10 dicas essenciais para admins de GNU/Linux

O site da IBM tem muita e boa info sobre GNU/Linux, desde dicas deste tipo até aos cursos de preparação da certificação LPI, que já havia mencionado numa outra entrada.

Eis pois as:

Lazy Linux: 10 essential tricks for admins

How to be a more productive Linux systems administrator

Vallard Benincosa (vallard@us.ibm.com), Certified Technical Sales Specialist, IBM

Lazy Linux: 10 essential tricks for admins

Trick 1: Unmounting the unresponsive DVD drive

The newbie states that when he pushes the Eject button on the DVD drive of a server running a certain Redmond-based operating system, it will eject immediately. He then complains that, in most enterprise Linux servers, if a process is running in that directory, then the ejection won’t happen. For too long as a Linux administrator, I would reboot the machine and get my disk on the bounce if I couldn’t figure out what was running and why it wouldn’t release the DVD drive. But this is ineffective.

Wikipedia Offline para todos….

[editado para corrigir a calinada apontada pelo Jorge, thanks!!!]

A mais que badalada e usada enciclopédia aberta, a Wikipedia, também está disponível para quando estamos sem acesso à web.

Deixo aqui um artigo online, o Offline Wikipedia for Linux, que descreve as diversas maneiras de termos acesso a toda essa informação, sem que tenhamos necessidade de estar online, existe no entanto um pequeno senão, uma vez que a Wikipedia está em constante evolução, de tempos a tempos convém também actualizar os dados da nossa versão offline.

São descritos diversos processos, mas o mais simples sem dúvida é o download ou compra do DVD.

Main Page – Kiwix

Kiwix is a free software developed to release an offline version of Wikipedia

Ocean blue skin example.jpg

O ano do GNU/Linux no Desktop é agora!

O velho adágio de que o ano do GNU/Linux no Desktop é sempre para o ano, terminou.

Quando uma revista como a PCWorld o recomenda em vez da coisa a que chamaram m$-window$-vi$ta, está mais que confirmado, o GNU/Linux e até esticando um pouco a corda, a versão PC-BSD, baseada no FreeBSD, estão mais que prontos para o Desktop.

Até porque pagar uma licença m$-vi$ta para depois fazer downgrade para m$-xp, só à m$ é que podia lembrar….

Eis algumas das conclusões do excelente artigo de Scott Spanbauer is a contributing editor for PC World:

PC World – Move Your Business from Windows to Linux

If that feels like a waste of your small business’s precious IT budget, and you’re still looking for an alternative to Windows Vista, look no further than Linux. The latest distributions are free, easy to install, and highly customizable; they harness your existing hardware without overtaxing it; and they include a wealth of productivity applications and utilities.

PC World – Move Your Business from Windows to Linux

Though you can purchase boxed commercial versions of Linux that include support, every Linux distribution is also available for free under the terms of the open-source Gnu General Public License, or GPL.Your software licensing fee is zero, compared with the $300 per seat for the full version of Windows Vista Business Edition. And, another bonus, Linux lacks Microsoft’s intrusive activation requirements.

PC World – Move Your Business from Windows to Linux

You can even replace your costly Exchange server installation with the free, open-source Zimbra Collaboration Suite.

PC World – Move Your Business from Windows to Linux

Whether you’re using desktop or server versions of Linux, the operating system is famous for one other important feature that Microsoft is still gradually adding to Windows: security.

PC World – Move Your Business from Windows to Linux

Linux is different from Windows, but it isn’t an alien life form. The human investment you make in transitioning away from expensive Windows and Office licenses may pay for itself quickly. More important, you’ll be free to run the desktop and server software of your choice, on hardware you can afford.

Dicionário de GNU/Linux e mais algumas coisinhas :)

Já tem alguns anitos mas não deixa de ser uma fonte preciosa de informação.

Na mesma página temos também links para o dict e para o ‘Computer Dictionary’

Linux Dictionary

This document is designed to be a resource for those Linux users wishing to seek clarification on Linux/UNIX/POSIX related terms and jargon. At approximately 24000 definitions and two thousand pages it is one of the largest Linux related dictionaries currently available. Due to the rapid rate at which new terms are being created it has been decided that this will be an active project. We welcome input into the content of this document. At this moment in time half yearly updates are being envisaged.

Welcome to the Computer Dictionary Project

Computer Dictionary is an open source project, released under terms of the Creative Commons ShareAlike 2.0 license, that aims to develop a Docbook XML glossary database containing definitions of computing nomenclature. The primary application for the source is realized in context of Docbook XML-based publishing systems. However, as a desired side-effect, the glossary is also available online as a ‘browsable’ reference.

What makes this project unique is that it is the first free and open glossary database to be developed specifically for use with Docbook XML-based publishing systems.

Converter ficheiros de texto em MP3, yep… é isso mesmo! (edit)

Numa das minhas surfadas pela web, encontrei este interessante “howto”, como converter ficheiros de texto em mp3, usando para tal o Festival, ou seja, vamos fazer com que o nosso GNU/Linux leia para nós.

Infelizmente o Festival ainda só entende o Inglês (UK/USA) e o “Espanhol”.

Apesar do documento mencionar o formato mp3, eu optaria pelo excelente Ogg Vorbis.

Mais uma vez usando uma distribuição Debian GNU/Linux ou Debian based, parecendo que não facilita as coisas 😉

Festival

The Festival Speech Synthesis System

Festival offers a general framework for building speech synthesis systems as well as including examples of various modules. As a whole it offers full text to speech through a number APIs: from shell level, though a Scheme command interpreter, as a C++ library, from Java, and an Emacs interface. Festival is multi-lingual (currently English (British and American), and Spanish) though English is the most advanced. Other groups release new languages for the system. And full tools and documentation for build new voices are available through Carnegie Mellon’s FestVox project (http://festvox.org)

Linux on Desktop: Convert text files to MP3 under Linux

Convert text files to MP3 under Linux

Even though I am not a fan of audio books and the only thing I use my iPod for is listening music still while exploring Festival(which is basically a General multi-lingual speech synthesis system) I found out that it’s very easy to convert normal text files into mp3 using festival . Now this could be especially useful for people who either listen to audio books or people who have difficulty in reading.

“Plano Tecnológico da Educação” ou como atirar milhões às janelas!!!

Acabo de ler no TEK Sapo, algumas das afirmações do coordenador para o PTE, Plano Tecnológico da Educação, talvez fosse melhor chamar de descoordenador, João Trocado da Mata.

Já na manhã de ontem, tinha ouvido o nosso “eloquente” primeiro-ministro que do alto da sua habitual arrogância, afirmava no seu tom sem sal, que as Escolas iam dispôr de banda larga de 48Mbps e que mais importante, iriam ser gastos cerca de €400Milhões, para ainda segundo o TEK, “A meta do projecto é colocar Portugal nos primeiros cinco países europeus com maior taxa de modernização tecnológica a nível de ensino.” Indica ainda o TEK, que “Outra meta prevista
pelo Plano é a colocação de um computador com ligação à Internet para cada dois alunos até ao final da década”.

Lamento informar o senhor primeiro-ministro e o seu descoordenador, que o governo regional da Extremadura Espanhola já há uns bons anos conseguiu esse objectivo e com bastante menos gastos, aliás o governo da Extremadura não ficou apenas pelo Ensino, toda a Administração Pública, incluindo Hospitais da região, usa Software Livre, nomeadamente a sua distribuição gnuLinex, baseada em Debian GNU/Linux e da qual descende a nossa Alinex, desenvolvida na Universidade de Évora.

“O Alinex foi desenvolvido na Universidade de Évora como resultado de uma parceria com a Junta da Extremadura espanhola, responsável pela versão GNU/LinEx “.

Provávelmente uma boa parte destes €400milhões irão parar aos bolsos da micro$oft, tal como descreve o Rui Seabra no artigo Concurso público com benefício exclusivo para Microsoft em toda a Administração Pública”, infelizmente para todos nós, mais uma vez o compadrio a que já estamos cada vez mais habituados se volta a fazer sentir.

Foiassim com a comissão técnica, CT173, e com certeza em mais situações que nem conheço.
Infelizmente quem fica a perder mais uma vez são os portugueses, porque vão desbaratar milhões que poderiam ser melhor aplicados ou noutro lado ou para adquirir mais hardware, ficam especialmente a perder os alunos portugueses, que em vez de começarem a habituarem-se a usar Software Livre e standards abertos, vão usar software proprietário caro e de qualidade duvidosa, que ainda por cima os aprisiona.
Estas decisões são cada vez mais escandalosas e nojentas, não haverá um pingo de seriedade em quem nos deveria governar?

“No Artigo 4º Critérios de Selecção, Ponto 3 declaram que para os lotes 1 a 5 (desktops e portáteis) são exigidos vários
componentes com descrições genéricas (até aqui muito bem) e depois obrigam a utilização do vender o Windows Vista Business, beneficiando exclusivamente uma empresa com posição dominante no mercado, e cujas actividades renderam já várias sentenças por abuso de posição dominante. Nos Artigo 8º Proposta, Ponto 7 e Artigo 10º Documentos que
acompanham a proposta, Ponto 2, Alínea d obrigam à utilização de um formato proprietário da Microsoft (o do Microsoft Excel, .xls).”
in Software Livre

RoadRunner o novo nº1 no TOP dos Supercomputadores – Powered by Cell and AMD using GNU/Linux

Temos um novo nº 1 na batalha pelo processamento, o novo RoadRunner concebido pela IBM com recurso ao CPU Cell usado na PS3 e aos CPU’s da AMD, consegue destronar o BlueGene/L do Lawrence Livermore National Laboratory, também ele construído pela IBM.

Para conseguir o feito, desta vez a IBM usou “12,240 Cell chips and 6,562 dual-core AMD Opteron processors in IBM QS22 blade servers”, por forma a conseguir obter um poder de cálculo de “RoadRunner, was benchmarked at 1.026 petaflops (a petaflop is equal to one thousand trillion calculations per second), making it more than twice as fast as the top-ranked computer in the previous version of the ranking.”

Top dos Supercomputers

IBM Roadrunner – Wikipédia, a enciclopédia livre

Roadrunner é o nome do supercomputador de nova geração desenvolvido no Laboratório Nacional de Los Alamos localizado no Novo México (Estados Unidos).
Actualmente o supercomputador mais rápido do mundo, o Roadrunner foi desenhado para alcançar um nível de performance de processamento de 1.7 petaflops, alcançando 1.026 o que foi alcançado em Junho de 2008,[1] e
para ser o primeiro sistema Linpack do mundo TOP500 a 1,0 petaflops. A IBM construiu este computador para o Departamento de Energia dos Estados Unidos da América. O Roadrunner tem um design híbrido constituído por 6,480 processadores dual core AMD Opteron e 12,960 IBM
PowerXCell 8i CPUs em TriBlades especialmente desenhadas, TriBlades, interligadas por Infiniband.

O Roadrunner usa o sistema operativo Red Hat Enterprise Linux e é gerido com xCAT. O computador mais poderoso do mundo, o Roadrunner ocupa aproximadamente 557 metros
quadrados. Ficou operacional em 2008.

O DOE planeia usar o computador para simular como os materiais nucleares envelhecem e se o envelhecimento do arsenal nuclear dos Estados Unidos é seguro e confiável. Este será utilizado em outros projectos e experiências de
análise científica, financeira, aeroespacial e na indústria do
automóvel.

PC World – Business Center: IBM’s Cell-based RoadRunner Supercomputer Is World’s Fastest

The arrival of RoadRunner in the ranking pushes the IBM BlueGene/L system at the Lawrence Livermore National Laboratory off the top spot that it has held since November 2004. That machine is now the second fastest in the world with a maximum performance of 478.2 teraflops. Another IBM system, Blue Gene/P, at the Argonne National Laboratory, is ranked third and a Sun SunBlade x6420 Ranger at the University of Texas in Austin is ranked fourth. Another U.S. government machine, a Cray XT4 Jaguar at the Oak Ridge National Laboratory is in fifth place.