Ainda acreditam que o «magalhães» vai usar Caixa Mágica ou Alinex? Esqueçam isso…

Se ainda acreditam em contos de fadas, talvez fosse melhor lerem o que o Times (online) escreve sobre os golpes sujos da Intel e da microsoft em relação ao OLPC.

How Microsoft and Intel Conspired Against the GNU/Linux/AMD Laptops

Why Microsoft and Intel tried to kill the XO $100 laptop

Boycott Novell » How Microsoft and Intel Conspired Against the GNU/Linux/AMD Laptops

To give just one example: Intel sold computers at a loss (dumping) just in order to ensure OLPC could not get a foothold in Nigeria. Going by trade law, this may be illegal and it’s only the tip of the iceberg as far as Intel’s crimes go (there are more obvious cases where the company is to be convicted of bribery, too). Intel is now after Nvidia’s lunch because it seeks growth, so sit sight and watch. Nvidia is already complaining, just like AMD. Intel and Microsoft were recently caught engaging in collusion that harms consumers.

Why Microsoft and Intel tried to kill the XO $100 laptop – Times Online

The great, the good, the rich and the technocrats nodded in solemn approval.

And then some of them tried to kill it.

Microsoft, makers of most of the computer software in the world, tried to kill it with words, and Intel, maker of most computer chips, tried to kill it with dirty tricks. Of course, they don’t admit to being attempted murderers. And when I introduce you to Intel’s lovely spokesperson, Agnes Kwan, you’ll realise how far their denials go. But the truth is the two mightiest high-tech companies in the world looked on Negroponte’s philanthropic scheme and decided it had to die.

Anúncios

Ubuntu e distros apoiadas pela comunidade prontas para o mercado empresarial…mais uma prova da desgovernação deste país!

A ars technica no artigo, Analyst: Ubuntu, community distros ready for the enterprise, indica que o analista Jay Lyman do Grupo451, afirmou que existe enorme potencial na adopção empresarial do ubuntu e no grande impacto que as distros conduzidas e apoiadas pela comunidade terão no mercado.

Indica ainda que cada vez mais a nível empresarial as distros comunitáriassão escolhidas em detrimento das ofertas comerciais, ou com oferta de suporte convencional.

Os factores que apontam para esta situação, segundo este analista são:

* Insatisfação com os custos de suporte das distros comerciais
* a existência de técnicos capazes dentro das próprias empresas (in house)
* o aumento da tendência, especialmente na Europa, do uso de distros como o Ubuntu e CentOS
* a tendência na Europa de haver maior propensão para considerar algo que não venha do vendedor tradicional

No entanto o analista indica que não vê a longo prazo problemas para as ofertas tradicionais de serviços, uma vez que estas vão beneficiar com a maior utilização da plataforma FLOSS e isso criará novas oportunidades de mercado e este tornar-se-á maior, no entanto a competição terá um impacto profundo no preço dos serviços tradicionais, o que tornará o suporte mais acessível.

Ele dá como exemplo o facto de um cliente ter usado Fedora e após ter ficado completamente satisfeito, resolveu apostar em RHEL, a versão paga.

Outro dos factores importantes que este analista considera é o facto de toda uma nova geração estar a crescer com GNU/Linux, o que dará origem a uma nova geração de Administradores para essa plataforma, com o número de pessoas a adquirirem essas faculdades a aumentar é normal que a adopção de distros comunitárias também aumente a nível empresarial.

É neste ponto, que considero dos mais importantes, que se pode concluir quanto Portugal está a perder com as decisões deste e de outros governos e o seu constante apoio e defesa intransigente da adopção de produtos da microsoft em detrimento da adopção, apoio e divulgação de normas e padrões abertos bem como da massificação da utilização de Software livre.

Ainda à pouco assistimos a mais uma dessas decisões, ao trocar-se o OLPC e o Software Livre por uma plataforma totalmente proprietária, desde o hardware ao software, sim porque não acredito que o classmatepc/magalhães alguma vez vá usar de raiz o GNU/Linux, perdendo-se assim uma grande oportunidade de começar a cativar desde muito cedo aqueles que irão ser os informáticos do futuro.

E o futuro vai ser do Software Livre, que não haja dúvidas sobre isso, mais uma vez iremos estar em contra-ciclo, enquanto o mundo desenvolvido (Holanda, Alemanha, França, Espanha) e que se está a desenvolver (Brasil, India) e a criar riqueza e a formar os técnicos de hoje e de amanhã através do Software Livre, nós estamos a apostar em tecnologia proprietária, padrões fechados, métodos de trabalho e serviços do passado.

Espero que haja num futuro próximo decisores a nível do país, se não fôr o governo/estado, que seja o privado, a abrir a vista e a olhar para horizontes mais longínquos, falta-nos a visão de um Marquês de Pombal e de um Duarte Pacheco.

A whole new generation of future system administrators is growing up with Linux and will bring a lot of solid Linux expertise into the IT departments of the companies that eventually employ them. As the number of people with such skills grows in the industry, it is likely that adoption of free Linux distributions will continue to increase. This means more opportunities for Ubuntu and CentOS, and it means that Red Hat and Novell will have to continue adapting their business models.

Tsunami, sem GNU/Linux

Pois é, a tal empresa fabulosa a que o nosso pseudo-governo fez propaganda, e que diz que vai criar o primeiro computador português, a tal tanga do Magalhães que não passa de um classmatepc da intel, mais uma vez mostra a quem presta vassalagem.

Já agora e para que fique bem claro, eles não vão criar nada, apenas vão assemblar cá um classmate da intel.

Então não é que no seu Tsunami Moover, um notebook que apenas é uma versão do Msi Wind, só vai correr m$-xp?
Pois é a tal empresa que todos nós vamos financiar, só vai ter o m$-xp como sistema operativo, querem instalar outro OS nele, tudo bem, mas primeiro pagam o imposto micro$oft.

E porque afirmo eu tal coisa com tanta convicção? Apenas porque essa foi a resposta a mail que lhes enviei, aqui fica o registo:

estando eu e algumas pessoas da minha familia interesse no vosso
Tsunami Moover T10, gostaria de saber se este pode ser adquirido sem o
microsoft windows ou com uma distro GNU/Linux?

obrigado,

ricardo nunes,

a resposta curta e incisiva:

Bom dia Sr. Ricardo!
O Modelo em questão não poderá ser adquirido sem sistema operativo!
Melhores Cumprimentos

Gerente de Loja [retirei o nome da pessoa que me respondeu]

Como nem sequer menciona a possibilidade de ter GNU/Linux de raíz, parto do princípio que realmente existe um imposto m$ a ser pago.

Porreiro, pá!!!

Números de Julho da Netcraft para fiabilidade de hosting – GNU/Linux rules!!!

Segundo dados da Netcraft para o passado mês de Julho, 6 dos 10 primeiros lugares de companhias de hosting em termos de fiabilidade, são ocupados pelo sistema operativo Livre, o GNU/Linux, o qual detém mesmo os três primeiros lugares.

Aparece no 6º lugar ainda o FreeBSD e num 10º o m$-windows server 2003, o gráfico dá-nos ainda conta de dois como unknown…. o que será? Indo aos sites dá para ver que correm ambos Apache e um deles pelo menos, informa que corre sobre Unix, o da reliableservers.

Fui até ao site da Netcraft porque queria responder a um comentário no jornal Sol sobre o artigo «PCP propõe adopção de normas abertas nos sistemas informáticos», mas infelizmente e apesar de me ter registado de propósito, mesmo tentando com três browsers não me foi possível enviar o meu comentário, nem com Firefox 3.01, nem com o último Opera, nem com o Konqueror lá fui, mesmo modificando o user-agent…..será burrice minha ou aquilo é mesmo o habitual carneirismo m$ a funcionar?

Verio is the Most Reliable Hosting Company Site in July 2008 – Netcraft

Six of July’s top ten hosting companies run Linux on their main sites, including Verio and Tiscali. New York Internet uses FreeBSD, while Go Daddy uses Windows Server 2003.

Netcraft measures and makes available the response times of fifty leading hosting providers’ sites. The performance measurements are made at fifteen minute intervals from separate points around the internet, and averages are calculated over the immediately preceding 24 hour period.

From a customer’s point of view, the percentage of failed requests is more pertinent than outages on hosting companies’ own sites, as this gives a pointer to reliability of routing, and this is why we choose to rank our table by fewest failed requests, rather than shortest periods of outage.

Um interessante artigo sobre o ««Magalhães»» a nova arma de propaganda do “plano tecnológico”

Acabo de ler um interessante artigo sobre a nova arma de propaganda governamental assente no seu emblemático mas catastrófico “plano tecnológico”.

É a primeira vez que leio um artigo sobre informática aqui pelas nossas bandas, onde o jornalista coloca questões pertinentes e faz um apanhado do que se passa um pouco por todo o mundo e pela história deste tipo de sistemas.

São interessantes as questões levantadas pelo artigo.

Porque recaiu a escolha sobre o sistema apresentado pela Intel, não tendo existido nenhum concurso e ainda para mais quando este sistema tem mais limitações que o OLPC?

Porque fica a Intel como conselheira técnica do Ministério responsável pelo projecto?

Será que ajuda a microsoft já estar na cama com os diversos governos que temos tido, afinal por alguma razão se chama wintel ao monopólio.

Desde quando cabe na cabeça de algum governante entregar a nossa autonomia e o nosso poder decisório a uma multinacional?

Afinal qual é o custo final de cada equipamento? Quanto irá custar por cada aluno?

A verdade é que desde sempre o Classmate teve como objectivo único a utilização de software da microsoft, ao contrário o OLPC, sempre teve o objectivo de usar e difundir o Software Livre, ainda que agora também possa fazer uso do sistema da microsoft.

Agora que tanto se fala de poupar energia, de usar energias renováveis e que tanta propaganda este governo faz ao tema, mais uma razão para escolher o OLPC, este gasta bastante menos energia que o Classmate/Magalhães e tendo ainda a vantagem de usar energias alternativas como por exemplo a solar e ainda através de manivela.
Já para não mencionar que a nível de redes mais uma vez o OLPC está à frente, usando por exemplo a tecnologia Mesh, que é «é uma outra forma de transmissão de dados e voz além das redes a cabo ou wireless ou seja, uma rede Mesh são vários nós/roteadores e cada nó está conectado a um ou mais dos outros nós. Desta maneira é possível transmitir mensagens de um nó a outro por diferentes caminhos.»

Já não nos chegava os esquemas e bandalheira que temos tido e continuamos a ter com a microsoft, junta-se agora a sua aliada desde sempre, a intel.

Triste país este que entrega o seu futuro a multinacionais estrangeiras.
Não será posta em causa a Soberania do país quando delegamos em multinacionais, ainda por cima que não são portuguesas, a defesa dos nossos interesses?

Este governo vai ficar num futuro próximo conhecido como o governo que hipotecou o futuro dos portugueses nas áreas tecnológicas, especialmente na área da TI.
Senão vejamos, a microsoft representou o país a nível internacional, na ISO, relativamente ao processo fraudolento do m$-ooxml, a microsoft é escolhida para “n” projectos através de simples acordos e sem qualquer concurso, a microsoft é a escolhida para implementar sistemas de defesa no nosso país, ao ser parceira do Ministério da Defesa, agora chega a vez da intel ser escolhida sem qualquer concurso e mais uma vez este governo escolhe o pior produto a troco não se sabe muito bem do quê.

Mas será que a corrupção e compadrio que grassam por este país fora, alguma vez irão ter fim?

«A boa notícia é que Portugal está a apostar na tecnologia, colocando-a à disposição das crianças. Mas o que não é claro é o método. Para além disso, é estranho que a Intel fique como conselheira tecnológica do Ministério responsável. Será que convidariam a Opel para conselheira da indústria automóvel?», questiona, assumindo a perplexidade: «Há aqui uma perda de autonomia de escolha no futuro. Para além disso, não foi bem esclarecido a verba dispendida por cada aluno. Não me parece que tenha sido um processo totalmente transparente».

Estudo da O’Reilly desvenda as múltiplas razões para o sucesso do Software Livre

De acordo com o recente estudo da O’Reilly, existem pelo menos 6 razões que explicam o rápido crescimento do Software Livre e Open Source:

Agility and scale, reduced vendor lock-in, quality and security, cost,sovereignty (i.e., Local, not necessarily US-based development), and innovation.

O relatório sugere mesmo que uma das mais importantes é realmente o cliente poder fugir ao lock-in.

Mais um estudo que confirma a completa falácia, incompetência e quem sabe actividade dolosa por parte de quem criou e leva a cabo o desastroso Plano Tecnológico.

É que pelas notícias que têm sido dadas a conhecer, como os acordos micro$oft/desgoverno português, vide:
COMPUTADORES: Justiça canaliza 2,9 milhões de euros para renovação do parque informático

Licenças pagas à Microsoft custam ao Ministério da Justiça 5 milhões de euros anuais

Microsoft e GeRAP unem-se na criação de um centro I&D de software para a Administração Pública

Microsoft e Ministério da Defesa em parceria para a criação de centro de investigação

estamos a fazer tudo ao contrário do que estes estudos indicam, daqui a muito pouco tempo vamos ouvir o choradinho de que perdemos dinheiro e tempo e que estamos na cauda da Europa, já não falta muito.

Infelizmente e como sempre os mesmos de sempre vão pagar as asneiras e actividades muito pouco claras dos também habituais chulos do país.

As últimas entradas no blog do Luís Silva, demonstram bem o que quero dizer.

Mais uma idiotice do jornalismo português

[editado] – tal como o Bruno indica trata-se de um artigo da Lusa via Público, de qualquer forma mantém-se o problema de incompetência jornalística e ainda para mais propagado.

O jornal público tem mais uma pérola, apenas transcrevo o título.

Vocês sabem do que estou a falar…..
Assembleia da República: sala secular de São Bento entra na era do “powerpoint”

Pobre jornalista, nunca ouviu falar de Software de Apresentações.
Haja pachorra!!!

Se já não bastava a publicidade gratuita e os milhões de euros dos nossos impostos a correrem para o bolso dos aldrabões da microsoft através de sites pagos com o dinheiro do contribuinte.

O fomentarem tecnologias proprietárias, fechadas e não standards, como o caso do site português da Expo2008 de Saragoça.

Agora vamos ter a própria Assembleia da República todos os dias a vender a droga micro$oft.
Sim senhora, estamos num óptimo caminho…

Cambada!