem que os chineses, após 2002, estão recrutando técnicos que acessam redes no mundo inteiro, principalmente do governo, empresas e aliados americanos.

* Chefes de governos são citados em várias passagens. O presidente francês Nicolas Sarkozy, por exemplo, foi descrito como “delicado” e “autoritário”, de acordo com o jornal ‘Le Monde’, um dos cinco periódicos que tiveram acesso à publicação antecipadamente. O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, estaria ‘louco’ e transformando o seu país em ‘outro Zimbábue’, segundo um diplomata francês.

* Os Estados Unidos pediram em março de 2008, um mês antes da última eleição presidencial paraguaia, informações detalhadas sobre os candidatos que incluíam “dados biométricos, incluindo impressões digitais, imagens faciais e dados para reconhecimento da íris, e DNA”.

* Uma mensagem da secretaria de Estado dos EUA à embaixada americana em Assunção relata a preocupação do governo americano com a suposta presença de grupos como Al Qaeda, Hizbollah e Hamas na tríplice fronteira, entre Brasil, Paraguai e Argentina.

* O departamento de Estado americano pediu no ano passado aos funcionários de 38 embaixadas e missões diplomáticas uma relação detalhada de dados pessoais e de outra natureza sobre as Nações Unidas, inclusive sobre o secretário-geral, Ban Ki-moon, e especialmente sobre os funcionários e representantes ligados ao Sudão, Afeganistão, Somália, Irã e Coreia do Norte, segundo o jornal ‘El País’.

* Diplomatas americanos em Roma comunicaram em 2009 o que suas fontes italianas descrevem como uma estreita ligação entre o premiê russo Vladmir V. Putin, e o premiê italiano, Sílvio Berlusconi, incluindo generosos presentes e lucrativos contratos de energia por uma intermediação sombria.

* Pairam dúvidas americanas sobre a confiança nas forças da Turquia, aliada da Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte), retratada como fraca e permeada por islâmicos.

* Uma tributo pago em viagens áreas que entrou em vigor no último mês deixou os americanos irritados. A revolta de Washington com uma nova tarifa alfandegária para passageiros, acordos britânicos de extradição com os EUA e inspeções mais frouxas com paquistaneses aparecem em memorandos publicados.

* Autoridades americanas advertiram a Alemanha em 2007 para não prenderem agentes da CIA envolvidos em uma fracassada operação em que um alemão inocente com o mesmo nome de um suspeito foi erroneamente sequestrado por meses no Afeganistão. Um alto diplomata americano disse que “a intenção é que o governo alemão pese cuidadosamente cada passo com as implicações no relacionamento com os EUA”. 

Powered by ScribeFire.

Wikileaks Cablegate: Sexo, muitas MENTIRAS, but no videotapes…. [p#1]

“How is it that a team of five people has managed to release to the public more suppressed information, at that level, than the rest of the world press combined?” –Julian Assange

Update: Julian Assange foi detido sem direito a fiança.
Update II: A juntar a tudo isto a revista Times remove Julian Assange da sua votação 2010 quando ia à frente da corrida para Personalidade do ano. (ainda existem algumas dúvidas mas pelo menos a lista está mudada)

Update III: A Fox news está longe, anos luz, de ser uma fonte de notícias mas desta vez Glen Beck por incrível que possa parecer explica literalmente com desenhos a marosca das duas ‘senhoras’. Recomendo ainda os artigos de Craig Murray e do site Rixstep que complementam o vídeo da Fox. A Suécia continua sem fazer qualquer acusação a Julian Assange, querendo apenas interrogá-lo. Entrevista de Julian Assange à Time.

Tenho andado a ler imenso sobre esta mais recente incursão do site Wikileaks pelos segredos dos Estados mas a vontade de escrever sobre o tema tem faltado, estou a dar início a esta entrada num domingo de temporal, pelo menos onde vivo, não creio que fique pronta a entrada ainda neste dia, mas há que começar 😉

Preparem-se que vai ser uma entrada longa 😉 e cheia de info.

Depois de começar a escrever verifico que é info a mais para apenas uma entrada como tal irei dividir a entrada em três; esta é a primeira parte.

“The very word “secrecy” is repugnant in a free and open society; and we are as a people inherently and historically opposed to secret societies, to secret oaths and to secret proceedings. We decided long ago that the dangers of excessive and unwarranted concealment of pertinent facts far outweighed the dangers which are
cited to justify it. Even today, there is little value in opposing the threat of a closed society by imitating its arbitrary restrictions. Even today, there is little value in insuring the survival of our nation if our traditions do not survive with it. And there is very grave danger
that an announced need for increased security will be seized upon by those anxious to expand its meaning to the very limits of official censorship and concealment. That I do not intend to permit to the extent that it is in my control. And no official of my Administration,  whether his rank is high or low, civilian or military, should interpret my words here tonight as an excuse to censor the news, to stifle dissent, to cover up our  mistakes or to withhold from the press and the public the facts they deserve to know.”

JFK

Começo por estabelecer os pontos sobre os quais irei escrever.

  1. Desmistificar os ataques ad hominem de que Julian Assange tem sido vitima, nomeadamente a acusação de violação de duas mulheres.
  2. Como neste blog não existe censura e todas as hipóteses podem ser alvo de pelo menos uma tentativa de investigação, deixo também no ar a possibilidade levantada mais uma vez por algumas pessoas, entre elas Webster Griffin Tarpley, de que Julian Assange possa estar ao serviço da CIA e dos amigos de George Soros. Como já escrevi mantenho tudo em aberto, no meu caso a minha dúvida acentua-se devido às declarações de Assange relativamente ao 11Set2001.
  3. O pensamento de Assange e um pouco da sua história
  4. Documentos ‘cor de rosa’
  5. Portugal e os voos da CIA, tortura e questões ao putativo engº Sócrates e seu Ministro dos Negócios Estrangeiros
  6. Documentos realmente interessantes, como a ACTA, copyright em Espanha, Coreias e China e os famosos mísseis supostamente adquiridos pelo Irão à Coreia do Norte
  7. Desmistificação dos tais mísseis por parte da Rússia e de como os media mainstream têm feito o jogo de propaganda dos EUA, não trazendo à discussão informações extremamente importantes e que negam a importância atribuida por esses mesmos media aos tais cables onde são mencionados.
  8. As ameaças de morte e a mentira da tão famosa Land of the free; Amazon Web Services, Paypal, Tableau Public e o Twitter, bem como a Visa, Mastercard e a Banca Suíça. [um excelente resumo da fuga das empresas aqui] [é interessante assinalar que a Mastercard e a Paypal continuam alegremente a fazer negócios com o KKK]
  9. Sites interessantes para seguir toda esta informação
  10. O wikileaks apesar de todos os ataques de que tem sido alvo NÃO MORRE! A ‘Insurance file‘ e próximas revelações, a Banca dos EUA.

I. Open covenants of peace, openly arrived at, after which there shall be no private international understanding of any kind but diplomacy shall proceed always frankly and in the public view.”President Woodrow WiIson put forth his Fourteen Points proposal for ending the war in a speech on January 8, 1918. In it he established the basis of a peace treaty and the foundation of a League of Nations.

1. Julian Assange e as acusações de violação

“The great enemy of the truth is very often not the lie — deliberate, contrived and dishonest — but the myth — persistent, persuasive, and unrealistic.
JFK

Assim que começaram estes ataques ad hominem a Assange, um amigo meu que gosta muito de chatear nos mails que me envia sobre o tema Wikileaks começou logo a apelidar Julian Assange (JA) de violador, por forma a rebater essa acusação completamente ridicula e desprovida de qualquer fundamento pelo que já hoje se conhece sobre ela, resolvi em 10 pontos ‘fazer um desenho’ a esse meu amigo ( que também já escrevi num comentário do TEK) sobre essas mesmas acusações baseando-me em tudo o que havia lido sobre o tema.

Ei-los.

(Desculpem a linguagem, mas às vezes não há pachorra para carneirinhos; tudo o que aqui digo se encontra em diversos artigos dos media por essa web fora)

  • ele foi para a cama com duas tipas separadamente (Anna Ardin e Sofia Wilen)
  • as tipas eram amigas (em alguns artigos, noutros conheceram-se depois)
  • não sabiam que tinham ido com o mesmo gajo para a cama
  • qdo uma contou à outra, ambas ficaram muito lixadas com ele
  • apresentam-se feitas virgens à policia e fazem queixas
  • o juiz que primeiro as ouve manda-as bugiar
  • uma desiste da queixa (não sei se já voltou novamente a trás com a sua decisão…)
  • a outra armada em estúpida ou quem sabe muito bem paga pela CIA, resolve agora continuar o processo com o argumento fantástico que se soubesse que ele tinha ido para a cama com a amiga que não teria ido para a cama com ele e que por estar arrependida acha que isso foi uma violação
  • esta mesma vaquinha afirma ainda que ficou traumatizada porque ele não terá usado preservativo, mas não estava traumatizada qd depois da noite de sexo o deixou na cama e foi ao supermercado para a seguir lhe fazer um belo pequeno-almoço.
  • Apesar de Julian Assange sempre ter acedido prestar declarações o Tribunal/Investigação sueca nunca lhe enviou/efectuou qq pedido nesse sentido.

Nestes artigos encontra-se um resumo bastante interessante de toda a tramóia destas duas senhoras e hoje sabe-se que Anna Ardin pertence a uma organização com ligações aos terroristas da CIA, Luis Posada Carriles e Carlos Alberto Montaner, através dos seus grupos anti-Cuba e anti-Castro.

Ou seja, no fundo a acusação supostamente tão grave, sobre a qual os media mainstream tanta tinta gostam de gastar, resume-se ao seguinte, ambas as mulheres aceitaram de livre vontade terem sexo com Julian Assange a grande questão é o uso ou não de preservativo!!!

Recomenda-se a leitura do guia Essential reading for any men planning to have sex in Sweden aos homens que pretendam passar umas temporadas nesse país nórdico.

Infelizmente parece que algumas pessoas com poder na Suécia resolveram fazer um serviço aos EUA e com a cumplicidade da INTERPOL (a polícia internacional com fortes e contínuas ligações a NAZIs), emite um mandato internacional contra Julian Assange, mandato esse nada credível até porque nunca havia sido emitido algo deste género contra ninguém, especialmente porque o acusado sempre pediu para ser ouvido.

Mais info sobre este tópico:

”I have much respect for my father and his cause, and these ridiculously ill-handled allegations of sexual abuse serve only to distract from the audacious awesomeness that he has actually done.”Daniel Assange

2010-12-05: Sweden case updates [Update 1] | WL Central

“In Sweden it’s quite bizarre though, because the chief prosecutor, the director of public prosecution in Sweden dropped the entire case against him, saying there was absolutely nothing for him to face, back in
September.
And then, a few weeks ago, after the intervention of a Swedish politician, a new prosecutor, not in Stockholm, where Julian and these women had been, but in Gothenburg, began a new case, which of
course has resulted in these warrants and of course the Interpol red notice being put out across this week.


It does seem to be a political stunt, I mean, I have, and his Swedish lawyer, have been trying to get in touch with the prosecutors since August. Now, usually, it’s the prosecutor who does the pursuing, not the pursued. And in this particular case, Julian Assange has tried to vindicate himself, has tried to meet with the prosecutors, to have his
good name restored.”

2. Será o Wikileaks uma super manobra de bastidores por parte da Intelligence do Governo Sombra dos EUA com os habituais cúmplices como George Soros?

Continuo sem ter dados para responder a esta questão, embora hajam alguns que me mantém alerta.

  • O que JA afirmou ao jornal Belfast Telegraph sobre os atentados do 11Set2001 e as pessoas que continuam a pedir uma investigação verdadeiramente INDEPENDENTE e RIGOROSA, quer do ponto de vista científico quer judicial. “What about 9/11? “I’m constantly annoyed that people are distracted by false conspiracies such as 9/11, when all around we provide evidence of real conspiracies, for war or mass financial fraud.” What about the Bilderberg conference? “That is vaguely conspiratorial, in a networking sense. We have published their meeting notes.”
    — Julian Assange
  • Julian Assange pelo que escreveu no seu antigo blog, IQ.org, que neste momento só se pode aceder via a Wayback Machine, também parece concordar com as Ecotretas (AGW e Alterações Climáticas), ainda que o Wikileaks tenha divulgado os mails relativos ao escândalo Climategate e agora também haja info nos Cables.
  • Algumas das histórias que Webster Tarpley menciona nesta entrevista a Alex Jones.
  • O facto dos jornais que JA escolheu para divulgar estes dados do cablegate e os anteriores do Iraque e do Afeganistão serem usados pela Intelligence para todo o tipo de propaganda, basta dar o exemplo do NYTimes que foi um dos principais jornais dos EUA a vender a mentira das WMD (armas de destruição massiva e a pseudo-ligação de Bin Laden a Sadam Hussein) que levou à invasão do Iraque e de toda a carnificina que se tem seguido.
  • Custa-me a crer que alguém como JA que na realidade tem colocado cá fora com a ajuda como é óbvio dos diversos whisleblowers, dados realmente muito incómodos para os EUA e não só, continue ainda a respirar e não tenha sido liquidado logo que o site Wikileaks começou a ganhar visibilidade. Custa-me a crer que a Intelligence dos EUA, Israel, Paquistão, Rússia ou outros, tenha permitido que JA se passeasse e desse entrevistas e palestras um pouco por todo o mundo.
  • Apesar das contribuições de cidadãos anónimos, onde até eu me incluo, e que pelo que se sabe têm gerado algum dinheiro, ainda assim será que é suficiente para tudo isto? Ou será que há algo mais que não sabemos, até porque até hoje as contas do Wikileaks não são totalmente transparentes ainda que JA agora tenha afirmado que dentro de muito pouco tempo estarão à vista de todos.
  • As criticas de John Young do site Cryptome.

3. O pensamento de Julian Assange e um pouco da sua história

Já aqui no blog escrevi sobre JA, como tal vou apenas limitar-me nesta entrada a deixar alguns links relativos a entradas que JA escreveu no seu antigo blog bem como diversas intervenções suas numa mailing list relativa a criptografia e underground.

Da mailing list Cypherpunks ficamos a conhecer algum do pensamento de JA bem como alguns pormenores geek interessantes como usar GNU/Linux e FreeBSD bem como a opção pelo editor Emacs, criar software de cifra etc.

“To radically shift regime behavior we must think clearly and boldly for if we have learned anything, it is that regimes do not want to be changed. We must think beyond those who have gone before us, and discover technological changes that embolden us with ways to act in which our forebears could not. Firstly we must understand what aspect of government or neocorporatist behavior we wish to change or remove. Secondly we must develop a way of thinking about this behavior that is strong enough carry us through the mire of politically distorted language, and into a position of clarity. Finally must use these insights to inspire within us and others a course of ennobling, and effective action.”
Julian Assange, “State and Terrorist Conspiracies”

Folha.com – Mundo – Inimigo nº 2 dos EUA, criador do WikiLeaks, mantém a vida a sete chaves – 05/12/2010

Assange não frequentou escolas regulares, por causa das mudanças, mas também porque a mãe achava que o ensino formal acabaria com o espírito livre do filho.

Christine o educava em casa, e ele virou uma espécie de rato de biblioteca, lendo tudo o que caia em suas mãos.

Seu conhecimento diverso fica claro em algumas entrevistas, quando consegue discorrer sobre história americana, leis britânicas, literatura, matemática ou física.

Ainda adolescente, Assange se interessou por computadores e por maneiras de invadir sistemas e mostrar suas vulnerabilidades. Chegou a ser detido em 1991, na Austrália, por agir como hacker.

Julian Assange Writes on Cypherpunks 1995-2002

Julian Assange along with John Young and some 1400 others were on the Cypherpunks mail list (crypto, politics) from late in 1995 to 2002 (and beyond, Young is among few still on the now very quiet list). Below are Julian’s messages from 1995-98 to 2001-02. Taking them out of the raucous and disputatious context omits a lot about the Cypherpunks vitality and range of interests, but they indicate Julian’s capabilities, wit, eloquence and disdain for authority — the last foretelling Wikileaks. Among the messages is his description of a program he co-invented, ”Rubberhose deniable encryption” (a/k/a Marutukku), mentioned in an interview today:

http://www.theage.com.au/national/keeper-of-secrets-20100521-w230.html

Keeper of secrets

Of no fixed address, or time zone, Assange has never publicly admitted he is the brains behind the website that has so radically rewritten the rules in the information era. (He acknowledges registering a website, Leaks.org, in 1999, but denies ever having done anything with it.) He has never even admitted his age – although this is not so hard to work out from the parts of his life that journalists have so far been able to piece together.

”Are you 38?” I ask. He gives an unintelligible response. So that’s a yes? ”Something like that.”

Julian Assange answers your questions | World news | guardian.co.uk

The founder of WikiLeaks, Julian Assange, answers readers’ questions about the release of more than 250,000 US diplomatic cables

Media Diary Blog | The Australian

These things have stayed with me. WikiLeaks was created around these core values. The idea, conceived in Australia , was to use internet technologies in new ways to report the truth.

WikiLeaks coined a new type of journalism: scientific journalism. We work with other media outlets to bring people the news, but also to prove it is true. Scientific journalism allows you to read a news story, then to click online to see the original document it is based on. That way you can judge for yourself: Is the story true? Did the journalist report it accurately?

Democratic societies need a strong media and WikiLeaks is part of that media. The media helps keep government honest. WikiLeaks has revealed some hard truths about the Iraq and Afghan wars, and broken stories about corporate corruption.

Wikileaks: Informação e Desinformação

Sem dúvida que o site Wikileaks tem prestado um serviço muito interessante e importante a todos nós, especialmente às ditas democracias, com especial relevo para as ocidentais, quanto mais não seja porque coloca em causa os meios de informação tradicionais.

No entanto não há bela sem senão!

Depois de muito ler, ver e ouvir diversas opiniões (incluindo a do Diogo, um habitual amigo deste blog), artigos, etc, creio que é ponto assente que no que toca ao tipo de informação que o Wikileaks trata e posterior aproveitamento dela pelos chamados media tradicionais convém partirmos sempre de uma premissa base para que mais tarde não haja arrependimentos!

Se partirmos deste pressuposto olhamos para qualquer informação de um modo mais critico, não depositando nela a confiança que na verdade nunca podemos colocar uma vez que não temos acesso a meios que nos permitam descodificar grande parte dela e muito menos separar o trigo do joio.

A única coisa que podemos fazer é observar os comportamentos dos diversos peões neste jogo de xadrez, dos poderes instituídos aos papagaios dos media tradicionais.

No que toca aos comportamentos dos media tradicionais, podemos por exemplo olhar para o que o jornal dos EUA escolhido pelo Wikileaks para transmitir por lá mais esta ‘leak’, o NYTimes, fez.

E o que fez foi ir pedir directamente à Casa Branca/Administração Obama o consentimento para poder colocar cá fora informação que para alguns nada traz de novo, nada acrescenta ao que já se sabia sobre os crimes cometidos pela NATO no Afeganistão.

Isto não é jornalismo em lado nenhum!
O que diriam estes pseudo jornalistas se uma história destas tivesse ocorrido por exemplo no Kremlin do sr Putin!?
É mais ou menos como ir perguntar à máfia que tipo de artigos e que informação sobre ela podem noticiar.

Quanto ao comportamento dos senhores do mundo, há-o para todos os gostos.

Há aqueles que actuam de forma hipócrita afirmando que o Wikileaks tem as mão sujas de sangue, uma vez que os documentos poderiam eventualmente colocar em perigo tropas da NATO ou eventuais colaboradores, esquecendo-se esses senhores que foram eles que lançaram mais uma guerra injusta e ainda hoje sem terem apresentado qualquer prova para ela.

De facto nem a podem tratar como guerra mas sim como Operação (que até estava já em marcha meses antes dos atentados), uma vez que para os EUA, segundo a sua Constituição, declararem uma guerra estes teriam de ter sofrido um ataque de um outro país e para a declararem teriam de ter a aprovação do Congresso o que desde a WWII nunca aconteceu, ainda que os EUA estejam envolvidos em conflitos contínuos desde essa altura.
Mais, no site do FBI ainda hoje, nove anos passados, Bin Laden não é procurado pelos atentados do 11set2001, já para não falar que os supostos 19 terroristas não eram de nacionalidade afegã mas sim maioritariamente da Arábia Saudita.

E existem aqueles que dizem que os documentos nada trazem de novo que quem estivesse atento ao que se passa no mundo já sabia que as coisas mencionadas nos documentos agora libertados ocorriam, o que entra em directa contradição com o que afirmam os anteriores.

https://i2.wp.com/upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/thumb/3/33/Julian_Assange_full.jpg/794px-Julian_Assange_full.jpg

via wikipedia

Regressando agora ao Wikileaks, apesar de eu continuar a querer acreditar que os seus objectivos e a sua integridade são os melhores, existem no entanto algumas coisas que me deixam antes de mais triste e depois me fazem disparar os alarmes!

  • A mais importante e que me levanta mais suspeitas é o facto de Julian Assange numa entrevista ao jornal Belfast Telegraph, ter afirmado que as pessoas não se devem deixar distrair por conspirações falsas como a do 11Set2001. Ora esta afirmação é no mínimo estranha tendo em conta que o pretexto para a guerra/operação cujos documentos secretos Assange acaba de disponibilizar foi exactamente os atentados do 11set2001. (a não ser claro, que ele entenda e bem, como conspiração falsa a oficial, algo que não é perceptível no que está escrito no artigo do Belfast Telegraph)
  • Por último não gostei nada do que observei na linguagem corporal de Julian Assange quando na entrevista ao TED (cerca do minuto 13:25) este fala sobre as modificações na infraestrutura dos sites do Wikileaks. Qualquer pessoa que conheça um mínimo de linguagem corporal, apercebe-se que ele com quase 100% de certeza não estava a falar toda a verdade. Juntando esse pormenor ao que vem sendo publicado por John Young no Cryptome, deixa-me desconfiado. Mas como já aqui afirmei, por duas vezes contribui para o Wikileaks, espero não me vir a arrepender de tal facto.

O que se retira de tudo isto é que não existem vacas sagradas, há que desconfiar de tudo e de todos, inclusive do que por aqui escrevo.

Cada um deve de usar o seu discernimento e tentar sempre obter o máximo de informação, de todos os lados, por forma a criar a sua própria opinião.

Como nota final deixo ainda a info que o Partido Pirata Sueco, que neste momento tem um ISP no qual está o ThePiratebay, ofereceu ‘guarida’ aos servidores do Wikileaks em caso de necessidade.


TED: Julian Assange: Why the world needs WikiLeaks

Wikileaks founder Julian Assange is ‘annoyed’ by 9/11 truth | 911Blogger.com

His obsession with secrecy, both in others and maintaining his own, lends him the air of a conspiracy theorist. Is he one? “I believe in facts about conspiracies,” he says, choosing his words slowly. “Any time people with power plan in secret, they are conducting a conspiracy. So there are conspiracies everywhere. There are also crazed conspiracy theories. It’s important not to confuse these two. Generally, when there’s enough facts about a conspiracy we simply call this news.” What about 9/11? “I’m constantly annoyed that people are distracted by false conspiracies such as 9/11, when all around we provide evidence of real conspiracies, for war or mass financial fraud.” What about the Bilderberg conference? “That is vaguely conspiratorial, in a networking sense. We have published their meeting notes.” “Wanted by the CIA: Wikileaks founder Julian Assange”Belfast Telegraph, July 19, 2010

Mr. Assange seems to have conveniently forgotten that 9/11 may be, in a very concrete sense, a ‘conspiracy for war’, leading directly to the wars in Afghanistan, Iraq and the permanent “War on Terror”.

New York Times reporters met with White House before publishing WikiLeaks story – War Room – Salon.com

The White House was very upset with WikiLeaks for its decision to publish thousands of pages of classified reports and documents describing our mission in Afghanistan. But according to Yahoo’s Michael Calderone, it was very pleased with how the New York Times dealt with its semi-exclusive access to the documents.

Times Washington bureau chief Dean Baquet took reporters Mark Mazzetti and Eric Schmitt to the White House last week to brief the administration on what they planned on publishing. And they all got gold stars.

WikiLeaks Release of Classified War Documents – C-SPAN Video Library

Defense Secretary Robert Gates and Joint Chiefs of Staff Chairman Mike Mullen spoke to reporters and answered questions about the release of classified war documents by the website WikiLeaks. The documents contain raw intelligence reports from the field, which among other things include the identity of informants. Secretary Gates in his remarks said the consequences for troops and Afghan allies could be severe and dangerous.

Adriam Lamo Los Alamos Tsutomu Shimomura

Adrian Lamo hangs out all the time on a server called cesium.clock.org, with IP address [192.5.16.65]. This IP space is registered with ARIN to a network called “LANLLAND” belonging to the Los Alamos National Laboratory. Strangely, and unlike all other LANL networks, reverse DNS mapping for this network is provided by ARPA.NET — an official-sounding network which is really the private domain of Tsutomu Shimomura. You’ll remember Shimomura as the dork who “took down” hacker Kevin Mitnick, leading to an extensive campaign by 2600 Magazine for his release, and a later campaign to halt production of the “Takedown” movie aggrandizing Shimomura. Lamo works for 2600 and maintains their Facebook group.

Why is Adrian Lamo hanging out on the network of the Los Alamos National Laboratory if he has no affiliation with the government?

Is Lamo accessing 2600 servers from a computer or network controlled by Tsutomu Shimomura? Good question for 2600’s Emmanuel Goldstein.

Pentágono caça fundador do site Wikileaks

Não havendo muita paciência para escrever não posso no entanto de deixar aqui algumas notícias interessantes sobre Julian Assange e o site Wikileaks sobre o qual escrevi há tempos.

https://i2.wp.com/www.elfwax.com/wp-content/uploads/assange.jpg

Segundo noticiam diversos sites pela Interwebs fora, nomeadamente o que primeiro o fez, a Wired, uma vez que se viu envolvida nisso através de um dos seus colaboradores, o ex hacker e agora BUFO, Adrian Lamo.

Agentes Federais terão detido Bradley Manning um analista de 22 anos da US Intelligence que se encontrava a prestar serviço na base Hammer a cerca de 64Km de Bhagdad, o qual se encontra sob custódia no Kuwait.

A sua detenção supostamente deveu-se a este ter mantido via mail e instant messaging contactos com o ex-hacker Adrian Lamo e ao qual terá confessado que se encontrava farto das mentiras e hipocrisia dos seus superiores quer nas Forças Armadas quer dos políticos, o que terá conduzido à sua decisão de se tornar um whisleblower/delator e como tal terá enviado diversos documentos (ele menciona que serão cerca de 260 mil) para o site Wikileaks, incluindo o vídeo do Assassinato Colateral.

Mais importantes que o video do assassinato de jornalistas no Iraque serão os tais 260 mil despachos classificados enviados por diversos embaixadores/politicos um dos quais o Wikileaks já terá colocado online, que descreve um encontro entre representantes da Embaixada dos EUA na Islândia e representantes do Governo islandês.

https://i2.wp.com/cache.gawkerassets.com/assets/images/7/2010/03/340x_wikileaks_3_1small.jpg

De acordo com algumas citações que a wired colocou online supostamente retiradas dos mails e mensagens entre Bradley Manning e Lamo, este terá afirmado que Hillary Clinton e alguns embaixadores dos EUA por esse mundo fora iriam ter um ataque cardíaco assim que os documentos viessem a público.

U.S. Intelligence Analyst Arrested in Wikileaks Video Probe | Threat Level | Wired.com

“Hillary Clinton, and several thousand diplomats around the world are going to have a heart attack when they wake up one morning, and find an entire repository of classified foreign policy is available, in searchable format, to the public,” Manning wrote.

Julian Assange sobre o qual a revista The New Yorker tem uma extensa reportagem onde descreve o dia a dia de Assange e algumas pessoas que o ajudam, nomeadamente durante a preparação para o lançamento do video Collateral Murder, responde numa mensagem via Twitter que “we have been sent 260,000 classified US embassy cables are, as far as we can tell, incorrect”; bem como que mesmo não reconhecendo que Bradley Manning tenha sido a pessoa a divulgar o vídeo, ainda assim o Wikileaks tudo fará para que este se possa defender das acusações. We do not know if Mr. Manning is our source, but the U.S. military is claiming he is so we will defend them.” deixando ainda um contacto para quem queira ajudar nessa tarefa Those interested in assisting the solider Bradley Manning write to savebradley@sunshinepress.org” ; WikiLeaks commissions lawyers to help defend alleged source http://bit.ly/9oUufe – help us http://bit.ly/cpxJWC

Julian Assange através do twitter chama ainda à atenção para alguns contornos estranhos entre o jornalista da wired bem como o ex-hacker que denunciou Manning, afirmando que Adrian Lamo&Kevin Poulson are notorious felons,informers&manipulators. Journalists should take care. http://bit.ly/chFsGC

Uma das pessoas que levantou a possibilidade e aconselhou mesmo Julian Assange a manter-se longe dos EUA e a manter uma atitude mais reservada durante algum tempo foi o antigo analista militar Daniel Ellsberg que em 1971 também divulgou diversa informação, os famosos documentos do pentágono relativos ao que se passava na Guerra do Vietnam.

Pentagon Papers – Wikipedia, the free encyclopedia

The Pentagon Papers, officially titled United States–Vietnam Relations, 1945–1967: A Study Prepared by the Department of Defense, was a top-secret United States Department of Defense history of the United States’ political-military involvement in Vietnam from 1945 to 1967. Commissioned by United States Secretary of Defense Robert S. McNamara in 1967, the study was completed in 1968. The papers were first brought to the attention of the public on the front page of the New York Times in 1971.

Ellsberg afirma mesmo que a 3 de Maio de 1972 a CIA o terá tentado assassinar usando para tal operacionais ligados ao escândalo da Baía dos Porcos.
Por isso mesmo aconselha Assange a ter cuidado porque algo semelhante poderá ser tentado contra a sua integridade física, ainda para mais quando o fantoche Obama recentemente autorizou o assassinato de cidadãos dos EUA suspeitos de serem terroristas onde quer que estes estejam, ainda para mais quando se sabe do círculo de assassinos do qual hoje se tem conhecimento e que eram controlados pelo ex-vice-presidente Dick Cheney, exactamente com o objectivo de matar inimigos dos neocons e restante canalha do Complexo Industrial Militar.

Daniel Ellsberg: Wikileaks’ Julian Assange “in Danger” – The Daily Beast

I happen to have been the target of a White House hit squad myself. On May 3, 1972, a dozen CIA assets from the Bay of Pigs, Cuban émigrés were brought up from Miami with orders to “incapacitate me totally.” I said to the prosecutor, “What does that mean? Kill me.” He said, “It means to incapacitate you totally. But you have to understand these guys never use the word ‘kill.’”

https://i2.wp.com/i.telegraph.co.uk/telegraph/multimedia/archive/01495/wikileaks_1495620c.jpg

Termino com a ligação para um documento que a equipa do Wikileaks colocou online, Wikileaks: Investigator’s Guide, onde descreve como se protege dos ataques dos diversos Estados bem como da intelligence, demonstrando ainda como respeitam e defendem as as suas fontes.

WikiLeaks: Where is Julian Assange? And how WikiLeaks protects itself – Colin Horgan – Yesterday’s Weirdness – True/Slant

So how can WikiLeaks protect this kind of information, and how has the site managed to protect itself? The answers are on WikiLeaks, actually. On a page called ‘Investigators Guide’, WikiLeaks outlines that it is a media organization, and as such, it has certain protections under various international jurisdictions.

Outros artigos que li sobre o tema:

Transcript: Daniel Ellsberg Says He Fears US Might Assassinate Wikileaks Founder | FDL Action

“We have after all for the first time, that I ever perhaps in any democratic country, we have a president who has announced that he feels he has the right to use special operations operatives against anyone abroad, that he thinks is associated with terrorism,” says Ellsberg. “Now as I look at Assange’s case, they’re worried that he will reveal current threats. I would have to say puts his well-being, his physical life, in some danger now. And I say that with anguish. I think it’s astonishing that an American president should have put out that policy and he’s not getting these resistance from it, from Congress, the press, the courts or anything. It’s an amazing development that I think Assange would do well to keep his whereabouts unknown.”

State Department Anxious About Diplomatic Secrets Bradley Manning Allegedly Downloaded – The Daily Beast

An Army intel analyst charged with leaking classified materials also downloaded sensitive diplomatic cables. Are America’s foreign policy secrets about to go online? Philip Shenon reports.

Comment: Wikileaks cheesed off after journalist revealed sources – Everyone else peeved at everyone else | TechEye

Yesterday, former cracker-turned-hack Kevin Poulson published a story on his “Threat Level” blog, featured on Wired.com. Poulson revealed a 22 year old US army intelligence analyst named Bradley Manning who claimed to be the source of leaked army material to whistleblowing website Wikileaks. Manning had told former hacker Adrian Lamo about his deeds while chatting online and claimed to have leaked 260,000 diplomatic cables to Wikileaks.

Powered by ScribeFire.

Julian Assange – um dos Hacker por detrás do Wikileaks

Ao escrever a entrada Wikileaks – Assassinato Colateral – Vídeo do homicídio dos repórteres da REUTERS, li e escrevi sobre a possibilidade do site Wikileaks estar a ser usado como fachada da intelligence dos EUA/Israel, uma vez que Wayne Madsen [em agente da NSA] afirmava que havia essa suspeita por parte da China. [o que já de si não seria grande fonte de informação uma vez que a ditadura chinesa bloqueia o Wikileaks]


Wayne Madesn Covers Wikileaks Story & Police State News on The Alex Jones Show 1/3

Nesta longa entrada vou tentar fazer um resumo do que li concluindo que apesar de haver essa possibilidade uma vez que é quase impossível por ora se determinar com toda a certeza uma eventual ligação à intelligence desses países, com quase toda a certeza o Wikileaks é um site legitimo sem quaisquer ligações, mas que tal como qualquer outro site deste tipo como o Cryptome ou até como os ditos media tradicionais, provávelmente até mais [uma vez que os tradicionais são completamente controlados], está sujeito a ser usado para campanhas de desinformação, uma vez que apesar de todos os esforços por parte das pessoas que o compõem, é virtualmente impossível verificar tudo a 100%.


De tudo o que li, cheguei por ora à conclusão que o Wikileaks é confiável, tem sido confiável ao longo da sua curta história, especialmente porque as suas acções assim o demonstram,o Wikileaks AGE muito, apresenta documentos que nunca foi colocada em causa a sua autenticidade, e os seus criadores falam pouco, não procurando protagonismo, isto é sempre um bom indicador.

Afinal o que se sabe sobre a face visível do wikileaks, Julian Assange?

”Man is least himself when he talks in his own person. Give him a mask, and he will tell you the truth.”
— Oscar Wilde

Antes de mais convém referir que os dados que constam na Wikipedia sobre ele não deverão estar muito correctos uma vez que no Twitter do Wikileaks é dada a seguinte informação

 Twitter / WikiLeaks: WL opponents seem to have …

WL opponents seem to have created Julian’s Wikipedia page. For ethical reasons we can’t edit. Please fix http://bit.ly/cFXNfk

ou no minimo os responsáveis do Wikileaks e nomeadamente Julian Assange pretendem que as alterações a ela se mantenham o mais rigorosas possível, até porque por certo a intelligence terá a tentação de mexer nela e alterá-la por forma a desacreditar ao máximo esta pessoa, tal como o tem feito relativamente às entradas sobre os atentados de 11Set2001.

Twitter / WikiLeaks: (fix) Wikipedia page for ‘ …

(fix) Wikipedia page for ‘Collateral Murder’ – please expand http://bit.ly/djcYWt

Julian Assange é australiano, tem cerca de 40 anos [não se sabe ao certo a idade dele, estará entre os 37 e 40], há cerca de dois anos vive no Continente Africano, Kenya e Tanzania, trabalhou como programador, consultor de segurança informática, activista e investigador, tendo mesmo desenvolvido software de cifra, Rubberhose [site oficial], no fundo é um verdadeiro Hacker no verdadeiro significado da palavra.

Immune to Critics, Secret-Spilling Wikileaks Plans to Save Journalism … and the World

Assange, one of the site’s original creators, is an Australian-born hacker and writer with a social conscience, who now lives in East Africa. Among other achievements, he co-invented Rubberhose deniable encryption, which would let a dissident being tortured reveal one key to unlock a hard drive, while not giving away that there was a second or third password-locked folder of information.

Um adepto do Ultralight Backpacking, ou seja, um aficionado da aventura de mochila às costas e apenas com o seu portátil, que por certo guardará muitos segredos, mas fortemente protegidos por encriptação.

Um dos especialistas de segurança informática consultado diversas vezes por Assange, Ben Laurie,indica que este é uma pessoa por vezes estranha que aparece e desaparece de um momento para o outro, andando apenas com a roupa que traz vestida e a sua Rucksack/Mochila com o portátil.

O jornalista Paulo Nogueira da revista Época descreve-o assim,

# uma habilidade incrível no uso de computador. É o que se define, tecnicamente, como hacker.

# uma revolta tão forte na alma que faz querer “esmagar os filhos da puta”. Basicamente, governos e grandes corporações.

# sede de vingança contra o “mal”.

# uma notável capacidade de transformar planos em ações concretas.

Talvez esta sua maneira de viver tenha sido mesmo a inspiração para o modelo descentralizado que o Wikileaks adoptou, tornando este e seus criadores menos vulnerável a eventuais ataques, especialmente os legais.

O Wikileaks não tem uma sede nem escritórios, apenas o mínimo para manter a sua estrutura, usando no entanto as facilidades,
protecções legais que a Bélgica e Suécia que possuem as melhores leis de defesa de divulgação de informação, das quais o Wikileaks tira partido.

A Suécia surge aqui em virtude de também ser a ‘casa’ do projecto ThePirateBay e que não por coincidência usa a mesma empresa deweb hosting que o Wikileaks, a PeRiQuito AB (PRQ),empresa criada por dois dos três criadores do site de partilha mais conhecido da rede e que tem como lema nada perguntar e nada guardar, nem sequer logs ou quaisquer registos das actividades dos seus clientes.

Julian Assange fala o minimo sobre si, a sua vida e familia, uma vez que como diz isso protege-o quer a si quer ao projecto de eventuais ataques, essa é uma das razões para pouco se saber sobre a sua vida, incluindo a sua idade, ele afirma mesmo ‘Why make it easy for the bastards?’, prefere falar ao telefone, o qual está sempre a mudar, do que presencialmente.

Em Outubro de 1991 Assange ainda adolescente, foi acusado deter cometido 30 crimes de ataque informático, o Ministério Público australiano acusou-o a ele e a outros de terem invadido a Australian National University, RMIT e a Telecom, bem como a investigação da Australian Federal Police sobre as suas actividades de cracking, a operação Weather.

Assange admitiu 24 dos 30 crimes e foi ainda obrigado a pagar AUS$2100.

A operação desencadeada pela polícia para deter estas pessoas teve início após diversos ataques à NASA em 1989 [texto ascii abaixo], esse mesmo ataque aparece descrito num famoso livro, Underground [está online para download legal], da Dra Suelette Dreyfus, uma investigadora académica, que teve como pesquisador para esse mesmo livro o nosso conhecido Julian Assange,
também ele com grande probabilidade, uma personagem do livro, uma vez que se supõe que ele era o hacker Mendax.

Mendax é descrito como uma criança super inteligente que nunca conheceu o seu pai e que vivendo com a sua mãe foi saltando de Estado em Estado na Austrália.

Assange teve um filho na adolescência e que agora frequenta a Universidade, do qual nem o nome se conhece, local que o seu pai frequentou mas que viria a abandonar não acabando os seus estudos na área das matemáticas.
Assange é um autodidacta, ainda adolescente muitas vezes faltava à escola, uma vez que esta pouco interesse lhe suscitava, preferindo os computadores e a leitura de livros de matemática e ciência em geral.

International man of mystery

Dreyfus wrote glowingly of Assange’s efforts: ”Julian had worked thousands of hours doing painstaking research;
discovering and cultivating sources, digging with great resourcefulness into obscure data bases and legal Zapers – not to mention providing valuable editorial advice.”

____________________________________________________________________________

W O R M S A G A I N S T N U C L E A R K I L L E R S

_______________________________________________________________
\__ ____________ _____ ________ ____ ____ __ _____/
\ \ \ /\ / / / /\ \ | \ \ | | | | / / /
\ \ \ / \ / / / /__\ \ | |\ \ | | | |/ / /
\ \ \/ /\ \/ / / ______ \ | | \ \| | | |\ \ /
\_\ /__\ /____/ /______\ \____| |__\ | |____| |_\ \_/
\___________________________________________________/
\ /
\ Your System Has Been Officically WANKed /
\_____________________________________________/


You talk of times of peace for all, and then prepare for war.


___________________________________________________________________________



WikiLeaks Founder, Julian Assange: International Man of Mystery, page 1

He is not politically motivated. He is more concerned with truth and the quest for it. He is certainly not party political. I think he sees that there are good people on both sides of politics and definitely bad people. He is a very brave person. He is absolutely convinced that it is worth taking high personal risks in exchange for getting truth out to the community.”

Como acima cito, Assange não é uma pessoa com motivações políticas, ou seja não se distrai com este grupo ou aquele , a sua única preocupação é a busca pela verdade, tem a noção que existem boas pessoas em todos os quadrantes politicos e definitivamente pessoas muito más.

Indo agora a algumas das acusações que foram feitas contra Assange e o Wikileaks.

John young do Cryptome.org considera o site Wikileaks credível e sem qualquer ligação à intelligence apesar de ter feito afirmações nesse sentido a quando da formação do wikileaks, mas que ele afirma continuarem a ser usadas fora do contexto pelos media, mas John Young é muito claro na defesa do Wikileaks e das pessoas que o compôem, quando há dias após a vinda a público do vídeo Collateral Murdera que se seguiram ataques ao Wikileaks por parte de diversos sites comoo Mother Jones, afirmando que confia nas pessoas do Wikileaks e que apesar de algumas criticas, mais relacionadas com a maneira como o Wikileaks funciona do ponto de vista da forma do que do conteúdo, continua a achar que fazem falta é mais Wikileaks e Cryptomes.

via Cryptome (clicar para ampliar)

O criador do Cryptome vai ainda mais longe afirmando que os media que atacaram o Wikileaks e que deturparam as suas anteriores afirmações nem sequer se dignaram a questioná-lo sobre se seriam ou não verdade e se eventualmente a sua posição se havia alterado, para além disso afirma ainda Young que o Wikileaks só pode estar no bom caminho uma vez que está a ser tão atacado por diversos media mainstream e não só.

Acrescento eu que para além dos ataques outros media usaram outro tipo de ataques, a omissão, como aliás e irónicamente mais uma vez o canal Russia TV demonstrou.


Mainstream media ignores Wikileaks video

Alguns dos ataques chegaram na forma de remoção de informação relativa ao Wikileaks em sites da web como o Facebook, este sim ligado ao establishment e à Intelligence, bem como do Vimeo.

Twitter / WikiLeaks: Facebook has disabled the …

Facebook has disabled the WikiLeaks user-account “sunshinepress”. We’d like to move to a fan account. Anyone can take care?

Twitter / WikiLeaks: Facebook.com has blocked o …

Facebook.com has blocked outgoing links to collateralmurder.org (but not as yet,.com)

Twitter / WikiLeaks: vimeo.com removed Collater …

vimeo.com removed Collateral Murder from our paid account: “no videos depicting unlawful acts or extreme violence”.

Algumas das entidades que apoiam o Wikileaks foram já mencionadas pelo projecto, tais como, Associated Press, Hearst Corporation, Los Angeles Times, Ralph Nader, Electronic Frontier Foundation, ACLU, Project on Government Oversight (POGO), embora esse apoio seja mais a nível legal que outro, como no caso dos ataques da Igreja da Cientologia.

A harmonização dos sistemas legais que a NWO vem perseguindo e da qual a UE é um exemplo, já para não falar no que por aí vem com o ACTA e a Digital Economy Bill aprovada recentemente no Reino Unido, são na realidade o maior inimigo da Liberdade de Informação e como tal são o maior inimigo de sites como o Wikileaks.

A DEBill como é conhecida, tem um artigo  que permite ao Reino Unido por e simplesmente proibir o acesso a sites que contenham documentos que infrinjam as leis do Copyright, ou seja, como todos os documentos que o Wikileaks obtém têm direitos de autor, o
site pode ser completamente bloqueado, mas pior que isso é na realidade a porta aberta para diversos processos legais, uma vez que se pode sempre dar a volta ao problema técnico.

Ainda relativamente ao vídeo  que causou toda esta controvérsia e que se encontra disponível no site criado pelo Wikileaks para o efeito, Collateral Murder, encontrei informação no blog do especialista em criptografia, Bruce Schneier, onde um dos comentadores indica que supostamente o vídeo encriptado se encontra neste endereço http://leaks.telecomix.org/cm.rda

Schneier questiona que cifras seriam usadas para tal, havendo quem diga que terá sido apenas usado uma das faculdades do software OpenSSL por forma a encriptar o ficheiro de vídeo e que com alguma probabilidade isso terá sido feito pela própria pessoa
que colocou cá fora o vídeo, o que a ter acontecido seria por três razões, a primeira para se proteger caso fosse encontrado com aquele ficheiro e a segunda para que o vídeo só pudesse ser libertado pelo Wikileaks quando essa pessoa o desejasse [o que implicaria o fornecimento da password] ou ainda por questões de negação plausível, ‘obrigando’ tal como é dito pelos responsáveis do Wikileaks, à sua decifração.

Schneier on Security: Cryptography Broken on American Military Attack Video

Surely this isn’t NSA-level encryption. But what is it?

Como isto já vai longo, apenas deixo abaixo alguns links de interesse, alguns dos quais são intervenções de Julian Assange e John Young.

Aconselho a verem esta apresentação de Julian Assange e Daniel Schmitt sobre o projecto Wikileaks.

E claro como devem ter percebido, pelo que afirmei e pelo que consegui obter, continuo a confiar no Wikileaks até provas concretas em contrário, até já contribuí para o projecto, aconselho a que façam o mesmo se puderem, uma vez que precisamos dele e de mais como estes projectos, Wikileaks e Cryptome, ambas as páginas têm lá links para fazer as vossas contribuições, caso o não possam fazer, pelo menos divulguem-nos e expliquem o que são.

26C3: WikiLeaks Release 1.0

During the last 12 months WikiLeaks representatives have been talking at numerous conferences, from technology via human rights to media focused,in an effort to introduce WikiLeaks to the world. WikiLeaks has had major document releases that have spawned attention in all major newspapers by now, it has triggered important reform and has establisheditself as part of the accepted media reality.

links:


Alguns dos links que consultei:

July 12, 2007 Baghdad airstrike – Wikipedia, the free encyclopedia

The July 12, 2007 Baghdad airstrikes were carried out by two United States Army AH-64 Apache helicopters in Al-Amin al-Thaniyah, in the district of New Baghdad in Baghdad, during the occupation of Iraq. The helicopters carried out three airstrikes, two incidents in which 30 mm caliber rounds were used — wounding two children and killing several men,
including Reuters news staff Saeed Chmagh and Namir Noor-Eldeen — and athird incident in which three AGM-114 Hellfire missiles were used to destroy a building.

“Recibimos muchas filtraciones del Ejército de EE UU” · ELPAÍS.com

P.- ¿Por qué necesitaron tres meses para difundir el vídeo en Internet?

R.- Necesitábamos descifrar el vídeo, hacer entrevistas, documentarnos y convertir la cinta en un documental. Mejoramos además la calidad del vídeo con un sistema sofisticado de renderización (edición técnica final del documento)

Icelandic Modern Media Initiative

Iceland is at a unique crossroads. Because of an economic meltdown in the  banking sector, a deep sense is among the nation that a fundamental change is needed in order to prevent such events from taking place again. At such times it is important to seek a collective future vision and take a course that will bring the nation and the parliament closer together.

On February 17th a parliamentary resolution will be  filed at the Icelandic parliament suggesting that Iceland will position itself legally with regard to the protection of freedoms of expression and information. This suggestion for a future vision has sparked great enthusiasm both within the parliament and among those it has been introduced to.

According to Reporters Sans Frontiers (RSF), Iceland went from being placed first in the world for freedom of
expression (2007) to 9th (2009). It is time this trend was rectified.

Out of one nation’s catastrophe comes a clarion call for honesty | Henry Porter | Comment is free | The Observer

Sitting at the bottom of the mountain in Iceland, there was time enough last week to reflect on this country’s importance in the struggle between theworld’s internet users and state secrecy, never better represented than
by publication by Wikileaks of a video showing the slaughter of more than a dozen people by an American helicopter gunship in Baghdad.

Swedish law gives shelter to controversial Wikileaks site | EurActiv

Sweden’s stringent whistleblower laws are protecting the anonymity of sources that have been feeding the controversial Wikileaks website with sensitive government and corporate information, according to Swedish political sources.

Technicalities: 10 Questions on WikiLeaks – Blog – Committee to Protect Journalists

1. What is WikiLeaks?

According to Daniel Schmitt, a WikiLeaks spokesman, the site exists to “ensure the legally and technically protected retrieval of information from anonymous sources and to make available this information for the general public.” It provides a secure online submission system for whistleblowers to upload documents, which WikiLeaks then makes availableglobally over the Web.

The war on WikiLeaks and why it matters – Glenn Greenwald – Salon.com

A newly leaked CIA report prepared earlier this month (.pdf) analyzes howthe U.S. Government can best manipulate public opinion in Germany and France — in order to ensure that those countries continue to fight in Afghanistan. The Report celebrates the fact that the governments of  those two nations continue to fight the war in defiance of overwhelming public opinion which opposes it — so much for all the recent veneration of “consent of the governed” — and it notes that this is possible due to lack of interest among their citizenry: “Public Apathy Enables Leaders to Ignore Voters,” proclaims the title of one section.

CivSol: Second Member of Company Involved in Wikileaks Incident Speaks Out

A second veteran of Bravo Company 2-16, Ethan McCord, has spoken out about the incident shown in the Wikileaks video “Collateral Murder”. Ethan is seen in the video rushing a wounded child (pictured Right) to amedical vehicle.

ÉPOCA – Blog Diário do Centro do Mundo | Paulo Nogueira

Assange, também a exemplo de Salander, virou verbete na Wikipedia. Ali está concentrada sua índole misteriosa. Nasceu na Austrália em algum momento da década de 70 que ele não precisa para “não ajudar os canalhas”.
Segundo um jornal australiano tinha 23 anos em 1995, o que lhe daria 37 ou 38 agora. Tem vida de nômade. A última residência, ao que parece, foi o Quênia, na África. Tem um filho cujo nome é ignorado. Na página no Twitter do WikiLeaks, sexta-feira havia uma conclamação para que os simpáticos à causa zelassem pela minibiografia de Assanger na Wikipedia e não à deixassem entregue aos “adversários”.

Por “razões éticas”, estava escrito ali, ele próprio não poderia fazer isso. Nem ninguém do pequeno e combativo grupo do WikiLeaks.

Wikileaks – Wikipedia, the free encyclopedia

Wikileaks describes itself as “an uncensorable system for untraceable mass document leaking”. Wikileaks is hosted by PRQ, a Sweden-based company providing “highly secure, no-questions-asked hosting services.” PRQ is said to have “almost no information about its clientele and maintains few if any of its own logs.” PRQ is owned by Gottfrid Svartholm and Fredrik Neij who, through their involvement in The Pirate Bay, have significant experience in withstanding legal challenges from authorities. Being hosted by PRQ makes it difficult to take Wikileaks offline. Furthermore, “Wikileaks maintains its own servers at undisclosed locations, keeps no logs and uses military-grade encryption to protect sources and other confidential information.” Such arrangements have been called “bulletproof hosting”.

Immune to Critics, Secret-Spilling Wikileaks Plans to Save Journalism … and the World

Wikileaks’s core strength — its distributed and seemingly phantom-like presence on the net — has yet to be tested  legally or technically. The domain name owner lives in Kenya and purposely doesn’t know much about Wikileaks.
The site, which looks to be hosted from a server in Sweden, has multiplemirrors around the world.

One of Wikileaks’ advisers, security expert Ben Laurie, doesn’t even know who runs the site — other than Assange — or where the servers are.

Besides Julian Assange, Who Is Behind WikiLeaks? – AOL News

In a brief biographical description appended to an article Assange wrote in 2006 on political hacking, he is described as “president of a NGO and Australia’s most infamous former computer hacker. He was convicted of attacks on the U.S. intelligence and publishing a magazine which inspired crimes against the Commonwealth.”

Crib Sheet: WikiLeaks and Its Spokesman, Julian Assange | Fast Company

Stay mysterious: WikiLeaks’ host, PRQ, provides “highly secure, no-questions-asked hosting services,” as used by torrent site The PirateBay, in Sweden. The site has no official headquarters.

Be cagey about your founders: “Chinese dissidents, journalists, mathematicians, and start-up company technologists from the U.S., Taiwan, Europe, Australia and South Africa” are the people behind the launch.

Know your enemy: Anyone in power, basically. Although its aim is to expose oppressive regimes in “Asia, the former Soviet bloc, Sub-Saharan Africa,” at the moment it is western Governments who are feeling the heat most of all.

Keep your staff count low: There are just five full-time people on the site, although another 800 do occasional work.

Exposed: Wikileaks’ secrets

The BJB documents were submitted to Wikileaks by ex-employee Rudolf Elmer. Elmer approached newspapers in his native Switzerland and tried to alert the Swiss tax authorities and the police to what he described as serious tax evasion. But no one was interested. On January 9, 2008, Elmer published the documents on Wikileaks. “Wikileaks was the only tool I had to raise my voice,” says Elmer, speaking to Wired from his Mauritius home.

Meet the Aussie behind Wikileaks | Stuff.co.nz

Wikileaks’s nine-member “advisory board” includes Assange and another Australian, Phillip Adams, who has worked here as a broadcaster, film producer and writer for 2UE, ABC Radio National, The Australian, The Age and The Bulletin.

Adams, who has received two Orders of Australia, is also chairman of the Film, Radio and Television Board, a foundation member of the Australia Council and has chaired the Australian Film Institute, the Australian Film Commission, Film Australia and the National Australia Day Council.
Assange said there were over 100 Australian PhD students, journalists and other volunteers working on Wikileaks.

26C3: WikiLeaks Release 1.0

During the last 12 months WikiLeaks representatives have been talking at numerous conferences, from technology via human rights to media focused,in an effort to introduce WikiLeaks to the world. WikiLeaks has had major document releases that have spawned attention in all major newspapers by now, it has triggered important reform and has establisheditself as part of the accepted media reality.

Inside WikiLeaks’ Leak Factory | Mother Jones

“He’s always been kind of worried about the guy who has some secret and has to either keep those secrets secret or reveal them but without revealing himself.”

The Corbett Report

The founder of Cryptome.org and veteran publisher of suppressed documents joins us to discuss what can be learned from the Wikileaks phenomenon, including the ways that information leaks can themselves be manipulated.
We also discuss corporate complicity in government surveillance of the
internet.

New Media Days TV // New Media Days: 2009: Dag 2 // The Subtle Roar of Online Whistle-Blowing

When governments and businesses cannot handle the truth, Wikileaks helps you blow the whistle and takes the heat.

Speaker:
JULIAN ASSANGE (AU) Spokesperson & Advisory Board Member, Wikileaks// Moderator: HENRIK FØHNS (DK) journalist and radio host, DR

An open platform for the anonymous publishing of compromising documents; according to Time Magazine, Wikileaks could become as important a journalistic tool as the Freedom of Information Act. Honorable analogy for sure, but one earned at the expense of powerful players like Sarah Palin, Kaupthing Bank and lately, with the controversial book Jaeger, the Danish Ministry of Defense. Praised for its democratic devotion and threatened by the shadier powers that be, each day is a victory for Wikileaks.

Powered by ScribeFire.