Tsunami, sem GNU/Linux

Pois é, a tal empresa fabulosa a que o nosso pseudo-governo fez propaganda, e que diz que vai criar o primeiro computador português, a tal tanga do Magalhães que não passa de um classmatepc da intel, mais uma vez mostra a quem presta vassalagem.

Já agora e para que fique bem claro, eles não vão criar nada, apenas vão assemblar cá um classmate da intel.

Então não é que no seu Tsunami Moover, um notebook que apenas é uma versão do Msi Wind, só vai correr m$-xp?
Pois é a tal empresa que todos nós vamos financiar, só vai ter o m$-xp como sistema operativo, querem instalar outro OS nele, tudo bem, mas primeiro pagam o imposto micro$oft.

E porque afirmo eu tal coisa com tanta convicção? Apenas porque essa foi a resposta a mail que lhes enviei, aqui fica o registo:

estando eu e algumas pessoas da minha familia interesse no vosso
Tsunami Moover T10, gostaria de saber se este pode ser adquirido sem o
microsoft windows ou com uma distro GNU/Linux?

obrigado,

ricardo nunes,

a resposta curta e incisiva:

Bom dia Sr. Ricardo!
O Modelo em questão não poderá ser adquirido sem sistema operativo!
Melhores Cumprimentos

Gerente de Loja [retirei o nome da pessoa que me respondeu]

Como nem sequer menciona a possibilidade de ter GNU/Linux de raíz, parto do princípio que realmente existe um imposto m$ a ser pago.

Porreiro, pá!!!

Um interessante artigo sobre o ««Magalhães»» a nova arma de propaganda do “plano tecnológico”

Acabo de ler um interessante artigo sobre a nova arma de propaganda governamental assente no seu emblemático mas catastrófico “plano tecnológico”.

É a primeira vez que leio um artigo sobre informática aqui pelas nossas bandas, onde o jornalista coloca questões pertinentes e faz um apanhado do que se passa um pouco por todo o mundo e pela história deste tipo de sistemas.

São interessantes as questões levantadas pelo artigo.

Porque recaiu a escolha sobre o sistema apresentado pela Intel, não tendo existido nenhum concurso e ainda para mais quando este sistema tem mais limitações que o OLPC?

Porque fica a Intel como conselheira técnica do Ministério responsável pelo projecto?

Será que ajuda a microsoft já estar na cama com os diversos governos que temos tido, afinal por alguma razão se chama wintel ao monopólio.

Desde quando cabe na cabeça de algum governante entregar a nossa autonomia e o nosso poder decisório a uma multinacional?

Afinal qual é o custo final de cada equipamento? Quanto irá custar por cada aluno?

A verdade é que desde sempre o Classmate teve como objectivo único a utilização de software da microsoft, ao contrário o OLPC, sempre teve o objectivo de usar e difundir o Software Livre, ainda que agora também possa fazer uso do sistema da microsoft.

Agora que tanto se fala de poupar energia, de usar energias renováveis e que tanta propaganda este governo faz ao tema, mais uma razão para escolher o OLPC, este gasta bastante menos energia que o Classmate/Magalhães e tendo ainda a vantagem de usar energias alternativas como por exemplo a solar e ainda através de manivela.
Já para não mencionar que a nível de redes mais uma vez o OLPC está à frente, usando por exemplo a tecnologia Mesh, que é «é uma outra forma de transmissão de dados e voz além das redes a cabo ou wireless ou seja, uma rede Mesh são vários nós/roteadores e cada nó está conectado a um ou mais dos outros nós. Desta maneira é possível transmitir mensagens de um nó a outro por diferentes caminhos.»

Já não nos chegava os esquemas e bandalheira que temos tido e continuamos a ter com a microsoft, junta-se agora a sua aliada desde sempre, a intel.

Triste país este que entrega o seu futuro a multinacionais estrangeiras.
Não será posta em causa a Soberania do país quando delegamos em multinacionais, ainda por cima que não são portuguesas, a defesa dos nossos interesses?

Este governo vai ficar num futuro próximo conhecido como o governo que hipotecou o futuro dos portugueses nas áreas tecnológicas, especialmente na área da TI.
Senão vejamos, a microsoft representou o país a nível internacional, na ISO, relativamente ao processo fraudolento do m$-ooxml, a microsoft é escolhida para “n” projectos através de simples acordos e sem qualquer concurso, a microsoft é a escolhida para implementar sistemas de defesa no nosso país, ao ser parceira do Ministério da Defesa, agora chega a vez da intel ser escolhida sem qualquer concurso e mais uma vez este governo escolhe o pior produto a troco não se sabe muito bem do quê.

Mas será que a corrupção e compadrio que grassam por este país fora, alguma vez irão ter fim?

«A boa notícia é que Portugal está a apostar na tecnologia, colocando-a à disposição das crianças. Mas o que não é claro é o método. Para além disso, é estranho que a Intel fique como conselheira tecnológica do Ministério responsável. Será que convidariam a Opel para conselheira da indústria automóvel?», questiona, assumindo a perplexidade: «Há aqui uma perda de autonomia de escolha no futuro. Para além disso, não foi bem esclarecido a verba dispendida por cada aluno. Não me parece que tenha sido um processo totalmente transparente».

Transformar routers baratinhos em super routers – Firmwares livres

Numa anterior entrada já havia mencionado alguns firmwares livres baseados no kernel Linux, hoje creio que os menciono todos.

Eis pois a lista e algumas das marcas de routers que os suportam, através de diversos modelos.

Firmwares alternativos via wikipedia:

Algumas das características deles:

OpenWRTControls are provided for Data logging, Booting, cron, NVRAM, file editing, Linux package management, SNMP, backup and restore, Firmware upgrade, WAN, VLAN, Wi-Fi, WEP, WPA, WDS, MAC filtering, Firewall, Port forwarding, DHCP, Dnsmasq, Hostnames, IP control, Routing, UPNP, QoS, DynDNS, WoL, OpenVPN, PPTP, and Hotspots.

DD-WRT
– Many of DD-WRT’s features are not included in typical router firmware. These features include support for the Kai network, daemon-based services, IPv6, Wireless Distribution System, RADIUS, advanced quality of service, radio output power control, overclocking capability, and software support for a Secure Digital Card hardware modification.

A lista completa deste poderoso firmware na wikipedia.

FreeWRT – FreeWRT uses either JFFS (writeable root-filesystem) or SquashFS as read-only root-filesystem in combination with a writable overlay filesystem. A large amount of additional software packages can be installed via ipkg, a package management system similar to the Debian-style dpkg. As a lot of peripheral hardware is supported (like webcams, USB soundcards, printers, USB harddisks) there is a vast amount of possible usage scenarios in combination with the available software (NAS, Print server, media player etc.)

Tomato firmware algumas características tais como: Interactive Ajax based GUI using SVGGUI look and feel changes). CLI access (BusyBox) via TELNET or SSH (using Dropbear). DNS forwarder (using Dnsmasq).Netfilter/iptables with customizable settings, IPP2P and l7-filter. Advanced QoS: 10 unique QoS classes defined, real-time graphs display prioritized traffic with traffic class details.Wireless LAN Radio power of adjustement , antenna selection, and 14 wireless channels.

SveasoftSveasoft firmware is typically advertised as being able to increase the router’s radiotransmission power from 28 milliwatts to 251 milliwatts, as well as being able to use 14 channels for 802.11b transmissions instead of the 11 normally permitted in the U.S. or 13 permitted elsewhere.Other features include QoS support, Wireless Distribution System support, wireless bridging, client mode support (CPE), a PPTP VPN server and client, downloadable packages and IPv6support.The latest version of the Talisman firmware supports up to 16 Ethernet VLANs, up to 15 virtual wireless VLANs each with their own WEP, WPA, or WPA2 encryption and SSID, and bandwidth management and firewall features.

[Via Wikipedia]

Segundo a mesma wikipedia as marcas que geralmente os suportam são:

Relativamente aos modelos, o que deu inicio a tudo é o Linksys WRT54G series.

A Netgear tem neste momento o seu NETGEAR WGR614L, o qual é de raiz um router para os amantes do Software Livre e das experiências ;), tendo criado a própria Netgear, um site de apoio à comunidade.

A Asus é outra das marcas conhecidas que têm hardware compatível com estes firmwares, trata-se do Asus WL-500g, o qual é talvez o maior concorrente neste momento à Linksys.

A lista completa de routers suportados pelo OpenWRT.

A lista suportada pelo DD-WRT.

A lista suportada pelo FreeWRT.

Para finalizar deixo alguns valores de mercado para alguns destes routers, o interessante é que routers de preço relativamente baixo,, com estes firmwares tornam-se em routers que poderiam custar muito mais, tendo mesmo preços proibitivos.

Mais uma vez o Software Livre pode ser e é o grande amigo dos estudantes e profissionais de redes, estes firmwares são bem interessantes para testar o que se lê e estuda para as certifcações.

Linksys WRT54G series

Asus WL-500

Netgear WR614L

Pode-se ter por exemplo o Netgear por cerca de 55€ na pixmania.

Uma review do belo Acer Aspire one

[Editado] – esta review também é interessante, especialmente porque menciona o disco HD de 120Gb e 1Gb de memória.

O site HardwareZone fez uma review ao Acer Aspire one, pelo que vi o pior mesmo é a duração da bateria, o sistema operativo GNU/Linux que ele traz parece facílimo de usar mesmo por quem nunca viu um sistema GNU/Linux à frente, trata-se do Limpus Linux Lite OS.

De 1 estrela a 5, atribuiram 3….

Relativamente à crítica ao OS instalado ser muito restritivo, até pode ser verdade, mas podemos sempre instalar lá um belo Debian/sidux/kubuntu GNU/Linux, fica logo tudo resolvido 🙂

The Acer Aspire One Netbook Review :: Articles :: www.hardwarezone.com®

Pros: Light weight, decently sized keyboard, clear and bright LCD screen
Cons: Dismal battery life, restrictive OS, expensive price, unwieldy trackpad.

The Acer Aspire One Netbook Review :: Articles :: www.hardwarezone.com®

The operating system provided, while restrictive, does allow for a simple and easy to use experience for the more novice folks through its nice GUI interface.

AMD/ATI faz o salto final para o suporte ao GNU/Linux

Segundo o artigo “AMD Makes An Evolutionary Leap In Linux Support”, do site phoronix, a AMD está prácticamente a par com a nvidia no que à qualidade do driver concerne, mas a AMD foi mais longe, uma vez que cada vez mais disponibiliza aos programadores de FLOSS os seus programming guides and register information, tendo dado origem a dois drivers open source.

A AMD prepara-se agora para introduzir no driver GNU/Linux a sua tecnologia “Multi-GPU CrossFire”.

Interessante também é o facto da AMD com a introdução da sua HD 4850, para além dos cd’s de drivers que a acompanham trazerem de origem o driver para GNU/Linux, a própria caixa tem o TUX.

Será que a minha próxima placa já pode ser uma AMD/ATI all in wonder?!!!


foto copyright da phoronix

[Phoronix] AMD Makes An Evolutionary Leap In Linux Support

We suspect the xf86-video-ati and xf86-video-radeonhd developers will have the documentation even sooner under NDA. In addition, the open-sourcing of KGrids and TCore will be relevant and helpful for the 2D and 3D RV770 open-source support.