Dicas/Tips: Alguns sites indispensáveis sobre dicas de Software Livre e distros favoritas

Começando pelo principio nada melhor que o site onde tudo começou, o GNU a FSF e o site de Richard M. Stallman, bem como algumas entradas da wikipedia e ainda da ANSOL e do blog do Software Livre.

http://sekueladigital.files.wordpress.com/2007/09/unix_linux_timeline.jpg

O que é o Software Livre? — ANSOL

A filosofia do Software Livre encontra as suas raízes na livre troca de conhecimentos e de pensamentos que podem  tradicionalmente ser encontrada no campo científico. Tal como as ideias, os programas de computador não são tangíveis e podem ser copiados sem perda. A sua distribuição é a base de um processo de evolução que alimenta o desenvolvimento do pensamento.

No inicio dos anos 80, Richard M. Stallman foi o primeiro a formalizar esta maneira de pensar para o software sobre a forma de quatro liberdades:

1ª liberdade:
A liberdade de executar o software, para qualquer uso.

2ª liberdade:
A liberdade de estudar o funcionamento de um programa e de adaptá-lo às suas necessidades.

3ª liberdade:
A liberdade de redistribuir cópias.

4ª liberdade:
A liberdade de melhorar o programa e de tornar as modificações públicas
de modo que a comunidade inteira beneficie da melhoria.

O software que siga esses quatro princípios é chamado “Software Livre” (ou Free Software).

Mr. Stephen Fry introduces you to free software, and reminds you of a very special birthday.
Watch Stephen Fry in ‘Happy Birthday to GNU

As minhas distros favoritas, yep, são todas Debian Based🙂

Debian GNU/Linux
sidux
gNewSense
(totalmente livre)
BackTrack
(segurança e forense)
Kubuntu
Ubuntu
Linux Mint

Edubuntu (para educação)

As portuguesas via BSL:
Alinex
Caixa Mágica
FEUPLive
Inforbios-Linux
IPBrick
Komunix
Linius
PaiPix
Protech
Vixta

Para mais distros dar olhada no distrowatch

https://i1.wp.com/futurist.se/gldt/gldt93.png
GNU/Linux distro timeline

Os BSD’s «Berkeley Software Distribution», apenas ainda usei o FreeBSD e PC-BSD, para mais tarde o super seguro OpenBSD que me limitei a brincar numa VirtualBox:

FreeBSD
The OpenBSD Project
The NetBSD Project
PC-BSD
(uma versão para desktops baseada no FreeBSD)
The DragonFly BSD Project
OpenDarwin
(A parte livre do MacOSX da apple)
TrustedBSD
(projecto de segurança que usa uma implementação FLASK tipo o SELinux)
m0n0wall
(firewall)

Grande parte deste e outro software está disponível num dos melhores servidores de Software Livre portugueses, o servidor Darkstar.

Quanto aos sites de dicas, aqui vão eles, antes disso duas entradas que por aqui escrevi sobre dois temas que me apaixonam, as distros e software de desenrascar e as distros leves para hardware antigo e ainda dois sites sobre software equivalente entre FLOSS e o outro sistema proprietário e um português com software livre de educação:

  1. Linux Alternative Project
  2. The table of equivalents / replacements / analogs of Windows software in Linux
  3. Associação Ensino Livre

Os sites de dicas imprescindíveis sem qualquer ordem especial:

Powered by ScribeFire.

15 Respostas

  1. Na minha opinião, todo o software deveria ser Software Livre.

    Actualmente, utilizo o gNewSense ( http://www.gnewsense.org/ ) e o Trisquel ( http://trisquel.info/ ).

    No gNewSense, actualmente, sou um Package Freedom Verificator ( http://wiki.gnewsense.org/Main/HowToHelp#toc6 ).

    No gNewSense, precisamos sempre de voluntários para ajudarem ( http://wiki.gnewsense.org/Main/HowToHelp ).
    🙂

    • boas,

      desconhecia o trisquel tem muito bom aspecto, já agora sabes se usa ms-novell-mono?
      abç

      • Penso que sim, aliás, o gNewSense também tem o mono, mas é possível desinstalá-lo.

        1º -> sudo dpkg –get-selections | fgrep mono

        2º -> sudo apt-get remove mono-common libmono0

        Mono Removido.
        🙂

      • pois, sinceramente não consigo perceber porque raio o gnewsense traz o cancro ms-novell-mono, não faz qq sentido numa distro supostamente totalmente Livre.
        espero que quer a gnu quer a debian e ubuntu comecem a ter juizo.

        ab

  2. O mono é software livre, -> http://en.wikipedia.org/wiki/Mono_(software)

    ” Mono is dual licensed by Novell, similar to other products such as Qt and the Mozilla Application Suite. Mono’s C# compiler and tools are released under the GNU General Public License (GPLv2 only) (starting with version 2.0 of Mono, the Mono C# compiler source code will also be available under the MIT X11 license)[8], the runtime libraries under the GNU Lesser General Public License (LGPLv2 only) and the class libraries under the MIT License. These are all free software and open-source licenses and hence Mono is free and open-source software.”

    • desculpa mas o ms-novell-mono não é livre, é uma armadilha um cavalo de Tróia para destruir o software livre.

      While Microsoft and their partners hold patents for the CLI and C#, ECMA and ISO require that all patents essential to implementation be made available under “reasonable and non-discriminatory terms“. In addition to meeting these terms, the companies have agreed to make the patents available royalty-free.

      However, this does not apply for the part of the .NET Framework which is not covered by the ECMA/ISO standard, which includes Windows Forms, ADO.NET, and ASP.NET. Patents that Microsoft holds in these areas may deter non-Microsoft implementations of the full framework.

      [via wikipedia]

      The Mono project aims to avoid infringing on any patents or copyrights, and to the extent that they are successful, the project can be safely distributed and used under the GPL. On November 2, 2006, Microsoft and Novell announced a joint agreement whereby Microsoft promised not to sue Novell or its customers for patent infringement.[8]
      According to a statement on the blog of Mono project leader Miguel de Icaza, this agreement only extends to Mono for Novell developers and users.

      lê pf o resto da entrada aqui https://ovigia.wordpress.com/2009/03/12/para-nao-nos-esquecer-mos-do-cancro-ms-novell-mono/

      ab

  3. O gNewSense é 100% Software Livre.

    O Mono é Software Livre.
    🙂

    • acho que não leste o que aqui coloquei.

      como é que algo é livre se According to a statement on the blog of Mono project leader Miguel de Icaza, this agreement only extends to Mono for Novell developers and users.

      parte da implementação pode ser livre, mas porque raio havemos de usar e programar usando o mono quando este nunca será interoperavel, servirá apenas para a microsoft controlar o software livre?!!!
      porque raio os programadores usam o ms-mono quando têm tanta ferramenta livre e multiplataforma, java, python e claro as antigas C e C++, não faz qq sentido é pura burrice como aliás se está a provar com o tomboy que é feito em m$-mono e que agora um dos seus ex-programadores que foi despedido da novell criou uma versão superior escrita em C e que para além de ser mais rápida consome menos memória, o Gnote.

      ab

  4. Eu sei que o Mono é um “Cavalo de Troia”, mas de acordo com as suas licenças é, Software Livre ( GPLv2, LGPLv2 and MIT, or dual license ).

    Se é Software Livre, o gNewSense deixa estar.

    As licenças GPLv2 , LGPLv2, MIT são consideradas Software Livre.

    http://www.gnu.org/licenses/license-list.html

    Recomendo a leitura de -> http://www.gnu.org/distros/free-system-distribution-guidelines.html

    Tu tens razão, relativamente, quanto ao Mono ser um PERIGO para o Software Livre, mas o grande problema é que o Mono está licenciado por Licenças Aprovadas pela FSF, e o gNewSense não remove o mono por causa de ele ser software livre.

    abc

  5. ” Patents

    It is effectively impossible for free software developers and distributors to know whether or not a given piece of software infringes any patents: there are too many of them, they vary from country to country, they’re often worded so as to make it hard to tell what they do or don’t cover, and it isn’t easy to tell which ones are valid. Therefore, we don’t generally ask free system distributions to exclude software because of possible threats from patents. On the other hand, we also don’t object if a distributor chooses to omit some software in order to avoid patent risk.”

    -> http://www.gnu.org/distros/free-system-distribution-guidelines.html

  6. Na minha opinião, para mais informações sobre o porquê do Mono estar no gnewsense e até porque é considerado software livre:

    IRC: #gnewsense on irc.freenode.net

    http://lists.nongnu.org/mailman/listinfo/gnewsense-users

    http://wiki.gnewsense.org/ForumMain/

    abraço
    🙂

  7. #gnewsense

    Eu sou o marcooliva.

    Estou a falar com o GNUtoo .

    -> http://pastebin.com/m16e0da3d

    • yep eu tive a ler, eu concordo com vocês nesses pontos, mas o meu ponto é quanto aquilo que também concordas, é um cavalo de Tróia do qual não necessitamos para nada, o ms-novell-mono não acrescenta nada às ferramentas livres que já dispomos, como tal é uma perfeita burrice usá-lo, contaminar projectos com ele, com grande probabilidade de no futuro haver problemas de legalidade, pq quanto à interoperabilidade não tenhamos dúvidas nunca existirá, a m$ detém o completo controlo do projecto.

      #
      Gnutoo: Yes, but my friend show me this -> https://ovigia.wordpress.com/2009/03/12/para-nao-nos-esquecer-mos-do-cancro-ms-novell-mono/
      #
      Mono to me is Free Software.
      #
      marcooliva, mmm….basically mono has 3 parts:
      #
      *an ECMA part -> safe
      #
      *a GNU/Linux bindings part -> safe
      #
      *a compatibility part -> not safe

      e não só, como sublinhei a info que está na wikipedia, não se trata apenas de compatibilidade mas sim de legalidade

      .
      #
      I bet gnome use only the 2 first parts…
      #
      so we should be safe
      #
      moreover software patents are half-over
      #
      basically you can still sue someone but then the person sued can easily proove that your patent is invalid
      #
      but then the person suing you can re-sue you with another patent and so on…that is the problem
      #
      that’s what I understood
      #
      GNUtoo: Thanks.🙂

  8. […] Microsoft Dirty Secrets – como a empresa de Bill Gates subverteu as leis do mercado e criou um&nbs… […]

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: