Microsoft Windows Refund: A minha saga para tentar obter a devolução do valor da licença que não irei usar (II)

Neste segundo episódio da saga, posso dizer que as coisas estão a correr bem.

A Asus foi extremamente rápida a responder, menos de 24H

Indicam-me que terei de enviar a factura do equipamento por forma a devolverem-me o valor da licença OEM….embora eu já o tivesse feito ontem quando abri o ‘ticket’ via o site da Asus.

Reenviei a factura há cerca de 3 horas e já voltaram a responder, indicando que a haviam recebido e que em breve enviariam o “procedimento para pedir a devoluçao da sua licença OEM.”

Está a parecer-me tudo muito simples, rápido e eficaz….até demais, quando a esmola é muita o Santo desconfia…..mas como hoje é dia de Santo António pode ser que a Asus se torne na minha marca de equipamento informático favorita….a todos os níveis!

Seguem-se o Copy/paste da troca de mails com a Asus… (retirei os dados privados)

from XXXX@asus.com.tw
to XXXX@gmail.com
date 13 June 2011 12:55
subject Re: Notebook A52F [ID=XXXX20110613XXXX-XXX]
mailed-by asus.com.tw

Estimado cliente,

Muito obrigado por contatar a ASUS.

Para realizar a devoluçao da sua licença de Windows deverá enviar-nos a factura do seu equipamento.

Responda, por favor, a este correio eletrónico, anexando a fatura de compra do seu computador.

from XXXX@asus.com.tw
to XXXX@gmail.com
date 13 June 2011 15:05
subject Re: Notebook A52F [ID=XXXX20110613XXXX-XXX]
mailed-by asus.com.tw

Estimado cliente

Confirmo a receção da factura enviada.

Brevemente iremos enviar-lhe o procedimento para pedir a devoluçao da sua licença OEM.

Obrigado pelo seu contacto

Asus Ibérica

Anúncios

Microsoft Windows Refund: A minha saga para tentar obter a devolução do valor da licença que não irei usar (I)

Adquiri neste fim-de-semana um portátil Asus modelo A52F, uma excelente máquina para correr os meus sistemas operativos livres (GNU/Linux e BSDs) com uma óptima relação preço/qualidade.

Infelizmente a marcas continuam a tentar enfiar-nos pela goela abaixo o infame IMPOSTO MICROSOFT, que o site Não quero imposto m$ tão bem explica o que é….

Ora seguindo o exemplo de uns quantos antes de mim, resolvi tentar a minha sorte para fazer valer os meus direitos, ainda que a estrada seja longa e cheia de buracos….até porque em países civilizados os direitos dos cidadãos são respeitados, até porque os tribunais os fazem cumprir.

Mais info sobre o tema na minha feed do FFeed.

Para tal comecei por enviar um pedido de informação de como proceder à Deco-Proteste e não querendo perder tempo enviei logo um pedido de reembolso à Asus Portugal.

Eis os meus pedidos de esclarecimento:

=============
DECO-PROTESTE
=============

Boa tarde,

Gostaria de vos colocar uma questão relativa à Legislação europeia no que respeita ao Bundling, agregação de produtos, nomeadamente na que se refere à aquisição de um portátil da marca Asus que obriga o cliente a adquirir uma licença do Microsoft windows 7 home premium, ainda que o consumidor, eu, não a pretenda usar.

A situação é a seguinte, tendo adquirido neste passado sábado 11Junho2011 um portátil da marca Asus e não fazendo qualquer intenção de usar o software que vem instalado de fábrica, nomeadamente o sistema operativo microsoft windows 7 home premium uma vez que apenas uso Software Livre, GNU/Linux e BSDs, tendo em conta que a EULA do software indica o seguinte:

“Ao utilizar o software, o Adquirente aceita estes termos. Caso o Adquirente não aceite os termos, não deverá utilizar o software. Em vez disso, contacte o fabricante ou instalador para determinar a respectiva política de devoluções. _Terá de respeitar_ essa política, que poderá limitar os seus direitos ou _requerer que devolva todo_ o sistema onde se encontra o software instalado. ” https://www.microsoft.com/About/Legal/EN/US/IntellectualProperty/UseTerms/Default.aspx

como não aceitei os termos que considero lesivos do interesse do consumidor uma vez que fazem a agregação de dois produtos, hardware e software, ainda por cima de duas entidades diferentes, Asus e Microsoft, sem que haja qualquer motivo razoável para tal uma vez que o dito hardware funciona com outros sistemas operativos, venho por este meio questionar a Deco relativamente aos Direitos que me assistem como consumidor na UE.

Tendo lido no site http://nao.quero.imposto.ms/ a seguinte informação:

“O Regime Jurídico da Concorrência proíbe, na alínea (g) do Artigo 4º, «subordinar a celebração de contratos (da compra de um bem) à aceitação de obrigações suplementares (as licenças dos programas que vêm com o bem) que, pela sua natureza ou segundo os usos comerciais, não tenham ligação com o objecto desses contratos». Neste caso, a compra de um equipamento informático está a ser indevidamente subordinada à obrigação do pagamento das licenças de software que acompanham o equipamento, bem como à aceitação, na prática, dos seus termos.” http://nao.quero.imposto.ms/?page_id=12 ; http://www.iapmei.pt/iapmei-leg-03.php?lei=1856

Podem por favor informarem-me sobre que procedimentos deverei tomar para ser ressarcido do valor do software que vem instalado no portátil acima referido tendo em conta as diversas informações que acima cito?

Obrigado,

Cumprimentos,

=============
ASUS PORTUGAL
=============

Dados de acordo com esta carta exemplo

Domingo, 12 de Junho de 2011

Factura: (a minha)
Número de identificação do produto (Serial number): (o do meu Asus A52F)

Assunto: Devolução do custo do licenciamento do Microsoft Windows Seven(7) Home Premium, bem como dos restantes programas instalados.

Exmo(a) Senhor(a),

Adquiri na Worten de Loures no passado Sábado, 11 de Junho de 2011, o portátil modelo Asus A52F-EX1113V.

O equipamento adquirido inclui licenças para programas de computador, nomeadamente o Microsoft Windows Seven(7) Home Premium.

Tendo tido o cuidado de antes de ligar o portátil me informar sobre os termos desta licença do Windows, em particular a end-user license agreement (EULA) que declarava o seguinte (destaque meu):

“Ao utilizar o software, o Adquirente aceita estes termos. Caso o Adquirente não aceite os termos, não deverá utilizar o software. Em vez disso, _contacte_ o fabricante ou instalador para determinar a respectiva _política de devoluções_.” (via https://www.microsoft.com/About/Legal/EN/US/IntellectualProperty/UseTerms/Default.aspx)

Bem como lido o artigo “How To Return Windows 7 And Keep Your New PC” do site Business Insider, o qual indica o seguinte:

“Don’t boot up the computer!
To qualify for a refund you need to reject Microsoft’s End User License Agreement for Windows. New copies of Windows pre-installed on new PCs and laptops no longer have a Reject button, just an Agree button. Since you can’t reject it outright, just don’t boot up.”

Com o conhecimento da informação acima citada, iniciei o portátil usando uma pen com uma distribuição live do sistema operativo livre GNU/Linux tendo subsequentemente, apagado o Microsoft Windows do disco rígido do portátil bem como a partição que permitia a configuração e reposição do mesmo, instalando de seguida a distribuição
#!CrunchBang GNU/Linux (Debian based).

De acordo com os termos supra-citados, contacto-o no sentido de obter instruções sobre como devolver estas licenças para obter a devolução do seu custo.

Para que fique claro, não desejo devolver o portátil, apenas as licenças do Microsoft Windows e todo o restante software incluído. Li os seus termos cuidadosamente e não vejo nada neles que restrinja o meu direito de devolver apenas este componente da compra.

No site da Worten, no dia 12 de Junho de 2011, constato que o Microsoft Windows Seven(7) Home Premium é anunciado com o preço de 225.99€, IVA incluído.
Considero que este valor é um primeiro esforço razoável para determinar o valor de retorno, embora esteja evidentemente aberto à sua revisão, baseada em provas que comprovem valores diferentes entre o que a Microsoft lhe cobra como OEM ou embalado individualmente pelo Windows Seven(7) Home Premium.

Se entender que a minha análise da sua obrigação de me devolver o custo dos programas é incorrecta, por favor justifique detalhadamente o seu entendimento quando me responder.

Aguardo uma resposta sua em 14 dias úteis.

Respeitosamente,

(o meu nome)

P.S. segue em anexo a factura digitalizada.

Bilderberg 2011: Também tu Clarinha?

Hotel Suvretta-Bilderberg2011

Ando há dias para escrever esta entrada breve e só ainda não o havia feito porque estava a aguardar pela lista de vendidos que estão presentes este ano no encontro da corja internacional, perdão, do Bilderberg 2011 na Suíça.

O local escolhido, ou locais como algumas notícias indicam, são o belo Hotel Suvretta em St. Moritz bem como algures em Geneva.

Hoje reparei que o Alex Jones já a havia obtido, mas infelizmente ainda não aparece no site oficial, estão muito caladinhos este ano.

Pelo que vejo e como é habitual os nossos media também estão relativamente caladinhos, quando não o estão optam por lavar mais branco, obviamente que tudo o que diga respeito à Impresa do bilderberger mor cá do sitio, o senhor Balsemão nada diz, ainda que para surpresa minha, sim sou muito inocente, Clara Ferreira Alves da SIC notícias e do Expresso é uma das convidadas…


Por indicação de Pinto Balsemão, a jornalista do Expresso e o economista António Nogueira Leite foram os dois portugueses convidados este ano a conviver de perto com o exclusivo grupo que muitos classificam de secreto e a quem atribuem um forte poder. Como uma espécie de “mão invisível” que controla e orienta decisões-chave em momentos chave, pelo mundo fora.

via DN

Despois de ler esta frase proferida pela dita senhora, segundo o DN, espero nunca mais a ouvir dizer que é jornalista.


“Faz parte do protocolo, não faço qualquer comentário.” Esta foi a única frase que Clara Ferreira Alves aceitou dizer ao DN

 

Este ano a troika, triunvirato, trio 😉 português, quer dizer, chamar-lhes portugueses é um abuso, são:

Portugal
Balsemão, Francisco Pinto, Chairman and CEO, IMPRESA, S.G.P.S.; Former Prime Minister
Ferreira Alves, Clara, CEO, Claref LDA; writer
Nogueira Leite, António, Member of the Board, José de Mello Investimentos, SGPS, SA

Escusado será referir a importância que este senhor tem e por certo irá ter quer no PSD de Pedro Passos Coelho quer no seu governo.
Será que vamos ver Nogueira Leite num Ministério de destaque, depois deste convite não me admiraria nada que fosse o Ministro das Finanças ou irá ficar na sombra?

Termino com três questões e com mais alguns nomes presentes no encontro da MAFIA internacional.

Porque razão os cidadãos suíços, tal como nós há anos em Sintra, têm de pagar a segurança de um encontro privado?
Porque razão é que as forças policiais dos países onde se realizam estes encontros privados dão suporte aos mesmos, afinal de contas não se trata de encontros oficiais dos Estados por certo que tudo isto é inconstitucional.?!

Que tem a senhora Clara Ferreira Alves a dizer sobre tudo isto?

Spain
Cebrián, Juan Luis, CEO, PRISA
Cospedal, María Dolores de, Secretary General, Partido Popular
León Gross, Bernardino, Secretary General of the Spanish Presidency
Nin Génova, Juan María, President and CEO, La Caixa
H.M. Queen Sofia of Spain

USA
Mundie, Craig J., Chief Research and Strategy Officer, Microsoft Corporation
Schmidt, Eric, Executive Chairman, Google Inc.
Bezos, Jeff, Founder and CEO, Amazon.com
Hoffman, Reid, Co-founder and Executive Chairman, LinkedIn
Hughes, Chris R., Co-founder, Facebook
Kissinger, Henry A., Chairman, Kissinger Associates, Inc.
Kleinfeld, Klaus, Chairman and CEO, Alcoa
Perle, Richard N., Resident Fellow, American Enterprise Institute for Public Policy Research
Rockefeller, David, Former Chairman, Chase Manhattan Bank

e.coli – Estamos a assistir a uma PsyOp com Armas biológicas ou às consequências do uso de OGM/GMOs?

https://i1.wp.com/upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/8/82/E_coli_at_10000x.jpg
via Wikipedia

‘If you control the oil you control the country; if you control food, you control the population.’
Henry Kissinger
“Se controlares o petróleo controlas o país, se controlares a alimentação, controlas a população”

UPDATE no fim

Com este título estarão já a pensar algo como….pronto lá está este gajo com teorias da conspiração mirabolantes….

Uma vez mais recordo-vos que nunca nos podemos esquecer do passado, do que os diversos Estados já por inúmeras vezes fizeram aos seus cidadãos…. Nomeadamente os EUA, mas não só!


Depois de terem acordado com os dados históricos acima, é um facto que existem mais uma vez coisas bastante estranhas em todo este caso, histórias da carochinha (tipo as da morte de Bin Laden) como bem lembrou o Bruno Fehr na sua recente entrada sobre o tema da e.coli.

A Ana, numa resposta à entrada, Rapidinhas: Que fazer quando se perde $US1,3B do cliente? Invade-se o país, deixou-me um link interessante sobre este tema o que me levou a escrever sobre o tema, deixando aqui alguma info que como é óbvio está arredada dos nossos media.

Tratavam-se dos pepinos espanhóis, o que era algo estranho quando na Espanha não haviam casos registados.
Segundo nos informa o Centro Europeu para o controlo e prevenção de doenças, apenas existe registo de um caso em Espanha até hoje dia 6Junho2011.


via ECDC

Afinal supostamente já não se trata nem de pepinos, nem de tomates nem de alface, mas sim, talvez, who knows?!!! de rebentos de soja…alemães.

E.coli: Indícios dos Rebentos de soja não devem desviar atenções | Ciberjunta

No entanto, o ministro da Saúde alemão revela que estamos perante indícios, apenas, e não provas conclusivas.

Não encontrei informação sobre se a teoria dos rebentos de soja tem a ver com soja biológica ou GMO/OGM, de qualquer forma mesmo que a fonte fosse ao nível dos vegetais, estes teriam de ter sido contaminados talvez a partir de estrume animal, afinal de contas a bactéria vive quer nos intestinos dos animais quer nos nossos.

Menciono o problema dos OGM/GMO porque recentemente têm sido descobertos diversos casos de contaminação quer animal quer humana, inclusive em fetos, por parte de pesticidas usados neste tipo de agricultura bem como a descoberta de um micro-fungo em soja (Roundup ready) da Monsanto que causa abortos.

Ou será este apenas mais um ataque concertado e muito bem planeado à alimentação biológica, até porque a Soja é cada vez mais usada em inúmeros produtos.
Afinal de contas o Codex Alimentarius está aí, bem como nova legislação europeia que ataca sem dó nem piedade os produtos biológicos.

Nos EUA há anos que a FDA em concertação com as mega empreas de frankenfood e GMOs vem tentando por todos os meios acabar com a produção de alimentos biológicos.
Aliás os EUA têm por todos os meios tentado contaminar a Europa com GMO/OGM até com o apoio do Vaticano como se veio a descobrir a partir dos telegramas expostos pelo Wikileaks.

Na notícia sobre os rebentos de soja é afirmado que “Dispomos de indícios de que uma empresa é a fonte da infeção, mas só com os exames de laboratório poderemos ter certezas absolutas”, disse o ministro da Saúde, Daniel Bahr, ao canal ARD.”
Mas se é esse o caso, porque razão logo a seguir na notícia é afirmado que “Enquanto não houver certezas absolutas sobre a origem da bactéria E.coli, todos os vegetais são desaconselhados: rebentos de soja, sementes geminadas, tomates, pepinos, entre outros.”

Isto não faz qualquer sentido, se o problema se encontra apenas numa empresa, não existe razão para desaconselhar o que quer que seja desde que não seja proveniente dessa mesma empresa, a não ser claro que os objectivos sejam outros.

Segundo diversas notícias, esta estirpe super-tóxica que parece ser composta por uma combinação de outras duas estirpes, contém diversos genes (TEM-1 and CTX-M-15 extremamente mortíferos) resistentes a pelo menos oito classes diferentes de antibióticos.
Segundo o site NaturalNews, esta estirpe é uma variação da 0104 que normalmente não é resistente a antibióticos.

Forensic evidence emerges that European e.coli superbug was bioengineered to produce human fatalities

When scientists at Germany’s Robert Koch Institute decoded the genetic makeup of the O104 strain, they found it to be resistant to all the following classes and combinations of antibiotics:

• penicillins
• tetracycline
• nalidixic acid
• trimethoprim-sulfamethoxazol
• cephalosporins
• amoxicillin / clavulanic acid
• piperacillin-sulbactam
• piperacillin-tazobactam

In addition, this O104 strain posses an ability to produce special enzymes that give it what might be called “bacteria superpowers” known technically as ESBLs:

WHO: E. coli outbreak caused by new strain – Yahoo! News

The DNA of the new E. coli strain, believed to have contaminated salad vegetables, was analyzed by Chinese and German scientists. It contains several genes that cause antibiotic resistance and is similar to a strain that causes serious diarrhea and is found in the Central African Republic, according to a statement from the Shenzhen, China-based laboratory, BGI. Those scientists were working together with the University Medical Center Hamburg-Eppendorf.

“This is a unique strain that has never been isolated from patients before,” Hilde Kruse, a food safety expert at the World Health Organization, told The Associated Press. The new strain has “various characteristics that make it more virulent and toxin-producing” than the many E. coli strains people naturally carry in their intestines.
(…)
Previous E. coli outbreaks have mainly hit children and the elderly, but the European outbreak is disproportionately affecting adults, especially women. Kruse said there might be something particular about the bacteria strain that makes it more dangerous for adults.

Outbreak in Europe blamed on ‘super-toxic’ strain – Business – Stocks & economy – msnbc.com

Chinese and German scientists analyzed the DNA of the E. coli bacteria and determined that the outbreak was caused by “an entirely new, super-toxic” strain that contains several antibiotic-resistant genes, according to a statement from the Shenzhen, China-based laboratory BGI. It said the strain appeared to be a combination of two types of E. coli.

“This is a unique strain that has never been isolated from patients before,” Hilde Kruse, a food safety expert at the World Health Organization, told The Associated Press on Thursday. The new strain has “various characteristics that make it more virulent and toxin-producing” than the many E. coli strains people naturally carry in their intestines.

Segundo diversas notícias, esta estirpe parece ser mais contagiosa nas mulheres que nos homens, causa profundo mau estar, diarreias líquidas, falha dos rins e mais alguns sintomas que os médicos têm dificuldade em explicar como sejam a completa desorientação por parte dos pacientes assim como uma enorme agressividade.

Conclusão, estaremos perante mais uma consequência do uso e abuso de GMO/OGM e de antibióticos na cadeia alimentar, de mais uma PSYOP com o objectivo habitual de promover o nosso já conhecido método Problema, Reacção, Solução, ou de mais um descuido?! no manuseio de armas biológicas que vêm sendo desenvolvidas sem grande controlo inclusive tal como acontece com as armas nucleares, havendo países que se recusam a dar informação sobre o seu desenvolvimento como é o caso mais uma vez de Israel? Quanto aos países que se sabe que as desenvolvem, fazem-no com a desculpa que precisam de as criar para poderem criar antídotos.

Germs Gone Wild – Bioweapons Research

“A
superb guided tour of the demented world of twenty-first century
bioweapons research in America, where dangerous new labs seem to pop up
on every street corner, the lines between offense and defense blur, and
people who question the wisdom and safety of it all are derided by their
own government.”

Eu por mim que ando cada vez mais desconfiado da suposta bondade dos diversos governos por esse mundo fora e tendo em conta o exposto no artigo da Natural News que abaixo e acima cito, começo a pensar se realmente não estaremos mais uma vez a assistir ao vivo a mais um exemplo de Terrorismo de Estado como os diversos exemplos que citei logo no início da entrada.

Estaremos a assistir ao teste em condições reais de uma poderosa arma biológica que pode ser colocada nos mais diversos produtos?
E. coli have already been used to produce such diverse products as
insulin for diabetics; enzymes used in laundry detergent, and polymer
substitutes in carpets and plastic.

Não é novidade nenhuma que a Elite global quer exterminar a maior parte da população, pretendendo que esta apenas se situe nos cerca de 500 milhões de seres humanos no planeta como escreveram em diversos livros, artigos e estudos o actual czar de Obama para a ciência, John P. Holdren, mas também Henry Kissinger entre outros.

Forensic evidence emerges that European e.coli superbug was bioengineered to produce human fatalities

So how, exactly, does a bacterial strain come into existence that’s resistant to over a dozen antibiotics in eight different drug classes and features two deadly gene mutations plus ESBL enzyme capabilities?

There’s really only one way this happens (and only one way) — you have to expose this strain of e.coli to all eight classes of antibiotics drugs. Usually this isn’t done at the same time, of course: You first expose it to penicillin and find the surviving colonies which are resistant to penicillin. You then take those surviving colonies and expose them to tetracycline. The surviving colonies are now resistant to both penicillin and tetracycline. You then expose them to a sulfa drug and collect the surviving colonies from that, and so on. It is a process of genetic selection done in a laboratory with a desired outcome. This is essentially how some bioweapons are engineered by the U.S. Army in its laboratory facility in Ft. Detrick, Maryland
(…)
When considering the genetic evidence that now confronts us, it is difficult to imagine how this could happen “in the wild.” While resistance to a single antibiotic is common, the creation of a strain of e.coli that’s resistant to eight different classes of antibiotics — in combination — simply defies the laws of genetic permutation and combination in the wild. Simply put, this superbug e.coli strain could not have been created in the wild. And that leaves only one explanation for where it really came from: the lab.
(…)
The evidence now points to this deadly strain of e.coli being engineered and then either being released into the food supply or somehow escaping from a lab and entering the food supply inadvertently. If you disagree with that conclusion — and you’re certainly welcome to — then you are forced to conclude that this octobiotic superbug (immune to eight classes of antibiotics) developed randomly on its ownand that conclusion is far scarier than the “bioengineered” explanation because it means octobiotic superbugs can simply appear anywhere at any time without cause. That would be quite an exotic theory indeed.

UPDATE: afinal parece que os testes mais recentes não confirmam que a fonte do contágio fosse a fazenda do norte da Alemanha; também já não se ouve falar da soja….cada vez mais há razões para desconfiar e muito de tudo isto.

Mais updates serão feitos nos comentários.

Powered by ScribeFire.

Rapidinhas: Que fazer quando se perde $US1,3B do cliente? Invade-se o país.

No seguimento das entradas sobre a Líbia e dentro de um esquema muito semelhante empregado pela NWO «Nova (Des)Ordem Mundial» no Afeganistão, ontem encontrei mais informação que mostra bem como funciona a canalha que vai destruindo o nosso planeta.

Esta informação ajuda também a perceber melhor porque razão a primeira medida tomada pelos supostos revoltosos, que não passam de agentes da Al-CIA, foi criar um novo Banco Central.

Segundo este interessante artigo no Cryptogon, que não mais é que uma chamada de atenção para os artigos do NYTimes e do WSJournal, a corja da Goldman Sachs (recomenda-se ver o documentário Inside Job) nas suas diversas aldrabices que tem vindo a fazer ao longo dos últimos anos, perdeu 98% dos $US 1,3 biliões de dólares (confirmado por documentos internos da GS) que o fundo soberano da Líbia controlado por Muamar Kadafi lhes havia confiado para investirem em diversos negócios.

Não podendo esconder semelhante roubo, mesmo para esta corja, a GS propõe a Muamar Kadafi algo ainda mais interessante, que a Líbia se tornasse num dos maiores e mais importantes acionistas da GS.

Parece que a negociata não foi avante e como tal nada melhor que em vez de pagarem o que devem, com a preciosa ajuda do MIC (complexo industrial militar) resolvem invadir o país e ficar com o que resta das suas muitas riquezas.

Libya’s Investment With Goldman Ends in Losses, Acrimony – WSJ.com

In early 2008, Libya’s sovereign-wealth fund controlled by Col. Moammar Gadhafi gave $1.3 billion to Goldman Sachs Group to sink into a currency bet and other complicated trades. The investments lost 98% of their value, internal Goldman documents show.

What happened next may be one of the most peculiar footnotes to the global financial crisis. In an effort to make up for the losses, Goldmanoffered Libya the chance to become one of its biggest shareholders, according to documents and people familiar with the matter.

Negotiations between Goldman and the Libyan Investment Authority stretched on for months during the summer of 2009. Eventually, the talksfell apart, and nothing more was done about the lost money.
(…)

Libya was furious at Goldman over the nearly total loss of the $1.3 billion it invested in nine equity trades and one currency transaction,people involved in the matter say. A confrontation in Tripoli between atop fund executive and two Goldman officials left the bankers so rattledthat they made a panicked phone call to their bosses, these people say.
Goldman arranged for a security guard to protect them before they left Libya the next day, they say.

(…)

But that fall, the credit crisis hit with a vengeance as Lehman Brothers failed and banks all over the world faced financial  crises. The $1.3 billion of option investments were hit especially hard.
The underlying securities plunged in value and all of the trades lost money, according to an internal Goldman memo reviewed by the Journal.
The memo said the investments were worth just $25.1 million as of  February 2010—a decline of 98%.

The Long and Short of It at Goldman Sachs – New York Times

My pal, colleague and alter ego, the financial manager Phil DeMuth, culled data from a financial Web site, ABAlert.com (for “asset-backed alert”), that Goldman Sachs was one of the top 10 sellers of C.M.O.’s for the last two and a half years. From the evidence I see, Goldman was doing  this for years. It might have sold very roughly $100 billion of the stuff in that period, according to ABAlert. Goldman was doing it on a scale of billions even when Henry M. Paulson Jr., the current Treasury secretary, led the firm.

The Goldman spokesman would not comment on this except to note that other firms sold C.M.O.’s too.

The point to bear in mind, as Mr. Sloan brilliantly makes clear, is that as Goldman was peddling C.M.O.’s, it was also shorting the junk on a titanic scale through index sales — showing, at least to me, how
horrible a product it believed it was selling.

The Goldman Sachs  spokesman said that the company routinely shorts the securities it underwrites and said that this is disclosed. He noted candidly that Goldman is much more short in this sector than usual.