A pouca vergonha continua!!!

Entrada para lembrar da actualização do blog de Software Livre, Nixware com notícias recentes sobre o tema, onde se encontra para mal de todos nós mais uma que demonstra bem a situação de descalabro e gastos criminosos por ajuste directo na Administração pública, sem qualquer controlo.

TeK > Notícias > Negócios > ANSOL volta a criticar despesismo da AP nas compras de software

A crítica de despesismo da Administração Pública na compra de software é antiga mas volta agora a ser retomada pela Associação Nacional para o Software Livre (ANSOL), que quer contribuir “para a causa nacional de contenção da despesa pública” e propõe por isso um orçamento zero para licenças de software.

A ANSOL apela a que a Administração Pública “ponha termo às aquisições não fundamentadas de licenças de software, optando por Software Livre excepto sob motivo de força maior ou ausência de alternativa”, o que poderá contribuir para a contenção da despesa pública.

Quanto aos números deste continuado crime, estão aqui e podem-se encontrar mais exemplos do que se passa na AP por aqui.

Compras milionárias por Ajuste Directo
fontes: http://transparencia-pt.org/ e http://blog.softwarelivre.sapo.pt/2010/03/03/generosas-doacoes/
DGIEE 10 milhões € Renovação de Licenciamento Microsoft
Secretaria Regional da Ciência, Tecnologia e Equipamentos 5 milhões € Renovação de Licenciamento Microsoft
CTT 5 milhões € Licenciamento Microsoft
Município de Oeiras 1 milhão € Licenciamento Microsoft
eEscolas e eEscolinhas > 100 milhões € Licenciamento Microsoft

«Como se justificam Ajustes Directos nestes volumes em tempo de crise? Continuarão agora que a nos manda aumentar os impostos e congelar salários, pairando a  ameaça de intervenção do FMI? Serão sequer legais?» pergunta Rui Seabra, presidente da direcção da ANSOL

[via Software Livre no Sapo/ANSOL]

Mas como por aqui amiúde vou referindo, o problema não está só nas licenças de software proprietário e na dependência da AP em empresas monopolistas como a microsoft, SAP, etc; bem como nas negociatas em volta do Classmate Magalhães da JPSáCouto.

Hoje tomamos conhecimento de mais um esbanjar de dinheiros públicos relativo à cimeira dos criminosos da NATO que vai parar o Parque da Nações e que inclusive obriga a que se mande o Direito à Privacidade às urtigas, uma vez que os hotéis desta zona serão obrigados a mostrar as suas listas de clientes ao Estado Policial Português.

Para além dos atropelos à Privacidade e ao Direito de como cidadãos deste país podermos usufruir deste, uma vez que ficamos proibidos de aceder a uma importante parte da cidade, o senhor Primeiro Ministro e o seu Ministro das Finanças, acham por bem gastar 5 milhões de euros em novas viaturas blindadas apenas para esta cimeira quando a GNR vem afirmar que tem 14 veículos deste tipo que foram utilizados no Iraque e que estão parados numa garagem!

Uma vez mais pergunto, mas quando é que este povo ganha coluna vertebral e corre com esta gente do país para fora, ou melhor, desta dimensão física!?

Cimeira da Nato: GNR tem blindados parados mas governo quer novos

A GNR tem nas suas garagens 14 veículos blindados que foram utilizados durante missões no Iraque, e estão agora parados. A Guarda Nacional Republicana ofereceu o empréstimo dos veículos para serem utilizados durante a cimeira da Nato, em Novembro – que vai contar com a presença do presidente norte-americano – no entanto, o governo já autorizou a compra de seis blindados novos e material de protecção, avaliados em cinco milhões de euros, revela o “Diário de Noticias”.

Powered by ScribeFire.

Anúncios

Este país é um circo e os palhaços somos nós

Sim só podemos ser palhaços é que por certo fazemos rir à gargalhada a canalha que nos vem desgovernando.

É que só assim se explica a nossa passividade perante tanto roubo, pouca vergonha, falta de ética e sentido de Estado.

Quando é que colocamos estas senhoras e estes senhores no seu lugar?
Afinal de contas nós é que somos o Estado, nós, os cidadãos é que somos os seus patrões e não o contrário.

14 mil instituições vivem do OE – Economia – DN

“Existem cerca de 14 mil instituições que estão no Orçamento do Estado. 13 740 entidades que recebem dinheiros públicos”, afirmou o economista, explicando que existem no perímetro do Orçamento 356 institutos públicos e 639 fundações.

“Segundo os cálculos que apresentou, existem ainda 343 empresas públicas e 87 parcerias público-privadas (PPP).”

Estradas de Portugal não vai cumprir metas do PEC – Economia – DN

“A EP não tem condições” para cumprir a meta para o crescimento do endividamento definida pelo Governo, disse Almerindo Marques, explicando que a empresa “não está a fazer endividamento superior ao previsto com base em investimentos decididos agora”, mas sim a “fazer pagamento de investimentos decididos no passado”.

O presidente da EP disse que a empresa “não está perto do abismo”.

Almerindo Marques disse que as estimativas da empresa apontam para um endividamento total da empresa de 2.200 milhões de euros no final deste ano.

Secreta portuguesa já está a operar no Afeganistão – JN

O SIED, a “secreta” portuguesa virada para as informações estratégicas, já está a trabalhar no Afeganistão, num apoio ao deslocamento e operações das forças militares portuguesas, segundo soube o JN, na sequência da visita do ministro da Defesa ao Parlamento.

O SIED (Serviço de Informações Estratégicas de Defesa) tem, já, também, operacionais no Líbano e no Kosovo, com conhecimento do comando das forças multinacionais e das autoridades locais, e está igualmente previsto o envolvimento do serviço na Somália, um movimento que acompanha o empenhamento das Forças Armadas portuguesas.

400 carros topo de gama: empresa pública não está em crise | agência financeira

A notícia foi inicialmente avançada pelo «Correio da Manhã». O jornal escreve, na edição desta quinta-feira, que a maioria dos carros personalizados da empresa são de gama alta, que só o presidente gastou quase 13 mil euros com o automóvel e que só no final do primeiro semestre deste ano, contabilizavam-se 1.190 viaturas de serviço contratadas em regime de Aluguer Operacional de Viaturas (AOP), das quais 388 são viaturas personalizadas.

Jornal de Negócios Online

O grupo, que tem 42 empresas e 5.300 colaboradores, contabilizava no final do primeiro semestre 1.190 viaturas de serviço, das quais “388 são viaturas personalizadas”, segundo as informações disponibilizadas pela AdP.

CDS-PP quer intervenção do Governo na Águas de Portugal – Política – PUBLICO.PT

“É muito simples, das duas uma, ou o senhor ministro não manda, ou as empresas não obedecem”, criticou, afirmando que “não é aceitável” que as despesas da Águas de Portugal “continuem a ser pagas pelos contribuintes”.
(…)
“Registamos que a empresa Águas de Portugal já ultrapassou esse limite. Em relação à renovação de frota, o Governo estabeleceu que por cada três carros abatidos, apenas um será adquirido. Aquilo que vemos é que na empresa Águas de Portugal a regra é que 34 são substituídos por 34 no âmbito de 400 viaturas personalizadas sendo que aquilo que é dito serenamente é que este ano não há redução de custos”, criticou.

CP é a empresa pública com mais cargos de chefia – TSF

Além do número de chefes, a CP destaca-se também por ter quatro assessores só para o Conselho de Administração que ganham por mês mais de 4000 euros brutos e um extra de 2700 euros para despesas de representação.

Os dados tinham sido pedidos pelo PSD, que através do Parlamento enviou um requerimento a todas as empresas públicas. A CP foi a última a responder.

Ainda de acordo com o Diário Económico, a seguir à CP neste ranking de empresas com maior número de chefias surge em segundo lugar a TAP.

A transportadora aérea nacional tem 171 chefes com uma média salarial de 4500 euros por mês.

Em terceiro lugar, surge a REFER que tem 158 quadros de chefias para cerca de 3500 funcionários, o que resulta em um chefe por cada 22 trabalhadores.

Na REFER,em média as chefias ganham cerca de 6300 euros por mês.

Ministério Público: compra de submarinos pode ter financiado o CDS-PP – Sociedade – PUBLICO.PT

Os investigadores, segundo o jornal, querem conhecer a origem dos 1.060.250 euros depositados nas contas do CDS-PP em montantes inferiores a 12.500 euros no período de 27 a 30 de Dezembro de 2004 e se essa verba beneficiou o partido como contrapartida pelos esforços do ministro Paulo Portas na atribuição do fornecimento dos submarinos aos alemães da German Submarine Consorcio.

Caso Portucale: PJ investiga rasto de 24 milhões de euros a partir de escutas telefónicas de Paulo Portas – Política – PUBLICO.PT

O caso Portucale relaciona-se com o despacho que declarou a “utilidade pública” de um projecto para um empreendimento turístico em Benavente, autorizando o abate de mais de 2.500 sobreiros e que foi assinado pelos ex-ministros Costa Neves (Agricultura), Nobre Guedes (Ambiente) e Telmo Correia (Turismo), a escassos dias das eleições legislativas de 2005.

Grande Loja do Queijo Limiano: O caso Freeport

O “caso Freeport”, um processo de investigação criminal, iniciado em Fevereiro de 2005, com base em informações policiais recolhidas no ano anterior, é hoje notícia no Sol que escreve assim na primeira página:

“Autoridades inglesas descobrem transferências em dinheiro para personalidades portuguesas”.
E ainda adianta que as “autoridades inglesas propuseram à PGR a criação de uma equipa conjunta para investigar o caso Freeport.”

Powered by ScribeFire.

Vergonha na cara e ética é coisa que por cá já não existe

Hoje no jornal Público podemos ler esta notícia Duas escolas portuguesas seleccionadas para programa mundial da Microsoft que premeia inovação”, o que a mim me faz disparar todos os alarmes e mais alguns, mas no interior está lá algo ainda mais arrepiante.

Duas escolas portuguesas seleccionadas para programa mundial da Microsoft que premeia inovação – Educação – PUBLICO.PT

“Esta é sem dúvida mais uma notícia positiva para o país, fruto da aposta que tem vindo a ser feita pelas escolas, quer pelo Ministério, quer por professores e alunos – e do empenho da Microsoft na promoção do uso das novas tecnologias”, afirma Rui Grilo, director da Microsoft para a Educação em Portugal, citado no comunicado da empresa. Recorde-se que Rui Grilo, no anterior Governo, foi coordenador adjunto do Plano Tecnológico.

Será possível que ninguém se questiona sobre os enormes conflitos de interesse? Como é possível assistir-mos a isto?

Como é possível os senhores jornalistas não questionarem este senhor sobre este facto?

A falta de vergonha e ética destes senhores já não tem limites, se é que alguma vez os teve.

Como português agradecia que as senhoras e senhores jornalistas fizessem o trabalho que lhes compete e que quem vai para cargos políticos o fizesse com ética e em defesa dos interesses de Portugal, infelizmente cada dia que passa assistimos cada vez menos ao cumprimento destes objectivos.

Em relação à notícia propriamente dita, como venho escrevendo por aqui amiúde, estarmos dependentes de uma empresa monopolista ainda para mais a nível do ensino só pode conduzir a gravíssimos problemas no futuro.
Devem-se ensinar CONCEITOS e não produtos ou marcas, quando é que começamos a olhar para o que os países ricos vêm fazendo com a utilização de Software Livre a nível da Administração Pública, casos da França, Alemanha e até a nossa vizinha Espanha.

Powered by ScribeFire.

FMI: Preparando o zé povinho para engolir mais uma aldrabice

Confesso que temas económicos não são o meu forte, muito longe disso, até porque detesto o tópico, mas este artigo hoje no DN, chamou-me à atenção devido a ser descarada a tentativa de branqueamento das políticas criminosas do FMI e da tentativa de uma verdadeira lavagem ao cérebro do povinho português para aceitar a entrada em Portugal do FMI.

O mais grave é que até pessoas que têm criticado e bem todo este circo que vivemos, como o professor Medina Carreia, também embarca na mesma desinformação.

Tenho em grande consideração o professor, mas há temas em que sinceramente não concordo minimamente com ele, como este caso do FMI bem como quando fala da eminência parda do avental, Mário Soares.

É verdade que caminhamos a passos largos para o fundo do abismo, mas por isso mesmo é melhor que nos recusemos e acima de tudo, que façamos os possíveis e os impossíveis para não cair nas mãos dos criminosos do FMI.

O exemplo espanhol: corte de 1/3 nas empresas públicas – Economia – DN

Dos quatro países em graves dificuldades – Grécia, Irlanda, Portugal e Espanha – só Lisboa não cortou na despesa pública.

FMI: o estigma de uma instituição que ajuda os Estados – Economia – DN

A vinda do FMI foi pedida durante a semana que passou por vários ex-ministros e economistas, que apresentaram a instituição como a única capaz de obrigar o Governo português a encetar um plano de austeridade das contas públicas sério e credível. A estes pedidos, o Governo nada contrapôs.

O Fundo Monetário Internacional tem por missão financiar os Estados que se encontram em dificuldades para cumprir o pagamento da sua dívida externa. Como contrapartida deste acesso facilitado ao crédito, o FMI exige aos Estados que cumpram as regras do livre funcionamento dos mercados, da não intervenção dos governos na fixação dos preços dos bens, de austeridade nas despesas públicas, etc. Estas exigências traduzem-se na estigmatização do FMI, cuja entrada em cena num qualquer país já é, aliás, encarada como um sinal de pré-bancarrota desse Estado.

Melhor que eu explicar o que é na realidade o FMI e o que esses criminosos levam a cabo, será verem este vídeo e lerem este artigo.


The Meaning of “Austerity”

IMF: Trapping Countries into Debt

For decades, left critics of the International Monetary Fund (IMF) have maintained that the IMF is merely a tool for enforcing the interests of financial elites, especially those in the US. Predictably, this view has been scornfully dismissed by those in power and their media lackeys who posture the institution as the benefactor of needy countries. The persistent history of the IMF’s extortionate funding, linked to austere cuts in social spending, is simply dismissed as pressing fiscal responsibility on countries lacking the spine to address their profligacy. Such are the myths that sustain faith in global capitalism.

VIDEO: What is the Meaning of IMF “Economic Austerity Measures”?

It’s an old trick to couch a painful reality inside of a flowery platitude. We hear it all the time in our daily lives, and for the most part we know how to read between the lines when someone tries to do it to us.

When your doctor tells you that “This will only hurt a bit,” you know enough to brace yourself for a painful procedure. When your boss tells you he has an exciting new project for you to work on, you know you’re about to get saddled with the job that no one else wants to do. When a salesman tells you a used car is a fixer-upper, you know you’re looking at a lemon.

Similarly, when the IMF tells a nation that they need to implement “austerity” in order toget themselves out of a financial crisis, here, too, lies a gaping chasm between the language and the reality.

“Austerity” is one of those Orwellian terms that has been injected into our political discourse precisely because it is a nice-sounding word for a very painful reality. “Austerity” implies discipline, self-restraint, even nobility. “Austerity” is prudent. “Austerity” is modest. “Austerity” is a virtue. It is an end in itself.

Powered by ScribeFire.

9/11: Nove anos passados e continuamos sem respostas

O criminoso e hediondo ataque de ‘bandeira falsa’/False Flag ocorrido em 11Set2001 e com grande probabilidade perpetrado por uma parte da Administração dos EUA, os patifes do Governo sombra, que desde há muitas décadas (é há mais tempo, mas tem-se tornado mais visível desde a WWII) vêm mexendo os cordelinhos nos bastidores continua hoje decorridos nove anos com centenas de perguntas sem resposta e infelizmente sem que quem as possa fazer as queira colocar.


Tal como nos anos anteriores iremos ouvir até à exaustão a Teoria da Conspiração mais obtusa que provavelmente alguma vez foi criada por um Governo dito democrático para enganar os seus cidadãos e o resto do mundo e que os media tradicionais sem qualquer coluna vertebral, sem qualquer investigação digna desse nome, sem fazerem o que lhes compete, se limitaram a repetir ad nauseam durante anos a fio para que esta ficasse de tal forma impressa nas cabeças das pessoas que as impedisse de sequer esboçar uma critica, uma questão sobre o que lhes estavam a vender.

A teoria ABSURDA de que 19 elementos na sua grande maioria cidadãos da Arábia Saudita (15) (1 egípcio, 1 libanês e 2 dos Emiratos Árabes Unidos), equipados apenas com x-actos e sob ordens de Bin Laden a viver nas montanhas do Afeganistão, conseguiram tomar de assalto quatro aviões comerciais os quais desviaram e mantiveram no ar (o voo do pentágono fez cerca de 800 km sem qualquer motivo uma vez que poderia ter voado directamente do aeroporto para o alvo) até à queda do último durante quase duas horas, ultrapassando assim toda a defesa aérea e não só, dos EUA que gastam nela biliões de dólares anualmente e que por coincidência exactamente no dia anterior aos atentados, uma investigação questionava Donald Rumsfeld sobre o desaparecimento no ano anterior de 2.3 triliões de dólares que o Pentágono não conseguia justificar.


TRILLIONS MISSING – And so it CONTINUES

Como já havia escrito há bastante tempo aqui, o historiador Daniel Ganser, define conspiração como, “a secret agreement between two or more persons”.

Logo a história oficial é uma Teoria da Conspiração.

Na Teoria da Conspiração arquitectada pela Administração Bush/Cheney foi ainda possível integrar mais uns quantos pormenores que nem num filme de Hollywood teriam credibilidade, como por exemplo o facto de não existir qualquer explicação para que as baterias anti-aéreas que supostamente deveriam ter defendido o Pentágono não tivessem funcionado e ainda que nunca se havia pensado na possibilidade deste ser atacado por um avião comercial transformado em míssil, palavras da criminosa Condoleezza Rice, quando meses antes o Pentágono havia simulado exactamente um ataque desse tipo.

Ainda do ponto de vista da total falta de credibilidade da Teoria da Conspiração oficial, temos os factos fantásticos até para um filme de série B made in Hollywood, de terem sido encontrados quatro passaportes de outros tantos supostos terroristas, três dos quais no entulho das terríveis catástrofes, sendo que o quarto terá sido encontrado na suposta bagagem de Atta no parque de estacionamento do aeroporto de Portland/Maine quando fez a mudança de voo para o avião que embateria numa das torres.
O mais extraordinário é que depois das mega explosões dos aviões contra as torres e da posterior queda/derrube do avião UA93, no meio de toda aquela devastação, por certo será mais fácil ganhar todas as semanas o euromilhões, por milagre foi possível  encontrar intactos os três passaportes e no caso do voo UA93 ainda o shemagh de um dos supostos terroristas!.

Fantástico!

Só mesmo alguém que nunca tenha investido umas horas destes nove anos a ler um ou dois artigos, livros ou mesmo os creio que três ‘papers’ escritos por meia dúzia de pessoas extremamente credíveis e que têm investigado este caso a fundo como Steven Jones, Kevin Ryan, David Ray Griffin, Webster Tarpley, Michael Ruppert, Richard Gage e tantos outros, é que ainda pode acreditar na FANTASIOSA e criminosa Teoria da Conspiração oficial.

Infelizmente os media controlados pelos interesses obscuros do Complexo Industrial Militar, Maçonaria, Bilderberg, CFR, Trilateral etc
têm feito um excelente trabalho de desinformação e ocultação de informação que usam para lavar o cérebro dos cidadãos e para os condicionar a aceitar cada vez mais, medidas supressivas dos seus direitos mais básicos como a sua Privacidade.

Quatro questões incómodas

Até há não muito tempo atrás existiam quatro questões bastante estranhas por resolver e que poderiam ajudar a perceber um pouco melhor os contornos deste crime e de como havia sido planeado e levado a cabo, incluindo a desinformação que logo após os primeiros embates dos aviões nas Torres do complexo do World Trade Center (WTC) teve lugar por incrível que possa parecer ao nível de entrevistas na rua a supostos cidadãos incógnitos.

Ainda só se resolveram três, quem era a personagem a que o ex-Secretary of Transportation, Norman Mineta, se referiu como sendo a pessoa que ia informando o Vice-Presidente Dick Cheney no Presidential Emergency Operating Center (PEOC) sobre a distância a que se encontrava do Pentágono a aeronave que supostamente terá embatido nesse complexo militar.

History Commons

According to some accounts, Vice President Dick Cheney is in the Presidential Emergency Operations Center (PEOC) below the White House by this time, along with Transportation Secretary Norman Mineta and others. Mineta will recall that, while a suspicious plane is heading toward Washington,an unidentified young man comes in and says to Cheney, “The plane is 50miles out.” Mineta confers with acting FAA Deputy Administrator Monte Belger, who is at the FAA’s Washington headquarters. Belger says to him:
“We’re watching this target on the radar, but the transponder’s been turned off. So we have no identification.” According to Mineta, the young man continues updating the vice president, saying, “The plane is 30 miles out,” and when he gets down to “The plane is 10 miles out,” asks, “Do the orders still stand?” In response, Cheney “whipped his neckaround and said, ‘Of course the orders still stand. Have you heard anything to the contrary?’” Mineta will say that, “just by the nature of all the events going on,” he infers that the order being referred to is a shootdown order. Nevertheless, Flight 77 continues on and hits the Pentagon.

Aqui fica o vídeo em que Norman Mineta perante a Comissão de ‘investigação’ do 11Set2001 afirma o que acima transcrevo, convém no entanto referir esta particularidade extremamente importante é que este depoimento não foi colocado no relatório final.

A personagem a que Norman Mineta se referia era o adido naval de Dick Cheney, Douglas Cochrane que não nega os acontecimentos embora se recuse a falar sobre eles, remetendo sempre para o relatório da Comissão 911.


9/11 Pentagon – “Do the orders still stand?” Who was he?

Outra das questões que já está bastante bem explicada é a inexistência de alguns dos supostos telefonemas que teriam sido efectuados a partir de telemóveis ou de telefones internos nos aviões por parte de alguns passageiros e que o FBI em Tribunal durante o julgamento de Moussaoui em 2006 demonstrou que não ocorreram.

A propósito do voo 77, que supostamente (os dados das caixas entregues via FOIA indicam que o avião passou por cima do pentágono) se despenhou no pentágono, os pilotos e técnicos de aviação civil e militar que se têm debruçado sobre o assunto, usando documentos que foram conseguidos através de pedidos FOIA, chegaram recentemente à conclusão que os dados das caixas negras que eles têm em seu poder e têm vindo a estudar, indicam que durante o voo, a porta do cockpit NUNCA foi aberta, logo teria sido impossível toda a fantasia oficial de que os supostos terroristas haviam invadido o cockpit e morto os pilotos.

Relativamente ao caso por deslindar, trata-se de identificar a personagem, conhecida na rede por Harley guy, que passados poucos minutos do embate dos aviões nas torres e numa entrevista de rua à Fox news, lançou pela primeira vez a teoria de que as torres, WTC1/2 haviam caído devido ao calor provocado pelas explosões dos aviões, o que é manifestamente falso (o próprio NIST indica nos seus relatórios que as temperaturas nunca atingiram valores que causassem problemas à infraestrutura) como Richard Gage, Steven Jones e Kevin Ryan vêem demonstrando.

A resposta a esta questão é bastante importante, porque por certo provaria que se tratou de uma False Flag, um atentado perpetrado por elementos da Administração e do Complexo Militar Industrial e que tudo à volta como o caso destas imagens seria o início da campanha de desinformação e criação da história/Teoria da Conspiração oficial.

Continuamos pois à espera de uma nova investigação que se quer realmente Independente e Credível.
Infelizmente não creio que alguma vez a venhamos a ter.

Alguns artigos, vídeos, interessantes sobre o tema, se durante nove anos nada leram sobre este crime com enormes consequências para todos nós, ganhem alguns minutos, horas da vossa vida e leiam e vejam alguns destes documentos, já é tempo de ACORDAREM:


entrevista ao professor e ex-embaixador canadiano Peter Dale Scott

Powered by ScribeFire.

Ministério da Justiça ou da Incompetência? Uma sugestão!

Bem vindos ao país dos “fabulosos” classmate magalhães e de todas as trapalhadas à volta destes!

Neste mesmo país, para alguns, melhor apelidado de CIRCO, não se conseguem fazer três coisas extremamente simples, ou melhor, o Ministério da Justiça não as consegue fazer!

Segundo estes três artigos, Falha informática impede entrega de acórdão do Casa Pia, Informática impediu entrega do acórdão do Casa Pia, Tribunal falha entrega do acórdão Casa Pia pela terceira vez; a não entrega do acórdão deve-se a problemas informáticos.

Como é possível que num processo tão sensível como este estejamos a assistir a tanta trapalhada junta, ainda por cima com desculpas que não lembram a ninguém?
E se num processo com a visibilidade deste acontece este tipo de coisas, como será com outros processos, especialmente de pessoas que não têm o poder económico das que estiveram evolvidas neste?!

As desculpas são do mais ridículo que se pode encontrar, senão vejamos, segundo o JN, “O Conselho anunciou entretanto que vai publicar o acórdão no seu site, mas só o fará sexta-feira. É que terá de ocultar o nome das 32 vítimas, uma vez que se trata de um processo de abuso sexual de menores. Um trabalho árduo quando se trata de um acórdão com quase duas mil páginas e as vítimas serão referidas centenas de vezes.”

Tudo bem que oculte o nome das vitimas, agora a desculpa de ser um trabalho árduo é que só pode ser piada!

Mas estas senhoras e senhores do Ministério da Justiça escrevem os acórdãos em papiro?
Será que nunca ouviram falar das faculdades dos processadores de texto para substituir ou remover determinada palavra num texto, independentemente do seu tamanho como é óbvio?

E quanto à formatação de texto, será que demoram dias para efectuar tal operação?

Tribunal falha entrega do acórdão Casa Pia pela terceira vez – Sociedade – PUBLICO.PT

Uma
fonte oficial do CSM confirmou que, “conforme comunicou a juíza
presidente, surgiu um problema informático devido à impressão e gravação
do acórdão em suporte digital”.

Por outro lado, uma fonte ligada
ao processo disse mais tarde à Lusa que se tratava de “um problema de
formatação dos textos” que compõem o acórdão e que a juíza Ana Peres
estava a ter o apoio de um técnico da Direcção-Geral da Administração da
Justiça.

Relativamente à impressão e gravação de DVDs o caso é ainda mais ridículo, até porque como se pode perceber pelas desculpas isto não faz qualquer sentido.

Então mas como raio dão a desculpa de haver problemas na gravação e impressão dos documentos quando ao mesmo tempo dizem que os textos têm problemas de formatação ou que necessitam de remover informação deles?

Presumo que não andem a gastar dinheiro e tempo a gravar e imprimir coisas que não estão prontas!

Mas será possível que o Ministério da Justiça não tenha contractos com empresas de informática ou que até internamente não possua no seu gabinete de informática a capacidade de efectuar a gravação de ‘meia dúzia’ de DVDs?
Será possível que não tenham contractos com uma gráfica por forma a efectuar as impressões, que raio presumo que até a Imprensa Nacional Casa da Moeda o pudesse fazer!

Termino com uma sugestão ao Ministério da Justiça, que serviria tanto para este como para todos os outros casos, a disponibilização dos documentos via um servidor seguro de acesso restrito às partes envolvidas nos processos e no qual se encontrariam os documentos encriptados.

Do ponto de vista técnico é relativamente simples de implementar, as ferramentas para tal existem a preço ZERO, usando naturalmente Software Livre, se servem para manter os segredos da NSA e do Ministério dos Negócios Estrangeiros da Alemanha, por certo servirão para o nosso Ministério da Justiça.

Assim não haveria toda esta autêntica palhaçada, este circo que desprestigia por completo a Justiça e o país, os documentos estariam logo disponíveis (é claro que esta situação só resolveria os problemas de impressão e gravação de DVDs) e posteriormente poderiam ser entregues noutros formatos.

Ainda me custa a acreditar em tanta INCOMPETÊNCIA!


Powered by ScribeFire.

Classmate Magalhães: fraude e fuga ao fisco…é o que está a dar!

Via TEK há dias li que “A Câmara Municipal de Matosinhos aprovou, esta terça-feira, um conjunto de benefícios fiscais para a JP Sá Couto. A empresa, que produz os computadores Magalhães, está isenta do  pagamento do Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI), durante os próximos cinco anos, e terá direito a uma redução de 50 por cento do valor do Imposto Municipal sobre Transmissões Onerosas de Imóveis (IMT), pelo mesmo período.”

Esta empresa é um claro exemplo do circo que é este país de negociatas
entre amigos, como eu já havia escrito anteriormente também sobre uma notícia do TEK.

Ficamos a saber que neste país quem quer ter sucesso empresarial precisa
de duas coisas, ter o apoio dos amigos do governo e se possível do
primeiro ministro (que até serve de vendedor internacional) e não ligar
patavina às leis do país, fugindo ao fisco e dinamizando a fraude
fiscal!

Que moral terão estes senhores para depois atacarem quer os
cidadãos, especialmente os desempregados, quer as PMEs que não têm cor politica nem amigos no governo!?

NOTA: Depois de procurar durante um bocado na rede sobre notícias do actual estado do processo de que estava acusada a JP Sá Couto, não consegui no entanto encontrar qualquer informação sobre este.

Pode-se dizer que como ainda não foram condenados que têm presunção de inocência, concordo totalmente.
No entanto o problema é que ainda não sabemos e parece que nem nunca iremos saber as conclusões de mais um processo porque este a par de outros que envolvem o poder, deve ter sido remetido para a terra do nunca e é aí que reside o problema.

Uma empresa sob suspeita e a ser investigada não pode receber estas benesses em virtude de desvirtuar por completo quer as leis do país quer o mercado que se quer justo e livre.

Powered by ScribeFire.